CIÊncia moral teórica positiva



Baixar 1.76 Mb.
Página8/23
Encontro08.08.2016
Tamanho1.76 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   23

Cada qual existiu no coração (sentimento) do passado e existe na atividade (caráter) do presente, para existir no espírito (inteligência) do futuro. Assim o homem se assimila, sucessivamente , ao coração, ao caráter e ao espirito do Gran Ser.

Esta identificação crescente da Alma humana, com o Gran Ser, constitui o destino da vida objetiva do homem, que o habilita para se incorporar na existência suprema.


A Animalidade, a Vegetabilidade e a Materialidade, também se incorporam ao Gran Ser, pelos seus sentimentos, pela suas inteligências e pela sua atividade, respectivamente.
Todas as existências do Universo, refletem as emoções Altruísticas do Gran Ser, suas concepções religiosas e os resultados de sua incessante atividade. Essas existências recordam o passado, sustentam o presente e prevêem o futuro.
O Gran Meio acolhe as Ciências do Espaço -isto é : as 15 Leis Naturais ou Fatalidade Suprema + a Ciência Matemática, e se incorpora ao Gran Ser, como a sua mais grandiosa instituição lógica, local sagrado da Vida Subjetiva.
Assim o Gran Ser é constituído, por um conjunto contínuo de Seres, que convergem no Passado, convergem no Futuro, e convergem no Presente, e convergem entre si, para criar toda a Harmonia Universal - isto é, a Humanidade; que subjetivamente é a Deusa da Doutrina Positiva - Virgem Mãe; representada figuradamente, por uma Mulher de 30 anos com o seu filho, no colo; este último representando o Futuro. Existem várias imagens externando a Deusa Positiva. Exemplo : A Virgem de São Sisto - na Capela Sistina - quadro de Miguel Ângelo; o quadro pintado por Décio Villares, onde a Mulher aparece com o rosto de Clotilde De Vaux, localizado no Templo Positivista - Rio de Janeiro. No Monumento à Benjamin Constant - na Praça da Republica .
A existência do Gran Ser, tem suas correspondências, nas leis morais da vida subjetiva, e as leis sociais, vitais e materiais, próprias de sua construção coletiva, da natureza vital de seus agentes, e das condições físicas do meio, em que se desenvolve.
O Gran Ser complementa as Leis Naturais com as leis artificiais, que aperfeiçoam a ordem material, vital, social e sobre tudo moral de sua própria existência.
Longe de fundar a sua supremacia, na arbitrariedade da onipotência, o Gran Ser, baseia-se na submissão à Ordem Exterior ( Leis Naturais - a forma de ser das coisas) e a Ordem Interior (Leis da Ordem Humana, no que se refere a Biologia, a Sociologia e a Moral), para fazer colaborar os sentimentos, os pensamentos e as atividades, para se atingir o aperfeiçoamento da Ordem Universal (Harmonia).
O Gran Ser, nasceu nas Mulheres Mães, que revelam a sua bondade, para o futuro, no amor aos seus filhos, e também transmitindo às suas filhas, que manifestam sua veneração ao passado, por meio do amor aos pais; e seu Apego ao presente, por meio do amor fraternal.
As esposas, simultaneamente filhas, irmãs e Mães, fundam a Família, reunindo os amores do passado, do futuro e do presente.
Os atributos morais do Gran Ser, surgem assim, na Mulher, como Mãe, esposa, filha e irmã.
As influências morais do Gran Ser, na Família receberam uma simbolizacão doméstica, no fetiches, que chegaram à ser os deuses dos lares - Amuletos, Talismãs, Heráldicas.
A cooperação social das Famílias, baseada sempre nas afeiçoes Altruísticas da Bondade, Veneração e Apego, determinou a dupla colaboração das opiniões e das ações humanas.
Essa colaboração dos atributos morais, intelectuais e práticos do Gran Ser, se consolidou entorno dos fetiches astroláticos, enquanto predominava a razão concreta (origem da contemplação concreta), na evolução do espirito humano ou da inteligência humana.
Mas, enquanto se desenvolveu a razão abstrata ( origem da contemplação abstrata) essa colaboração, dos atributos do Gran Ser, fez surgir entorno dos deuses do politeísmo, os governos Teocráticos ou Teocracias.
Então o Olimpo ( Paraíso do politeísmo Grego), substituiu o Céu, na representação religiosa do Gran Ser.
Os destinos do Gran Ser, os levaram a transformar a Teocracia em Sociocracia, na grande evolução, que se inicia em Atenas, continua em Roma e terminará na Velha Europa - Paris França; deixando para traz esta fase deprimente que estamos vivendo com a democracia.
Nessa evolução, o sentimento social se eleva da Família à Pátria e por fim à Humanidade.
Assim surgiu a civilização greco-romana, em que predominaram sucessivamente, os atributos intelectuais da poesia, da filosofia e da ciência; bem como os atributos práticos da educação cívica, da política conquistadora e da indústria escravagista progressista - escravidão moral. Não é a escravidão dos negros, para satisfazer a ganância de um fazendeiro.

A evolução social dos sentimentos altruístas, ao atingir o elo da Família à Pátria, os impulsiona para a Humanidade.


Sobre as Pátrias, surgiram as Igrejas ou Templos, que manifestaram os atributos práticos do Gran Ser, na Educação religiosa, na Política Defensiva, e na Indústria Livre.
O Gran Ser foi então representado pela divindade monoteista, e os ideais do aperfeiçoamento se concentraram na vida futura. Ida para o Céu ou para o Inferno
Os atributos intelectuais da poesia, filosofia e ciência, divorciados desta civilização grega, puderam harmonizar-se, quando a ciência se ligou à filosofia ( ou se fez filosofia), ao estender-se aos fenômenos Sociais; e se ligou às Artes (poesia, etc..) (ou se fez Artes), ao se estender-se aos fenômenos Morais.
Esses atributos intelectuais, na perfeita harmonia, constituíram o Dogma religioso, da Fé Altruísta; que corresponde ao conhecimento do Gran Ser.
Então, os atributos práticos, se caracterizam como sendo a Educação, a Sã Política e a Industria Altruística.
Assim foi revelada ao grande reformador religioso, Augusto Comte, supremo Interprete da Humanidade, a existência do Gran Ser, como o centro da harmonia Universal, que exclui todas as divergências e desenvolve todas as convergências.
Os ideais do aperfeiçoamento universal, simbolizados na Utopia da Virgem Mãe, se enraizarão no futuro do Gran Ser, para o qual concorre o Destino do Passado (isto é o Futuro); e do Presente. Pois o “ Presente, está Gravido do Futuro, tendo como Mãe, o Passado” .
O Gran Ser serve de centro de convergência e de cooperação aos sentimentos Altruístas, que geram a Unidade Moral do indivíduo, e a harmonia social na Família, na Pátria e na Humanidade. A concepção do Gran Ser, oferece um centro definitivo da Unidade Universal, que unifica as opiniões a respeito do Mundo, da Sociedade e do Homem.
O serviço do Gran Ser, é efetuar a cooperação de todas as atividades que convergem para este centro, com vista ao progresso Universal.
Assim, o Gran Ser centraliza, simultaneamente o Culto, o Dogma e o Regime da Doutrina Universal ou Positiva.
Amar, Conhecer e Servir ao Gran Ser : Família, Pátria e Humanidade, é o verdadeiro destino da vida humana.
A Família domina o coração isto é, os Sentimentos; A Pátria domina o caráter ou as ações; e a Humanidade, a Inteligência ou comunicação (ou forma de pensar).
A Família inspira as afeiçoes, pela educação dos sentimentos; A Pátria, impõe as obrigações pela coação; e a Humanidade determina as convicções, pela instrução.
O Gran Ser : Família, Pátria, e Humanidade; representa a existência universal.
A Animalidade e a Vegetabilidade se incorporam ao Gran Ser, por seus serviços materiais, vitais, sociais e morais.
O Gran Ser, se incorpora ao Gran Fetiche, considerando este último, como sendo a sua eterna e sagrada Mansão .
O Fluido, se incorpora ao Gran Ser, como o poderoso agente, de sua cooperação no presente, e seus laços com o passado e o futuro.
O Céu ou o Cosmo, se incorpora ao Gran Ser, como sendo o Templo Sagrado, que tem sido e sempre será adorado.
O Gran Meio se incorpora ao Gran Ser, com a sua própria vida subjetiva, que liga no presente, seu passado e seu futuro.
O Gran Meio fornece os símbolos numéricos 1-13-15 ; o 01, da unidade de sua Imagem - A Virgem Mãe - a Deusa; 13 , As treze fazes do Regime Cultural, que podem ser encontrados, no calendário positivista, representando os meses do calendário abstrato, e suas respectivas festas de glorificação Sociolátricas; 15- as quinze Leis Naturais Universais - Filosofia Primeira, ou Fatalidade Suprema, comuns às 7 ciências ou Filosofia Segunda.
O Gran Meio, também oferece sua imagem geométrica, como sendo a Esfera, em que tudo converge, e nada diverge; e que engloba o Cilindro da Pátria e também engloba, o Cone da Família.
Se a Virgem, é a Imagem Moral da Família; e a Mãe é a Imagem Moral da Pátria; A Suprema Imagem Moral do Gran Ser: Família, Pátria e Humanidade, é a Virgem Mãe - A Deusa Positiva, que idealizada na Sublime Inspiradora da Doutrina Positivista - Clotilde De Vaux , representa o Gran Ser : nos Lares das Famílias ; nos Símbolos das Pátrias; e nos Templo da Humanidade ou Templos Positivistas.

União'>III ) Teoria da Unidade ou da Harmonia de Conjunto

União - está na Família ; Unidade Propriamente Dita - está na Religião ou Doutrina ; Continuidade - está na Humanidade : Que é o conjunto dos Seres convergentes, do passado, do futuro e do presente, que concorreram, concorrerão e concorrem, para a melhoria do Bem Estar do Ser Humano.
UNIÃO
O Princípio ou a Base da Unidade, isto é, da Harmonia de Conjunto, é a União Moral, que se baseia no Sentimento Altruísta.
Os instintos egoístas podem determinar uniões passageiras de indivíduos ou da espécie e de um progresso destruidor ou construtor; mas, ajudas conservadoras, somente o Altruísmo, tem condição de determinar a união estável, entre as Almas, ou entre estas e o mundo exterior e o interior, em que vivem.
O “Amor” é a base necessária de toda união durável, entre seres independentes.(125)
A união das Almas, se refere as suas faculdades, isto é, as suas capacidades, sentimentais, intelectuais e ativas.
Cada laço de União, para ser completo, deve afetar os sentimentos, os pensamentos e os atos humanos.
Amar, conceber e aperfeiçoar a ordem natural é o verdadeiro destino da vida, em conformidade com a formula sagrada : O Amor por principio, e a Ordem por Base; o Progresso por Fim.
O Sentimento Altruísta especialmente apropriado à União Moral é o Apego. Ela liga as Almas entre si; e por uma comunhão de sentimentos, as liga ao mundo objetivo e ao mundo subjetivo em que vive a natureza humana
A tratativa ou encanto peculiar do Apego Altruísta, determina as influencias morais da Mulher, como Mãe, esposa, filha e irmã.
O Espirito ou Inteligência e a Atividade ou Ação, são os ministros do Centro Sentimental da Natureza Humana, para uni-lo com o mundo exterior.(234)
Só os bons Sentimentos podem unir os homens, e jamais o interesse, as vantagens, o proveito, o lucro, podem determinar laços estáveis.
A União Altruísta é relativa, já que não pode estender-se às espécies animais que não são imitáveis. (175);( que não assimilam o que os outros sabem, não aprende nada com os outros).
É lamentável, que as imperfeições naturais da ordem exterior, impeçam o desenvolvimento universal da União sentimental.
A União Moral emana da vontade Altruística, por meio da livre cooperação, e não da vontade egoística, própria de uma cooperação imposta.
A Doutrina Positiva santifica e desenvolve a independência (liberdade), indispensável à dignidade pessoal e ao serviço social. (176)
A União Moral, depende principalmente dos laços afetivos ou sentimentais, com o estado Presente que se encontra o Gran Ser.
Esta União se estende à tudo, e leva à concorrer para a Harmonia Universal: à todas as Famílias, a todas as Pátrias; as espécies animais e vegetais; aos produtos do trabalho; e ainda aos materiais que se incorporam ao serviço da Humanidade.
A União entre diversos centros cívicos, deve ser religiosa e não política, segundo a comunhão de culto, de educação e de costumes. (417)
A União sentimental e a comunhão de Sentimentos para com o Mundo Exterior, e para com os seres, com que a Natureza povoa o Mundo Interior ou Subjetivo, servem de princípio ou base à União Intelectual.
Esta União liga os Espíritos, isto è, as Inteligências, e os interliga entorno de concepções comuns, a cerca do Mundo, da Sociedade e do próprio Homem.
Entre os atributos intelectuais da Humanidade, o mais apropriado para produzir a União das inteligências, ou União Espiritual é a Ciência. Por meio das Ciências Positivas; que são as que possuem os 7 atributos simultaneos: real, util, certo, preciso, orgânico, relativo e social.
Se a Base Moral ou Sentimental da União, é o sentimento Altruista do Apego; por sua vez, a base Teórica da União é a convicção, a persuasão, e o conhecimento, ao nível de demonstração real e natural dos conceitos científicos positivos; jamais pelo fetichismo, pela teologia ou pela metafísica.
A União Espiritual, isto é, a União pela Inteligência, tem como principal objetivo, a imutabilidade da ordem universal; e como principio subjetivo, a Lei Natural da Uniformidade Mental. Esta Lei estabelece que todas as Almas, estejam dispostas à pensar da mesma maneira, quando as situações são bastantes semelhantes. Esta Lei determina a concordância dos demais, o que constitui a base da confiança, de cada um dos envolvidos.
A influência da Lei da Uniformidade Mental ou da Harmonia Mental se estende até aos casos patológicos, como comprova a influência dos loucos sobre os médicos.
A intensidade da influencia mental depende mais da preponderância do caráter, que da superioridade mental. (isto é, do QI). (231 e 232).
A influência do caráter (QA) nas imposições mentais, é de formação genética, auxiliada pela educação dos sentimentos, na primeira infância; complementada pela expressão oral, e sobretudo da expressão mímica; que dominam pela expontânea tendência, a emitir essas duas expressões, que reagem por sua vez, sobre a oscilação da resultante, entre os “vetores” dos sentimentos egoístas e os dos sentimentos altruístas, provocando o conhecido estado Emocional das expressões ou a Emoção; que pode ser negativa ou positiva.(entusiástica ou depreciativa)
A instituição religiosa do terço ou rosário católico, programada por São Domingos, contemporâneo de São Francisco de Assis, na primeira geração do Século XIII, obedece a estas influencias morais e mentais da expressão repetida, que provoca a anestesia dos problemas, resultando na satisfação, daquele que está com problema positivo ou negativo, mas não cura o problema, nem apresenta soluções para sua resolução, anestesia a mente.
A União Espiritual, ou da Inteligência, supõe uma Doutrina, que seja ensinada e interpretada, donde resulte a Autoridade Espiritual do Sacerdócio.
A Imutabilidade da Ordem Universal, comprime o egoísmo e determina a União, pela submissão que impõe. A modificabilidade excita o Altruísmo, permitindo realizar o bem, vindo então à favorecer a União, na cooperação ou colaboração social.(166)
O desejo de Progresso estimula a União de colaboração, na cooperação social.
O desejo de progresso, é o melhor preservativo ou antídoto, contra o excesso de não atitudes, isto é, o quietismo, o calmismo, o tranquilismo de sentimentos e a perplexidade contemplativa ou ascetismo contemplativo.
A possibilidade de corrigir as imperfeições da Ordem Universal, nos permite senti-las e apreciá-las, muito mais, caso elas não viessem a ser corrigidas.
A influencia intelectual do pensamento de Progresso, leva à conceber a Ordem, como desenvolvimento por evolução, sem nenhuma nova criação.
Somente o Orgulho Legislativo, que desconhecia (ainda desconhece) as Leis Naturais, pretendeu manter artificialmente uma Ordem inalterável(167) ; tal foi o espirito das regulamentações Fetichocrática, Teocrática e da moderna legislativa metafísica; ainda predominante.
A modificabilidade se concilia com a imutabilidade, concebendo que o Progresso é o desenvolvimento da Ordem. Este conceito está de acordo, com a noção de lei; com a constância no meio da variedade. Na realidade, não existe lei sem instabilidade(variedade) e sem freqüência (constância) (163 ). Augusto Comte diz, e nós podemos constatar, que a Doutrina Positiva é compatível com o Permanente Desenvolvimento.
Assim, a Lei Natural, é a expressão da Ordem.
As idéias que levam ao Pensamento, para realização do Progresso, desperta o conceito de limite, nas variações da Ordem real ou natural.
A determinação dos limites, é indispensável à sistematização dos esforços práticos. (164).
As idéias que levam ao Pensamento, para a realização do Progresso, tem influência religiosa sobre a atividade, porque serve para regulá-la.
As noções de ordem e progresso, quando se conciliam, favorecem o triunfo do altruísmo, sobre o egoísmo. (168)
A disciplina do entendimento e da atividade, está destinada à aperfeiçoar a Ordem Universal e não a contemplar uma Ordem Imóvel.

A imutabilidade e a modificabilidade da Ordem Universal, comprimem o egoísmo e determinam a União.


A atividade excita o desenvolvimento dos Sentimentos Simpáticos (Sentimentos Altruístas), buscando uma contínua satisfação.
Esta excitação não dispensa que haja uma cultura direta do Amor Universal(166)
Os menores atos, podem adquirir uma influencia moral de felicidade, destinando tais atos, à desenvolver o Altruísmo.
A modificabilidade secundária da ordem exterior, determina a união prática, na cooperação social. Esta possível modificabilidade provoca a cooperação das atividades, para aperfeiçoar a Ordem Natural. A colaboração ativa é a fonte do poder temporal do Patriciado, que dirige a cooperação social.
A atividade prática promove mais a União do que a atividade teórica - Sacerdotal, pois nela, a colaboração é mais indispensável. (166)
Entre os atributos práticos da Humanidade, o mais apropriado para produzir a União Moral é a Industria, que modifica o Mundo; não no sentido do atual egoísmo capitalista democrático, metafisicamente ainda existente ; mas sim, no sentido do Altruísmo Trabalhista Sociocrático, cientificamente pôr vir.

A principal fonte de União de alguma coisa com a Humanidade, consiste na função especial que a corresponde. O trabalho material é o estimulo normal do desenvolvimento altruístico.


A Atividade Prática não tem por objetivo nenhuma Família, nenhuma Classe e nem nenhuma Nação, se destina ao conjunto da Humanidade (374)
O Amor se desenvolve em nós, muito mais pelos atos que pelo voto - Augusto Comte
Sempre pronta para desaparecer, sob o peso do corpo ou do meio ambiente, a Alma deve desenvolver, uma atividade que a impulsione, até o fim, para o aperfeiçoamento moral, fonte inalterável da felicidade e da dignidade. (350)
As influencias dos atributos sentimentais, teóricos e práticos do Gran Ser, em favor da União Moral, são solidárias. O Amor constitui a base ou o princípio interior da União Moral, enquanto a Fé na ordem, é sua base exterior; trazendo a esperança de progresso, ligada a atividade, que traz o resultado estimulante do Amor e da Fé. A atividade pacífica, tende excitar o Amor de onde emana, e a ligá-la a Fé que a guia. (174)
O Amor busca a Ordem e impulsiona o Progresso; a Ordem consolida o Amor e dirige o Progresso; e o Progresso desenvolve a Ordem e conduz ao Amor.(171)
O caráter real da Indústria, a faz incompatível com as concepções fictícias da teologia e da metafísica, enquanto ela se liga, como fonte e destino, com as concepções reais da ciência. (173)
Os diversos laços de União Moral, se consolidam e se generalizam, quando se ligam ao Gran Ser da existência Humana. Enquanto se operam estes laços, a desunião se faz impossível; e para Amar à uns, não é necessariamente odiar a outros. Assim se conciliam os sentimentos de União Doméstica e de União Cívica, com os de União Universal.
É, na realidade, no Gran Ser, nos seus elementos sociais, isto é, nos seus representantes e agentes morais, e nos seus auxiliares vitais e materiais, a onde todos se amam, uns aos outros.
A conciliação de todas as Uniões Altruístas, no Gran Ser, permite dignificar as egoístas Uniões passageiras, impostas pelas condições materiais, vitais e sociais da natureza humana, dando-lhes por destino ; unir a matéria, a vida e a Sociedade ao Gran Ser, que por sua vez resume o Universo.
A Harmonia Geral das Uniões Sentimentais, no Gran Ser, se estendem às Uniões Intelectuais
Quando as concepções científicas abrangerem os fenômenos sociais e morais, ocorrerá União intelectual total, entorno de um principio, ou de uma base qualquer que seja ela, provocando uma União, no Gran Ser.

Os Princípios ou as Bases da União Intelectual, são criações do Gran Ser, seja de cunho passageiro: teológico e metafísico, ou seja de cunho definitivo ou positivo, da realidade (real) ou fetichista


As concepções positivas, de ordem real, cientifica e filosófica; e as de ordem Ideal e poética, que ligam as inteligências (espíritos), entorno do Gran Ser, onde todas as realidades e todas as ficções, se referem-se entre si.
Estas concepções reais e ideais, são as únicas que podem servir de laços estáveis de União, entre as “Almas”.
Essas concepções que se referem ao Gran Ser, eliminam a dissolução moral, que ainda possuem os princípios metafísicos e teológicos, com os quais o Gran Ser se auto preparou, para sua Chegada Triunfal, por meio dos princípios científicos ou positivos.
Os Seres Supremos, sejam de ordem concreta, na Astrolatria ou de ordem abstrata na Teologia, ou ainda pelas entidades metafísicas, servirão de laços provisórios e de união intelectual(espiritual) e moral, altamente frágeis.

O Gran Ser, que elimina das almas, a desunião moral, bem como a desunião espiritual, porque envolve todas as Uniões sentimentais e todas as Uniões intelectuais, respectivamente; com as suas próprias criações preliminares ou definitivas, servindo também de Centro de União, à todas as atividades de serviço coletivo.


A União Ativa dos homens, se liga sempre ao Gran Ser, em suas fase de conquista; defensiva ou Industrial, como etapas preparatórias da atividade industrial Altruísta, que permite, viver para outrem, e subordinar todo ato pessoal, ao serviço Social do Gran Ser.
Assim, o Gran Ser serve de centro da União Ativa, bem como de União Intelectual e de União Sentimental.
Mas a harmonia das idéias, que geram os pensamentos e a cooperação dos atos ou ações, dependem da União dos Sentimentos.( 371).
Porem, os sentimentos tendem espontaneamente a desenvolver-se; seu desenvolvimento sempre exige uma excitação interior, por intermédio da inteligência e do caráter. As variações regulares do sentimento (egoístas e altruístas) - Emoções - resultam da dupla reação contínua, que recebem da inteligência e do caráter ; que são expressas pelas expressões, oral ,mímica ou escrita. É desta forma que o Mundo Exterior modifica os sentimentos, sem ter relação direta com elas.
O Mundo Exterior, exista com expansão, uns sentimentos e exista com compressão outros sentimentos, segundo as opiniões e os atos que provocam a situação teórica e prática.
O Ambiente, isto é, o Meio, constitui, o principal regulador do organismo, mesmo no que se refere às funções sentimentais do cérebro, que não tem laços diretos com as influências exteriores.
Os laços de União com o mundo exterior, que se referem a atividade, devem estender-se à inteligência e sobretudo sobre todo o Sentimento, para atuar por afeição e pensar para atuar.
Assim se determina a União entre as Faculdades ( propriedades ou atributos) da “Alma”, embutidos em seus simultâneos laços, morais, intelectuais e práticos, com o Mundo Exterior.
Entretanto, o mundo exterior, quando oferece possibilidades , ou coloca obstáculos à satisfação dos desejos egoístas; os exista e os perturba, para prejudicar a União Moral.
Esta influência do Mundo Exterior, se combina com o do Organismo, para excitar o instinto nutritivo, e as series sexual e material do egoísmo.
Estas influencias nocivas, se contra põe, subordinando os egoísmos, da vida exterior objetiva, ao altruísmo da vida interior subjetiva, construída pela Humanidade.
A harmonia do Sentimento (do coração) com a Inteligência (do espírito), não constitui um verdadeiro equilíbrio, se não, um movimento contínuo, cuja lei, consiste em sempre tender, para uma


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   23


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal