Colóquio debate tese de que portugueses terão sido os primeiros europeus a chegar à Austrália



Baixar 7.2 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho7.2 Kb.

Colóquio debate tese de que portugueses terão sido os primeiros europeus a chegar à Austrália



No atlas Nicholas Vallard's, de 1547, os nomes dos rios aparecem em português
A tese, defendida num livro recente do britânico Peter Trickett, de que terão sido os portugueses os primeiros europeus a chegar à costa australiana, vai ser debatida quinta-feira em Coimbra por vários especialistas.

Promovido pelo Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, o colóquio reúne investigadores de várias áreas e pretende lançar a discussão sobre um tema em aberto, disse hoje à agência Lusa Carlota Simões, da direcção da instituição.

No livro "Para além de Capricórnio", publicado recentemente em Portugal, o jornalista Peter Trickett apresenta a teoria de que terão sido os navegadores portugueses os primeiros a atingir a costa da Austrália, ainda durante a primeira metade do Século XVI, muito antes da descoberta do continente pelo capitão James Cook, em 1770.

O investigador residente na Austrália baseia esta tese no estudo que fez de alguns mapas do Atlas Vallard, datados de 1547 e integrados no acervo da Huntington Library, nos Estados Unidos da América. Trickett concluiu que a costa australiana já se encontrava representada, em pormenor, nestes mapas, nos quais a designação de rios e baías surge com palavras portuguesas.

"A tese de Trickett é muito credível. Havendo mapas que representam, com tanto rigor, a costa da Austrália, somos tentados a deduzir que houve envolvimento e interesse político de Portugal em cartografar a zona", disse a professora do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra à agência Lusa.

O autor de "Para além de Capricórnio" avança ainda com o nome do navegador Cristóvão de Mendonça para a descoberta da Austrália, tese em relação à qual Carlota Simões manifestou alguma reserva, "já que não se conhecem, até à data, quaisquer documentos comprovativos de tal descoberta".

José Alberto Leitão Barata, mestre em História dos Descobrimentos que vai participar no colóquio, considerou hoje que o livro de Peter Trickett é "um contributo importante" para a história da Austrália. "Quem fizer a história da Austrália não pode ignorar o livro", adiantou, ao referir que a leitura dos mapas introduzida por Trickett "introduz uma visão completamente nova".

Especialistas em Geografia, História (dos Descobrimentos, da Expansão Ultramarina e Estudos Orientais), Cartografia e Navegação participam nas conferências do colóquio "Portugueses na Austrália", que começam às 10:00 e serão seguidas de um debate.

Luís Filipe Thomaz (Instituto de Estudos Orientais da Universidade Católica), José Azevedo e Silva (Faculdade de Letras de Coimbra) e Francisco Roque de Oliveira (Departamento de Geografia da Universidade de Lisboa) são outros conferencistas.

Estão também previstas intervenções do australiano Howard Worth (professor da Universidade de Curtin, na Austrália, e autor de documentários) e de Jorge Semedo de Matos (Escola Naval). Francisco Contente Domingos (investigador em História Marítima da Faculdade de Letras de Lisboa) modera o debate.



06.05.2008

In http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=26212&op=all


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal