Como gerir um museu



Baixar 28.43 Kb.
Encontro23.07.2016
Tamanho28.43 Kb.
Curso realizado pela UNESCO aborda a gestão de museus
Ministrado à distância, o curso pretende incentivar o intercâmbio de experiências entre profissionais de instituições brasileiras e aqueles que atuam em outros países de língua portuguesa.
Já estão abertas as inscrições para o curso "COMO GERIR UM MUSEU", uma realização da representação da UNESCO no Brasil. As aulas serão ministradas à distância (pela internet), no período de 02 de março a 04 de julho de 2009, por meio da plataforma de educação à distância da Duo Informação e Cultura, empresa sediada em Belo Horizonte e também responsável pela coordenação técnica do curso. Serão oferecidas 160 vagas para interessados e todo Brasil e demais países de língua portuguesa. O material didático foi produzido pelo ICOM – Conselho Internacional de Museus, parceiro da iniciativa.
O curso tem como objetivo contribuir para a capacitação de profissionais atuantes na área museológica, além de difundir conceitos e técnicas contemporâneas de gestão destas instituições. O conteúdo terá como base a publicação Como Gerir um Museu – Manual Prático, chancelado pela UNESCO Brasil, que apresenta uma visão geral das práticas de organização e administração de um museu. Este material está disponível em português, inglês, francês, espanhol, árabe e russo.
O público-alvo são os profissionais que atuam no campo museológico, gestores de museus e de órgãos públicos municipais, estaduais e federais da área cultural, professores e alunos de cursos de áreas afins.
Nos primeiros dias do curso, será ministrada a disciplina "Adaptação e Ambientação em EAD (Ensino a distância)", com o objetivo de quebrar uma possível resistência dos alunos em relação à aprendizagem virtual, otimizar a utilização dos recursos da plataforma do curso e explicitar a metodologia adotada. 
Nas aulas seguintes, serão discutidos os temas: O Papel dos Museus e o Código de Ética Profissional; Gestão do Acervo; Inventário e Documentação, Conservação e Preservação do Acervo; Exposição, Exibições e Mostras; Acolhimento do Visitante; Educação do Museu no Contexto das Funções Museológicas; Gestão do Museu; Gestão de Pessoas; Marketing; Segurança e Prevenção de Acidentes do Museu; e Tráfico Ilícito. A coordenação de conteúdo será realizada por Célia Corsino.Corpo docente e currículos abaixo.

Além das disciplinas, que envolvem textos e debates, os alunos poderão participar de quatro chats que contarão com a mediação de profissionais convidados.  


Corpo docente

Luiz Fernandes de Assis

Especialista em Gestão da Memória: Arquivos, Bibliotecas e Museus, pela UEMG, bacharel e licenciado em História, pela UFMG. Analista Legislativo da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, foi coordenador de Extensão e Pesquisa da Escola do Legislativo, atual coordenador-local da Rede InterLegis(Senado). Sócio-fundador da Comuna S.A. e sócio-diretor da DUO Informação e Cultura (desde 1999). Coordenador do Curso de Formação Política da Escola do Legislativo, (Ano I a Ano V), de 1994 a 1999. Ministrou diversos cursos de uso da internet para fins acadêmicos e para profissionais da cultura, como nos cursos de Planejamento e Gestão Cultural pelo Instituto de Educação Continuada da PUC Minas (1999) e Curso de Gestão Cultural da Fundação Clóvis Salgado.


Márcio Ferreira Rangel

Possui graduação em Museologia (1995), mestrado em Memória Social (2000), ambos os títulos obtidos pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Doutorado em História das Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz/COC (2006). Museólogo do Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio, Histórico e Artístico Nacional/MinC. Professor doutor convidado do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/Museu de Astronomia e Ciências Afins. Tem experiência na área de Museologia, com ênfase em coleções histórico-científicas, história da ciência, memória e patrimônio. Ministra oficinas de capacitação de profissionais em museus em diversos estados do Brasil. Participa de comissões avaliadoras de prêmios e programas de financiamento do Ministério da Cultura.


Rosana Andrade Dias do Nascimento

Graduada em Museologia pela Universidade Federal da Bahia (1986); mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (1993), doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em História Social pela Universidade Federal da Bahia (2008). Em 1989 foi aprovada em Concurso para o Departamento de Museologia, atualmente é Professora Adjunta do Departamento de Museologia da UFBA. Ministra oficinas de Documentação no Programa de Capacitação do Ministério da Cultura, professora convidada do Curso de Especialização em Museologia da Universidade de São Paulo e do Mestrado em Museologia Social da Universidade Lusofona de Humanidade e Tecnologia-Lisboa/Portugal. Atua na área da Museologia, com ênfase nos temas: documentação e teoria museológica.Elaborou diagnósticos de procedimentos documentais para acervos museológicos de alguns museus no Brasil e exterior.Desenvolveu softwear para informatização de acervos museológicos com financiamento da VITAE : SIAC (1997/2000) e o Sistema DocMusa BR (2006) através de convênio estabelecido entre a Universidade Lusófona e o Departamento de Museus/MINC-IPHAN.


Lygia Guimarães

Conservadora sênior de papel, com formação acadêmica em Historia, pela Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro e especialização “LATU-SENSU” em conservação de acervos arquivísticos e bibliográficos na “Camberwell School of Arts and Crafts”, Londres, Inglaterra. Participou do Programa Pró-Documento da Fundação Pró-Memória (1986); implantou a área de Conservação/Restauração de acervos de arquivos e de bibliotecas, do IPHAN, MINC (1992), está à frente do Núcleo de Conservação e Preservação de Acervos Arquivísticos e Bibliográficos; coordenou projetos para assessoria técnica a todas as Superintendências do IPHAN e Museus Nacionais no país.

Nos últimos anos esteve envolvida com atividades na área de preservação de acervos culturais: ministrou o módulo - Preservação de Acervos Culturais, em cursos de Segurança de Acervos Culturais oferecidos pelo Museu da Astronomia, do MCT, entre Março de 2003 e Maio 2008; Presidente da Associação Brasileira de Conservadores e Restauradores no biênio de 2005 a 2007 e membro da Diretoria eleita em Março de 2007; membro da Comissão julgadora dos projetos apresentados à Petrobrás na área de arquivos, bibliotecas e museus, Edital 2006/2007; representante do Brasil no Comitê Regional da América Latina e Caribe do Programa Memória do Mundo, da UNESCO (membro e vice-presidente desde 2002); consultora técnica para a Biblioteca Rubens de Mendonça, do ICHS da UFMT, ao Museu Mello Leitão, Santa Teresa/ES e à Casa Museu Cora Coralina, em Goiás Velho/GO; membro da Câmara Técnica de Conservação de Documentos do CONARQ, desde Julho de 1995 até a presente data. Participou de estágios técnicos, cursos e oficinas nas seguintes instituições: Biblioteca da Universidade Berkely/CA/EUA; Public Record Office e  British Library, Londres/Inglaterra (Curso de Gestão da Preservação, “Preservation Management Summer”, com bolsa da Fundação VITAE, 1999); Oficina de Gerenciamento de Riscos do Patrimônio Cultural, organizado pela ABRACOR e ministrado por técnico do ICCROM, José Luiz Pedersoli, Porto Alegre/RS; Curso Regional de Preservação Digital, Biblioteca Nacional e UNESCO, Rio de Janeiro, 2003; Curso de Preservação de Documento Digital, “School for Scanning”, organizado pela instituição americana NEDCC, Haia, Holanda,2002; Estágio técnico no Departamento de Preservação da New York Botanical Garden Library, Nova York, EUA. 1997; Curso “Bases de Dados de Imagens”, ministrado pelo Prof. Howard Besser, da Universidade de Nova York, organizado pelo Minc/FUNARTE, Rio de Janeiro, 1997; Curso “To Scan or to Film: Reformating for Preservation in Digital World”, organizado pelo Northeast Document Conservation Center, Nova Orleans, EUA, 1997.

A Conservadora Lygia Guimarães apresentou trabalhos em congressos e seminários e elaborou texto técnico, “Conservação e Restauração de Documentos em Suporte de Papel”, para a revista MAST Coloquia, Vol.9, Conservação de Acervos, Museu de Astronomia e Ciências Afins-2007.


Maria Ignez Mantovani Franco

Graduada em Comunicação Social, com especialização em Museologia, cursou doutorado em História Social na Universidade de São Paulo, em fase de conclusão, na área de Museologia, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa, Portugal. Diretora da empresa EXPOMUS - Exposições, Museus, Projetos Culturais, por ela criada em 1981, atuou em cerca de 200 projetos de exposições nacionais e internacionais de arte e cultura brasileira, na América Latina, Estados Unidos e Europa. No Brasil desenvolve, pela Expomus, projetos museológicos, sócio-educacionais e ambientais, em colaboração com instituições e museus nacionais. Agraciada com “Prêmio Sagarana” de critica literária, para jovens, aos dezesseis anos, coordenou projetos expositivos premiados por entidades culturais brasileiras, além ter recebido dois prêmios museológicos de expressão nacional.

Foi membro de diversos Conselhos de Museus brasileiros e contribui ativamente para a consolidação da política museológica no Brasil e no exterior, através da participação em organismos nacionais e internacionais, tais como AAM - American Association of Museums e ICOM - International Council of Museums. Atualmente é membro da Diretoria do ICOM Brasil, na gestão 2006-2009. Representa o ICOM Brasil no Conselho Nacional de Políticas Culturais, do Ministério da Cultura.
Rosane Maria Rocha de Carvalho

Museóloga e Relações Públicas com 30 anos de experiência e atuação em empresas privadas e governamentais de grande porte. No IPHAN atuou como Assessora de Relações Públicas do Museu da República por 8 anos e chefiou a Divisão de Pesquisas no Museu Histórico Nacional por 5 anos. Doutora em Ciência da Informação pela Escola de Comunicação da UFRJ – convênio com o IBICT (2005). Professora concursada da Faculdade de Comunicação Social da UERJ, nas áreas de Relações Públicas e Marketing. Professora do Curso de Gestão e Marketing na Cultura do CEPUERJ. Atualmente desenvolve pesquisa de Pós Doutorado junto ao Programa de Pós Graduação em Museologia e Patrimônio da UNI-RIO, onde leciona no curso de Mestrado. Experiência desenvolvida em Pesquisas de Público em Museus e Marketing Cultural, tanto do ponto de vista de quem apresenta projetos culturais a uma empresa quanto do setor da empresa que os seleciona. Consultora em Gestão Cultural, museus, captação de recursos. Em 1994 esteve nos EUA como bolsista do Programa de Preservação e Divulgação de Bens Culturais patrocinado pela Comissão Fulbright e CAPES/MEC. Lá participou de especialização (áreas de Relações Públicas e Marketing) em diversos museus norte-americanos, nas cidades de San Francisco, Washington e New York.

           

Thais Velloso Cougo Pimentel

É graduada em em Letras pela PUC – MG, em 1976, e  em História pela UFMG, em 1980. Com Mestrado em História pela UNICAMP, em 1989, e Doutorado em História Social pela USP, em 1998

Foi professora do Curso de História do Instituto Cultural Newton Paiva Ferreira no período de 1983/85 e professora Adjunta do Departamento de História da FAFICH – UFMG, desde 1986. Durante sete anos, de 2001 a 2008 foi Diretora do Museu Histórico Abílio Barreto da FMC da Prefeitura de Belo Horizonte , onde empreendeu seu processo de revitalização. Representante da ANPUH-MG no Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte – 1990/98, representante da ANPUH-MG no Conselho Deliberativo do IEPHA – MG – 2000/02 e membro da CETAP(Comissão Técnica de Análise de Projetos) da Secretaria Estadual de Cultura – 1999/2001.

Tem os seguintes livros publicados:

Pimentel, Thais. A Torre Kubitschek: trajetória de um projeto em 30 anos de Brasil.

      BHte, Imprensa Oficial, 1993.

Pimentel, Thais (org.) Reinventando o MHAB. Belo Horizonte, PBH, 2005

Pimentel, Thais (org.)  Pampulha Múltipla. BHte, PBH, 2007


Átila Bezerra Tolentino

Graduado em Letras Português pela Universidade de Brasília - UnB (1997), com especialização em políticas públicas e gestão governamental pela Escola Nacional de Administração Pública (1999) e em gestão de políticas públicas de cultura pela UnB (2008). Atualmente trabalha como Gerente de Gestão Museológica no Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura. Tem experiência na área de museologia e literatura, atuando principalmente com os seguintes temas: museologia, política nacional de museus, políticas públicas, literatura e leitura.


Célia Corsino

Museóloga, com especialização em Administração de Projetos Culturais pela Fundação Getúlio Vargas e Metodologia do Ensino Superior. Desde 1973, vem trabalhando em museus tendo sido chefe da Seção de Difusão Cultural do Museu Histórico Nacional (1977–1978), chefe do Museu de Folclore Edison Carneiro da FUNARTE (1978-1982), assessora do Programa Nacional de Museus da Fundação Nacional próMemória, onde coordenou o Programa de revitalização de Pequenas Unidades Museológicas (1982-1986), assessora do Sistema Nacional de Museus da Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (1986-1989), coordenadora do Programa de Museus da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal (1989-1990), técnica da 14ª Coordenação Regional do Instituto Brasileiro do Patrimônio Cultural (1990-1991), chefe da Divisão Técnica da 14ª CR (1991-1994), Coordenadora da 14ª Coordenação Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (1994-1996) e Diretora do Departamento de Identificação e Documentação do IPHAN /1996-2002), onde participou ativamente na elaboração das metodologias dos inventários de Patrimônio Cultural em especial o de Referência Cultural e dos trabalhos que culminaram no Decreto do Registro do Patrimônio de Natureza Imaterial. Tem coordenado diversas exposições temporárias e prestando consultoria para organização e revitalização de diversos Museus, como por exemplo, , o projeto aprovado pela Fundação Vitae de Preservação do acervo documental do Museu Casa de Cora Coralina, em Goiás, o projeto de revitalização do Museu do Ouro – espaços expositivos e a revitalização do Museu de Arte Sacra de São Cristóvão, na cidade de São Cristóvão em Sergipe. Atualmente, é sócia da empresa AT & AT MUSEUM, coordena os trabalhos da área de museologia do Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, e é consultora da UNESCO no projeto de implantação do Museu de Congonhas, do Programa Monumenta para a implantação do Museu do São Francisco . Na área acadêmica foi professora titular da cadeira de Administração de Museus na Faculdade de Museologia e Arqueologia da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro de 1982 a 1986, e professora assistente da cadeira de Ciências Auxiliares da História (Numismática, Sigilografia, Filatelia e Heráldica) da mesma Faculdade. Participou do planejamento e do corpo docente de Cursos Básicos e Oficinas de Museologia em diversos estados do País, e atualmente é professora convidada da Universidade Católica de Goiás no Curso de Mestrado Profissionalizante de Gestão do Patrimônio Cultural.


                       

SERVIÇO

Curso: Como Gerir um Museu (curso livre e pela internet)

Inscrições: pelo site www.duo.inf.br até o dia 19 de fevereiro

Período do curso: 2 de março de 2009 a 4 de julho

Número de vagas: 160 vagas

Carga horária: Estima-se uma carga horária mínima de 125 horas/dia a serem trabalhadas no período 4 meses e cinco dias

Investimento: R$ 550,00

Consulte sobre preços promocionais



Informações: Duo Informação e Cultura (www.duo.inf.br) – (31) 3224.6700 ou pelo e-mail: curso@duo.inf.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal