Comportamento humano no trabalho



Baixar 10.24 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho10.24 Kb.
COMPORTAMENTO HUMANO NO TRABALHO1
O comportamento humano é complexo e multidimensional. Apesar dos avanços das ciências do comportamento, ainda persistem aspectos intrigantes e inexplicáveis que desafiam a compreensão do cientista e do leigo

O comportamento resulta da inter-relação de variáveis internas e externas, sendo que nenhuma delas, isoladamente, determina a ação observada. Isto quer dizer que é, pelo menos, simplista a tentativa de atribuir uma só causa a uma conduta.

A relação linear de causa e efeito, tão do agrado dos mecanicistas, não se aplica na íntegra ao comportamento humano, apesar de parecer que certo estímulo provoca certa resposta. Observando-se algumas variáveis externas e inferindo-se algumas variáveis internas pode-se pensar em comportamentos prováveis. O enfoque mutante da visão determinista para a visão probabilística do mundo permite maior flexi­bilidade na compreensão do homem e suas ações.

Três conjuntos interdependentes de variáveis internas influem no comportamento humano: competência, energia e ideologia.

A competência compreende aspectos intelectuais inatos e adquiri­dos, conhecimentos, capacidades, experiência, maturidade. Uma pes­soa competente executa açõcs adequadas e hábeis em seus afazeres, em sua área de atividade.

A energia biopsíquica manifesta-se no nível de intensidade e na extensão temporal de atividade física e mental, nas emoções e sentimentos, nas características de temperamento e humor. A mobilização e direcionamento para uma certa atividade e a própria motivação do comportamento, ligada a carências internas, desejos e fatores externos.

A ideologia abrange um conjunto de idéias e princípios hierarquizados, com lastro em valores sociais, políticos, religiosos e filosóficos que influenciam a percepção, o raciocínio, o julgamento, as decisões.

Comportamento, desempenho e posicionamento resultam da interação desses três subsistemas entre si e com os sistemas externos.

Comportamento é a designação genérica da conduta do indivíduo. Desempenho é comportamento qualificado que atende a certas especi­ficações de uma atividade correspondente ao papel social. Por exem­plo: comportamentos de pai, mãe, professor(a), gerente, secretária, sa­cerdote, militar, médico, enfermeira constituem desempenhos desses papéis sociais. O posicionamento concerne mais à visão e às atitudes gerais da pessoa em relação a questões valorativas de interpretação e julgamento ético, moral, ideológico.

Padrões e normas, demandas, expectativas, critérios de avaliação, recompensas e punições figuram entre as variáveis externas do comportamento.

Desde a infância somos treinados a aceitar e seguir padrões e normas de conduta fornecidos pelos pais, professores, colegas e, depois, pelos chefes. As demandas que nos são feitas são atendidas de algum modo, bem como as expectativas dos outros. Nosso comportamento é modelado, em grande parte, por esses fatores e, em especial, pelas expectativas alheias. Quantos esforços e sacrifícios são feitos para satisfazer os planos e as esperanças de pessoas emocionalmente importantes em nossa vida. E quanto maior o vínculo afetivo com a pessoa, maior a motivação para atender às suas expectativas.

Recompensas e punições exercem grande influência em nossos comportamentos, estimulando alguns a se repetirem e desencorajando outros a se manifestarem. Quem ainda tem dúvidas sobre o efeito considerável desses fatores externos, sob forma de promessas explícitas ou insinuadas, de ameaças diretas ou sutis?

Os critérios de avaliação, previamentes informados, também afetam a conduta para a consolidação de determinado desempenho social ou profissional.

Cada pessoa cumpre vários papéis sociais na vida real. Suas características de personalidade mesclam-se às variáveis externas no desempenho de cada papel, dando a este um colorido ou 'marca' absolutamente singular.

A educação, como processo fundamental de socialização, tende a fazer-nos semelhantes para ajustamento à cultura da qual somos parte.

Nosso código genético e conjunturas ambientais, contudo, entrelaçam-se em numerosas probabilidades de diferenciação individualizada.



Somos, por conseguinte, semelhantes e também diferentes na mesma cultura global, embora compartilhando hábitos, atitudes, va­lores, normas de conduta.


1 Texto digitalizado de: MOSCOVICI, Felá. Equipes dão certo. 2. ed. São Paulo: José Olympio. 1995. p. 26-29.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal