Comunicado Final do Conselho Geral da Cáritas



Baixar 11.93 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho11.93 Kb.
Comunicado Final do Conselho Geral da Cáritas
- Em Fátima, na Casa de Nossa Senhora das Dores, nos dias 12 e 13 de Novembro de 2011 estiveram reunidos representantes de 19 Cáritas diocesanas, em Conselho Geral. Este encontro foi presidido pelo padre José Manuel Pereira d´Almeida, secretário da Comissão Episcopal da Pastoral Social.

- No plano formativo, os representantes reflectiram sobre o último documento da Comissão Episcopal de Pastoral Social «Serviços Paroquiais de Acção Social – para uma cultura da dádiva» e concluíram:

- Como os grandes princípios operacionais implicam acções estratégicas, este documento necessita de ser aprofundado e divulgado para que a caridade não seja algo de intimista, mas tenha um verdadeiro sentido eclesial.

Deve ser dada maior atenção à organização da caridade a nível paroquial, nomeadamente dotando-a de mais agentes e cuidando da sua adequada formação.

- A articulação entre os vários organismos eclesiais que trabalham neste sector específico e noutras áreas da pastoral são fundamentais para uma verdadeira eficiência da acção social da Igreja
Propostas de combate à crise:

- Com a falta de emprego e o número crescente de desempregados, a coesão familiar está em risco. Ás Cáritas diocesanas e aos muitos grupos paroquiais de acção social compete uma vigilância atenta e permanente com os olhos focados na Doutrina Social da Igreja. É fundamental motivar também as pessoas para o empreendedorismo.

- A sociedade actual trouxe novos problemas à célula familiar. Para além da falta de recursos financeiros, o apoio na área psicológica e espiritual é premente. O pobre não deve ser um mero destinatário, mas o protagonista do seu próprio desenvolvimento integral.

- Só nos primeiros dez meses de 2011, as Cáritas diocesanas já atenderam cerca de 28 mil famílias portuguesas. Os números são alarmantes porque corresponde a um acréscimo significativo em relação ao mesmo período do ano anterior. Perante estes dados, é fundamental uma maior mobilização e um rasgar de novos caminhos que combatam o actual panorama.

- A falência de várias empresas, algumas delas de dimensão familiar, estão a gerar graves carências aos empresários e respectivas famílias. Pediu-se uma atenção redobrada aos novos casos de pobreza, muitos deles encobertos.

- Os “adultos de amanhã”, especialmente as crianças em risco, merecem particular atenção e cuidado. Tendo como base o documento da Conferência Episcopal Portuguesa - «Toda a Prioridade às Crianças», a Cáritas Portuguesa propõe uma atitude vigilante e permanente nesta área e que nenhuma criança deixe de ter o apoio necessário neste momento de fragilidade, nomeadamente que fique impossibilitada de frequentar as creches e jardins-de-infância e tenha acesso aos cuidados de saúde fundamentais só porque os progenitores deixaram de ter recursos financeiros.

- O apoio da Cáritas não poderá resumir-se apenas à distribuição de cabazes de alimentos. A solidariedade com os pobres implica proximidade, mas também um horizonte mais vasto e novos dinamismos que apontem para a criação de uma nova consciência social assente na dignificação do ser humano em detrimento do capital.

- Com um quadro fiscal injusto, alertou-se ainda para o número crescente de casos de monoparentalidade. Os números poderão estar desligados da realidade, como forma de fuga aos impostos visto que a fiscalidade penaliza o casamento. Alertou-se também para o risco do aumento de pessoas, sobretudo homens, que poderão cair na situação de sem-abrigo, em consequência do abandono dos lares por não poderem assegurar, aos mesmos, a subsistência.

- Como a mentalidade actual é individualista, a Cáritas propõe que se motive as pessoas para uma alteração dos hábitos comportamentais.

Iniciativas:

- Foi dado a conhecer aos representantes das Cáritas diocesanas a Operação «10 milhões de Estrelas – Um gesto pela paz» de 2011 e as várias iniciativas programadas. O lançamento da mesma será no dia 21 de Novembro, em Lisboa.



- Em relação ao programa «Mais próximo» realçou-se que a Cáritas Portuguesa está a produzir conteúdos para fornecer às Cáritas diocesanas como forma de operacionalizar o último documento da Comissão Episcopal de Pastoral Social.
- O programa de actividades da Cáritas para 2012 foi aprovado tal como o lema para a Semana Nacional da Cáritas: «Edificar o bem comum, tarefa de todos e de cada um».
- As Cáritas diocesanas deram a conhecer as actividades realizadas no Ano Europeu do Voluntariado.
- A Cáritas propõe também que se forme uma equipa nacional para acompanhar e lançar iniciativas para o Ano Europeu do Envelhecimento Activo e Intergeracional.
- Os representantes aprovaram por unanimidade a acta do Conselho Geral anterior, o Orçamento Suplementar de 2011 e o Orçamento Previsional de 2012.
- O Conselho Geral exprimiu também todo o seu reconhecimento, a D. Carlos Azevedo, pela invulgar actividade que desenvolveu nos últimos anos, especialmente como Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e pelo impulso dado à actualização e aprofundamento da Cáritas em Portugal.
- No mesmo espírito, o Conselho Geral exprime, a D. Jorge Ortiga e aos restantes membros da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, toda a disponibilidade para, em comunhão eclesial, intensificar e alargar o cumprimento da missão da Cáritas. Os graves problemas actuais da sociedade portuguesa constituem uma interpelação permanente que nunca poderá ser descurada.
Fátima, 13 de Novembro de 2011




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal