Conceito de Evolução e Iniciação Eliseu Mocitaíba da Costa



Baixar 27.66 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho27.66 Kb.
Conceito de Evolução e Iniciação

Eliseu Mocitaíba da Costa
Todo o ser que se manifesta no planeta Terra vem em busca de experiência e evolução. Mesmo as Grandes Potestades aqui se apresentam para melhor elaborar seus co­nhe-cimentos favorecendo a evolução da humanidade através da Inicia­ção.
Os princípios de evolução e iniciação são dois termos que se completam através da consciência e do progresso digno, justo e perfeito, e devem ser reconhecidos e valorizados para que se possa compreender a formação do homem e do universo.
Tudo no universo é energia, e sendo energia, é vida.
A realização da Essência Divina em seu complexo procedimento e manifestação segue a seguinte trilogia: Origem, Constituição e Finalidade o que é fundamentado pela força da Lei de Causalidade que a tudo e a todos rege e mantém a esplendorosa Harmonia Universal.
A Origem: A Suprema Consciência;

A Constituição: Lei do Karma, Reencarnação e Livre Arbítrio.



Finalidade: Progresso e evolução pela Iniciação.
A Lei que a tudo e a todos rege é acompanhada pelos Imperadores da Luz. Estas Potestades compõem a Grande Fraternidade Branca, expressão física ou humana do Governo Oculto do Mundo. Estas verdadeiras Escolas Iniciáticas regulam o Plano de Evolução material e espiritual da humanidade em todas as épocas, ocultando-se através das Revelações Espirituais, da Sabedoria Eterna, as quais, quando já superadas, se transmutam em religiões.
A finalidade de Evolução e Progresso.
A transformação da vida-energia em vida-consciência é o princípio fundamental para as realizações da mente e do coração na busca do Deus Interno com o objetivo final de se defrontar com o seu verdadeiro Mestre.
A dificuldade para se compreender o metabolismo da própria evolução deriva da falta de conhecimento, do domínio de si mesmo e dos péssimos hábitos obtidos em varias existências.
Jeoshua Ben Pandira, o Jesus Bíblico, em sua época já dizia “Faze por ti que Te ajudarei”.
A melhor forma de levantar uma pequena parte desse denso véu que encobre esse “Eu” aí apontado é buscar pela meditação e conhecimento o Eu Superior, o Verdadeiro Mestre, a Consciência Superior, o Espírito de Deus no interior de si mesmo. A este Princípio maior é que devemos nos conectar e não somente tentar transferir as próprias responsabilidades kármicas para ”Ele” ou outros acreditando que ser salvo.
Na realidade, a Centelha Divina está em tudo e em todos, por isso se diz que somos todos irmãos, pois as vidas pertencem a Deus. E no inconsciente coletivo dos povos se encontra que Deus é tudo, e num ponto mais concreto é a natureza.
A evolução, por conta da conquista de experiências cuja qualidade não seja suficiente, obriga a pessoa a reencarnar tantas e quantas vezes que forem necessárias até que a personalidade, a Pedra Cúbica, o diamante bruto, seja plenamente burilada deixando esplender a Luz que guiará os passos do iniciado.
Nos primeiros passos de sua peregrinação na Terra, a Mônada Humana vê-se no mundo da forma e irradiando pouca luz, pois está muito envolta pela matéria grosseira ou da inconsciência.
À medida que vai conquistando experiências justas e perfeitas em seu plano, a Luz vai aumentando de intensidade; caso contrário, vai sendo mais envolta pela ignorância e pela ilusão e estagnando no processo evolutivo, da Espiritualidade.
Quanto mais o seu trabalho com consciência na elaboração de sua Escada de Jacó, melhor será para completar o seu ciclo evolucional traçado pela Lei do Karma, portanto, atingindo o máximo de irradiação.
A Lei de Evolução, sob os princípios da Lei do Karma, pelo amor-sabedoria, verdade e justiça, propicia a conquista de experiências desde os reinos mais baixos (o mineral) até completar o ciclo hominal ou humano, a um passo de seu Mestre.
No momento em que o ser humano tomar consciência de que é um fragmento Divino de Deus, sabendo valorizar o potencial que em si vibra, vai tornar mais leve e menos dolorosa a sua marcha para o Divino.
Nesta fase os obstáculos vão sendo superados com dignidade e destemor para avançarmos na peregrinação em direção em perfeição, auxiliando e transformando pedras em Diamantes de Luz.

O ponto mais alto da evolução caracteriza-se pelo defrontar com seu Eu Superior, seu Mestre; como resultado da realização individual, entre tantos sacrifícios, logrará a iluminação.


Quando o homem se ilumina na Terra, uma Estrela se apaga no Céu”, HJS
Existe uma passagem no Talmud que esclarece muito bem esse processo evolutivo que fundamenta a Gênese humana:

“Quando Deus criou a Terra reuniu os Anjos, as feras e os animais, e lhes disse: façam o ser humano”.


Cada um deles deu a sua contribuição através de uma parte de seu ser. Assim, no ser humano se reúnem forças elementais, animalescas e bestiais, Angelicais e Divinas, as quais estão em luta permanente.
O Talmud, a Bíblia entre os livros sagrados, infelizmente sofreram adulterações pela falta de consciência maior dos seres humanos. Mesmo sendo escritos por inspiração Divina, ao longo do tempo foram sendo ajustados ou adequados na tentativa de atender a razão de cada codificador.
Já aqueles que buscam e aspiram às coisas superiores, através da assimilação de seus princípios irão encontrar melhor explicação na Teosofia ou na Eubiose como Sabedoria Eterna; pela meditação na criação do Mundo (Cosmogênese) e na a criação do ser humano (Antropogênese), nestas duas fases bem diversas da Divina criação do planeta e dos seus habitantes.
A Terra deu ao ser humano a sua própria constituição, de acordo com os atributos desenvolvidos nos reinos da Natureza.
A humanidade foi tomando vida e forma pela presença e participação das Hierarquias Criadoras, provindas de outros Sistemas de Evolução, que, ora nela insuflavam energia e ora observavam seus resultados, esperando uma reação que apontasse seu crescimento. Assim, o ser humano levantou-se sobre suas duas colunas, as pernas, como se almejasse alcançar o Céu. Entretanto, muito ainda tem que percorrer, pois longo é o caminho e estreita a vereda que leva a sua Consciência Superior.
Falando sobre a “queda do espírito na matéria” em busca de conhecimento, sabemos que pelas dimensões da Terra o tempo é longo e as conquistas eternas, pois o plantio é livre, mas a colheita, obrigatória.
No Alvorecer de um Sistema de Evolução
Deus, Brahma, o Eterno, envia suas próprias luzes, filhos de si mesmo para universos sem fim com o objetivo de conquistar a si mesmo, iluminando-se!
A própria revolta de muitos ocorre pela excessiva bagagem mental e/ou emocional que carregam na urgência de recolher coisas; necessidades que os envolve compulsoriamente nas teias da ilusão, Maya, ficando perdidos nas imundícies das Cavalarias do Rei Áugias (Nos 12 Trabalhos de Hércules).
O Grande Mistério foi ocultar o Grande Portal da Vida superior no Coração de cada ser humano, por onde sai e entra a Consciência Divina para observar o seu “rebanho”, e a personalidade.
O sono costuma trazer descanso ao corpo físico na forma de mudança de consciência, onde se deveria aproveitar para estudos mais profundos num nível mais alto e observar os reparos necessários para eliminar os maus hábitos e melhorar as suas virtudes durante a vigília.
Já a morte é esse mesmo sono, agora de maneira definitiva, onde se perde a estrutura da personalidade para uma retomada de valores e consciência que servirá de norteamento que possa dar continuidade aos trabalhos na “nova” personalidade.
A própria velhice é uma forma compulsória de preparação para libertar a parte Angelical do ser humano para novas avaliações e realizações, enquanto a forma energia do corpo físico se desagrega definitivamente, dissolvendo seus componentes corporais à Mãe Terra.
A própria condição de conquista, conhecer e dominar, e a imensidão do Planeta fazem os seres humanos se espalharem em todas as direções. Exercitam-se colhendo experiências enquanto for preciso em cada região ou cultura determinada. Entretanto, o fenômeno morte os retira e os dirigem para novas paragens para adquirir experiências em outras partes do globo.
A Manifestação da Essência
A Essência Divina nos primórdios da Evolução na Terra desceu, passando por vários planos evolutivos até chegar aos níveis mais baixos ou densos, pois o Supremo queria conhecer, desenvolver e conquistar a evolução dos seres.
Em cada nível que passa reveste-se de roupagem ou corpos adequados a essa modificação e a sua atuação de experiência ou evolução no qual se encontra. A seguir, quando as vestes estão saturadas de experiências e fomentado os níveis superiores, vão sendo retiradas até se encontrar em Som e Luz com a Divina Presença.
Em sua primeira presença acontece quando deixa de ser um joguete das forças animalescas da personalidade e passa dominar as inteligências que atuam na sua personalidade. Na segunda, como EU Sou, o Mestre ou o Deus Interior e depois se fundirá definitivamente com a Divina Presença.
A Consciência de Deus
Tudo no universo é Deus e se tudo é Ele, então, a própria limitação que existe em cada plano é constituída por Ele mesmo que se apresenta como Lei do Karma. Assim, podemos imaginar que Deus só se interessa pelo que é Justo e Perfeito.
Se em cada plano a Centelha Divina se cobre com as vestes adequadas à sua sobrevivência e ao serviço a ser realizado, então, quer dizer que o ser humano possui vários corpos; desde o mais denso até o mais sutil que são: físico, vital, emocional, mental concreto que formam a personalidade, o mental abstrato, o intuitivo e o Atmã que compõem a Individualidade ou o Espírito.
A Grande Ilusão
As experiências vivenciadas no planeta pelo ser humano são grandes ilusões. Podendo, até mesmo, fazê-lo mudar o foco de sua convivência, e levando-o a pensar que só existe o que está diante dele como sua realidade. Assim ele se torna um materialista.
Muitos se prendem a argumentos engendrados pela sua própria natureza instigada pela dialética de terceiros. Ali ficam presos, atados por frágeis argumentos, mas que os imaginam como barca de salvação. Um navio atracado num cais, tendo um comandante repleto do orgulho de si mesmo, mas que não imagina se lançar no oceano sem fim das descobertas superiores, e por ali circula deleitando-se nas sentimentais historinhas de princípios éticos e morais das religiões e filosofias.
Grandes prejuízos trouxeram a humanidade aqueles que não esclareceram e negaram oportunidades aos discípulos para galgarem a sua particular Escada de Jacó.
A humanidade atual em si, não é a primeira do planeta, nem será a última. Várias outras aqui estiveram e esta é o produto daquelas.

O Eterno caminho de globo em globo, de Sistema em sistema, ....
Assim, a cada humanidade é feita uma tomada de consciência, de evolução e progresso para que se possa avaliar o quantum de espiritualidade consciente foi conquistado. Por isso, no inconsciente coletivo está a visão de fim do mundo.
Individualmente, de maneira esparsa, alguns vão conquistando esses valores, se sentindo como se fossem Deus colhendo as suas próprias experiências.
Dentro da existência de uma humanidade encontra-se vários ciclos e períodos, a ponto de muitos se interpenetrarem chegando mesmo a servir de ponto de ligação entre uma e outra, ficando somente fragmentos no mundo material para sua comprovação.
Infelizmente, muitos estudiosos se prendem a coisas materiais, através do mental concreto e querem explicar o que está além de sua consciência, gravado nos anais akáshicos (5º elemento) do universo.
Assim, apontando a própria evolução externa do ser humano e do planeta desprezando tudo que não seja palpável ou que esteja fora dos laboratórios ou sítios arqueológicos.
O Caminho é Longo
Muito ainda há para se evoluir; uma nova humanidade está se formando como semente, trazendo experiências de tudo quanto foi realizado até agora, desde os primórdios do globo terrestre.
Tudo indica que o Planeta Terra tem esse nome para demonstrar que Deus vem ao plano material conquistar a essência da evolução que está dentro de si mesmo.
Duas forças poderosas, dois Filhos do Eterno se mantiveram lutando para que tudo isso acontecesse. A humanidade “cresceu” já dando vida e forma às novas presenças ou consciências, aqui e agora. Entretanto, muitos ainda não lograram chegar a tanto ficando defasados e, possivelmente, acabarão fazendo o papel de oposição nas próximas vidas.
O potencial do Pai cedeu lugar ao Filho que chegou à sua maioridade, e passa agora, a observador, enquanto o Filho assume o seu verdadeiro papel conduzindo os seus “netos” ou “sobrinhos”, que compõem a próxima humanidade, para mais um passo de transformação da vida-energia em vida-consciência.

* O Talmude é um registro das discussões entre os Rabinos, pertencente à Lei, Ética, costumes e história do judaísmo.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal