Concurso Faça Lá Um Poema2011-2012



Baixar 430.73 Kb.
Página3/3
Encontro29.07.2016
Tamanho430.73 Kb.
1   2   3


A vida e a morte
Filho, vi-me obrigado a abandonar-te

devido a um sonho que tive

Um sonho imenso para abandonar-te.

Foram estas palavras que ouvi do meu pai…

sem perceber o motivo do abandono

Senti saudades e recordei lembranças.

só depois percebi que ele me estava a proteger

vi o medo e o desespero nos olhos dele

quando vimos a MORTE.

Era um pássaro com asas de morcego.

grandioso, vermelho e cheio de coragem

O meu pai morreu, mas matou a morte e o medo.


Mário Assunção, 8ºE


Vila de Sintra

     Por estes lados cresci,


     todos os dias a cheirar
     e ainda ando por aqui
     a ver travesseiros ou queijadas a fabricar.

     Ou da Piriquita ou da Sapa,


     É horrível o frio que se passa.
     Os turistas da floresta têm medo,
     Mas deviam temer, é de congelar o dedo.
 
     Nesta terra o tempo é manhoso,
     O tempo diz que vai dar sol, mas está chuvoso.
     O sol absorve o cheiro
     E o melhor clima é o nevoeiro.
Miguel Rivotti, 8ºD

Música
Este poema é verdade

Transmite uma canção

Sempre que a quiseres cantar

Canta-a com convicção


Ouço a música nos meus ouvidos

E começo a cantar

É uma sensação tão boa

Que nem consigo explicar


Entra e sai-me da cabeça

Mas fica na memória

É uma canção tão boa

Que dava para contar uma história


Grande história, grande aviso

Que não causa prejuízo

E se não a quiseres ouvir

Não a vou repetir!


Sara Lézé, 8ºA

Protejam a Natureza

Porque é que destruímos nós

A nossa bela Mãe Natureza?

Será por algum objetivo concreto

Que extinguimos a sua beleza?
Podem-me responder

Que é para o nosso bem.

Mas como pode ser assim

Se destruímos o que a Terra tem?

Vejo muitos petroleiros embarcarem

Numa viagem aparentemente normal

Nas horas seguintes acabam

Numa maré negra que marca o final.


O pulmão da Terra

Está a ser destruído

Se a Amazónia desaparecer

O oxigénio será reduzido.

Ouçam isto com atenção,

Pois é para o vosso bem:

Não poluam o ambiente

E transmitam-no a toda gente!




Sofia Portela, 8ºE






Mar
Ó mar, tu que levas muita gente.
Ó mar, tu que te revoltas frequentemente,.
Partilha comigo o que sentes,
Sei que não falas, mas também não mentes.

Guardas em ti milhares de segredos.


No fundo, és um dos nossos medos.
Alteras-te facilmente
E ages ferozmente.

Não temes como agir,


Fazes-nos chorar e rir.
És um porto de abrigo em momentos difíceis,
Como nos fazes passar por situações terríveis.

Tens o poder de nos acalmar.


mas também de a adrenalina testar,
Descansa tu em mim hoje, ó mar.
Serei a tua praia, onde podes chorar.

Sem palavras

Emocionantes palavras e letras

Fervilham nas minhas lunetas.

Procuro vocábulos no dicionário

Pois de ideias estou deficitário.
Em nome da nossa amizade, eu dito orações,

Pois a saudade destrói corações.

A distância é como uma composição

Que do princípio ao fim, busca solução.


Se fosses um tempo verbal, serias o mais-que-perfeito!

Sem um sorriso teu, fico desfeito.

Procuro versos de encantar

Para te pôr a sonhar.


Seja lírica ou narrativa

És a minha frase exclamativa!

Se todo o nome tem o seu adjetivo,

tu és o que há de mais significativo.



Ana Garcias, 9ºB



A viagem

Na tua viagem

Embala-te na aragem.

Não receies a mudança.

Abraça a esperança

De que vais para melhor

E procura-te, se não te encontrares,

Pois o mais terno sabor

É o de seres.
Na tua viagem

Alcança a miragem.

Lembra-te do que sentiste.

Recorda sem ficares triste.

Mas bate as asas para longe .

Afasta-te do que conheces

Sem perder de vista quem foste

Para seres o que mereces.



Anatomia do amor

Vibra o teu contacto

No meu neurotransmissor…..

O teu silêncio, deixa-me estupefacto.

Entro em colapso, de dor.
O meu cérebro fervilha

Com a química do amor

Não me ignores, filha.

Diz-me que sim, por favor.


André Gonçalves, 9ºB


O Sonho
A imaginação que não para de aumentar,

A realidade que jamais poderia existir.

O lugar que mais ninguém pode imaginar,

O Mundo do qual tudo pode emergir.


O Universo a que mais ninguém pode aceder,

Um espelho para a nossa mente.

Um caminho que só uma pessoa pode percorrer,

Como uma estrada que se forma suavemente.


Uma mensagem enviada para nos seguir,

Uma ideia que pode mudar tudo, duma maneira quase inacreditável,

Que nos faz seguir rumos, que nem sabemos existir

E de que alguma maneira, nos pode levar a percorrer o inimaginável.



Constança Reis, 9ºA





O Medo
O medo
Era noite. A lua estava morta

E uma rouca voz ouvi.

Era o medo que estava àporta.

Gelado, o corpo senti.


Ao querer dominar a ansiedade,

Segui o meu caminho, com serenidade.

Andei pela escuridão

Vencendo o medo que tinha, então.


Amor eletrónico

O sistema operativo vou iniciar

E o processador usar,

O software inserir

E uma nova pasta abrir.
Para poder armazenar

Todos os e-mails de amor,

O disco rígido tenho que usar

E um backup guardar.


A net vou explorar

Para a saudade matar

Quando juntos não pudermos estar

E a distância aumentar.


Word, PowerPoint, publisher,

Nenhum parece adequado

Aos mega pixies a que corre

Um coração apaixonado.


Para matar a saudade,

Passo-te no LCD

E estou a pensar seriamente

Converter-te para 3D.



Daniel Pereira, : 9ºB

Os heróis
Aqueles que navegam,

Tinham objetivos

E muitos se mostravam

deveras agressivos

disputavam com os mar

o poder para desfrutar


de uma maior glória:
o sabor da vitória.
Mais corajosos não havia

Atravessaram o intransponível

Contrariando o que se dizia

Tentavam o impossível

Sempre com os pés na terra

Lá iam eles pá’ guerra.


Diogo Vicente, 9ºA
O Mar

Mar


E o que é o mar?

É simplesmente

Um sítio diferente

Ou é um mundo

Mais profundo?
É uma relva arranjada,

Ou uma selva descontrolada?

É um espelho prateado,

Ou um pano azulado?

É o reflexo do céu,

Ou transparente como um véu?


O mar já foi tudo:

Já foi a morte, já foi a vida

O mar já viu tudo:

Já viu a partida

Já viu a chegada

Já serviu de estrada,

Estrada para a pobreza,

Encapotada de riqueza.


Gerardo Wemans, 9ºB


O Homem e o Mar Homem livre
O Homem e o Mar Homem livre, o oceano, um espelho surpreendente
Que tu hás de amar. No seu percurso agitado,
Como puro cristal retratado,
O Teu sentir coração ardente.
José Nuno Aguiar, 9ºA


O Mar

Ai o mar…


Via para viajar,

Sonhar com a paz

No mundo e o mar profundo.
Mais que água,

É onde afogo a mágoa.

Se pelo menos

O clima fosse sempre ameno,

A esperança da criança
em ter mais um amigo,

uma companhia…

Não um castigo!

Preenchia o coração

De quem usa a imaginação.
Em dó maior

Finalmente percebi


Que contigo quero estar
O instrumento que escolhi
vai-te sensibilizar.
Os nossos corações

Estão em harmonia

Como uma melodia

Criam lindas canções


Se eu fosse uma guitarra,

Tu serias a minha palheta.

Mas sou uma bateria…..
Queres ser a minha baqueta?

Juntos na fanfarra,

era o que eu mais queria!
Um baixo sem cordas

Assim me sinto eu

Pois a escala do meu braço

Esmoreceu

Juntos na fanfarra,

era o que eu mais queria!


Finalmente percebi

Que anda aí um fanfarrone

Se me afasta de ti,

Afino-lhe o trombone.


Anda de xilofone arreganhado

Mas eu, experimentado maestro,

Altero o ritmo da dança

Pois quem me turva a vibração

Mata-me o coração.
Somos um piano

De teclado matizado

Cuja melodia lembra

Um tango apaixonado.

Juntos na fanfarra,

era o que eu mais queria!


Francisco Bernardo, 9ºB

O poder do Mar
Também o Mar tem sentimentos

Pode estar calmo ou revoltado,

Dependendo da fúria dos ventos

Não será atormentado

Se ninguém o atormentar,

Mas a decisão é dele

Se quer estorvar ou ajudar.
Na viagem para a Índia

O mar é que escolhia

deixar as naus passar

Ou fazê-las naufragar,

Deixando cada nau vazia

Pois ninguém sobrevivia

Perante o poder do Mar!
Ivan Carapinha, 9ºA


A nota da minha vida
Quando dei a partida

Pensava que era a tal:

A música da minha vida!

Aquela composição especial!


Lembro-me do dia

Em que essa nota aprendi.

Tinha tanta vida!

Nunca vi nada assim.


O tempo que passou

Sem te ouvir tocar,

No meu coração pesou

Pois contigo queria estar.


Passaram horas e dias

Sem te ouvir.

Não sei se querias…

Mas quis voltar-te a sentir.


Esqueceste o tempo

Que passámos a tocar.

Deve ter voado com o vento!

Mas tu deixaste voar……



João Cruz, 9ºB




Tenho medo
- O Medo é a forma mais fácil

De enfrentarmos o difícil….-

A tua voz dócil

Faz-me sentir um imbecil.


- Queres morrer sem tentar?

- Falta-me coragem para enfrentar…-

O teu abraço caloroso?!
Quanto não valerá ser corajoso?!

Não enfrentar os nossos medos

É ter medo de viver.

E atrás de cada medo


deixo de te conhecer.
Cobarde ou medroso?

E o tempo a passar

Tudo menos vagaroso.

O que importa é amar!


Sem medo arrisco

Se tiver que morrer

Experimento o petisco

E fujo a correr.



João Dionísio, 9ºB


Coragem
Que significa coragem?
habilidade para enfrentar o medo,
avançar no desconhecido,
desbravar estreitas passagens….

só quem não teme ir mais além,


busca motivação
na glória, que do passado nos vem
em nome da Nação!

Porque a verdadeira glória


é enfrentar o presente,
de cabeça bem erguida,
para sarar a ferida
que cada um sente,
ao ver a História traída.

Luca Lima, 9ºA




O sonho
O sonho é imaginação
desperta com os sonos,
E nos leva a acreditar
Naquilo que nós não somos.

O sonho é descoberta


daquilo que não sabemos
mal chega o despertar
em quase nada nos revemos

O sonho também pode ser


Uma parte da verdade,
Se houver uma vontade
De o tornar realidade.

Foi assim que os marinheiros


no tempo das descobertas
viraram sonho em verdade
descobrindo terras incertas.
Mykhaylo Sviridenko, 9ºA

O mortal mais belo
Quando te vejo aproximar

O meu coração para de driblar.

Só contigo quero estar.
És o amor da minha vida.
Sinal de partida para a verdadeira corrida.
És como um trampolim

Mal te vejo faço um chinfrim…

Gostava que pensasses o mesmo de mim.
Não brinques com os meus sentimentos

Não faças com eles rolamentos.

Nem me dês argumentos….

Mesmo que não tenhamos os mesmos pensamentos.


Quando te vejo aproximar

Começo a perguntar

Como será possível eu não gostar,

Do mortal mais belo que estou a namorar?!



Sara Barbosa, 9ºB



Em memória.......
Tanta coragem! tanto sofrimento!

Os mais pobres, mas com mais valor,

Lutaram no barlavento.

Pela Pátria, tinham Amor.


Mataram e Morreram, por nós.

Apesar das muitas riquezas,

Passaram pelas maiores profundezas.

Esses sim, heróis na História,

Aqueles que não devemos esquecer,

Mas alimentar hoje, na memória.


Tiago Fonseca, 9ºA


Em Viagem
Viajo no pensamento,
Navego pela vida,
Brinco ondas do sentimento,
E descanso numa qualquer ermida
Movido pela força da inspiração
Que me aquece o coração.

Minha velocidade é segura,


Respeito a minha raiz,
Antevejo, meu porto seguro,
Imagino o meu país .
MATEMATICA
MATEMÁTICA é...
Resolver os PROBLEMAS
Acabar com todos os COMPLEXOS
Saber a nossa FUNÇÃO
E ser DETERMINANTE
Superar os nossos LIMITES
Seja qual for a VARIÁVEL
Ou a sua DERIVADA
Mas ter sempre a RAZÃO
Não ser um TERMO INDEPENDENTE
Estar sempre em CONJUNTO

Em busca de uma SOLUÇÃO.



Rodideal Vlad, 9ºB




A Guitarra Mágica
Eu e três amigos da escola

Perseguíamos um sonho, uma miragem.

Queríamos ter uma banda rock

E assim formamos uma banda de garagem.


Certo dia, parecia um dia qualquer

Brilhava o sol e andávamos a correr.

Quando um sem abrigo sem ter onde ficar

Pediu-nos alimentos e um lugar para pernoitar.


A nossa garagem era o local ideal

A nossa música a linguagem universal!

Acompanhámos até lá aquele homem incomum

Que, de lugar em lugar, não ia a lugar nenhum.


De dentro de seu sobretudo tirou uma guitarra

Com forma geométrica estranhamente bizarra!

O homem sentou-se e começou a contar

O que parecia ser uma história de encantar:




-“Reza uma lenda, uma história,

Que existe uma guitarra mágica.

Com o tempo foi esquecida pelo seu dono lendário

Capaz de tocar acordes em código binário.

Conseguia produzir milhares de acordes numa fração de segundo,

O seu som tinha o poder de conseguir mudar o mundo.

Mas nunca ninguém ouviu, ninguém prestou atenção

Que o som da guitarra era o eco do coração!

O coração de todos ou um coração qualquer

Com a esperança infinita de todos os sonhos conceder!”


Dito isto o homem desapareceu,
Ficámos sem saber o que verdadeiramente aconteceu!

Para trás a guitarra deixou ficar

E todos os dias praticamos para a tocar.
O nosso sonho não vamos deixar passar em vão

Até que todos escutem a melodia do coração!

Não vamos esquecer a lenda, vamos viver, seguir em frente

Para tentar salvar o mundo de se perder para sempre!



Lucas Monteiro, 5º A

1   2   3


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal