Concurso melhores práticas – ficha de inscriçÃO



Baixar 31.14 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho31.14 Kb.
CONCURSO MELHORES PRÁTICAS – FICHA DE INSCRIÇÃO

Nº._____________/2001

(Preenchido pela Coordenação do Concurso)

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO E INSCRIÇÃO


  1. Preencha todos os campos de maneira legível, em letra de fôrma ou à máquina. Para o preenchimento no computador, usar fonte Arial 10. Em qualquer caso, utilizar a quantidade de linhas apresentadas no Roteiro, ou seja, uma página para cada uma das perguntas de 1 a 5, e, para a pergunta 6, o número máximo de 100 palavras.

  2. Não deixe nenhum campo sem preenchimento.

  3. Serão aceitas inscrições em xerox deste documento, que também está disponível para download (Ficha de Inscrição, Roteiro de Trabalho e Regulamento) na homepage http://www.fundap.sp.gov.br (clique em “Concurso Melhores Práticas”) e em impressos disponíveis nas secretarias executivas dos comitês.

  4. Não são aceitas inscrições via e-mail nem via fax.

  5. Depois de preencher a Ficha de Inscrição e o Roteiro de Trabalho, esses documentos deverão ser entregues – por um portador ou via correio – ao setor de Apoio a Eventos da Fundap, na Rua Alves Guimarães 429, térreo, Cerqueira César, São Paulo, SP, CEP 05411-902, com as duas autorizações (vide última página da Ficha) assinadas pela autoridade da entidade responsável, mais o disquete contendo o Roteiro de Trabalho digitalizado. Esse disquete poderá ser substituído pelo envio do arquivo via e-mail, conforme item 4 do Regulamento.

  6. A inscrição é gratuita.



IDENTIFICAÇÃO

1- Nome do programa, projeto ou atividade: PROJETO JAGUARÃO

2- Área (códigos no final do formulário): 1/7/9

3- Órgão público responsável pela inscrição: Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul

municipal ( ) estadual/SP ( ) intermunicipal ( ) regional ( x )

(endereço): Largo Santa Luzia, 25 – Bairro Santo Luzia

cidade) Taubaté (estado) São Paulo (CEP) 12010-510

(Tel-DDD + nº ( 12)2320100 ou 2329133 ramal: 162 (fax – DDD + nº) (12) 2320100

4- Instituição executora do programa, projeto ou atividade: Fundação Florestal/Secretaria do Meio Ambiente

municipal ( ) estadual ( x ) regional ( ) intermunicipal ( ) outros ( )

(endereço) Rua do Horto, 931

(cidade) São Paulo (estado) São Paulo (CEP) 02377-000

(Tel - DDD + Nº ) (11)6997-5011 ramal: - (fax – DDD + Nº) (11) 62316321

5- Pessoa responsável pelo programa, projeto ou atividade:

(nome) Paulo Valladares Soares (cargo) Coordenador Regional

6- Alianças ou parcerias com outros órgãos governamentais: Casa da Agricultura de Cunha – SP; Escritório de Desenvolvimento Rural – EDR – Guaratinguetá-SP (CATI/Secretaria da Agricultura e Abastecimento); Companhia Energética de São Paulo – CESP – Paraibuna- SP

7- Alianças ou parcerias com entidades da sociedade civil (associações, empresas privadas, igrejas, ONG etc.) Associação de Moradores e Amigos do Vale do Paraitinga – AMAVAPA ; Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Cunha – SP; Associação de Desenvolvimento e Cooperação – LED/FL - Suíça

8- Abrangência do programa, projeto ou atividade:

municipal (x ) estadual ( ) regional ( ) intermunicipal ( )

9- Local(is) de implantação: Bairro do Jaguarão – Município de cunha- SP

10- Data de início efetivo do programa, projeto ou atividade (mês e ano): Novembro/94

­Códigos das Áreas: Recursos Hídricos-1; Saneamento-2; Meio Ambiente-3; Energia-4; Saúde-5; Sistema Regional-6; Agricultura-7; Lazer-8; Uso do solo-9.



CONCURSO MELHORES PRÁTICAS – ROTEIRO DE TRABALHO

Responda com clareza às perguntas abaixo, de modo a informar todos os aspectos relevantes da Prática que você selecionou para o Concurso. Estas informações serão utilizadas para escolher os finalistas.



  1. Descreva como funciona o programa, projeto ou atividade e suas principais características.

O Projeto Jaguarão apresenta uma estratégia operacional fundamentada nos trabalhos desenvolvidos com a comunidade dentro de uma unidade geográfica – microbacia hidrográfica, viabilizando uma ação concentrada e racional das instituições que atuam na unidade, o que possibilita o planejamento, a execução, o acompanhamento, o controle e avaliações periódicas.

O enfoque na recuperação e/ou manutenção dos recursos naturais pode oferecer aos municípios e às comunidades rurais significativa oportunidade de realização de partes de suas aspirações unindo, de forma harmônica, as atividades produtivas e econômicas com ações de cunho social.

O Projeto Jaguarão utiliza o modelo de gestão participativa como instrumento capaz de situar as propostas em razão da necessidade e realidade expostas pela comunidade através de: entrevistas não estruturadas, reuniões com produtores rurais e suas famílias, implantação módulos demonstrativos agroflorestais e conservacionistas, capacitação de professores e lideranças comunitárias . O projeto prioriza as parcerias entre instituições que atuem na região com ações ligadas a recuperação agroflorestal, procurando potencializar estas ações: o Programa de Fomento Florestal (CESP) em área de influência do reservatório Paraitinga/Paraibuna, Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Programa Nacional de Agricultura Familiar – PRONAF-100 e os programas de desenvolvimento florestal sustentado da Fundação Florestal/SMA. Alia-se a este os trabalhos comunitários desenvolvidas pela paróquia local e AMAVAPA, na bacia hidrográfica onde está inserido o bairro que dá nome ao projeto. O desenvolvimento do projeto conta com a participação técnica, operacional e financeira das instituições parceiras complementado pela prefeitura municipal de Cunha e os empresários locais. A grande contrapartida é dada pelos produtores rurais através da execução das práticas agrosilvopastoris determinada em reuniões entre a comunidade e os técnicos das instituições participantes do projeto.


  1. Apresente os objetivos do programa, projeto ou atividade.

Contribuir para a convivência harmônica do produtor rural com o ambiente, através da demonstração de ações onde o desenvolvimento econômico se alia ao respeito pelos recursos culturais, pela utilização dos recursos naturais na medida do seu potencial de renovação provendo a melhoria das condições sociais da população.

Para alcançar estes objetivos é preciso mostrar ao produtor rural que é possível pensar sua propriedade de foram a respeitar os recursos naturais, culturais e sociais, tendo rendimento econômico.

Mais especificamente: Propiciar conhecimento e adequação na utilização dos recursos florestais ; buscar alternativas econômicas para utilização da floresta, considerando o sistema produtivo e suas possibilidades de desenvolvimento sustentável, capacidade e uso do solo, proteção dos recursos hídricos; incentivar a recuperação e a conservação dos produtos oriundos das Mata Atlântica , suprindo as demandas regionais de madeira, através de floresta de substituição (exótica e/ou nativa); desenvolver metodologia de educação ambiental junto ao produtor rural possibilitando compreensão, discussão e mobilização para os processos de recuperação florestal ; propiciar conhecimento e adequação de práticas agrícolas conservacionistas e de culturas alternativas às tradicionais; promover a capacitação de professores e lideranças comunitárias como agentes disseminadores das ações florestais e ambientais na região.

3- Identifique o público beneficiário de seu programa, projeto ou atividade.

Produtores, professores rurais e lideranças comunitárias do Bairro Jaguarão, município de cunha – SP.

Nos três últimos anos o projeto passou a contemplar em suas ações educativas produtores e professores rurais, lideranças de todo o município de Cunha.

4- O que você considera como o ponto mais inovador do programa, projeto ou atividade e por quê?

ÁREA DEMONSTRATIVA E DIA DE CAMPO como um importante e eficaz instrumento de desenvolvimento das ações de extensão florestal e rural. Através dela, as mensagens e informações transmitida chegam até o receptor independente de suas características de aprendizado, ou seja, o produtor aprende fazendo. Esta área física poderá ser utilizada para motivação, aprendizado técnico, mutirões, atividades comunitárias e demonstração de método que visem sensibilizar as mudança no comportamento do homem rural, principalmente frente aos recursos naturais.

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL com produtores, professores rurais e líderes comunitários. As abordagens educativas do projeto levam em conta características sociais, culturais e econômicas, estão associadas a ações multi-temáticas integradas entre si, como conservação do solo e água, aumento do rendimento da atividade agropecuária na propriedade, fomento ao associativismo, conservação de estradas, busca de alternativas econômicas que reduzam o risco ambiental e econômica da propriedade (apoio a diversificação de atividades produtivas) e facilitação de acesso a informações de interesse do proprietário rural. Essa preocupação se justifica pela diversidade encontrada no meio rural, em que a diferença entre as propriedades, nos leva repensar constante, de nossa ação, abordagem, escolha de parceiros e enfoque institucional.

5- Quais resultados ou indicadores (quantitativos e/ou qualitativos) mostram as melhorias produzidas pelo programa, projeto ou atividade?

Os resultados a partir do início do projeto foram:


  • construção de um centro comunitário com recursos captados pela paróquia local junto a Associação de Desenvolvimento e Cooperação LED/FL – Suíça; foi erguido através de mutirão dos produtores rurais com apoio dos comerciantes locais. O local passou a ser sede do AMAVAPA.

  • Realização de quatro cursos de capacitação ambiental para professores e líderes comunitários (1998 a 2001). Todo os professores do Bairro Jaguarão e metade das lideranças comunitárias fizeram o curso. Em relação ao município de Cunha 60% dos professores rurais foram capacitados e 40% das lideranças rurais;

  • Premiação com menção honrosa da Gazeta Mercantil em 2000 no âmbito do Projeto Balanço Ambiental , como uma das 12 melhores práticas ambientais do estado de São Paulo.

  • Construção de seis unidades demonstrativas (total de 6 hectares) de práticas agroflorestais, destas destacamos a unidade demonstrativa de cana de açúcar para ensilagem que é autosustentada, isto é, a venda de cana financia o plantio de novas mudas.

COMO INDICADOR: o crescimento do interesse no plantio de espécies nativas: no primeiro ano (93) – 1 produtor 200 mudas; hoje 40 produtores e 75.000 mudas/ano. O projeto já não se circunscreve a bacia onde também cresceu como opção de madeira e diminui a pressão sobre a mata nativa (diminuição dos autos de infração). As mudas de eucalipto são doadas via cadastro e orientação na Casa da Agricultura de Cunha. Média de doações desde 1995: 50.000 mudas/ano.

Hoje 45% das 160 propriedades que compõe o Projeto Jaguarão adotaram pelos menos 3 das 6 práticas demonstrativas enfatizadas no projeto.

A apostila do curso de capacitação ambiental para profissões é bibliografia obrigatória para leitura visando o concurso público municipal (provimento do cargo de professores).

O projeto foi priorizado pelo CBH-PS para captar recursos do FEHIDRO.

6- Colabore para a divulgação do seu programa, projeto ou atividade, escrevendo no espaço abaixo um resumo das informações da ficha, com no máximo 100 palavras, apresentando o objetivo, o público beneficiário e o funcionamento da experiência. Procure redigir de forma clara, sucinta e objetiva.

O Projeto Jaguarão visa contribuir para convivência harmônica do produtor rural com ambiente. PUBLICO ALVO: Produtor, professor rural e líderes comunitários. METODOLOGIA: Potencialização das instituições que atuam no município; unidade demonstrativa e dias de campo; reuniões com a comunidade ; cursos de capacitação ambiental para professores. RESULTADO: 6 módulos demonstrativos; sede social construída em regime de mutirão, 4 cursos de capacitação ambiental e premiação pela Gazeta Mercantil. CONCLUSÃO: ações amplas de educação ambiental, que considerem conceitos de gestão ambiental, planejamento e diagnóstico; considerar adultos como parceiros multiplicadores do projeto e agentes transformadores da realidade; modelos de gestão participativa capaz de situar as propostas em razão da necessidade e realizada expostas pela comunidade.

7- Para tornar mais efetiva a divulgação do programa, informe como ficou sabendo do Concurso Melhores Práticas.

( ) mala direita ( ) jornal, revista etc. ( ) contato pessoal ( ) Internet ( x ) outros.

Através da Secretaria Executiva do CBH-PS



AUTORIZAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO


Confirmo as informações e autorizo a inscrição no Concurso MELHORES PRÁTICAS.

Nome: PROJETO JAGUARÃO

Órgão público: Fundação Florestal

Cargo: Diretor Executivo

assinatura: *

* da autoridade responsável (vide item 5 do Regulamento)





AUTORIZAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO


Autorizo a Fundap a usar, por quaisquer meios, o nome, imagem e voz dos dirigentes e demais profissionais envolvidos com o Concurso, bem como dos trabalhos inscritos, seja para fins de pesquisa ou divulgação em qualquer meio de comunicação,
ficando igualmente franqueado aos finalistas do Concurso MELHORES PRÁTICAS o uso do resultado do julgamento para os mesmos fins.

Nome:PROJETO JAGUARÃO

Órgão público: Fundação Florestal/SMA

Cargo: Assinatura: *Diretor Executivo



* da autoridade responsável (vide item 5 do Regulamento)


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal