Conselho municipal de economia solidaria de são josé dos pinhais ata da 34ª Reunião Ordinária



Baixar 15.25 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho15.25 Kb.
CONSELHO MUNICIPAL DE ECONOMIA SOLIDARIA DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS
Ata da 34ª Reunião Ordinária
Ao oitavo dia do mês de maio do ano de dois mil e quatorze, às nove horas, teve início a 34ª reunião ordinária do Conselho Municipal de Economia Solidária de São José dos Pinhais, realizada nas dependências da Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Economia Solidária sita na Avenida Rui Barbosa, 9.244, Centro, São José dos Pinhais/PR. Estavam presentes: José Aparecido de Oliveira (Caritas/SJP); Vergínia Carla Urias (Vitrine da Arte); Mariley de Mello Soares (AAASJP); Juliana Canassa e Cássia Rosana Pereira Ramos (SETRAB); ArIldo José Nogaroto (SEMAG); Durce Figueiredo (Instituto Miguel e Cecília); Lourença Santiago (Rede Marista de Solidariedade); Marlene Lecheta (Fogo e Arte); Taynara Subtil e Raquel de Oliveira Ribeiro (Arte Brazil); Edilene Silva (SEMAS); Beatriz Rodwanski (Artteiras); Terezinha de Carvalho(NINHO DAS ARTES). A reunião teve a seguinte pauta: 1) Aprovação da ata da 33ª reunião ordinária; 2) Certificação; 3) Expediente; 4) Apresentação do PMES; 5) Apresentação do CPES; 6) Grupo Vitacós e Alinhavando Esperança; 7)Conferência Regional; 8)Palavra Facultada/Informes e 9) Encerramento. 1) Aprovação da ata da 33ª reunião ordinária: A ata foi aprovada com as seguintes ressalvas: onde se lê: Tatiana disse que em uma reunião do Fórum elas tinham concordado que poderia ser uma pessoa de cada grupo apenas participar do curso, não sendo necessário a participação de 40% dos integrantes, pois estão com várias feiras acontecendo no momento. Lê se agora: Tatiana disse que em uma reunião administrativa elas tinham concordado que poderia ser uma pessoa de cada grupo apenas participar do curso, não sendo necessário a participação de 40% dos integrantes, pois estão com várias feiras acontecendo no momento. Onde se lê: A diretora Cássia falou que uma opção é revogar o curso atual, mas que não iria solicitar novos cursos. Lê se agora: A diretora Cássia falou que uma opção é revogar o curso atual, Técnicas Básicas de Desenho, mas que não iria solicitar novos cursos. Foi incluído no item quatro a seguinte solicitação do Presidente José Aparecido de Oliveira: A analise do comitê de ética referente ao ofício do MTE nº001/SRTE/SES/PR. 2) Certificação: Foi apresentado dois empreendimentos para certificação: Arte Brazil e Artteiras. Os conselheiros decidiram pela aprovação de certificação dos empreendimentos. 3) Expediente: Os empreendimentos enviaram um requerimento do Fórum de trinta de abril com a seguinte solicitação: Verificar a possibilidade de rever o número de pessoas de cada curso. Deixando de ser porcentagem para unidade. O requerimento foi assinado por dezoito integrante dos empreendimentos do PMES. Durce sugeriu a redução da porcentagem de participação nos cursos para 20%. Mariley sugeriu que a cada cinco integrantes um participe. Aparecido relatou que a maior preocupação em ser definido a participação de um integrante é a quantidade de vagas que o curso oferece. Lourença disse que essa discussão é relacionada a um fator humano, pois sempre haverá uma justificativa para não participar de cursos. Que se a regra for mudada sempre haverá uma justificativa para não participarem. Falou que tudo é uma questão de organização. Cássia explicou que curso é para formação e capacitação, que o correto seria 100% de participação dos empreendimentos. Verginia representando os Empreendimentos de Economia Solidária, falou que os artesãos dependem das vendas e que para vender é necessário produzir e que para produzir precisa-se de tempo. Explicou que no caso dela está envolvida em tudo. Disse que dependendo do curso não agrega muito referente a linha de artesanato que ela produz. Muitas artesãs não tem outra renda, depende exclusivamente do artesanato. Lourença lembrou que o curso foi solicitado em uma reunião de fórum e que não é uma obrigação, foi solicitado. Falou então que precisa ser discutido melhor no fórum qual a real necessidade. Durce falou da necessidade de explicar o que é e qual o objetivo do PMES. Disse que a qualificação faz parte do Programa de Economia Solidaria. Edilene lembrou sobre a burocracia para realizar compra na Prefeitura, lembrou que os cursos são pagos por hora e não por aluno. Aparecido então, direcionou para votação a alteração ou não da porcentagem de participação nos cursos sendo que dois votos foram para alteração de 20%, cinco votos para permanecer os 40% e dois conselheiros não votaram. Ficou decidido então que não haverá alteração na norma de participação no curso. 4) Apresentação do PMES: Cássia apresentou ao conselho a planilha de Controle Geral dos Empreendimentos. Disse que no momento o Programa De Economia Solidária tem cadastrados dezoito empreendimentos porém ativos somente doze. Explicou que está sendo realizado a visita de renovação de certificação, e que de acordo com a norma, o empreendimento só receberá a visita do comitê certificador se todos os integrantes tiver passado pela oficina, sendo que ao ser marcada a certificação de um grupo, e este não tenha todos os membros passado pela oficina terá prazo para regularização de trinta dias. Disse que todo mês o Programa de Economia Solidária faz a convocação para todos os grupos, informando sobre a realização das oficinas. A diretora Cássia, expôs os seis grupos que não estão atuando no Programa de Ecosol, mas que ainda fazem parte. Tais grupos são: Vitacós, Guloseimas da Massa, Estilo e Arte, Alinhavando Esperança, Nó da Madeira e Arteiros da Roça. 5) Apresentação do Quiosque: Cássia iniciou falando que apenas dois grupos tem todas as integrantes expondo no quiosque, falou que ficou definido que a Regislaine passará o controle de três em três meses para o Programa Municipal de Economia Solidária. Expôs o relatório de vendas para os conselheiros, sendo que em 2013 o valor vendido foi R$ 30.993,00 e até Março de 2014 foi R$3.489,00. Relatou que foi mudado o layout e depois que mudou o numero de vendas aumentou, pois na faixada foi colocado Loja do Artesanato. Lourença falou que as vendas só não são maiores porque até o momento não estão trabalhando com a maquineta de cartão, mas que já estão providenciando. 6) Vitacós e Alinhavando Esperança: Cássia relatou sobre a atual situação dos grupos Vitacós e Alinhavando Esperança, informou que os grupos são rotativos, é composto na sua grande maioria por mulheres carentes, ou com determinados problemas. Cassia falou que deseja que os grupos continuem atuante no Programa de Economia Solidária. Então sugeriu que os empreendimentos acima fiquem com convidados ou que tenham um tempo para se estruturar. Durce fez uma breve explicação de como surgiu o grupo Vitacós. Cássia expos que o grupo Vitacós não está atuando no São Judas e que era pra se mudarem para a Casa do Papai Noel, no Parque da Fonte, disse que as máquinas já estão instaladas e que toda a parte que dependia da Prefeitura já está pronta. No momento o grupo Vitacós não existe e provavelmente se formará outro grupo. Está da dependência da Fundação Volkswagen em retornar a pareceria. O empreendimento Alinhavando Esperança, precisa se sustentar para caminhar com as próprias pernas, elas ficam fechadas e focadas em uma mesmo produto e mesmo lugar, disse Cássia. Mariley relatou que se os grupos Vitacós e Alinhavando Esperança precisam de ajuda, então eles precisam das feiras como ajuda, não somente feiras ou eventos grandes. Aparecido expôs que tem que se analisar toda a atual situação e realidade do grupo onde entra então a solidariedade, falou ainda que não adianta dar um tempo para se estruturar se não há as condições necessárias. Lourença disse que não adianta fazer curso se não tiver acompanhamento, é necessário realizar o curso e prover condições para que as pessoas não se dispersem. Então entrou em votação as seguintes propostas: Dar tempo para que os grupos Vitacos e Alinhavando Esperança se estruturem ou sejam apenas convidados pelo Programa de Economia Solidária. E ficou definido que os grupos terão seis meses para se estruturar. Cássia então falou que realizará reuniões com os grupos Arteiros da Roça e Nó da Madeira. Guloseimas é um grupo que não está atuante pois sua linha é alimentação e tem toda uma questão referente a vigilância sanitária. E o grupo Estilo e Arte está reestruturando novamente. 7) Conferência Regional: Cássia passou que a Conferência Regional vai ser realizada dia treze de maio de dois mil e quatorze e que no momento São José dos Pinhais tem vinte inscriçoes realizada.8) Informes e Palavra Facultada: Lourença fez os seguintes convites: Quata feira dia quatorze de maio de dois mil e quatorze as dezenove horas será a Inauguração da Incubadora com a presença de Shirley da IMS e do Professor Cunha da Incubadora de Ponta Grossa, na PUC no bloco amarelo. Quinta-feira dia quinze de maio de dois mil e quartorze vai acontecer na PUC a Oficina do Filtro dos Sonhos as dezessete e trinta. E Sexta Feira dia dezesseis de maio vai acontecer o dia todo na PUC a Feira de Troca de Livros. Cássia convidou a todos para prestigiar a Feira do Dia Das Mães que está acontecendo na Rua XV de Novembro. 9) Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, foi encerrada a presente reunião da qual para constar registro, eu, Juliana Canassa, lavrei a presente ata, sendo a mesma assinada por mim e pelo Presidente deste Conselho.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal