Construção de acervos e memória da esquerda: a experiência do Centro Sérgio Buarque de Holanda



Baixar 40.8 Kb.
Encontro21.07.2016
Tamanho40.8 Kb.

Construção de acervos e memória da esquerda:

A experiência do Centro Sérgio Buarque de Holanda


Alexandre Fortes

Fundação Perseu Abramo



alexfortes@globo.com
O objetivo da presente comunicação é socializar a experiência de construção do Centro Sérgio Buarque de Holanda – Documentação e Memória Política, projeto da Fundação Perseu Abramo que se dedica ao resgate, organização, disponibilização e pesquisa sobre a documentação histórica relativa ao Partido dos Trabalhadores e ao seu contexto histórico. Ela se baseia, em grande medida, no guia produzido quando da inauguração do Centro, em 2001, atualizado ao final com informações recentes.

A análise desta experiência contribui para a reflexão sobre o papel dos historiadores no processo de construção de instituições e política públicas voltadas ao desenvolvimento da pesquisa histórica e da reflexão sobre a memória coletiva.

Sabemos que no Brasil, infelizmente, até os registros históricos oficiais muitas vezes se perdem. O que dizer, então, das experiências alternativas de organização social e política? Os sujeitos históricos populares foram, e em muitos casos continuam a ser, apagados da memória nacional, por ter os seus registros destruídos, degradados ou tão fragmentados e dispersos que nem a mais abnegada pesquisa é capaz de os reconstruir plenamente.

A Fundação Perseu Abramo, desde o início das suas atividades, empenhou-se em contribuir para a reversão deste quadro. Para tanto, estabeleceu como uma das suas áreas de atuação o Projeto Memória & História, embrião do atual Centro Sérgio Buarque de Holanda -- Documentação e Memória Política.

Iniciativa inédita entre os partidos políticos brasileiros, a criação do Centro expressa a consciência, amadurecida pelo PT ao longo de sua trajetória, do significado da luta dos trabalhadores brasileiros para a história nacional e de sua inserção na história da esquerda latino-americana e mundial.

O partido, afinal, surgiu da confluência de uma grande diversidade de lutas políticas e sociais travadas pelo povo brasileiro em diferentes momentos históricos. Seu desenvolvimento está profundamente ligado à evolução dos movimentos sociais, à árdua batalha pela conquista e exercício da cidadania e aos desafios colocados pela construção de um programa democrático-popular para o Brasil de hoje e do socialismo democrático como projeto histórico.

Coerentemente com sua vocação democrática, o PT assume o seu compromisso não apenas com a preservação da documentação histórica, mas também com a garantia de acesso a ela por parte dos cidadãos. Longe de construir uma história oficialista e autocelebratória, a exemplo do que muitas vezes ocorreu com a esquerda no passado, o partido pretende estimular a investigação aberta, crítica e plural.

Preservar a memória do PT, subsidiar a pesquisa e a reflexão sobre a sua trajetória e analisar sua inserção no contexto histórico mais amplo de desenvolvimento da nação brasileira são tarefas complementares. Elas se articulam no sentido de fomentar no partido e em sua base social uma compreensão mais ampla e profunda dos desafios, dilemas e possibilidades vividos no presente, ao colocá-los em perspectiva. Desse modo, se resgata a dimensão histórica da ação política e a consciência do conhecimento histórico como um recurso estratégico.


O Projeto Memória & História foi instituído em 1997 pela Fundação Perseu Abramo visando estimular a pesquisa acadêmica sobre a história social brasileira e contribuir para recuperar a documentação produzida pelo Partido dos Trabalhadores, por militantes, lideranças e militantes partidários e pelos movimentos sociais a ele relacionados. Nestes primeiros anos de atividade, sob a coordenação de Marco Aurélio Garcia, se delinearam as diretrizes gerais e se definiram as áreas de atuação que viriam a caracterizar o desenvolvimento posterior do projeto.

Uma importante contribuição para a definição destas linhas estratégicas foi dada pelo Comitê de História que a Fundação Perseu Abramo, a exemplo do que ocorre nas suas demais áreas de atuação, estabeleceu como órgão consultivo e assessor do projeto. Visando diversificar e enriquecer esta contribuição, foram convidados a integrar o comitê especialistas em temáticas e aspectos diferentes da nossa história, oriundos de diferentes instituições de pesquisa das várias regiões do país.

Entre as atividades que marcaram os primeiros anos do projeto, vale ressaltar os seminários, nacionais e internacionais, em parceria com a USP, Unicamp, Unesp e PUC-SP, sobre o movimento estudantil, as lutas sindicais e os trinta anos dos acontecimentos de 1968 no Brasil, França e Alemanha. Desse último evento, que contou com o apoio dos governos da França e da Alemanha, Aliança Francesa e Instituto Goethe, além do Sesc-São Paulo, resultou o livro Rebeldes e Contestadores, publicado pela Editora Fundação Perseu Abramo.

A mesma editora publicou ainda Partido dos Trabalhadores: Resoluções de Encontros e do Congresso, instrumento de pesquisa fundamental para o estudo do PT e da história política e social recente do país.

A atividade do Projeto Memória & História incluiu também a produção das exposições iconográficas Trajetórias – que gerou a publicação de mesmo nome -- e PT 20 anos, traço a traço – que, por meio da seleção de charges publicadas em diversos órgãos de imprensa, rememora importantes momentos da história política e social do país dos últimos vinte anos. Resultou ainda na produção de um CD que recupera músicas compostas para o partido ou inspiradas na sua luta pela democracia e pela justiça social no país.

Mas a atividade de maior envergadura desenvolvida pelo projeto, implementada pela equipe técnica sob orientação da coordenadora assistente Maria Alice Vieira, foi a recuperação do acervo do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, composto por documentos produzidos desde 1980, uma coleção relativa aos movimentos pré-PT e significativa coleção de publicações e de audiovisuais editados pelo partido, por movimentos sociais, prefeituras, governos, parlamentos e organizações não-governamentais, nacionais e estrangeiras. Paralelamente, também vêm sendo identificados e organizados, de modo preliminar, diversos fundos e coleções pessoais de dirigentes políticos.

Grande parte dessa documentação encontrava-se em precário estado de organização e conservação, dificultando o trabalho dos estudiosos, tanto do país como estrangeiros, interessados em analisar os movimentos sociais e políticos que deram origem ao PT, sua estruturação e o papel que tem desempenhado na vida política brasileira ao longo das últimas décadas. Do mesmo modo, a situação dos documentos impedia que fossem utilizados pelo próprio partido como subsídio à sua ação política, à reflexão sobre a sua trajetória e ao trabalho de formação política.

Já ao longo do processo de resgate e tratamento, o projeto passou a atender, desde o início de 1998, às demandas de diversos pesquisadores, acadêmicos ou não. Como parte desse trabalho, foram elaborados roteiros, listagens e instrumentos provisórios, a fim de orientar a organização da documentação e a consulta. Tem respondido ainda a solicitações de vários órgãos da estrutura partidária na localização e processamento de documentos e informações históricas, assim como os vem orientando em relação à definição de procedimentos para organizar tanto a documentação acumulada quanto os documentos de uso corrente e aqueles que serão gerados no futuro.

Foi a partir do balanço dos resultados significativos alcançados e da experiência acumulada nestas diferentes ações que a Fundação Perseu Abramo decidiu criar o Centro Sérgio Buarque de Holanda – Documentação e Memória Política, organismo que assume a partir de agora a responsabilidade pela continuidade e expansão do trabalho desenvolvido pelo Projeto Memória & História.

Instalado em espaço próprio e adequado para suas finalidades, o Centro vem integrar-se a outras experiências desenvolvidas por centros universitários, ONGs, movimentos sociais, arquivos públicos e entidades ligadas às igrejas, que ao longo das últimas décadas têm se empenhado no resgate e na organização de fontes documentais fundamentais para o estudo da história política brasileira, para além da ótica de sua elite política, econômica e social. Ao mesmo tempo, busca integrar este trabalho relativo a preservação, organização e acesso à documentação com o desenvolvimento da pesquisa, estimulando tanto a análise global da trajetória do partido quanto de aspectos setoriais e temáticos da sua prática política, contribuindo deste modo para a qualificação da atuação partidária.


O Centro Sérgio Buarque de Holanda – Documentação e Memória Política atua fundamentalmente em quatro âmbitos:

  1. Preservação, organização e acesso à documentação do PT;

  2. Produção e fomento de pesquisa e reflexão sobre a história do partido, seu momento histórico e sua base social;

  3. Integração entre a produção acadêmica sobre a história da sociedade brasileira e a ação política voltada à sua transformação;

  4. Resgate da memória das lutas populares e construção de políticas públicas de preservação e acesso democrático aos registros históricos oficiais.

O primeiro item corresponde às tarefas básicas de responsabilidade direta do Centro. Ele envolve, antes de tudo, a gestão da produção documental do PT, incluindo a orientação à estrutura partidária em relação ao processo de geração, organização, preservação e criação de condições adequadas de acesso à documentação escrita, iconográfica e audiovisual, gerada ou recebida oficialmente pelo partido. Esta ação é desenvolvida diretamente no âmbito nacional e, por meio de orientação e de projetos-piloto, estendida aos estados. Deste modo, assegura o cruzamento de informações necessárias à pesquisa, bem como a uniformização de procedimentos quanto à produção e à guarda dos documentos desde o momento em que são gerados pelos vários organismos e instâncias do partido.

O Centro produz também sua própria pesquisa sobre o PT, seu contexto de origem e desenvolvimento, o que inclui obras de caráter referencial, produtos que comemoram momentos relevantes da história partidária ou ainda trabalhos de natureza propriamente analítica. Ao mesmo tempo, procura estimular o desenvolvimento e a qualificação da produção acadêmica relativa à história do partido, em âmbito nacional e internacional, especialmente ao facilitar o acesso à documentação partidária e ao integrar cópias desta documentação e instrumentos de consulta a acervos de natureza similar em instituições de referência.

A pesquisa e a geração de documentos estão profundamente interligadas no trabalho de história oral, por intermédio do qual o Centro pretende gerar um amplo banco de depoimentos de militantes expressivos da história do PT. A seleção de depoentes para as entrevistas será realizada contemplando-se a diversidade social, política e regional que caracteriza o partido em todo o país, assegurando a multiplicidade de pontos de vista e de experiências registradas.

O terceiro campo de atuação do Centro é a construção de formas de diálogo entre a reflexão histórica gerada nas instituições universitárias e centros de pesquisa, o partido e sua base social. Este contato tem sido estabelecido através de eventos como seminários e publicações esporádicas. O principal instrumento para o seu aprofundamento, porém, é a coleção “História do Povo Brasileiro”, um canal de articulação da produção historiográfica recente em uma releitura global do processo de formação e desenvolvimento da sociedade brasileira que, ao mesmo tempo, busca tornar esta produção acessível a um público não-especializado, da qual já foram publicados nove volumes. Outra iniciativa importante nesta área foi a realização em 2003 do seminário internacional “História e Perspectivas da Esquerda”, que contou com a participação de especialistas de doze diferentes países, que resultou num livro a ser publicado até o final deste ano.

Por fim, por meio do Centro a Fundação Perseu Abramo integra um amplo campo de instituições comprometidas com o resgate da memória da ação política das classes populares e das forças políticas que, ao longo da história brasileira, se empenharam na construção de projetos de transformação social. Por meio de parcerias com algumas destas instituições, o Centro tem realizado o mapeamento, a análise e a preservação de acervos pessoais de militantes, assim como o estudo das melhores alternativas para torná-los disponíveis à pesquisa. Participa ainda de outras ações visando a colaborar com o desenvolvimento de um amplo movimento de resgate da memória e de reflexão sobre a trajetória histórica da esquerda e dos movimentos sociais no Brasil e no mundo.

Solidariza-se também com os esforços visando ao desenvolvimento de uma política de preservação do patrimônio histórico, gestão de arquivos públicos e democratização do acesso dos cidadãos à documentação gerada e mantida pelo Poder Público, compromisso cuja dimensão se amplia à medida que o PT assume responsabilidades cada vez maiores no cenário da gestão pública em todo o país.

O acervo do Centro inclui os seguintes componentes:


    1. Publicações periódicas do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores;

    2. Publicações avulsas do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores;

    3. Publicações das tendências do Partido dos Trabalhadores;

    4. Outras publicações do Partido dos Trabalhadores;

    5. Publicações da esquerda brasileira da década de 1970;

    6. Documentação textual permanente do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (1980-1987);

    7. Documentação textual permanente do movimento pró-Partido dos Trabalhadores (1978-1980);

    8. Livros de atas do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores;

    9. Dossiês de Encontro e Congressos Nacionais do Partido dos Trabalhadores;

    10. Dossiês das campanhas eleitorais do Partido dos Trabalhadores;

    11. Clipping de imprensa produzido pelo Partido dos Trabalhadores com matérias relativas a assuntos de interesse do partido;

    12. Coleções de fitas de vídeo produzidas para campanhas e programas de televisão do Partido dos Trabalhadores;

    13. Coleções de fotografias relativas à história do Partido dos Trabalhadores;

    14. Biblioteca do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores;

    15. Coleções de objetos tridimensionais produzidos pelo Partido dos Trabalhadores (camisetas, bonés, broches, etc.);

    16. Coleção de cartazes do Partido dos Trabalhadores

Como responsável pela documentação permanente do Partido dos Trabalhadores, o Centro mantém sob sua custódia direta o arquivo e a biblioteca do Diretório Nacional, além de outras coleções conexas.

O arquivo permanente é composto por uma coleção pré-PT, pelo Fundo Diretório Nacional e também por fundos de organismos criados pelo partido em âmbito nacional e já extintos, como a Fundação Wilson Pinheiro e o jornal Brasil Agora.

O Fundo Diretório Nacional compõe-se dos documentos produzidos e acumulados por esta instância desde a criação do partido, em 1980, até a eleição do 5º Diretório Nacional, em 1987. Com as vitórias eleitorais em importantes municípios brasileiros em 1988 e a campanha presidencial de 1989, o PT passou a enfrentar novos desafios políticos, que levaram ao desenvolvimento de uma estrutura interna mais complexa.

O recorte temporal adotado para definir a documentação permanente (1980-1987) reflete em parte esta mudança na estrutura organizacional do partido. Ele não é, entretanto, adotado linearmente. Os documentos gerados nos dez encontros, nos dois congressos nacionais do partido e nas campanhas presidenciais de 1989, 1994, 1998 e 2002, por exemplo, já se encontram sob a custódia do Centro, organizados em dossiês específicos. O mesmo se dá com a documentação audiovisual e iconográfica, que é enviada ao Centro após cumprir as funções que determinaram sua produção.

No que diz respeito ao acervo fotográfico do Diretório Nacional cabe registrar que a forma de organização adotada assegura o respeito aos direitos autorais, estando a utilização e a divulgação desse material condicionadas à autorização dos respectivos detentores.

Além desta documentação, fisicamente sediada no Centro, ele integrará as referências dos acervos partidários estaduais, de arquivos e coleções conexas e de fundos e coleções pessoais ligados à história do partido, abrigados em instituições universitárias em todo o país.

Na biblioteca do Diretório Nacional encontram-se periódicos e publicações avulsas do PT e sobre ele, assim como assuntos correlatos: movimentos sociais; política e economia nacionais e internacionais; políticas públicas.

Também integram o acervo do Centro cópias de teses, dissertações e outros trabalhos de pesquisa sobre o partido e sua atuação desenvolvidos em instituições nacionais e estrangeiras, identificadas a partir de um amplo levantamento. A fim de manter este levantamento atualizado, o Centro manterá um acompanhamento regular das informações sobre pesquisas em desenvolvimento relativas às temáticas de seu interesse.

Um trabalho de envergadura semelhante ao que o Centro Sérgio Buarque de Holanda se propõe a realizar não poderia ser viabilizado sem contar com a experiência e a colaboração de pesquisadores e instituições que, nas últimas décadas, desenvolveram um trabalho pioneiro pela preservação da memória das lutas populares e pelo repensar da história nacional à luz das mesmas.

Nas suas diferentes áreas de atuação, o Centro se propõe a incrementar as colaborações pontuais ou sistemáticas iniciadas pelo Projeto Memória e História com um amplo leque de instituições de pesquisa, tanto no que diz respeito a ações de âmbito nacional quanto em relação aos projetos-piloto em desenvolvimento nos estados.

O modelo destas parcerias é o convênio de cooperação técnica firmado em 1997 entre a Fundação Perseu Abramo e o Arquivo Edgard Leuenroth (AEL) – Centro de Pesquisa e Documentação Social de Universidade Estadual de Campinas. Este acordo prevê, além da orientação técnica e do intercâmbio permanente de experiências, a guarda pelo AEL de cópias da documentação nacional permanente do PT, uma vez que esta se encontre devidamente inventariada e microfilmada. Posteriormente, foram também realizadas importantes parcerias com instituições como o Núcleo de Pesquisa Histórica da Ufrgs, o Labhoi (UFF), o Amorj (UFRJ), o CeNedic (USP), o Arquivo do Estado de São Paulo e o CPDOC. No âmbito internacional, realizamos um intercâmbio regular com o Instituto Internacional de História Social, de Amsterdã.

A colaboração envolve também o desenvolvimento de estratégias conjuntas para a preservação de acervos pessoais de dirigentes e de lideranças políticas ligadas ao partido e à esquerda brasileira, bem como para torná-los disponíveis à pesquisa. Estes fundos pessoais, profundamente relacionados com a história do partido, além de seu valor intrínseco, complementam e enriquecem a documentação institucional que hoje se encontra sob a custódia do Centro de Documentação.

Está prevista ainda neste convênio a produção de catálogos coletivos e outros instrumentos de pesquisa, com o objetivo de colocar à disposição mais informações sobre os acervos existentes em cada uma das instituições e sua complementaridade, ação que deve envolver também outras entidades parceiras.

Os instrumentos de pesquisa e outras informações geradas pelo Centro estão gradativamente sendo integrados a um banco de dados com acesso via internet, o que permite aos pesquisadores um primeiro contato com o acervo.

Por meio deste banco de dados e com o estabelecimento de critérios arquivísticos capazes de orientar o fluxo permanente da documentação partidária, pretende-se referenciar, de forma integrada, os distintos acervos e bibliotecas localizados em organismos partidários e instituições universitárias.

Além de proporcionar este acesso remoto, o Centro conta com uma equipe capacitada a auxiliar e orientar o pesquisador na sua sede. As visitas deverão ser agendadas por telefone ou via correio eletrônico, preenchendo uma ficha de cadastro onde deverão ser informados o tema de pesquisa e o tipo de material que se deseja consultar.

O desenvolvimento do trabalho do Centro entrou numa nova fase a partir de 2003, quando, como conseqüência do trabalho de resgate e organização da documentação partidária desenvolvido por nossa equipe, foi criado o Núcleo de Gestão Documental do PT, ligado à Secretaria de Organização do partido (SORG). Este novo passo decorre da compreensão de que o partido deve construir uma política global de gestão da informação e da documentação, desde o uso corrente até a constituição de acervos públicos permanentes. Neste novo momento, o Núcleo passa a assumir as funções de regulamentação e desenvolvimento da política de gestão da documentação para o conjunto da estrutura partidária, o que exige inclusive estabelecer o quadro de arranjo definitivo e a tabela de temporalidade a partir da qual se estabelecerá em que prazo cada tipo de documento passará a ser classificado como “histórico” e repassado ao Centro para ser disponibilizado à pesquisa.

Da parte do Centro, a ênfase passa a ser cada vez mais na ampliação do acesso à documentação, com o uso de recursos como a catalogação on-line, a digitalização e a microfilmagem, assim como na produção de conhecimento sobre o acervo, na forma de instrumentos de pesquisa.

Um exemplo desta nova fase é o projeto de microfilmagem da documentação histórica do PT, realizado em parceria com o Arquivo do Estado de São Paulo, com apoio do Program for Latin American Libraries and Archives do
David Rockefeller Center for Latin American Studies,
Harvard University. Na primeira fase do projeto, foram microfilmadas as coleções completas de publicações como o Jornal dos Trabalhadores, o Boletim Nacional, a revista Teoria e Debate, o informativo Linha Direta, o PT Notícias, entre outros, além das Atas e outros documentos. O catálogo completo dos 40 rolos de microfilme produzidos (cerca de 50.000 páginas) está disponível on-line no site da Fundação Perseu Abramo (
www.fpabramo.org.br) e cópias dos microfilmes já podem ser consultadas pelo público no próprio centro Sérgio Buarque de Holanda, no Arquivo do Estado de São Paulo, no Arquivo Edgar Leuenroth (Unicamp), na Biblioteca da Universidade de Harvard e no Instituto Internacional de História Social (Amsterdã).

Na segunda fase do trabalho, a ser iniciada em breve, já que o apoio de Harvard foi aprovado em fevereiro de 2004, a expectativa é gerar no mínimo mais oitenta rolos, totalizando no início do próximo ano cerca de 150.000 páginas microfilmadas. Neste ano serão microfilmados também os jornais das tendências (Em Tempo, O Trabalho, Convergência Socialista, etc) e será concluída a microfilmagem do clipping de jornais, com notícias relacionadas ao partido e à história recente do país.



A experiência de construção do Centro Sérgio Buarque de Holanda demonstra que a relação entre uma instituição voltada primordialmente para a história institucional e geração de acervos com acesso democratizado, voltados ao aperfeiçoamento da produção do conhecimento histórico pode ser frutífera. O delicado equilíbrio entre ambos os aspectos, que evidentemente não está livre de tensões, é um grande e permanente desafio, que precisa ser enfrentado. É fundamental a multiplicação destas experiências e sua articulação no sentido de gerar transformações mais amplas na triste realidade dos acervos históricos brasileiros. Para tanto, é fundamental o engajamento dos historiadores comprometidos com a criação de condições para o desenvolvimento de uma história social da política.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal