Contexto operacional



Baixar 83.48 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho83.48 Kb.
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

EM 31 DE DEZEMBRO DE 1998 E 1997

(Em Reais)
NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL

A empresa tem por objetivo a construção civil, como fornecedora de telhas metálicas zincadas e pré-pintadas e sistemas de coberturas metálicas industriais, comerciais e residenciais; a industrialização e comercialização de pintura de bobinas metálicas; a fabricação e comercialização de tintas, vernizes, solventes e congêneres, como também a participação societária em outras empresas.


NOTA 2 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com os princípios contábeis previstos na legislação societária e normas complementares da CVM - Comissão de Valores Mobiliários, sendo que, a partir de 1996 não requerem o reconhecimento dos efeitos inflacionários.


NOTA 3 - PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS

a)Os ativos e passivos susceptíveis de variação monetária ou cambial são ajustados, cujo os efeitos são reconhecidos no resultado do exercício;

b)As aplicações financeiras estão registradas ao custo acrescido dos rendimentos proporcionais auferidos até a data do encerramento do exercício;

c)A provisão para créditos de liquidação duvidosa foi constituída com base nas perdas julgadas prováveis, levando em conta a análise individual das contas a receber;

d)Os estoques estão registrados ao custo médio de aquisição e/ou produção, ou de mercado , dos dois o menor;

e)Os créditos em relação à Eletrobrás, classificados no realizável a longo prazo, estão ajustados ao valor de mercado;

f)Os investimentos decorrentes de participações societárias em controladas estão avaliados pelo método de equivalência patrimonial. A participação no patrimônio líquido negativo da controlada Profinish Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda, foi reconhecida, através da constituição de provisão apresentada no exigível a longo prazo. Os demais investimentos estão registrados ao custo de aquisição, ajustados por provisões para perdas prováveis, nos casos requeridos;

g)O imobilizado está registrado ao custo de aquisição ou construção, corrigidos monetariamente até 31 de dezembro de 1995, menos depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear, mediante a aplicação de taxas que levam em conta o tempo de vida útil-econômica dos bens. As taxas anuais de depreciação são as seguintes:

Edifícios 4%, maquinismos, móveis e utensílios e instalações 10%, veículos, computadores e periféricos 20%;

h)O diferido está registrado ao custo de aquisição, correspondente aos gastos de implantação e despesas pré-industriais, que estão sendo amortizados à taxa anual de 20%;

i)As provisões para imposto de renda e contribuição social foram calculadas pela alíquota de 15% mais adicional previsto pela legislação fiscal, e 8%, respectivamente. Para as despesas dedutíveis somente em exercícios futuros, foi constituído crédito tributário diferido.
NOTA 4 - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS DE CONSOLIDAÇÃO
As demonstrações financeiras consolidadas foram elaboradas em consonância com os princípios básicos de consolidação e com os dispositivos legais aplicáveis. Nessas demonstrações contábeis, cujos exercícios sociais são coincidentes, foram eliminados os investimentos, os saldos ativos e passivos, bem como as receitas e despesas entre as sociedades. As parcelas do patrimônio líquido e do resultados referentes às participações dos sócios minoritários estão apresentadas em destaque no balanço patrimonial consolidado e na demonstração do resultado consolidada. As demonstrações contábeis consolidadas de 1998, abrangem as demonstrações financeiras da empresa controladora e suas controladas:
Tekrom Transportes, Representações e Montagens Ltda;

Profinish Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda



NOTA 5 - ESTOQUES


CONTROLADORA

CONSOLIDADO




1998




1997




1998




1997

Produtos acabados

4.026.662




3.983.180




4.048.777




3.990.261

Mat.cons e outros



1.090.319




1.271.138




1.096.209




1.279.854




17.497.051




16.429.665




17.539.988




16.477.432

NOTA 6 – INVESTIMENTOS EM CONTROLADAS

a) Principais dados relativos aos investimentos em controladas:



Perkrom Tintas Tekrom Profinish

Contr.Ind. Kroma Transp. Ind.e Com.

e Comércio Ind.e Com Repres.e Prod.Quím.

____Ltda____ Ltda Mont.Ltda Ltda___

Capital social 1988 - - 400.000 1.040.515

1997 - - 217.000 1.040.515
Patrimônio líquido 1998 - - 400.001 (104.235)

1997 - - 574.325 213.114


Lucro líquido do 1998 - - 110.410 (503.984)

Exercício 1997 691.497 615.216 118.171 (418.311)

(continuação da nota 6.a)

Perkrom Tintas Tekrom Profinish

Contr.Ind. Kroma Transp. Ind.e Com.

e Comércio Ind.e Com Repres.e Prod.Quím.

____Ltda____ Ltda Mont.Ltda Ltda___

Perc.de participação 1998 - - 99,99% 99,99%

1997 - - 99,99% 99,99%

b) Movimentação dos investimentos:



Perkrom Tintas Tekrom Profinish

Contr.Ind. Kroma Transp. Ind.e Com.

e Comércio Ind.e Com Repres.e Prod.Quím.

Ltda Ltda Mont.Ltda Ltda Total

Saldos em 31 de dezembro de 1996 8.717.363 2.135.778 456.142 366.013 11.675.296

Ajustes exercícios anteriores 738 (105) - - 633

Adiant. P/aumento de capital - - - 265.400 265.400

Resultado da equiv.patrimonial 737.479 738.338 118.168 (418.297) 1.175.688

Aquisição de quotas minoritários 80 58.653 - - 58.733

Transferência por incorporação (9.455.660) (2.932.664) - - (12.388.324)

Saldos em 31 de dezembro de 1997 - - 574.310 213.116 787.426

Adiant.p/aumento de capital - - - 199.263 199.263

Resultado de equiv.patrimonial - - 110.407 (516.610) (406.203)

Distribuição de lucros - - (284.726) - (284.726)

Provisão p/ajuste de investimento - - - 104.231 104.231

Saldos em 31 de dezembro de 1998 - - 399.991 - - 399.991

c) Saldos e transações com as empresas controladas:

Perkrom Tintas Tekrom Profinish

Contr.Ind. Kroma Transp. Ind.e Com.

e Comércio Ind.e Com Repres.e Prod.Quím.

Ltda Ltda Mont.Ltda Ltda Total

Saldos das contas 1998 a receber - - 71 166.896 166.967

a pagar - - 224.991 - 224.991

1997 a receber - - 280 164.995 165.275

a pagar - - 517.966 - 517.966

Outras informações 1998 vendas - - - 24.565 24.565

custos - - - 18.425 18.425

compras - - 754.799 669.060 1.423.859

1997 vendas 2.612.847 - - - 2.612.847

custos 1.479.362 - - - 1.479.362

compras 398.626 5.236.114 743.421 431.674 6.809.835


As transações de compras e vendas com empresas controladas são realizadas a preços e condições de mercado e considerando-se também a ausência de riscos nessas operações. Em 31 de julho de 1997, a companhia incorporou os ativos e assumiu os passivos das empresas controladas Perkrom Construções, Indústria e Comércio Ltda e Tintas Kroma Indústria e Comércio Ltda.

NOTA 7 – IMOBILIZADO


CONTROLADORA CONSOLIDADO

1998 1997 1998 1997

Terrenos 426.012 426.012 426.012 426.012

Edificações 5.683.610 5.463.248 5.683.610 5.463.248

Instalações 905.178 577.022 905.178 577.022

Máq. e Equipamentos 20.484.727 19.942.590 20.576.939 20.018.975

Outras Imobilizações 2.919.527 3.055.317 3.122.649 3.623.687

30.419.054 29.464.189 30.714.388 30.108.944

Deprec.acumuladas (13.360.822) (11.464.584) (13.567.762) (11.906.896)

17.058.232 17.999.605 17.146.626 18.202.048




NOTA 8 – EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

1998 1997

Curto Longo Curto Longo


prazo prazo prazo prazo

Empréstimos para

Investimentos:

Sujeitos a juros de

6,0% a 12,0% a.a.

mais TJLP ou FAT 2.477.244 1.397.870 2.345.175 3.616.844

Composição dos financiamentos de longo prazo por ano de vencimento:

2000 876.460



  1. 359.063

2002 em diante 162.347

1.397.870


Estes empréstimos estão garantidos por alienação fiduciária, hipoteca e avais.


NOTA 9 – CONCILIAÇÃO ENTRE O LUCRO LÍQUIDO DA CONTROLADORA E


CONSOLIDADO

1998 1997


Lucro líquido da controladora 2.336.854 2.343.710


Valores registrados diretamente nos patrimônios

líquidos das controladas 12.628 (91.699)

Realização de lucros a realizar de exercícios

anteriores em controlada incorporada - (89.715)

Parcela dos lucros das controladas incorporadas

contidas nas quotas adquiridas dos minoritários - 12.299



Lucro líquido do consolidado 2.349.482 2.174.595

NOTA 10 – CAPITAL SOCIAL

  1. Capital social

O capital social integralizado da controladora está representado por 203.000.000 de ações, sem valor nominal, sendo 109.295.200 ações ordinárias e 93.704.800 preferenciais.

As ações preferenciais tem prioridade na percepção de um dividendo anual não cumulativo de 6% sobre o quociente resultante da divisão do montante do capital social pelo número de ações emitidas.

Aos acionistas é garantido um dividendo mínimo obrigatório de 25% do lucro líquido ajustado do exercício, calculado de acordo com a Lei das Sociedades por Ações (Lei 6.404/76).


  1. Reserva legal

É constituída mediante a apropriação de 5% do lucro líquido do exercício social, até o montante correspondente a 20% do capital social, em conformidade com o artigo 193 da Lei nº 6.404/76.


  1. Dividendos

Os dividendos foram calculados como segue:

Lucro líquido do exercício

2.336.854

Valor destinado p/constituição reserva legal

(116.842)

Base de cálculo dos dividendos

2.220.012

Percentual utilizado

25,22%

Dividendos propostos para ações preferenciais




(a razão de R$ 5,975 por lote de mil ações)

559.886

d)Lucros acumulados

A parcela de R$ 1.666.126 remanescente do lucro líquido do exercício de 1998, retida em lucros acumulados, esta à disposição da Assembléia Geral dos Acionistas para ser destinada, conforme previsto no orçamento estratégico da empresa, a suprir recursos para as necessidades de capital de giro face ao crescimento previsto nas vendas e a investimentos futuros em máquinas e equipamentos dentro de sua política financeira de operar preferencialmente com recursos próprios.
NOTA 11 - INSTRUMENTOS FINANCEIROS

As características operacionais e estrutura patrimonial, colocam a empresa em um ambiente onde o risco de mercado é pequeno. Em função desta condição a administração não se utiliza de forma expressiva dos diversos instrumentos financeiros, entre eles os denominados derivativos, para proteção dos riscos de mercado. As aplicações efetuadas referem-se a swaps com taxa equivalente ao Certificado de Depósito Interbancário – CDI, considerado como valor de mercado, não representando diferença em relação aos valores contábeis atualizados até a data do balanço. O valor contábil de aplicações financeiras com contrato de swap em 31 de dezembro de 1998 é de R$ 3.548.751.

Com relação aos demais instrumentos financeiros, a empresa adotou os seguintes procedimentos:

.Aplicações financeiras e demais itens de ativos e passivos circulantes - os valores representam de forma adequada os seus correspondentes valores de mercado.

.Exigibilidades a longo prazo - formados por recursos obtidos, principalmente, de repasses de contratos FINAME, dentro de condições normais de mercado, a taxas de juros vigentes a época. A empresa entende que os valores contábeis estão próximos dos seus respectivos valores de mercado.

NOTA 12 - SEGUROS

Os valores são determinados e contratados em bases técnicas que se estimam suficientes para cobertura de eventuais perdas decorrentes de sinistros com bens do ativo permanente e estoques.



NOTA 13 – ADEQUAÇÃO DE SISTEMAS ELETRÔNICOS

A companhia vem trabalhando nos seus sistemas e processos de negócio, objetivando o correto processamento das datas posteriores ao ano de 1999, tendo como responsável a Diretoria Financeira e de Relações com o Mercado. Todos os sistemas desenvolvidos pela empresa já estão devidamente adaptados ao "Bug do Milênio", e a estrutura de informática da companhia vem sendo renovada nos últimos anos, portando os equipamentos adquiridos nesse período estão adequados para o ano 2000, facilitando e/ou minimizando os investimentos em hardware para a solução desse problema. Para 1999 estamos adquirindo novos software de folha de pagamento e ativo permanente, que deverão estar totalmente implantados até 30 de junho de 1999. Podemos garantir que atingiremos nosso objetivo mútuo de conduzir nossos negócios ininterruptamente, à medida que datas do ano 2000 e posteriores comecem a entrar em nossos processos.


NOTA 14 – EVENTOS SUBSEQÜENTES

Como é de conhecimento público, entre os dias 13 e 15 de janeiro de 1999 o Banco Central do Brasil alterou a política cambial extinguindo a denominada banda cambial pela qual administrava a margem de flutuação do real em relação ao dólar norte-americano, deixando ao mercado a livre negociação da taxa do câmbio. Como conseqüência dessa mudança, o real acumulou, nos primeiros sessenta dias de 1999, uma desvalorização de, aproximadamente, 68% em relação ao dólar norte-americano comparada à cotação de 31 de dezembro de 1998. Neste momento ainda não é possível estimar os efeitos desse evento na situação patrimonial e financeira da companhia, no resultado de suas operações e nas origens e aplicações de recursos, tão pouco determinar se as taxas cambiais permanecerão nesse patamar.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal