Contribuição do Coletivo Construindo a Conlute/História ao IV congresso Estudantil da uff



Baixar 8.98 Kb.
Encontro18.07.2016
Tamanho8.98 Kb.
Contribuição do Coletivo Construindo a Conlute/História

ao IV Congresso Estudantil da UFF
Unir os Estudantes para derrotar o governo e a UNE
O movimento estudantil combativo terá enormes desafios pela frente e somente com a construção de uma nova direção alternativa à UNE pelega e governista, poderemos alcançar a vitória.

A prova disso são as sucessivas derrotas que a esquerda vem sofrendo dentro dos fóruns da UNE. Isto se deve a fato de que o processo de burocratização desta entidade deu um salto de qualidade ao se bandear para o lado do governo, utilizando-se de todo o aparato de Estado para travar a disputa no movimento e passando por cima de todos os princípios democráticos, pois defender o governo Lula, torna-se uma necessidade imperativa, diante da qual todos os métodos e políticas são válidos, para manter os privilégios desta camarilha, que recebe 1 milhão de reais de mensalão. Passou a fazer acordos com o empresariado, com sua participação no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) e é co-autora do atual projeto de Reforma Universitária, que já tramita no Congresso Nacional e contra o qual devemos nos armar, com o fim de impedir a sua aprovação.

A Esquerda da UNE, na sua insistência na tese de disputa da UNE, amargou tristes derrotas, contribuindo apenas para a legitimação dos espaços desta entidade. No CONUNE de 2005, o apoio à Reforma Universitária do governo Lula e do FMI foi reafirmado. Se o PSOL não tivesse participado, aquele seria um Congresso composto pelos governistas e pela oposição de direita. Sabendo que o PSOL dá um verniz de esquerda à UNE, com sua permanência, e para vender a ilusão de aquela é uma entidade de frente única, aberta à participação democrática de todos, o PCdoB/UJS, Direção Majoritária da UNE, ampliou o número de cargos na Executiva, como tentativa de cooptar os companheiros. Depois disso, tivemos o CONEB, de abril desse ano, que aprovou o apoio à Reforma e o “funil” que é a diminuição do número de delgados do Congresso da UNE e a sentença de morte em qualquer pretensão da esquerda de disputar os rumos daquela entidade.

Aqui na UFF, a UNE foi contra a greve estudantil que conquistou aumento das bolsas e manutenção do preço do bandejão; foi contra o boicote ao ENADE, método de avaliação autoritário e a serviço da privatização, repeteco do antigo Provão de FHC; apoiou a chapa da atual Reitoria, que manda a PM entrar no campus para reprimir estudantes e que reprimiu violentamente trabalhadores e estudantes grevistas ano passado.

Nesse sentido, o ENE deliberou pelo lançamento de uma campanha por uma entidade nacional estudantil. Afirmamos, categoricamente, que esta nova entidade nacional pode ser a CONLUTE ou não, mas que a CONLUTE é um importante ponto de apoio para as lutas estudantis e um pólo impulsionador desse processo de construção de uma nova alternativa, sendo fundamental fortalecer esta ferramenta, filiando o DCE-UFF à CONLUTE. A CONLUTE é uma coordenação de entidades, aberta, da qual podem fazer parte entidades que estão dentro e fora da UNE, sendo deliberação do seu II Encontro a discussão da ruptura com a UNE na base, através de fóruns como o plebiscito que foi aprovado no Conselho de DA´s para debater a relação do DCE com a UNE, perguntando se a UNE nos representa ou não.

A participação do DCE-UFF, com direito a VOZ e VOTO, em todos os espaços alternativos à UNE é uma forma de construir o diálogo como os setores da Esquerda da UNE e demais setores que ainda não romperam, a partir da experiência concreta na militância conjunta e no debate político e programático, atuando tanto dentro da CONLUTE quanto do Fórum de Executivas, integrando, apoiando e impulsionado estes que são os dois fóruns que coordenaram o boicote ao ENADE e que organizam a luta contra a Reforma Universitária, sendo que, no caso do Fórum de Executivas, por sua natureza, o DCE não tem como participar diretamente, o que é possível no caso da CONLUTE, que é composta por Executivas de Curso, DCE´s, CA´s, DA´s, Grêmios e quaisquer outros tipos de fóruns e entidades estudantis.



Isso nos possibilitaria avançar rumo à construção ampla e democrática de um vitorioso Congresso Nacional de Estudantes, no segundo semestre de 2007, que funde uma nova alternativa, independente de governos e do Estado, com um caráter combativo e de massas, a exemplo do que se deu no CONAT.

Também é fundamental que se aprofunde o debate iniciado durante a greve e que se intensificou com o processo de construção do CONAT na UFF e a eleição de uma delegação do DCE para aquele fórum, afirmando um movimento estudantil com corte classista, aliando estudantes e trabalhadores na luta por uma universidade aberta, de massas e democrática, e uma sociedade mais justa e igualitária. Sendo assim, para fortalecer o movimento estudantil da UFF e reafirmar o conteúdo classista que se imprimiu na atual gestão do DCE-UFF e as lutas do movimento social e da esquerda socialista em Niterói e no estado do RJ, deve a nossa entidade se filiar à CONLUTAS, assim como fez a CONLUTE no ENE, e participar da Coordenação Estadual da CONLUTAS-RJ.


Assinam:
Rafael Alves Rossi – História- matrícula: 20302139-4

Daniel Tomazine Teixeira – História- matrícula: 20402126-2


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal