Cultura africana e igualdade entre raçAS: aproximando da realidade do aluno



Baixar 4.92 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho4.92 Kb.
CULTURA AFRICANA E IGUALDADE ENTRE RAÇAS: APROXIMANDO DA REALIDADE DO ALUNO
Autora: Gisele de Freitas Fagundes Wommer

Escola Municipal de Ensino Fundamental Dinah Néri Pereira



e-mail: giselewommer@hotmail.com
Durante a semana da abolição da escravatura este ano, desenvolvi uma série de atividades com meus alunos, turma do 2º ano da escola Municipal de Ensino Fundamental Dinah Néri Pereira. O projeto desenvolvido englobou diversas atividades distintas que incentivaram o conhecimento à cultura africana e principalmente à igualdade racial e o respeito ao próximo, para um melhor convívio com as diferenças. O trabalho realizado foi inspirado no livro infantil “O cabelo de Lelê”, da escritora Valéria Belém. No início da semana de atividades os alunos ouviram uma história intitulada “Menino de ouro, menina de prata”, um conto popular africano, depois localizaram a África e o Brasil no mapa, ouviram mais sobre a cultura dos negros e confeccionaram máscaras de tribos africanas. Na próxima aula foram exibidos vídeos tratando do tempo da escravidão com histórias de marionetes. Além de entenderem melhor a história dos negros, os alunos sentiram pena deste povo e entenderam que todos devem ser tratados na mesma maneira e que em seu dia a dia não há diferenças entre raças. Uma das atividades mais divertidas foi realizada no dia em que foi trabalhado o livro “O cabelo de Lelê”. Previamente combinado com as mães, os alunos compareceram à aula com algum tipo de penteado diferente. Foi realizada uma conversa em que eles se olharam, falaram sobre o seu cabelo e entenderam que as diferenças físicas não devem influenciar em suas vidas. Depois foi contada a história que trata de uma menina que não gostava de seu cabelo afro e depois de fazer uma pesquisa e entender a sua origem passou a se aceitar. Os alunos desfilaram na sala mostrando seu penteado e entenderam que assim como no livro são diferentes entre si, mas devem se aceitar e se tratar como iguais. Para a culminância do projeto os alunos foram à cozinha e fizeram broas de milho, receita de origem africana, e se deliciaram na hora da merenda. Foi uma semana muito produtiva em que os alunos aprenderam sobre escravidão e cultura afro e a conviver melhor com as diferenças através de uma maneira lúdica em que eles participaram do processo de ensino.

Palavras-chave: diferenças – escravidão – cultura.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal