Curso básico para dirigentes de aventureiros curso de 10 horas



Baixar 0.55 Mb.
Página9/9
Encontro29.07.2016
Tamanho0.55 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9

Exceto onde definidos diferentemente, todos os livros são da Casa Publicadora, estando a disposição do SELS. Os demais através de contato com a Editora.



  1. MATERIAL DE APOIO PARA OS CLUBES DE AVENTUREIROS


Dicas e Atualizações



  1. Diretoria

Podem ser membros da diretoria somente os membros batizados na IASD.

Conselheiros, somente membros batizados.

Quando alguém é eleito pela igreja para dirigir o clube ele(a) é nomeado(a), Diretor(a) do clube o ideal é que o diretor(a) e seus associados sejam investidos como lideres de aventureiros. Para receber o lenço de líder e os distintivos de classes, é necessário fazer o curso de 10 horas promovido pelo departamento e o cartão de líder.

Aqueles que já possuem o lenço deverão cumprir os requisitos dos cartões de classes. Sem cumprir esses requisitos, o líder não está autorizado a colocar em seu uniforme os distintivos das classes.




  1. Cerimônias de admissão e investidura

Com aventureiros as coisas são totalmente simplificadas. Os menores não têm noção de conjuração e compromisso. E feita uma cerimônia infantil, sem conjuração.

O coordenador de área dos aventureiros deverá coordenar as cerimônias devidamente autorizadas pelo campo.

Queremos fortalecer a estrutura dos clubes de aventureiros neste ano de 2008. Os aventureiros precisam de mais apoio e da formação de uma equipe de coordenação de área (regionais) para darem suporte aos clubes. Fortalecer o Clube é investir no progresso da liderança das diferentes áreas da igreja.
I- A cerimônia de admissão ou cerimônia de lenço, pode ser dirigida pelo pastor distrital ou mesmo até pela direção do clube. Cerimônia de admissão é quando você está recebendo em lenço as crianças que estão entrando no clube. Esta cerimônia deve ser realizada no máximo duas vezes ao ano: abril ou maio, e outra no dias dos aventureiros. Na cerimônia de admissão a criança precisa saber de cor o voto e a lei e estar com o uniforme oficial.
II - Investidura de classes e especialidades algum líder investido ou até mesmo o pastor poderá realizar a cerimônia na ausência de um coordenador de área.
III - A cerimônia de investidura de líder é feita pelo departamento da Associação ou Missão, após a conclusão das classes de líder, apresentando juntamente uma apostila onde estão todos os requisitos do cartão e recomendação da comissão da igreja. O diretor (a) que não tenha cumprido os requisitos das classes e o cartão de líder deve usar o lenço de aventureiros, não o de líder. Pode ser diretor (a) sem ser líder.
3- Viagens e acampamentos

Deve ser aprovado pela comissão da igreja;

Não conflitar com nenhum evento oficial da igreja;

Ter alguém da diretoria junto;

Autorização dos pais;

Alugar um excelente ônibus ou vans, ou besta etc..

Fazer seguro de viagem.
4- Tesouraria

Caixa dois é ilícito, não aprovado pela igreja local e associação.

Todo o dinheiro deve ser no caixa da igreja. O tesoureiro da igreja ou a igreja não pode usar o dinheiro do clube sem autorização do mesmo.

Prestação de contas bimestralmente ou trimestralmente aos pais.

Cobrar uma taxa mensal dos aventureiros.

Desde o inicio do ano, fazer uma previsão para o aventuri ou olimpíadas.


5- Idéias de projetos comunitários

a) Arrecadação de alimentos e distribuição de cestas básicas;

b) Campanha do agasalho;

c) Passeatas de saúde;

d) Plantio de arvores;

e) Palestras para os pais de uma determinada comunidade;

f) Conscientização da população – (entrega de folhetos com dicas sobre economia de água, luz, cuidados no transito, cuidados com a saúde, dengue e outros) o material a prefeitura fornece.
6- Idéias e projetos missionários

a) Homenagem no dia das mães, pais, crianças, avós e pastor;

b) Participar no programa de semana santa

c) Visitam a hospitais, creches, escolas, orfanatos, APAE, escolas de cegos, etc...

d) Homenagem a profissionais como: médicos, dentistas, professores, bombeiros, policiais...
7- Modelo: Reunião com pais dos aventureiros

Tema... A saúde de seus filhos

Horário: Atividade

9 ou 15 Momento de companheirismo - Confraternização

Diretoria do clube

9:15 ou 15:15 Agenda do clube – Rever o calendário do ultimo mês- calendário projetado de eventos – rever o currículo dos aventureiros


9:45 ou 15:45 Palestra sobre um tema - Orador convidado

10 ou 14 Perguntas e respostas

Oração e despedida.

Assuntos Sugestivos Para a Reunião Com os Pais

Envie cartas aos pais de apoio e agradecimento por manterem seus filhos no clube;

Compreendendo seus filhos;

Como desenvolver uma família unida;

Ensinando o comportamento moral;

Não pode seguir sozinho - Precisa de ajuda;

Significado de ser um pai ou uma mãe;

Apoiando a educação de meu filho;

Metas da família;

Educação anti-drogas;

Bebidas alcoólicas;

Educação sexual;

Abuso de crianças.


  1. O QUE TODA CRIANÇA NECESSITA PARA CRESCER MENTALMENTE SADIA


Tradução de Malvina Rosat e Mercedes Marchant

ACEITAÇÃO

Toda criança necessita saber

...que seus pais a querem tal como é.

...que é sempre querida – e não somente quando se porta como os adultos desejam.

...que eles sempre a aceitam e a querem, mesmo quando não estão de acordo com as coisas que, às vezes faz.

...que eles a deixarão desenvolver-se de acordo com a sua própria natureza.


SEGURANÇA

Toda criança necessita saber

...que tem um lar onde se sente segura e confiante.

...que seus pais sempre estarão dispostos a ajuda-la, principalmente.

...que faz parte de sua família e de seu grupo onde sempre tem o seu lugar.
INDEPENDÊNCIA

Toda criança necessita saber

...que seus pais desejam seu crescimento integral e que aprenda a enfrentar novas experiências.

...que confiam nela e em sua capacidade para tornar-se independente.


Toda criança necessita

...saber um código de calores morais para orientar a sua vida.

...ter fé nos valores humanos, crê na bondade, na coragem, na honestidade, na generosidade e na justiça do homens.

...crer na existência de Deus e na sua proteção.
ORIENTAÇÃO

Toda criança necessita saber

...a direção para aprender a se portar em relação às pessoas e as coisas do mundo em que vivem.

...reconhecer um bom exemplo de adultos que a ensinem a conviver com o próximo.


CONTROLE

Toda criança necessita saber

...que há limites para o que lhe é permitido fazer e que seus pais insistirão em que aprenda a agir dentro desses limites.

...que embora seja natural que, às vezes sinta ciúme e agressividade, não lhe será permitido que esses sentimentos a levem a agir em prejuízo próprio ou dos demais.

As crianças cujas necessidades emocionais básicas tenham sido satisfeitas terão maior probabilidade de crescer mentalmente sadias. Serão bons pais, bons companheiros, bons operários, bons vizinhos, bons cidadãos.
Nota: Com autorização do The National Association for Mental Health, Inc. 10 Columbus Circle, New York 19, New York.


  1. Como contar histórias

 Passe segurança! Não se desculpe ao começar, nem em palavras nem com uma expressão corporal encurvada.

 Conte em suas próprias palavras. Deixe a imaginação funcionar - isto é o que cria mágica e não malabarismos da memória.

 Se der branco, continue. Não faça caretas, não chingue nem desculpe-se. Continue descrevendo detalhes de cores, locais.. isto estimula a imaginação e ajuda a memória. Ou então faça uma pausa, olhando todos nos olhos, como para levantar suspense (não olhe para o chão). Improvise!

 Mantenha as histórias até 10 minutos de extensão. Ensaie e cronometre.

 A introdução é crucial. "Você vai ganhar ou perder nos 3 primeiros minutos dependendo de como você começa".


Você tem que criar sua "audiência no grupo de crianças, cada uma com seus próprios pensamentos e focos de atenção, antes que você possa começar a contar uma história para elas. Deve haver, na introdução, o indício de que coisas excitantes irão acontecer, incitando a curiosidade, unindo as crianças em antecipação. Não dê tudo na introdução. Sempre mantenha um certo nível de mistério, antecipação e surpresa durante toda a história.

 Nós adultos tendemos a subestimar a capacidade das crianças de imaginar e fantasiar, e assim, muitas vezes fazemos muitos esforços para explicar ou justificar o "cenário" ou explicar tudo com detalhes. Na verdade o que atrai as crianças é a possibilidade de entender os aspectos implausíveis da história depois; o que é ótimo, você tem a atenção delas e elas ficarão pensando no que você disse.

 Para contar histórias você precisa de um pouco de habilidade em vendas, sinceridade (não tente fingir alegria, tristeza, etc.. seja verdadeiro!), entusiasmo verdadeiro (não ser barulhento ou artificial), animação (em gestos, voz, expressão facial) e mais importante, ser você mesmo.

 Nós queremos que a mensagem chegue clara e bem definida. Nosso objetivo é comunicar as verdades da Bíblia de uma maneira pessoal e com uma aplicação clara. Seja qual for a maneira que você conte a história, tenha certeza de ser objetivo! Não assuma que as crianças vão entender. Torne a história o mais real possível. Barret diz para não "contar a história de uma maneira cansada ou mal resumida. Pule dentro da narrativa, com a mesma intensidade que os fatos... escolha UM ponto e conte-o como se fosse a notícia mais interessante do mundo".

 Mantenha simples e direto

 Uma vez terminada a história, não fique divagando e corrigindo. Deixe os pensamentos das crianças presos no ponto da história, na mensagem central dela.

 Quanto mais você praticar, melhores ficarão as suas técnicas. Teste diferentes métodos, seja criativo. Você sempre aprende de suas próprias experiências. Não seja extremamente tímido ou preocupado "com o que os outros irão dizer se..." Não tenha medo de ser um palhaço ou fazer papel de bobo para Cristo e para as crianças. Humildade, amor e oração são elementos importantes para contar histórias, juntamente com criatividade e inovação. As crianças pegam muito mais do que a história de você; elas percebem o seu entusiasmo pessoal com a mensagem. Elas precisam ver que você foi tocado pela Palavra. Prepare o seu coração enquanto prepara a história.

 Tenha certeza de colocar algum drama, suspense na história. Deve haver uma situação que dirija ao clímax e ao final da história. O conflito pode ser introduzido imediatamente ou aos poucos para aumentar o suspense e a intriga. Tente levar os ouvintes a se preocupar junto com os personagens e se envolver com o que acontece.

 O professor deve estudar a lição muito bem. Você precisa saber muita coisa para poder ensinar um pouquinho.

 Crianças aprendem com seus sentidos. Elas adoram sentir, cheirar, tocar, escutar e ver. Descreva personagens e locais vividamente, ajudando-os a solidarizar-se com os personagens.

 Numa audiência mista, tente colocar a história ao nível do mais novo.

Características de uma boa história: Tema único e bem definido / Enredo bem desenvolvido / Estilo: imagens vívidas, sons e ritmo agradáveis / Caracterização / Coerente com a fonte / Apelo dramático / Apropriado / adequado aos ouvintes

Contar histórias - Métodos

Ao escolher um método, comece por analisar a história e qual o seu objetivo. Em geral use:


Narração: quando a história tem um enredo simples e elementos familiares.
Participação ou cantos: quando você tem partes que se repetem frequentemente e/ou frases engraçadas
Material visual: quando a história for complicada ou contiver elementos desconhecidos.
Histórias caracterizadas: teatro, fantasias ou um único boneco. Quando o envolvimento ou o teatro ajudam a enfatizar a mensagem da história ou para facilitar a expressão de sentimentos e pensamentos interiores.
Dramatização: quando se quer ilustrar uma aplicação da mensagem ou se tem muitos personagens de igual importância.

Outras possibilidades são:

 Ler a história diretamente para as crianças. Ao se preparar leia a história diversas vezes e pelo menos uma vez em voz alta. Ao ler para as crianças seja tão animado como se estivesse contando-a; leia devagar e olhe nos olhos das crianças.

 "Vamos fazer de conta" muito bom para explorar atos e suas conseqüências

 Contar uma experiência; algo que aconteceu a você, e de preferência que não te coloque como um "bom" exemplo.

 Discussão / perguntas e repostas Para crianças mais velhas; lembre-se que uma história bíblica não é uma palestra.

Métodos Envolventes:

 História participativa. Como quando um mágico usa alguém da platéia (crianças guardam 60% do que fazem, 30% do que vêem e apenas 10% do que escutam).

 Coros, cantos e histórias com eco. O professor combina com as crianças uma frase ou atitude a qual elas devem responder com uma palavra ou gesto específico. Ou faça com que as crianças criem os efeitos sonoros de acordo com a história sempre que você indicar. É impressionante a quantidade de coisas que eles memorizam assim.

 Pantomima: É especialmente eficaz com grupos pequenos de crianças menores, em que eles "participam" na história ao representar.

 Teatralizando: apos contar rápida e resumidamente a história deixe as crianças se tornarem os personagens.

 Jogo de personificação: cada criança assume um personagem e deve reagir as situações que você apresenta.



Métodos visuais:

 Histórias em seqüência: à medida que a história evolui, use uma série de figuras para ilustrá-la. Livros de colorir são boas fontes de material; Cuidado com: temporização (para que as figuras não sejam apresentadas antes do fato), controle o interesse do grupo e não distraia a atenção deles dos pontos importantes.

 Quadros de Figuras ou palavras: A chave aqui é o elemento surpresa (o que será acrescentado depois?).

 Figuras misteriosas: à medida que a história é contada vá desenhando uma série de linhas e formas sem sentido até que as linhas se formem objetos reconhecidos que dão ênfase a partes da história. (Simplifique o trabalho fazendo os traços a lápis, bem claros, antes. Certifique-se que o quadro e o desenho são grandes o suficiente para ser vistos por todos. Falar e desenhar ao mesmo tempo é mais complicado que parece; conheça bem a história e pratique antes).

 Acrósticos: podem ser usados durante a lição preenchendo com as palavras no correr da história. (ex. escreva JESUS no quadro; à medida que a história continua escreva: José no J de Jesus, Esteve no E de Jesus, etc...

 Flanelógrafo: Muito útil se a seqüência, movimento e relacionamentos são importantes para a história.

Métodos visuais são especialmente importantes se objetos desconhecidos são parte da história. As vezes é melhor apresentar os objetos antes da história para evitar confusão durante a narrativa.
Outros métodos visuais incluem modelagem, dobraduras, quadros de giz, mapas...

Métodos dramáticos
Ao contar uma história, lembre-se que suas expressões faciais e gestos são tão importantes como o tom e o som da sua voz. Aprenda a exagerar emoções, desenvolva diferentes vozes e personalidades, conte histórias em "bumerangue", isto é você dialoga com você mesmo.

 História narrativa. O professor assume a postura de observador / testemunha, até as vezes usando uma fantasia. Ajude as crianças a "estar lá" com você, ver através dos seus olhos.

 Esquetes ou quadros vivos. A história toda ou partes são encenadas.

 Entrevista: onde o professor entrevista um personagem convidado (requer 2 pessoas ou você e 1 boneco)



Bonecos e fantoches. Existem diversos tipos de fantoches. Os mais simples podem ser feitos a partir de uma meia ou saco de papel ou simplesmente recortando silhuetas e colando-as a palitos de picolé.
Cada fantoche deve ter uma personalidade clara (ex. nervoso, tímido, orgulhoso.) e também uma voz que não devem mudar durante a história.
Não use fantoches apenas para narrar a história, Converse com o boneco ou faça com que atuem.
Tome cuidado ao usar fantoches em um teatro, para que eles não caiam da cena, a medida que seus braços cansem e para que sua voz alcance a platéia. Cuidado com movimentos fora de sincronia, diálogos muito complexos e excesso de objetos e cenários. Mantenha contato visual (olhar) entre os fantoches e entre fantoches e crianças.

Cuidados gerais:
Atente para moralização: Nós estamos tentando comunicar o amor de Deus para pecadores e não morais ou "faças" e "não faças". Não confunda o evangelho com a sabedoria da idade ou conselhos paternais.
Atente para possíveis erros de interpretação dos objetivos da lição. Cuide para não pegar as histórias literalmente ou carregá-las com outras conotações em detrimento da mensagem.

Traduzido e adaptado de "Principles of Story Telling": http://www.seanet.com/~eldrbarry/mous/strytl/ © 1996 Barry McWilliams - (Permission is granted to reproduce this page for non-commercial usage)






  1. Certificado de Leitura

Deve ser conquistado em cada classe, através da leitura do livro do ano dos aventureiros. Para conhecer o livro oficial, para procure a coordenação dos Aventureiros em sua Associação/ Missão.

Nada impede que a experiência da leitura seja compartilhada com os pais. Os pais podem inclusive, ler com as crianças, isso pode mostra-lhes como a leitura se torna fácil e natural, à medida que praticamos.

Não leia para as crianças se ela já pode fazer isso. Isso equivale a “dar comida na boca” de quem já pode (e deve) comer sozinho. Cria dependência mais tarde.

Ao ler com a criança é obrigatório deixar que ela manuseie o material de leitura. Vendo diante de si o livro, “adivinhando” parte da informação e confirmando suas tentativas com a leitura do adulto. Ela vai se tornar um exímio (e interessado) leitor.

O adulto deveria fazer leituras “personalizadas” com a criança. Crie vozes, timbres, sotaques, ruídos e movimentos, de cor, cheiro e sabor ao texto. Faça pausas e comentários que ajudem a compreender a simpatizar e colocar-se no, lugar de personagens. Divida a leitura em partes. Crie expectativa para o desfecho que uma situação da história poderá ter.

Evidentemente, para obter o máximo de benefício com a leitura, o adulto deverá ler e planejar sua “interpretação” do livro antes. É impossível para a maioria de nós, pessoas comuns, tornarmos a leitura “a primeira vista” tão interessante como deveria (ou poderia). Prepare-se, para ter sucesso.



Alguns pais se encantam com esta atividade a ponto de torná-la uma parte de seu relacionamento com os filhos. (sábios pais, esses...) tornam-se consumidores habituais de boa literatura infantil.


  1. MATERIAL DE APOIO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS CLASSES


ABELHINHAS

  • Caixa de materiais

  • Quebra-cabeça (voto e lei)

  • Leitura de livros bíblicos e resumo sobre a história




Meu Deus

  • História sanfonada

  • Especialidade - Bíblia 1

  • Bíblia infantil

  • Bíblia de EVA com os nomes dos evangelhos e a divisão da bíblia

  • Flanelogravuras - (Zaqueu, Lázaro e Paulo).

  • Bíblia de caixa de fósforo com versículos do livro de Gênesis

  • outros como incentivo a leitura da bíblia (vidro com pedrinhas)

  • Caderno de Oração




Meu Eu

  • Especialidade - Especialista em Saúde I

  • Jogos dos sentimentos (fantoches de vara)

Convidar um dentista para palestrar sobre higiene bucal.

  • Banquete explicando os grupos alimentares





Minha Família


  • Mural com fotografias dos membros da família

  • Móbile com sentimentos sobre a família

  • Especialidade - Especialista em Segurança

Convidar um bombeiro ou outro profissional para falar sobre segurança.

  • Conseguir vídeos sobre furacão, terremotos, raios, trovões e inundações.



Meu Mundo


  • Utilizar fantoches para falar sobre a amizade

  • Convidar pessoas da igreja para falar sobre seu trabalho

  • Especialidade - Amigos dos Animais



LUMINARES


  • Caixa de materiais

  • Quebra-cabeça e Dado(voto e lei)

  • Leitura do livro sobre a natureza e resumo sobre a história

  • Mural: “Porque eu gosto do Clube de Aventureiros”





Meu Deus

  • História sanfonada

  • Confeccionar um cartão e ofertar a um amigo (Sobre o amor de Jesus)

  • Bíblia de EVA com os nomes dos evangelhos e a divisão da bíblia

  • Bíblia de caixa de fósforo para ajudar a decorar os versículos

  • (incentivo de leitura da Bíblia: vidro com pedrinhas)



Meu Eu

  • Especialidade - Amigo de Jesus

  • Incentivar as crianças a testemunharem, preparar um devocional para apresentar no clube.

  • Dia do Amigo: Convidar um amigo para passar o dia com você

    • Projeto Missionário; Explicar os elementos básicos da oração;participar de um batismo e entrevistar um Pastor sobre a importância do batismo

  • Testemunho e entrevista incentivando o relacionamento pessoal com Deus; Caderno da oração

  • Especialidade - Cultura Física

  • Árvore Genealógica e mural de fotos da infância

  • Fantoches de varas (rostos: feliz e triste)



Minha Família

  • Utilizar fantoches para representar os membros da família.

  • Fazer móbiles com sentimentos que devem estar presentes na família e confeccionar cartõezinhos para presentear os membros da família

  • Especialidade - Segurança nas Estradas

  • Placas de trânsito e convidar um guarda de trânsito para falar sobre regras de segurança



Meu Mundo

  • Especialidade - Cortesia

  • Coleção Boas Maneiras, demonstrar boas maneiras á mesa (utensílios de brinquedo)

  • Trabalhar com sucatas ao demonstrar boas maneiras ao atender o telefone

  • Chaves da Cortesia

  • Projeto Comunitário (arrecadação e doação de produtos para asilos, orfanatos, etc.)

  • Especialidade - Amigo da Natureza

  • Plantar uma árvore e visitar um parque ambiental.


EDIFICADORES

  • Caixa de materiais

  • Quebra-cabeça (voto e lei)

  • Leitura do livro sobre a natureza e resumo sobre a história



Meu Deus

  • História sanfonada

  • Especialidade - Bíblia II

  • Bíblia de EVA com os nomes dos evangelhos e a divisão da bíblia

  • Flanelogravuras - Davi e Jonatas; Abraão e Isaque; Noé e o Dilúvio; o chamado de Samuel.

  • Bíblia de caixa de fósforo com versículos do livro de Gênesis e outros, como incentivo de leitura da bíblia (vidro com pedrinhas)

  • Caderno de Oração


Meu Eu

  • Especialidade - Crítico de midia

  • Especialidade - Temperança

  • Convidar algum membro da igreja para dar uma palestra sobre as drogas, temperança, tabaco e bebida.

  • Fazer um cartaz contra o fumo, drogas e álcool para apresentar na unidade.


Minha Família

  • Montar um álbum sobre a sua família e duas famílias da bíblia

  • Especialidade - Sábio Mordomo

  • Convidar o diretor de mordomia para uma palestra


Meu Mundo

  • Fazer um presente para levar a um idoso

  • Fazer uma bandeira Brasileira em uma cartolina e explicar cada cor para todo o clube.

  • Especialidade - Flores

  • Faça uma caminhada por perto da reunião do clube e procure 10 tipos diferentes de flores para colar no livro.


MÃOS AJUDADORAS


  • Caixa de materiais

  • Quebra-cabeça e dado (voto e lei)

  • Leitura do livro sobre Missões e resumo sobre a história




Meu Deus

  • História sanfonada

  • Bíblia de EVA com flanelogravuras - Noé, Abraão

  • Incentivo de Leitura da Bíblia (vidro com pedrinhas)

  • Bíblia de caixa de fósforos com os livros do antigo testamento

  • Caderno de Oração - Pedidos de Oração

  • Especialidade - Jardineiro

  • Visitar um jardim e entrevistar um jardineiro




Meu Eu

  • Especialidade - Higiene

Convidar um dentista para falar sobre higiene bucal (pode combinar com a classe de Abelhinhas Laboriosas, já que este requisito faz parte de sua especialidade)




Minha Família

  • Confeccionar um álbum com fotografias de sua família

  • Planejar um programa em família

  • Especialidade - Excursionista Pedestre Fazer uma caminhada com a unidade


Meu Mundo

  • Especialidade - Amigo Atencioso

  • Entrevistar um amigo e oferta-lhe um cartão

  • Projeto Comunitário (Visitar um asilo); Escrever uma carta a um estrangeiro

  • Especialidade - Ecologista

  • Visitar um viveiro ou loja de animais

  • Projeto Ambiental



  1. QUADRO DOS OBJETIVOS DAS CLASSES



TRILHA


COMPONENTES PRINCIPAIS

OBJETIVOS

BÁSICA


1.Responsabilidade

Saber: o significado e o propósito do Voto e da Lei do Aventureiro;

Sentir: senso de determinação para tornar o Voto e a Lei parte de sua vida;

Agir: para viver por estes princípios;




2. Reforço

Saber: e compreender mais sobre Deus, sobre si mesmas, suas famílias e seu mundo;

Sentir: o valor e o prazer da leitura;

Agir: usando livros para conhecimento e prazer;

MEU DEUS





1. Seu plano para me salvar

Saber: toda a extensão do plano de salvação de Deus e como experimentar pessoalmente esse dom;

Sentir: a certeza do amor de Deus e salvação, que produz louvor alegre e uma firme determinação de viver por Ele;

Agir:aceitando o dom do perdão de Cristo Jesus e a nova vida.




2. Sua mensagem para mim

Saber: como aprender do amor de Deus e Seu plano para nós, através da história e da Bíblia;

Sentir: o desejo e a segurança de se aproximar de Deus através do estudo da Bíblia;

Agir: estudando a Bíblia regularmente, com mais facilidade e compreensão.




3. Seu poder em minha vida

Saber: como desenvolver um relacionamento crescente com Deus;

Sentir: a alegria que vem de viver por Ele, e uma determinação em perseverar;

Agir: passando algum tempo em meditação com Deus e se tornando mais semelhante a Ele cada dia;

MEU EU





1. Sou especial

Saber: que Deus criou cada pessoa de uma maneira especial, para um propósito especial;

Sentir:a certeza de seu valor próprio como filhos e coobreiros de Deus;

Agir: ao descobrir alguns de seus pontos fortes especiais, lutar para melhorá-los, reconhecendo suas fraquezas e lutando para mudar;




2. Posso fazer escolhas sábias

Saber: os princípios básicos de como tomar decisões sábias;

Sentir: o valor de determinar sua própria felicidade e sucesso através de sábias decisões e escolhas em Cristo;

Agir: usando exercícios de tomada de decisões, para fazer escolhas na vida diária;




3. Posso cuidar do meu corpo

Saber: as orientações de Deus para um corpo saudável e feliz e porque tais orientações são necessárias;

Sentir: a importância e valor da boa saúde;

Agir: escolhendo seguir os princípios básicos de saúde, para formar bons hábitos em forma permanente;

MINHA FAMÍLIA




1. Tenho uma família

Saber: que Deus criou cada família por uma razão especial e que cada membro tem uma parte a desempenhar;

Sentir: apreciação por sua própria família e contentamento com seu papel na mesma;

Agir: cumprindo responsavelmente seu papel na família;




2. Os membros da família cuidam uns dos outros

Saber: o que os membros da família devem fazer para viver, trabalhar e brincar juntos e felizes para a glória de Deus;

Sentir: um amor cada vez maior pelos membros da família e mais facilidade em se comunicar com eles;

Agir: trabalhando para aumentar um relacionamento positivo com cada membro da família;




3. Minha família me ajuda a cuidar de mim

Saber: as habilidades necessárias para a independência conforme sua faixa etária;

Sentir: confiança apropriada e satisfação em sua capacidade crescente de lidar com sua própria vida, com o auxílio de Jesus;

Agir: praticando regularmente suas crescentes habilidades de independência;

MEU MUNDO





1. O mundo dos amigos

Saber: como desenvolver e participar de amizades de maneira positiva;

Sentir: confiança ao lidar com situações sociais que as capacitarão a agir com compaixão e coragem;

Agir: cultivando amizades sinceras, aplicando práticas sociais cristãs;




2. O mundo das outras pessoas

Saber: que elas fazem parte de uma ampla variedade de pessoas e grupos neste mundo de Deus.

Sentir: respeito e compaixão por indivíduos e grupos;

Agir: sabiamente para se tornar um representante do amor de Deus e Seu propósito para Seu povo;




3. O mundo da natureza

Saber: algumas das coisas especiais que a criação de Deus tem a nos oferecer;

Sentir: apreciação e preocupação pelo mundo natural;

Agir: com sabedoria para apreciar e cuidar da natureza.



TRILHA


OBJETIVO

COMPONENTES PRINCIPAIS

CONCEITOS INCLUÍDOS EM CADA COMPONENTE









BÁSICA

Garantir que a criança tenha o conhecimento básico necessário para tirar o máximo de beneficio do programa dos aventureiros.

1. Responsabilidade

1. Compromisso com os objetivos comuns do grupo.

2. Reforço

2. Introdução e revisão dos conceitos dos Aventureiros através de leitura.



MEU DEUS


Facilitar o desenvolvimento de uma relação progressiva e frutífera entre a criança e Jesus.

1. Seu plano para me salvar

1. O amor de Deus, pecado e perdão, conversão e obediência.

2. Sua mensagem para mim

2. Versos de cor, livros da Bíblia, usar e confiar na Bíblia.

3. Seu poder em minha vida

3. Oração, estudo da Bíblia, testemunho, viver por Cristo.



MEU EU

Aumentar a apreciação e cuidado das crianças por si próprios, como Deus os criou.

1. Sou especial


1. Singularidade e valor de cada pessoa, responsabilidade para o serviço, talentos.

2. Posso fazer escolhas sábias

2. Sentimentos, valores, tomada de decisões, escolhas.

3. Posso cuidar do meu corpo

3. Saúde, físico, anatomia, temperança, sexualidade.




MINHA FAMÍLIA

Levar as crianças a serem membros produtivos e felizes das famílias que Deus lhes deu.

1. Tenho uma família

1. Singularidade das famílias, mudanças das famílias, papéis e responsabilidades.

2. Os membros da família cuidam uns dos outros

2. Autoridade e respeito, apreciação, atividades familiares.

3. Minha família me ajuda a cuidar de mim

3. Segurança, mordomia, habilidades dentro e fora de casa.



MEU MUNDO

Capacitar a criança a encarar o mundo de Deus com confiança e compaixão.

1. O mundo dos amigos

1. Comportamento social, cortesia, preconceito, pressão de grupo.

2. O mundo das outras pessoas

2. Serviço na igreja, comunidade, país, mundo.

3. O mundo da natureza

3. Deus e a natureza, estudo da natureza, recreação em meio à natureza, preocupação com a ecologia.



  1. QUADRO GERAL DAS CLASSES DE AVENTUREIROS

1   2   3   4   5   6   7   8   9


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal