Da ponta da língua à ponta do pé integra público infanto-juvenil ao vivadança festival internacional ano 5 Espetáculo da diretora baiana Cristina Castro, reconhecido pela Unesco



Baixar 22.98 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho22.98 Kb.



DA PONTA DA LÍNGUA À PONTA DO PÉ INTEGRA PÚBLICO INFANTO-JUVENIL AO VIVADANÇA FESTIVAL INTERNACIONAL ANO 5
Espetáculo da diretora baiana Cristina Castro, reconhecido pela Unesco, convida os jovens a fazerem um divertido passeio pelo mundo da dança
“O incentivo e a apreciação ao desenvolvimento da arte começa pela educação para as artes, começa pelas crianças e adolescentes”, afirma Cristina Castro, coreógrafa e coordenadora do núcleo de dança do Teatro Vila Velha, criado em 1998. No seu trabalho de fomento à dança contemporânea, Cristina lançou, em 2004, o musical Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, que busca levar, de forma divertida, a história da dança ao público infanto-juvenil. Comemorando sete anos nos palcos, o espetáculo já foi consagrado, tanto pelo público – já que não só crianças e adolescentes, mas também seu pais e avós têm se encantado com a montagem, num total de mais de 84 mil espectadores – quanto por organizações renomadas: Da Ponta... ganhou o reconhecimento internacional da Unesco pelo seu valor educacional e cultural. Neste ano, integra o VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5, com apresentações abertas ao público nos dias 26 e 27 de abril, às 10h e 15h, no Cine-Teatro Solar Boa Vista, e para alunos de escolas públicas nos dias 12 e 13, às 10h e 15h, no Centro Cultural de Plataforma.
No musical Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, os intérpretes dançam, cantam e atuam. Com toques de comédia romântica, a peça conta a história do adolescente Zé, um estudante que adora andar de skate e que, depois de se apaixonar pela bailarina Isadora, passeia pelo o universo da dança para se aproximar da garota. Com a ajuda de uma professora, Zé descobre a história da dança no Ocidente, desde a Pré-História, passando pelos rituais religiosos da Antiguidade e pelos salões da nobreza européia, até chegar às transformações originadas por Isadora Duncan, ao estabelecimento da dança como profissão, com várias áreas de atuação, e às produções contemporâneas.
Didático, mas sem perder a inventividade, e com muito humor, o espetáculo procura despertar o interesse do público infanto-juvenil pela dança. Para tanto, o texto – elaborado pela diretora Cristina Castro, juntamente com João Sanches, a partir da pesquisa histórica de Lúcia Matos – conta com gírias, temas e dúvidas tipicamente adolescentes. As músicas e canções – assinadas por Jarbas Bittencourt – mapeiam estilos que vão da MPB ao rap, contribuindo fortemente para o ritmo ágil da encenação e para arrematar as informações trazidas no texto. Contribuindo para captar a atenção do público e garantindo a ambientação dos atores nas mais variadas épocas históricas, a peça conta com diversas mudanças de figurino, todos criados por Marcio Meirelles, além de cenário e adereços de Zuarte Júnior, Agamenon de Abreu e Luiz Santana.
O espetáculo foi apresentado em mais de 24 cidades do interior do estado da Bahia e outros três estados brasileiros – Pernambuco, Amapá e Roraima – além do Distrito Federal.
Sobre Cristina Castro
Diretora, coreógrafa, professora e dançarina de dança contemporânea, Cristina Castro é atualmente membro do CID (International Dance Council/UNESCO). Também produtora cultural e curadora, Cristina integra o colegiado de programação e gestão do Teatro Vila Velha desde 1998 e é colaboradora de dança do Cine-Teatro Solar Boa Vista/Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.
Diplomada em dança pela Universidade Federal da Bahia, foi convidada a realizar intercâmbios em diversas instituições renomadas dos Estados Unidos e Europa. Através da Bolsa Vitae do Brasil, participou do International Arts Management e do International Choreography Residency, no American Dance Festival em 1999. Pelo Goethe Institut e Embaixada da Alemanha, integrou programa de intercâmbio cultural de 2001 nas cidades de Frankfurt, Munique, Berlin, Dresden, Hamburgo, Essen, Stuttgart e Düsseldorf, além de compor a comitiva de artistas visitantes internacionais de um dos mais reconhecidos encontros de dança contemporânea da Alemanha, a Tanzhaus Düsseldorf 2004. A convite da Fundación Carolina e Embaixada da Espanha, foi uma das 15 pessoas selecionadas ao Primer Programa Sociedad Civil de Brasil, para desenvolvimento de intercâmbios entre sociedade civil brasileira e instituições culturais espanholas.
Como coreógrafa, criou 15 espetáculos. Sua pesquisa e processo criativo têm como proposta a comunhão de linguagens artísticas e a observação sistemática do cotidiano, para a criação de obras que traduzam, através do movimento, a dinâmica do mundo na atualidade. Pelo seu trabalho, já recebeu diversos prêmios, entre os quais se destacam o do Ministério da Cultura (Troféu Mambembe/1998) e da Unesco (Prize for the Promotion of the Arts/2004).
Como produtora cultural e curadora, fundou, em 1998, no Teatro Vila Velha, o Núcleo Viladança, assumindo a direção geral, pesquisa e criação de trabalhos coreográficos, projetos e circulação de espetáculos e oficinas em todas as regiões do Brasil e em festivais e teatros da Europa e América do Sul. Elaborou e produziu o Programa de Formação de Platéia para Artes Cênicas Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, que levou o espetáculo homônimo, assim como oficinas gratuitas, a escolas públicas de capitais e pequenos municípios do Brasil, com foco principal na iniciação artística de crianças e adolescentes. É responsável também pela idealização e criação do VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5, maior programação nacional e internacional de dança do Brasil, que ocorre há 4 anos em Salvador, durante todo o mês de abril. Ainda concebeu e atualmente coordena o Paredes em Movimento, no Cine-Teatro Solar Boa Vista, projeto que visa à integração e à aproximação entre linguagens artísticas e a dança, através da reflexão e intervenção visual.
Como dançarina, Cristina Castro integrou o elenco do Grupo Viravolta e do Balé Teatro Castro Alves, se apresentando no Brasil, Suíça, Itália, Alemanha, Israel, Portugal, República Tcheca, Argentina e Estados Unidos.
Como professora, ministrou aulas em Portugal, no Teatro Viseu; na Alemanha, durante o Tanzfabrik/MoveBerlin Festival 2003; na Universidade Federal da Bahia; na Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia; e a convite de festivais nacionais, programas do SESC e escolas de diversas capitais do Brasil.

Sobre o VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5
Durante todo o mês de abril, a cidade de Salvador celebra a dança com o VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5, evento já marcado no calendário cultural como um dos mais importantes dedicados à linguagem no país. Em 2011, o VIVADANÇA traz uma programação que inclui espetáculos, oficinas, exibição de filmes, encontros, mesas redondas, mostras, exposições, shows e o lançamento de um livro. A proposta do Festival é festejar a dança e trazer cada vez mais diversidade – na variedade de estilos, artistas e origens contemplados – ao público soteropolitano. Os eventos terão início no dia 1º do mês e se estendem até o dia 30, com destaque para o Dia Internacional da Dança, comemorado em 29 de abril.
O VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5 tem como objetivo mostrar que a dança é diversa, valorizando e estimulando a sua apreciação e promovendo o acesso das pessoas que vão pouco ao teatro para ver esse tipo de espetáculo. “A Bahia é um estado dançante. Temos uma história muito forte, tanto na música quanto na dança. É a nossa língua. E o VIVADANÇA é um evento para observar, apreciar, curtir ver dança. E é importante para o baiano não apenas ser dançarino, mas apreciador”, explica Cristina Castro, diretora artística e curadora do Festival. O evento busca ainda abrir fronteiras da Bahia para o mundo, e vice-versa, e a cada ano recebe um interesse maior dos grupos e bailarinos do Brasil, da Europa, Ásia e agora América Latina.
O VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5 é uma realização da Baobá Produções Artísticas e do Teatro Vila Velha, tem a parceria do Fundo Nacional da Cultura1 e foi contemplado pelos editais da Oi2, da Caixa3 e do Fundo Iberescena – programa de promoção, intercâmbio e integração de atividades das artes cênicas latino-americanas.
FICHA TÉCNICA

Direção: Cristina Castro

Texto: Cristina Castro, João Sanches

Pesquisa histórica: Lúcia Matos

Músicas: Jarbas Bittencourt

Coreografias: Cia. Viladança

Iluminação: Fábio Espírito Santo

Figurino: Marcio Meirelles

Adereços: Zuarte Junior e Luiz Santana

Elenco: Bárbara Barbará, Dailton José, Janahina Santos, Jorge Oliveira, Leandro de Oliveira, Mariana Morais, Lucas Valentim, Sérgio Diaz e Ednei Soares

SERVIÇO

O quê: Da Ponta da Língua à Ponta do Pé
Quando: 26 e 27 de abril

Horário: 10h e 15h

Onde: Cine-Teatro Solar Boa Vista
Quando: 12 e 13 de abril

Horário: 10h e 15h

Onde: Centro Cultural de Plataforma
Preço: Gratuito

Assessoria de Imprensa - VIVADANÇA Festival Internacional 2011


Alana Camara | alana.camara@multiversocomunicacao.com.br | (71) 8645-4990

Camila Kowalski | camila.kowalski@multiversocomunicacao.com.br | (71) 9948-2222

Nina Santos | nina.santos@multiversocomunicacao.com.br | (71) 8806-8433


1 Através do Ministério da Cultura.

2 Através da Lei Fazcultura/Governo do Estado da Bahia, com apoio da Oi Futuro.

3 Através do Governo Federal.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal