Da universidade de uberaba



Baixar 1.03 Mb.
Página15/27
Encontro19.07.2016
Tamanho1.03 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   27

O objetivo do presente trabalho é o de promover a formação da professora de Educação Infantil, para observar o envolvimento de seus alunos na situação de aprendizagem e propor estratégias de intervenção para melhorar a qualidade do ensino. A pesquisa está sendo realizado numa instituição de educação infantil municipal, envolvendo todos os funcionários e crianças de 3, 4 e 5 anos. Foram realizados seis encontros com os profissionais da instituição, a fim de se fazer um diagnóstico inicial global. Foram detectadas duas ordens de necessidades: as organizacionais( espaço físico e distribuição de tarefas) e as pedagógicas (formação continuada de professores e colaboração família-escola). Iniciou-se o estudo pelo espaço físico, com fotografias e filmagens de toda a estrutura física e, numa discussão com o pessoal da instituição, a partir desse material e de desenhos das professoras, foram planejadas e executadas algumas mudanças, acreditando-se que um local bem estruturado, com espaços adequados e bem utilizados é um fator que favorece o processo de ensino e de aprendizagem. Para que pudesse ser feito um diagnóstico do aspecto pedagógico, foram feitas, de início, vídeo-gravações de 50% (cinqüenta por cento) das crianças de 5 anos de ambos os sexos, as quais foram observadas durante seis sessões de dois minutos para cada aluno, para ser verificado o nível de envolvimento das crianças nas atividades sugeridas pelo professor, sendo cinco os níveis: nível 1(criança sem interesse na atividade), nível 2 ( a criança interrompe a atividade freqüentemente), nível 3 (atividade quase contínua, com algumas interrupções), nível 4(atividade contínua com momentos de grande intensidade) e nível 5 (atividade intensa prolongada). Os resultados indicaram que houve maior ocorrência de envolvimento no nível 5 para os meninos e no nível 3 para as meninas, sendo que as atividades do período matutino provocaram maior envolvimento, do que as do vespertino, sugerindo que as atividades ao ar livre têm provocado maior envolvimento dos alunos. Esses dados sugerem também a necessidade de reprogramação das atividades do período vespertino, que acontecem dentro da sala de aula. A discussão desses aspectos com as professoras faz parte do processo de formação dos docentes, já iniciado com o estudo do espaço físico. A análise dos vídeos, em conjunto com as professoras, tem propiciado condições para melhorar o processo mediacional na instituição.

Área do conhecimento: Ciências Humanas

Palavras-chave: educação infantil, mediação da aprendizagem, observação educador - educando.

REDIMENSIONANDO A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM UMA ESCOLA RURAL

Acadêmica: Simone M. Castellano (Bolsista do CNPq)

Juliana V. Fachinele

Orientadora: Profª Drª Marta Cassaro-Silva

Instituição: Universidade de Uberaba – Cursos de Pedagogia e de Educação Física

Co-orientadora: Profª Drª Sonia Alves Calió

O subprojeto Educação Ambiental e Cidadania faz parte do Projeto Integrado de Pesquisa e Desenvolvimento: Assentamento Nova Santo Inácio Ranchinho. Iniciado em março de 2001 e desenvolvido na Escola Municipal Santa Terezinha, localizada dentro do assentamento, tem cinco salas, da educação infantil até a 4ª série. A metodologia que orienta o trabalho é a da pesquisa- ação. Uma das frentes abordadas, que atua junto aos professores e direção da escola, realizou um curso de capacitação durante o ano de 2001. Antes de se iniciar o curso, os professores foram entrevistados para se identificar seu nível de conhecimento sobre a educação ambiental e, diante das informações colhidas e dos objetivos propostos, foram abordados os seguintes temas: O que é pesquisa- ação; Aspectos políticos e históricos da Educação Ambiental; Conceitos teóricos da Educação Ambiental; Ética e Globalização; PCNs e Educação Ambiental e seu comprometimento com o contexto comunitário e Uso de técnicas e metodologias participativas em Educação Ambiental. Os temas trabalhados foram escolhidos criteriosamente, para a formação básica destes professores dentro dos novos paradigmas da educação. Entre os objetivos propostos, destacamos trazer a realidade dos alunos para a prática escolar, buscando sua participação ativa e o reforço de sua auto-estima, além de inserir a educação ambiental no currículo escolar, despertando neles a capacidade de identificar problemas e criar estratégias para resolvê-los. O processo está sendo gradativo os professores não mostram experiência para lidar com esta realidade, uma vez que são da zona urbana e trabalham numa escola rural, porém algumas barreiras já foram quebradas. Nos primeiros encontros, os professores não apresentavam muito interesse, viam muitas dificuldades e poucas perspectivas mas, ao longo do curso, começaram a se envolver efetivamente. Fizemos um levantamento com eles sobre os principais problemas enfrentados e que poderiam ser trabalhados na forma de projetos na escola. A escolha de quatro assuntos - plantio de árvores em volta do alambrado da escola, horta, lixo e agrotóxicos – foi um primeiro passo. Quando propusemos que criassem os passos para se implantar um deles, um quinto tema foi trabalhado, a higiene, e este foi outro passo muito importante. Um dos temas escolhidos já foi iniciado com o plantio de sementes de sansão-do-campo para cercar o alambrado da escola. Esta atividade contou com muito interesse e participação tanto dos alunos como dos professores. Deste modo, estamos realizando a inserção da educação ambiental no currículo escolar, para a sensibilização e compreensão do universo local, e o redimensionamento da prática pedagógica destes professores. Consideramos que o curso faz parte do alicerce para a formação adequada destes professores para o tipo de realidade encontrada em escolas rurais e esperamos que, a partir dessa formação, eles possam criar novas formas de trabalho e melhorar a qualidade do ensino.

Área de Conhecimento: Ciências Humanas

Palavras- chave: Ensino Fundamental, Educação Ambiental, PCNs, formação de professores

SABERES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE HISTÓRIA: UM ESTUDO DOS PCN

Acadêmica: Michele Cristina Moura

Orientador: Profª Selva Guimarães Fonseca

Instituição: Universidade Federal de Uberlândia – Curso de Pedagogia


O presente trabalho analisa um dos elementos norteadores da vida escolar na atualidade. Trata-se dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), 1a a 4a séries do ensino fundamental, elaborados pelo Ministério da Educação em 1996, com o propósito maior de apoiar os sistemas de ensino no desenvolvimento de propostas pedagógicas de qualidade que legitimam o projeto de educação para a cidadania. Acreditamos que o documento curricular ultrapassa o campo técnico e metodológico, não constituindo-se, portanto, em um meio neutro de transmissão de conhecimentos, mas sim, um mecanismo essencial de constituição de identidades individuais e sociais atravessadas por relações de poder. Neste sentido pretendemos ir, além das intencionalidades explícitas neste documento, e discutir, o significado da proposta, seus limites, avanços e possibilidades. Apresentamos os resultados da pesquisa de campo realizada em diferentes realidades escolares, buscando assim, diagnosticar como este currículo nacional esta sendo implementado, os saberes históricos que estão sendo difundidos e incorporados às práticas dos (as) professores (as) e os significados que os sujeitos das realidades escolares de Uberlândia atribuem ao texto do PCN - História.

Área: Ciências Humanas

Palavras-chave: Currículo, Ensino De História, Parâmetros Curriculares Nacionais



CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

A CONCEPÇÃO DO EMPRESÁRIO INDUSTRIAL UBERABENSE EM RELAÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMPRESARIAL

Acadêmica: Carine Mendes de Abreu

Orientadora: Profª Ms. Mára Lúcia Nunes de Almeida

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Serviço Social


O presente estudo tem como objetivo compreender a visão do empresariado uberabense em torno do Serviço Social empresarial. O Serviço Social no Brasil se inseriu na área empresarial a partir da década de 50 e consolida sua ação nas décadas de 60 e 70, marcado pelo modelo desenvolvimentista então assumido, em que, ao lado do avanço da ciência e tecnologia, surge o aumento da precarização das condições de vida do trabalhador. O Serviço Social neste período esteve voltado para o controle social da classe trabalhadora, visto como mediador entre empregados e empregadores, atendendo aos interesses do capital. Na atualidade, o Serviço Social tem compromisso com o fortalecimento da classe trabalhadora e com a consolidação e ampliação da cidadania. Devido às transformações ocorridas no mundo do trabalho e o impacto causado pelas inovações tecnológicas, passa-se a exigir um novo perfil de mão-de-obra, surgindo a necessidade de novas habilidades e competências; refletindo isso, na profissão do Serviço Social. A pesquisa ora apresentada encontra-se em andamento, onde num primeiro momento, foi realizado um levantamento dos dados secundários existentes no Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais da Faculdade de Ciências Econômicas do Triângulo Mineiro e no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para verificar o número de empresas por ramo de atividades existentes na cidade de Uberaba. Já num segundo momento, realizamos levantamento dos dados secundários existentes na Associação dos Assistentes Sociais de Uberaba, com o intuito de conhecer o número de Assistentes Sociais na área empresarial. Assim, constatamos que, em Uberaba, dos 59 Assistentes Sociais em atividade, 4 (7,1%) estão atuando na área empresarial, sendo 3 (5,3%) em empresas de prestação de serviços e 1 (1,7%) na área industrial. Cabe ressaltar ainda que Uberaba conta com o número de 11.630 empresas, das quais destacaremos 103 indústrias metalúrgicas, 73 indústrias de produtos alimentares, 71 indústrias do mobiliário e 60 indústrias da construção. Consideramos limitado este espaço de atuação do Assistente Social e pretendemos, através deste estudo, entender a concepção que o empresariado industrial uberabense estabelece do Serviço Social de empresa e identificar os motivos da restrição do Assistente Social atuando nessa área. Para alcançar os objetivos propostos, estamos realizando uma pesquisa quantitativa e qualitativa, onde realizaremos entrevistas abertas com 12 empresários, sendo 3 de indústrias metalúrgicas, 3 de indústrias de produtos alimentares, 3 de indústrias do mobiliário e 3 de indústrias da construção. Através de 4 entrevistas realizadas até o presente momento, temos como resultado preliminar que existe uma visão negativa por parte dos empresários quanto ao Serviço Social empresarial, gerada a a partir de práticas realizadas anteriormente, concebendo a prática do Assistente Social como pontual e assistencialista. O número reduzido de profissionais do Serviço Social atuando nas empresas de Uberaba é devido ao desconhecimento das atribuições desse profissional. Esperamos com este trabalho, fornecer subsídios para o reconhecimento da importância da atuação do Assistente Social na área de empresa, com vistas à ampliação deste espaço ocupacional.

1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   27


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal