Da universidade de uberaba


ARQUITETURA MODERNA EM UBERABA



Baixar 1.03 Mb.
Página18/27
Encontro19.07.2016
Tamanho1.03 Mb.
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   27

ARQUITETURA MODERNA EM UBERABA


Acadêmico: Juliano Carlos Cecílio Batista Oliveira (Aluno de IC )

Orientadora: Profª. Arq. Ms. Carmem Silvia Maluf

Co-orientadora: Profª. Arq. Kelly Cristina Magalhães Faria



Instituição: Universidade de Uberaba - Arquitetura e Urbanismo

A pesquisa busca constituir material teórico e iconográfico sobre a produção da Arquitetura Moderna em Uberaba, contribuindo com a memória arquitetônica e cultural da cidade e estimulando futuras pesquisas acerca do tema. Além disso, procura-se também contribuir para a historiografia do Movimento Moderno, que cada vez mais se efetiva como objeto de pesquisas em Universidades e Institutos no Brasil e no Mundo. Esse estudo possibilita entender quem foram os financiadores dessa produção, proprietários, classe social, formação, uma vez que tal produção, de início vanguardista, foi realizada em uma sociedade conservadora e tradicionalista. A partir do levantamento da evolução urbana da cidade no período de 1940 a 1970, destacou-se nesse contexto a localização dos exemplares a serem estudados no decorrer da pesquisa. Com a demarcação de um perímetro (relativo à década de 1970, período entendido como de inflexão dos paradigmas do Movimento Moderno) e a separação de seus loteamentos por ano de aprovação na Prefeitura, percorreu-se a área buscando encontrar nos edifícios elementos arquitetônicos que faziam referência à arquitetura pesquisada. Tendo em mãos esta primeira amostragem, passou-se para uma fase de coleta de dados junto aos arquivos da Prefeitura, buscando catalogar o edifício em ficha elaborada pelo grupo, baseada em modelos de diversas instituições, como o CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo), da Secretaria da Indústria e Comércio (Coordenação de Fomento ao Turismo) do Governo do Estado da Bahia e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Núcleo de Pesquisa e Documentação). Neste período, foi possível um preenchimento parcial da ficha de catalogação, compreendendo os seguintes itens: identificação da obra, localização, usos (original e atual), ano do projeto, autor. Além desses dados, retirou-se uma cópia de cada projeto, para que os mesmos fossem redesenhados, na forma de arquivos digitais (formato DWG), facilitando a sua manipulação. Procedeu-se ao redesenho dos projetos realizados até 1964, que foram, em seguida, exportados para outro software (juntamente com os outros projetos – a partir de 1965) para a montagem da nova ficha catalográfica, realizada e organizada em ordem cronológica. Vale ressaltar que alguns projetos de relativa importância no contexto urbano, seja pelo seu valor histórico na cidade ou pelo seu valor arquitetônico, não são “oficiais” (não constam nos arquivos do Cadastro Imobiliário da Prefeitura Municipal). Em função da inacessibilidade aos projetos, optou-se em realizar sua catalogação iconográfica. A análise dos dados obtidos permite ou conduz a basicamente, duas conclusões: a importância do trabalho de três profissionais, em função do número de obras construídas e a qualidade das mesmas, no contexto da cidade de Uberaba: Arquiteto Germano Gultzgoff, Engenheiro-arquiteto Wagner Schröden, Engenheiro civil Wilson Nassif. Além desses, alguns profissionais também apresentam um considerável número de obras construídas, contudo, sem a qualidade encontrada nos trabalhos dos três profissionais citados. O segundo ponto é a qualidade diferenciada dos projetos do Eng.-arq. Wagner Schröden, tanto no seu rigor técnico e elaboradas soluções estruturais quanto em uma qualidade espacial, destacando suas obras na produção que lhe foi contemporânea na cidade. Para trabalhos futuros, surge a possibilidade de um estudo específico sobre sua obra como um todo, numa pesquisa que ultrapasse os limites estabelecidos ao presente estudo, aprofundando assim numa análise stricto sensu de sua obra e vida.

Área de conhecimento: Ciências Sociais e Aplicadas

Palavras-chave: Arquitetura, Moderna, Modernismo, Uberaba


COMBATE À POBREZA OU AOS POBRES?

FACETAS DA QUESTÃO SOCIAL EM UBERABA/MG (1945-1964)

Acadêmica: Benedita Carla Izaias Alves (Bolsista do PIC)

Orientadora: Profª Ms. Rosimar Alves Querino

Instituição: Universidade de Uberaba

A comunicação ora apresentada é fruto da pesquisa de iniciação científica desenvolvida desde agosto de 2001 e insere-se na discussão sobre a questão social em Uberaba nos anos de 1945 e 1964. Objetivou-se analisar o significado da pobreza, a participação de membros da elite, empresários, grupos religiosos e representantes dos poderes públicos na assistência social e na efetivação do controle social dos pobres. Para tanto, coletou-se os artigos do Jornal Lavoura e Comércio, os Códigos de Posturas vigentes no período e os Projetos de Lei aprovados pela Câmara Municipal de Uberaba. Tais dados foram organizados de acordo com os seguintes temas: representação social da pobreza, situação dos pobres, ação do poder legislativo e do executivo, relação entre público e privado no tratamento da questão social e propostas de intervenção. Após uma sistematização quantitativa, elaborou-se a análise com base numa revisão bibliográfica centrada na negação da cidadania e nos mecanismos utilizados para efetivar a tutela dos pobres. Verificou-se que a assistência social foi residual e restrita a práticas paternalistas/caritativas voltadas às necessidades imediatas dos usuários, enquadrados num conceito único e universal de pobreza. Quanto à representação social dos pobres presente nos artigos jornalísticos, percebe-se a articulação da idéia de degeneração social e das privações materiais com o “problema de caráter”. Em última instância, a pobreza, a mendicância, a delinqüência juvenil e a criminalidade eram associadas ao ócio, ao culto dos vícios e à negação do trabalho. O controle social sobre os pobres efetivou-se graças ao uso de mecanismos repressivos, à caridade religiosa ou privada e à redução dos direitos sociais à doação e benemerência dos poderes públicos ou dos membros da comunidade.
Área do Conhecimento: Ciências Sociais e Aplicadas

Palavras-chave: questão social, pobreza, assistência social



DIAGNÓSTICO FÍSICO AMBIENTAL DO BAIRRO ALFREDO FREIRE - CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA URBANA

Acadêmico: Henrique Resende e Silva (Bolsista do PIC)

Orientadora: Profª. Ms. Carmem Silvia Maluf

Instituição: Universidade de Uberaba - Arquitetura e Urbanismo

O presente trabalho se propõe levantar, mapear e diagnosticar as condições ambientais urbanas existentes no Bairro Alfredo Freire, visando confrontar as informações obtidas com o diagnóstico epidemiológico elaborado pela equipe multidisciplinar da área da saúde e verificar possíveis causas de adoecimento da população local calcadas nas características deste bairro e favorecer a definição de ações promotoras de saúde e desenvolvimento ambiental urbano. Foi executado um levantamento bibliográfico, visando contextualizar os conceitos de qualidade ambiental, sustentabilidade, planejamento participativo e saúde pública, um levantamento das condições ambientais da área urbana e da infra-estrutura disponível no Bairro Alfredo Freire. Foram elaborados questionários, buscando a participação da comunidade local na coleta de informações sobre qualidade de vida e satisfação dos moradores. Pesquisou-se, através desses instrumentos de inquérito2, os potenciais etnográficos existentes e a relação dos moradores dessa comunidade com a área urbana, como forma de complementar o entendimento da dinâmica social dominante na área. Foram também efetuados diversos levantamentos, entre eles: levantamento histórico do Bairro; da morfologia urbana adotada para os loteamentos que compõem o Bairro, incluindo seus elementos constitutivos, como largura do passeio e do leito carroçável; dimensão dos lotes; topografia; condições climáticas; cobertura vegetal(natural ou não); mapeamento do uso das edificações enquanto públicas, comunitárias e institucionais; infra-estrutura (água, energia, rede de esgoto); linhas de transporte urbano; coleta de lixo domiciliar, hospitalar ou industrial; tratamento de esgotos domiciliares, hospitalares ou industriais. Percebe-se a necessidade de uma força mais efetiva, que represente a população local junto às autoridades municipais, visando garantir investimentos sistemáticos de acordo com o aumento populacional ocorrido. É necessário implementar um movimento de conscientização ambiental na comunidade local, para que a própria população possa exercer seu papel de cidadania, reivindicando seus direitos à qualidade de vida e garantindo a preservação do meio ambiente, principalmente levando-se em conta a fragilidade do ecossistema de cerrado, onde a cidade de Uberaba está situada e do rio Uberaba, pela sua proximidade com o Bairro Alfredo Freire. Baseado no binômio ‘qualidade ambiental’ e ‘sustentabilidade urbana’ vemos possível um trabalho produtivo dos profissionais da área da saúde em prol da comunidade local.

Área do conhecimento: Ciências Sociais e Aplicadas.

Palavras chave: sustentabilidade, infra-estrutura, saúde pública.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   27


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal