Da universidade de uberaba


AVALIAÇÃO DA INGESTÃO ALIMENTAR DE NUTRIZES



Baixar 1.03 Mb.
Página24/27
Encontro19.07.2016
Tamanho1.03 Mb.
1   ...   19   20   21   22   23   24   25   26   27

AVALIAÇÃO DA INGESTÃO ALIMENTAR DE NUTRIZES

Acadêmicas: Andrea Kátia Alves Corrêa (Aluna de IC)

Orientador: Prof. Ms. Luís Cláudio Benevenuto

Colaboradora: Rosana Guimarães Sapori

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Nutrição

A lactação é a fase de maior demanda energética do ciclo reprodutivo humano. A Organização Mundial de Saúde estima que o requerimento energético para produção láctea seja de 750Kcal/dia. A FAO recomenda um adicional de ingestão igual a 500Kcal diárias para mulheres lactantes. Esta recomendação permite um déficit de 250Kcal/dia que pode ser suprido pela reserva energética materna. Durante a lactação muitas mães diminuem seu peso provavelmente devido as necessidades energéticas adicionais da lactação. Além das calorias, muitos outros nutrientes como as vitaminas e minerais apresentam um aumento nos valores de suas recomendações. Alterações no estado nutricional materno estão diretamente relacionadas à ingestão energética e a qualidade nutricional da dieta de nutrizes. O presente estudo teve como objetivo avaliar a ingestão alimentar de nutrizes, verificando a adequação de seu consumo de calorias, macronutrientes, ferro, cálcio e vitamina A. As nutrizes (n=20) foram entrevistadas um mês após o parto. O método do recordatório de 24 horas foi utilizado para verificar a ingestão alimentar. A análise da dieta foi realizada através do programa “NUTRI” da Escola Paulista de Medicina. Para verificar a adequação dietética foram utilizadas as recomendações da RDA (1989) e DRI (1997 e 1998). A renda per capita média das nutrizes estudadas foi de 0,94 (+ 0,59) salários mínimos e idade igual a 24,7 (+ 5,9) anos. Em relação a ingestão calórica, 50% das nutrizes ingeriram calorias acima do recomendado e 20% ingeriram valores abaixo da taxa metabólica basal. Em relação aos macronutrientes, somente, 30% das nutrizes alcançaram a recomendação proteíca, enquanto, 40% e 20%, respectivamente, ingeriram uma dieta hiperlipídica e hiperglicídica. Observou-se, ainda, uma ingestão de vitaminas e minerais significativamente mais baixa (Ca=712 mg; Fe= 11,48 mg; Vit A= 520 mcg) do que a recomendação destes nutrientes (Ca= 1000 mg; Fe= 15 mg; Vit A= 1300 mcg). A maior ingestão calórica materna dificulta o retorno ao peso pré-gravídico; Maior ingestão de calorias como carboidratos e lipídios e a baixa ingestão de proteínas está provavelmente associada ao baixo nível sócio-econômico. A ingestão alimentar materna inadequada leva a um maior risco das nutrizes apresentarem deficiências nutricionais (anemia, descalcificação óssea e imunodepressão).


Área do conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras chave: nutrizes; ingestão alimentar; adequação dietética

AVALIAÇÃO DAS PARASITOSES EM COMUNIDADE ESCOLAR DE PEIRÓPOLIS UBERABA-MG

Acadêmica: Cintia Luiz Lopes


Cesar Augusto de Morais Júnior

Paulo Roberto Silva


Orientadora: Profª Ana Paula Sarreta Terra

Instituição: Faculdade de Educação de Uberaba – Curso de Biologia


O trabalho apresenta um estudo sobre a ocorrência dos parasitas intestinais e os possíveis fatores que propiciam sua disseminação em crianças matriculadas na escola municipal Frederico Peiró em Peirópolis. Foram estudadas 36 amostras de fezes, onde foi realizado o exame parasitológico e semeaduras em ágar Mac Conkey e ágar Salmonela Shiguela e incubadas a 37o por 24 horas. Também foram colhidas amostras de sangue para contagem de eosinófilos. Observou-se que nos 36 indivíduos estudados 53% foram de pessoas infectadas.A faixa etária de 4 a 6 anos foi a que se observou o maior índice de positividade (58%) e a faixa etária de 7 a 12 anos apresentou positividade de 42%.Foi visto um alto índice de Entamoeba coli (40%) seguido Entamoeba histollytica (20%) e que 53% das crianças são poliparasitadas. O questionário evidencia alguns maus hábitos higiênicos entre as crianças como roer unha (31%), não beber água filtrada em casa (47%) e na escola (39%). Bem como freqüentes queixas como dor de barriga (72%), coceira no ânus (33%) e fraqueza, sono, mal estar durante o dia (36%). A maioria delas moram na zona rural, as ruas do bairro não são asfaltadas e algumas casas não possuem esgoto encanado. Nenhuma amostra mostrou-se positiva para as enterobactérias pesquisadas. Por outro lado, das 19 crianças parasitadas 14 apresentaram discreta ou moderada eosinofilia. A prevalência de enteroparasitoses encontradas na comunidade escolar de Peirópolis, reflete que as crianças apresentam alguns maus hábitos higiênicos e sanitários, o que as expõem a uma maior susceptibilidade às parasitoses intestinais.

Área de conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: Enteroparasitose, Parasitose em Crianças, Doenças Parasitárias



AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DA FREQÜÊNCIA CARDÍACA, PRESSÃO ARTERIAL SISTÓLICA E PRESSÃO ARTERIAL DIASTÓLICA, PRÉ E PÓS SESSÃO DE FISIOTERAPIA CARDIOVASCULAR NA FASE III DO PROCESSO DE REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR

Acadêmicos: Bárbara Ganem R. Colares

Diego Silva Fonseca

Camila Hermógenes e Silva

Patrícia Ribeiro

Orientadora: Profª Ms. Fernanda Regina de Moraes

Co-orientadores: Profª Ms. Lidiana Simões Marques

Prof. Cristiano Sales da Silva

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Fisioterapia

Uma sessão fisioterapêutica da fase III do processo de reabilitação cardíaca é subdividida em aquecimento, condicionamento, desaquecimento e relaxamento, nas quais são realizadas aferições de freqüência cardíaca (FC), pressão arterial sistólica (PAS) e pressão arterial diastólica (PAD). O desaquecimento e o relaxamento são importantes para que as variáveis cardiovasculares retornem aos valores basais do pré condicionamento, para isso podem ser usadas técnicas como Schultz, Jacobson, Shiatsu, Reiki. Nosso objetivo foi avaliar a eficácia destas técnicas de relaxamento sobre as variáveis cardiovasculares FC, PAS e PAD. Foram avaliados 10 pacientes submetidos à sessões de Fisioterapia Cardiovascular, fase III do processo de reabilitação cardíaca, no setor de Fisioterapia Cardiovascular da Universidade de Uberaba, sendo 5 homens (GI) (62±5,7 anos) e 5 mulheres (GII) (61±5,7 anos), cardiopatas ou portadores de fatores de risco para doenças cardiovasculares. Foram aferidas FC, PAS e PAD, em repouso inicial (RI) e final (RF) da sessão durante 10 semanas. As aferições do RF foram realizadas após a aplicação de técnicas de relaxamento. A FC foi aferida pelo método palpatório da artéria radial e a PA aferida pelo método auscultatório utilizando-se esfigmomanômetro de coluna de mercúrio e estetoscópio posicionado sobre a artéria braquial, espaço antecubital. Foram calculadas médias, em cada semana, dos valores obtidos das variáveis no RI e RF. O teste estatístico utilizado foi Wilcoxon, com nível de significância =5%. Resultados estão expressos em mediana, grupo homens: RI: FC de 73 batimentos por minuto (bpm), PAS de 145 milímetros de mercúrio (mmHg) e PAD de 91 mmHg. Em RF: FC de 75 bpm, PAS de 146 mmHg e PAD de 93 mmHg. Grupo mulheres: RI: FC de 78 bpm, PAS de 141 mmHg e PAD de 85 mmHg. Em RF: FC de 78 bpm, PAS de 134 mmHg e PAD de 81 mmHg. No GI não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05) entre os valores das variáveis nas condições RI e RF. Já para o GII houve diferença estatisticamente significante (p<0,05) apenas entre os valores de PAS e PAD do RI e RF, ou seja, em RF os valores apresentaram-se menores que na condição RI. Nossos dados sugerem que as técnicas de relaxamento aplicadas nas sessões de fisioterapia cardiovascular mostraram efetividade visto que as variáveis estudadas retornaram ao seus valores basais apresentando, em alguns casos, valores inferiores aos basais na condição RF.


Área de conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-Chave: Fisioterapia Cardiovascular, freqüência cardíaca, pressão arterial




AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE ADULTOS FREQUENTADORES DE ACADEMIA E DA CORRELAÇÃO ENTRE OS DADOS DE COMPOSIÇÃO CORPORAL DETERMINADOS POR DOIS DIFERENTES APARELHOS DE IMPEDÂNCIA BIOELÉTRICA.

Acadêmico: Karina de Souza Ramos (Bolsista do PIC)

Orientador: Profª Ms. Jacqueline Pontes Monteiro

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Nutrição

A Impedância Bioelétrica (BIA) é um método não invasivo e de fácil aplicação tanto em indivíduos doentes e sadios, que permite bons resultados quanto a determinação da composição corporal. Nesse trabalho busca-se determinar o estado nutricional de freqüentadores de uma academia de ginástica da cidade de Uberaba-MG e verificar a correlação existente entre duas técnicas de análise da composição corporal baseada em impedância bioelétrica. A avaliação do estado nutricional foi baseada em dados de ingestão alimentar, antropometria e impedância bioelétrica realizada em dois aparelhos diferentes (RJL Bioeletric Impedance Analyzer e TANITA). O grupo foi dividido conforme o gênero. As mulheres apresentaram maior proporção de gordura que os homens, ultrapassando o padrão desejável. Freqüentadores da academia ingerem excesso de colesterol e proteína e inadequada quantidade de selênio, magnésio e vitamina E. Mulheres ingerem inadequada quantidade de ferro. Houve uma correlação estatisticamente significativa entre as porcentagens de gordura determinada pela BIA RJL SYSTEM e a BIA TANITA (r = 0,54;p < 0,05). Os valores de gordura corporal determinados pelo aparelho de bioimpedância da academia (TANITA) correlacionaram-se positivamente e estatisticamente com os valores da prega cutânea do tríceps (r = 0,65; p < 0,05). A BIA TANITA pode ser empregada para avaliação da composição da gordura corporal, porém técnica mais simples e barata, como o emprego da dobra cutânea triciptal também garante credibilidade. Freqüentadores da academia precisam de avaliação e orientação nutricional.

Área de conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: Impedância bioelétrica, academia, composição corporal.

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES DO AMBULATÓRIO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E AIDS

Acadêmico: Thassiana Cecilio Motta Martinelli (Bolsista do PIC)

Orientador: Profª Ms. Jacqueline Pontes Monteiro

Instituição Universidade de Uberaba - Curso de Nutrição

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é uma condição de comprometimento do sistema imunológico causado por infecção pelo vírus da imunodeficiência humana o que predispõe os seus portadores à síndrome de caquexia intensa. Porém, na era dos antiretrovirais, o estado nutricional e o metabolismo lipídico têm se alterado, caracterizando a Síndrome da Lipodistrofia. Esse trabalho busca avaliar o estado nutricional de pacientes HIV atendidos no ambulatório do DST-AIDS da Prefeitura de Uberaba, MG. A avaliação do estado nutricional foi baseada em dados de ingestão alimentar, antropometria, bioimpedância e exames laboratoriais. Os pacientes foram divididos em dois grupos: Índice de massa corporal (IMC) adequado (G1) e IMC acima de 25kg/m2 (G2). Pacientes com IMC acima da normalidade apresentaram maior gordura corporal, maior relação cintura-quadril, maior circunferência abdominal e maiores níveis séricos de LDL. A proporção de indivíduos recebendo terapia antiretroviral foi estatisticamente maior no grupo 2. A ingestão alimentar foi semelhante e adequada entre os grupos, porém pacientes do grupo 2 ingeriram quantidades estatisticamente maiores de lipídeos (G1 = 78,7  49,2; G2 = 120,4  74,5), vitamina E [G1 = 27,9 (4,7-110,8); G2 = 49,5 (2,6-148,2)] e ácidos graxos saturados (G1 = 24,1  15; G2 = 37,3  22,1). Não houve correlação estatísticamente significativa entre a ingestão de lipídios e os níveis séricos de LDL (r = 0,20; p > 0,05). O LDL foi estatisticamente maior no grupo com IMC maior do que 25 kg/m2. O grupo que apresentou maior proporção de indivíduos recebendo terapia antiretroviral teve maior índice de massa corporal, maior gordura corporal determinada pelas dobras cutâneas e bioimpedância, maiores circunferência abdominal e relação cintura-quadril e maiores níveis séricos de LDL, sugerindo possíveis efeitos colaterais da terapia antiretroviral sobre a composição corporal e metabolismo lipídico.

Área do conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: HIV- positivo, antiretroviral, estado nutricional.

AVALIAÇAO DO NIVEL DE RUIDO PRODUZIDO POR CANETAS DE ALTA-ROTAÇÃO

DE DUAS MARCAS COMERCIAIS

Acadêmicos: Fausto Machado Castelar de Brito

Luciana Oliveira Dias

Orientador: Prof. Marco Antonio Borges Almeida

Co-orientadora: Profª Yasmine Maria Elias Mamere Almeida.

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Odontologia


Este estudo avaliou os níveis de ruídos produzidos por canetas de alta-rotação de duas marcas comerciais, em dois momentos. .Foram avaliadas 40 canetas de alta-rotação, com vida útil média de 3 anos, 20 da marca Kavo (Modelo 625) e 20 Dabi (Modelo MS350). A quantificação do nível de ruído foi com auxilio de um decibilímetro INSTRUTERM (com memória de 16 kb e extensão de leitura 30 dB a 130 dB), posicionando próximo ao ouvido direito do operador, a distancia de 30 cm da extremidade da caneta. A mensuração foi realizada em dois momentos distintos: durante o funcionamento livre (FL) e durante operação de corte (FC), realizado na superfície de dentes bovinos. As canetas foram acionadas durante um período de 30 segundos sendo realizado neste tempo, 15 leituras consecutivas em intervalos de 2 segundos cada. A média aritmética das leituras correspondeu ao nível de ruídos de decibéis (dB) para cada caneta testada. Os dados foram submetidos a analise de variância e as médias comparadas pelo teste Newman-Keuuls com nível de significância de mínimo de 5%. A analise estatística indicou diferença entre os grupos testados, sendo as médias produzidas pelas canetas de alta-rotação marca Kavo (72,23 e 72,57) inferiores estatisticamente (p<0,01) aos da marca Dabi (76,43 e 76,68) em ambas situações, funcionamento livre e operação de corte, respectivamente. Dentro das limitações deste estudo, as canetas de alta-rotação da marca Kavo modelo 625 produziram níveis de ruídos inferiores aos das canetas de alta-rotação da marca Dabi modelo MS350.


Área do conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: ruído, alta-rotação, níveis sonoros


AVALIAÇÃO DOS RISCOS DE DISTÚRBIOS ALIMENTARES EM ESTUDANTES DO SEXO FEMININO , DOS CURSOS DE NUTRIÇÃO E DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE UBERABA

Acadêmica: Giselle Cristina da Silva Cherin

Orientadora: Profª Ms. Denise Teresinha de Sales Tibúrcio

Co-orientador: Prof. Ms. Gilberto de Araújo Pereira

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Nutrição

Estudos têm demonstrado um aumento da incidência de distúrbios alimentares nas últimas duas décadas, ocorrendo mais freqüentemente no sexo feminino (95%) dos casos. A literatura refere maior incidência desses distúrbios em alguns grupos ocupacionais tais como modelos, atrizes, atletas e nutricionistas. O objetivo deste trabalho foi o de avaliar e comparar o risco de ocorrência de distúrbios alimentares entre estudantes universitárias, do sexo feminino, do curso de Nutrição e do curso de Direito da Universidade de Uberaba. Aplicou-se o questionário EATING ATTITUDES TEST em 158 mulheres (81 estudantes do curso de Nutrição e 77 estudantes do curso de Direito). Os resultados indicaram que no curso de Direito as alunas apresentaram EAT mais elevados em relação às alunas do curso de Nutrição, embora esta superioridade não tenha sido estatisticamente significativa. Entretanto, quando analisado EAT a partir do ponto de corte (>= 20) verificou-se, usando a Odds Ratio (Razão de Chance), que a chance de alunas do curso de Direito apresentarem distúrbios alimentares é significativamente maior que a das alunas do curso de Nutrição, ou seja, de 1,2 a 5,4 vezes maior, com 25% das alunas de Direito e 13% das alunas de Nutrição com EAT +. O percentual encontrado de 19% de estudantes com EAT+ evidenciou a tendência atual de aumento na prevalência de distúrbios alimentares. As poucas pesquisas sobre alterações nutricionais em universitários no Brasil mostram que este grupo pode estar sujeito a carências ou excessos, evidenciando um maior risco para o desenvolvimento de distúrbios alimentares em grupos ocupacionais diretamente ligados à área de saúde, como os nutricionistas, diferentemente do resultado encontrado pelo presente estudo.


Área de conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: distúrbios alimentares, anorexia, bulimia, fatores de risco



AVALIAÇÃO IN VITRO DA CONTAMINAÇÃO DE ESCOVAS DENTAIS POR STREPTOCOCCUS MUTANS

Acadêmico: Sheila Mara Parreira Lobatto

Orientador: Prof. Dr. Marcelo Sivieri de Araújo

Co-orientador: Prof. Dr. Geraldo Thedei Júnior

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Farmácia Industrial

Apoio: PAPE / UNIUBE


Atualmente, ênfase tem sido dada ao estudo de métodos de controle no desenvolvimento e proliferação da microbiota causadora da cárie. Esta pode ser transmitida pela escova de dente, pelo fato de existir uma estreita correlação entre o grau de infestação por Streptococcus mutans e a incidência de cáries, aliada a possibilidade de retenção de microrganismos pelas escovas dentais, levando a infecções bucais. No presente trabalho, foram caracterizados microbiológica e bioquímicamente isolados de Streptococcus mutans presentes em escovas dentais e amostras de saliva colhidas de alunos da Universidade de Uberaba, onde foi avaliado o risco de cárie versus presença e permanência do Streptococcus mutans nas escovas dentais. A coleta de saliva foi feita em tubos Falcon descartáveis previamente esterilizados e estimulada com parafina, onde foi analisada a porcentagem de Streptococcus mutans na saliva de 15 pacientes, previamente consultados e que assinaram o termo de permissão concordando com a coleta do material. As escovas de dente em uso dos pacientes selecionados foram coletadas e então decapitadas, e imediatamente as cabeças (região das cerdas)foram mergulhadas em tubo Falcon contendo 10 ml de solução salina tamponada (PBS) estéril e agitado por 30 segundos em vórtex. O material de cada paciente (saliva ou suspensão de bactérias presentes na escova), imediatamente após ser coletado, foi submetido a diluições sucessivas (10, 100, 1.000 e 10.000 vezes) em solução salina 0,7% estéril. O material diluído foi espalhado com alça de Drigalski em placas de Petri contendo meios sólidos seletivos para Streptococcus mutans (Mitis Salivarius Bacitracina Sacarose, MSBS). Foi procedido o cultivo em microanaerobiose, e o número de UFCs (Unidades Formadoras de Colônia) foi determinado em cada meio de cultura, utilizando-se as placas onde pudessem ser observados o número adequado de colônias individualizáveis a olho nú, variando no mínimo entre 30 e 300 colônias. Nos pacientes estudados, na análise microbiológica da amostra de saliva nenhum apresentou alto índice de infestação pelo Streptococcus mutans(UFCs menor que 100.000). Já no cultivo da suspensão de bactérias presentes na escova em diferentes diluições, onde foi procedido o cultivo em microanaerobiose, o número de UFCs não foi possível de ser determinada já que em todas as diluições e placas cultivadas houve grande crescimento de colônias de microrganismos de morfologia diversas. Os resultados encontrados nos permitem concluir que, as escovas dentais utilizadas diariamente pela população mostram-se infestadas por um “pool” de microrganismos, impedindo a seleção de amostras de Streptococcus mutans em meio seletivo para este. Sendo assim, parece ser pertinente que as escovas dentais em uso diário, devessem ser descontaminadas diariamente após seu uso por meio de antimicrobianos eficazes e que não produzam efeitos danosos ao indivíduo.

Área de conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras chave: Contaminação, Escovas dentais, Streptococcus mutans

AVALIAÇÃO SEMI-QUANTITATIVA DA FIBROSE MIOCÁRDICA EM IDOSOS AUTOPSIADOS

Acadêmicos: Rafael Malagoli Rocha (Bolsista)

Fernanda Bernadelli Garcia

Flávia Aparecida de Oliveira

Orientador: Prof. Dr. Vicente de Paula Antunes Teixeira

Co-orientadora: Profª Drª Marlene Antônia dos Reis

Instituição: Faculdade de Medicina do Trângulo Mineiro - Ciências Biológicas – Modalidade Médica

Apoio financeiro: FUNEPU, CNPq, FAPEMIG, CAPES


O processo de transição demográfica caracterizado pela diminuição das taxas de mortalidade e fecundidade proporcionou o aumento da população idosa em diferentes países, como o Brasil. O objetivo deste estudo foi quantificar a fibrose miocárdica em idosos autopsiados. Foram selecionados 27 casos de idosos com 60 anos ou mais autopsiados no Hospital Escola da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG. A fibrose foi avaliada de forma semi-quantitativa no miocárdio do ventrículo esquerdo em lâminas coradas por hematoxilina e eosina. Ela foi classificada em discreta, quando acometia até 25%, moderada, de 26 a 50% e intensa acima de 50% dos campos pesquisados. Após esta avaliação os laudos de autopsias foram revistos para coletar os dados dos indivíduos e classificar os tipos de cardiopatias, entre elas a isquêmica, reumática, chagásica ou hipertensiva. A fibrose foi analisada nos indivíduos sem cardiopatias (SC) e nos com cardiopatias (CC). Na faixa etária de 60 a 69 anos houve 100% dos casos com fibrose discreta nos indivíduos SC e 100% com moderada nos CC. De 70 a 79 anos, houve 60% com fibrose discreta e 40% com moderada nos indivíduos SC e 60% com moderada e 40% com intensa nos CC. De 80 a 89 anos houve 100% dos casos com fibrose moderada nos SC e 25% com moderada e 75% com intensa nos CC. Acima de 90 anos foi encontrado 25% dos casos com fibrose discreta, 50% com moderada e 25% com intensa nos SC e 100% intensa nos CC. Nos indivíduos SC 69,23% eram do gênero feminino, 61,53% eram brancos, e todos apresentavam peso do coração até 350g. Nos CC 53,84% eram do gênero masculino, 69,23% eram brancos e todos tinham peso do coração entre 280 e 660g. Observa-se que não houve casos de fibrose discreta em idosos com cardiopatias e que os corações que as contêm apresentaram aumento de peso. Portanto a fibrose aumentaria com a idade e a presença de cardiopatias pode intensificá-la.


Área do conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras-chave: Coração. Fibrose. Idoso.



Caracterização da População Atendida no Hospital do Pênfigo de Uberaba: a contribuição da Terapia Ocupacional

Acadêmica: Graciele Lopes de Carvalho

Karina Valeriano

Orientadora: Profª Ms. Maria Paula Panúncio Pinto

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Terapia Ocupacional

O Pênfigo ou Fogo Selvagem é uma patologia com caraterísticas peculiares que complicam o tratamento, resultando em longos períodos de internação e numa exclusão social grave. A realidade observada no Hospital do Pênfigo de Uberaba – único Hospital da América Latina especializado no atendimento aos casos – levou à abertura de uma área de estágio (Estágio Supervisionado III – Área Social) no curso de Terapia Ocupacional. A intervenção da Terapia Ocupacional dentro da instituição tem buscado, através do instrumento específico da profissão – o uso da atividade como recurso terapêutico – resgatar os vínculos dos internos com a comunidade, resgatar a esperança e transformar a internação num período produtivo em termos do resgate do fazer. A escassa literatura encontrada sobre a patologia, o desconhecimento da causa e o prognóstico incerto, levou alguns estagiários a buscarem uma caracterização da população atendida no local para, desta forma, contribuir para a produção de conhecimento na área. Assim, no período de agosto de 2001 à julho de 2002 foi aplicado questionário (anamnese + breve histórico ocupacional) à 34 sujeitos, homens e mulheres, internos do hospital. De forma geral, os resultados obtidos apontam para uma certa homogeneidade em termos de origem (zona rural) principal atividade de trabalho (atividades laborativas no campo e expostas ao sol por longos períodos), classe social e escolaridade. Além disso, os sujeitos têm em comum a presença de eventos de vida envolvendo perdas, doença mental, abandono e separação. Os resultados obtidos permitiram levantar características comuns na amostra estudada, que podem contribuir para uma maior compreensão da realidade da patologia.

Área do conhecimento: Ciências da Saúde

Palavras- chave: terapia ocupacional, pênfigo, caraterização sociológica



CONHECIMENTO SOBRE NUTRIÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA, EM UM GRUPO DE ESTUDANTES DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Acadêmicas: Adriana Silva Cruvinel

Karine Fedrigo Silva

Kezia Colletti Mendes Brito

Orientador: Prof. Ms. Luís Cláudio Benevenuto

Co-orientador: Guilherme Pádua Rodrigues

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Nutrição

Á medida que a nutrição e o hábito de praticar exercícios ganha mais espaço na vida das pessoas, torna-se sempre oportuno discutir os critérios e origens das orientações. Os meios de comunicação fornecem informações que nem sempre são confiáveis, sobre alimentação, tornando atletas e praticantes um alvo perfeito para as “fórmulas mágicas”. Infelizmente, essas fórmulas de alimentação muitas vezes produzem efeitos negativos, colocando em risco a saúde de quem as utiliza. Este trabalho teve o objetivo de avaliar o conhecimento sobre nutrição dos estudantes do Curso de Educação Física da Universidade de Uberaba, identificando os principais mitos e tabus no que diz respeito à nutrição e esporte. A amostra foi composta por 20% do total de alunos do curso (16 homens e 7 mulheres), com idade entre 18 e 43 anos, estudantes do primeiro ao quarto ano do Curso de Educação Física. Os dados foram coletados através de um questionário com perguntas referentes ao conhecimento sobre nutrição e esporte. Dos alunos avaliados, 60,86% já tinham recebido orientação nutricional de diferentes profissionais da área de saúde; 30,43% receberam orientações de parentes, amigos e instrutores de academias e, ainda, verificamos que 30,43% dos entrevistados relataram não ter interesse em receber novas orientações. Quanto ao conhecimento sobre nutrição, pode-se observar um alto índice de mitos e tabus entre os estudantes pesquisados, onde, 71,42% das mulheres e 68,75% dos homens consideram que suplementos vitamínicos e minerais fornecem mais energia para o atleta. Sobre o peso corporal 62,50% e 42,85% dos homens e mulheres, respectivamente, consideram que uma dieta rica em proteína e pobre em carboidrato é a melhor dieta para emagrecimento, enquanto que 71,42% das mulheres e 68,75% dos homens crêem que carboidrato ingerido ao anoitecer leva ao ganho de peso. Em relação à hidratação, 14,28% das mulheres e 6,25% dos homens relataram que não se deve tomar água durante as sessões de treinamento. Ao avaliar-mos o conhecimento dos estudantes, observamos a presença de mitos e tabus sobre nutrição, em todos os entrevistados, independente da variável sexo; Os principais mitos sobre nutrição estavam relacionados ao aumento da "performance" do atleta e perda de peso corpóreo; A qualidade das informações nutricionais recebidas, diretamente de pessoas não qualificadas, pode ter resultado no grande número de mitos relacionados à nutrição e em um maior risco para saúde do grupo exposto a estas crendices.

Área de conhecimento: Ciências da saúde

Palavras-chave: mitos e tabus; nutrição; atividade física




CONSUMO ALIMENTAR DE CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS, ATENDIDAS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE, BAIRRO ALFREDO FREIRE, UBERABA, MG

Acadêmicas: Karine Fedrigo Silva (Aluna de IC)

Orientadora: Profª Ms. Anelise Bezerra de Vasconcelos

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Nutrição







Compartilhe com seus amigos:
1   ...   19   20   21   22   23   24   25   26   27


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal