Da universidade de uberaba



Baixar 1.18 Mb.
Página4/19
Encontro19.07.2016
Tamanho1.18 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   19

CIÊNCIAS HUMANAS

78. A filosofia da história e a dicotomia do progresso presentes no pensamento de Walter Benjamin. Jamil Idaló Júnior (aluno); Profª Simone Afonso (orientadora) - UNIUBE.


79. A história do subentendido em Merleau-Ponty. Harley Juliano Mantovani (aluno); Prof. Humberto Aparecido de Oliveira Guido (orientador) – UFU.

80. Análise do discurso dos professores participantes da pesquisa educação continuada de professores: intertextualidade e interdiscursividade no texto argumentativo dos professores. Gisele Passos Costa (aluna); Prof. Luis Eduardo Alvarado Prada (orientador) -PIC/ UNIUBE.


81. Articulando identidades culturais e conteúdos escolares na formação continuada de professores/as. Doraildes da Silva Matos (aluna); Profª Célia Maria de Castro Almeida (orientadora) - PIBIC-FAPEMIG/ UNIUBE
82. Cartas à redação: o leitor entra em cena - um estudo da interação leitor/publicação através das seções de cartas do leitor: Caros Amigos, Carta Capital, Veja. Ricardo Santiago (aluno); Profª Rachel Balsalobre (orientadora) – PUC-SP.
83. Educação em movimento: espaço educativo do movimento de trabalhadores rurais sem terra (MST). Aparecida Maria Fonseca (aluna); Profª Maria Vieira Silva (orientadora) – UFU.
84. Era digital, trabalho e subjetividades contemporâneas: impactos da informática nas relações sociais. Ana Angélica Roncolato (aluna); Profª Sálua Cecílio (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
85. Estágio supervisionado como leitura da sala de aula. Alessandra Lara Silva (aluna); Prof. Luis Eduardo Alvarado Prada (orientador) - PIC/ UNIUBE.
86. Formação continuada de professores na área de influência da UNIUBE, uma tentativa de conceitualização. Gilmar Batista Rosa (aluno); Prof. Dr. Luis Eduardo Alvarado Prada (orientadora) – PIBIC-FAPEMIG/ UNIUBE.
87. Formação continuada de professores na Escola Municipal Anísio Teixeira. Jane Magali Fernandes Cividanes Genarck (aluna); Prof. Luis Eduardo Alvarado Prada (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
88. Formação de professores: debate político–filosófico (1970-2000). Tânia Aparecida Pontelo Soares (aluna); Profª Margarita Victoria Rodríguez (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
89. Influência da UNIUBE na formação de professores. Alexandre Augusto Cardoso (aluno); Prof. Luis Eduardo Alvarado Prada (orientador) – PIC/ UNIUBE.

90. Promoção de qualidade na educação infantil: um programa de Intervenção em formação de educadoras. Débora Nogueira Tomás (aluna); Profª Eulália Henrique Maimoni (orientadora). PIC/ UNIUBE.


91. Trabalho e informática na era digital. Marcelo Goulart Manso (aluno); Profª Sálua Cecílio (orientadora) – PIC/ UNIUBE.


LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES

92. A construção e a (re) construção da proposta de produção textual nas redações dos processos seletivos da Universidade de Uberaba: um destaque para as questões de autoria e expressividade


Hermes Medina Coeli (aluno); Profª Ormezinda Maria Ribeiro (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
93. A dialética entre a Língua Portuguesa e o estrangeirismo: uma dinâmica do uso das palavras no contexto social da globalização. Fabiene de Oliveira Santos (aluna); Profª Ormezinda Maria Ribeiro (orientadora) – UNIUBE.
94. Análise do pronome relativo que em redações do processo seletivo PIAS/2002
Osana Maria Leal Silva (aluna); Profª Ormezinda Maria Ribeiro (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
95. As variedades lingüísticas e a construção de significados nos Falares dos estudantes da Universidade de Uberaba. André Azevedo da Fonseca (aluno); Profª Irene de Lima Freitas (orientadora) – UNIUBE.
96. Polifonia em Poe: um enfoque psicanalítico. Gisele Fernandes Loures (aluna); Prof. João Bôsco Cabral dos Santos (orientador) – UFU


CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS

97. As unidades de conservação da natureza e as populações tradicionais: por uma ecologia humana acadêmico: Mariana Oliveira Pinto (aluna); Prof. Luiz Carlos Figueira de Melo (orientador) – UFU.


98. O melhor remédio é a informação: uma análise das campanhas de divulgação da hanseníase. Fernanda Beatriz Higino da Silva (aluna); Prof. Pedro Alves Fernandes (orientador) - PIC/ UNIUBE.
99. Planejamento e marketing de relacionamento na internet. Rachel Cecília de Oliveira Costa (aluna); Profª Ana Thereza Nogueira Soares (orientadora) - PUC/ Minas.


CIÊNCIAS DA SAÚDE

100. Adenocarcinoma gástrico com metástases para linfonodos e fígado apresentando células do tipo osteoclastos . Relato de caso. Valéria de Freitas Dutra (aluna); Profª Marlene Antônia Reis (orientadora) – FMTM.


101. Adesão à alteração de hábitos alimentares, de mulheres obesas Participantes do grupo de reeducação alimentar. Cecília Maria Alkmim Silva (aluna ); Profª Denise Teresinha de Sales Tibúrcio (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
102. A influência do hábito de assistir televisão sobre a ingestão alimentar de escolares. Adriana Silva Cruvinel (aluna); Prof. Luís Cláudio Benevenuto (orientador) – PIC/ UNIUBE.
103. A influência do hábito de assistir televisão sobre o estado nutricional de escolares. Jacqueline Crozara de Andrade (aluna); Prof. Luís Cláudio Benevenuto (orientador) - PIC/ UNIUBE.
104. Análise topográfica do forame mandibular em peças anatômicas maceradas dentadas e desdentadas. Paulinne Junqueira Silva Andresen Strini (aluna); Prof. Roberto Bernardino Júnior (orientador) – UFU
105. Análise da relação entre uso de sapato com salto alto e alterações posturais. Anna Helena Calapodópulos (aluna); Prof. Dernival Bertoncello (orientador) – PIC/ UNIUBE.
106. Análise da variabilidade da freqüência cardíaca durante exercício físico dinâmico de pacientes submetidos à fase III da reabilitação cardíaca. Diego Silva Fonseca (aluno); Profª Fernanda Regina de Moraes (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
107. Análise da variabilidade da freqüência cardíaca em repouso de pacientes submetidos à fase III da reabilitação cardíaca. Bárbara Ganem Rodrigues Colares (aluna); Profª Fernanda Regina de Moraes (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
108. Análise do uso de sapato com salto alto e prováveis relações com o equilíbrio corporal. Vanessa Linhares Lemos (aluna ); Prof. Dernival Bertoncello (orientador) – PIC/ UNIUBE.
109. Aspectos psicológicos em estudantes secundários. Tiago Humberto Rodrigues Rocha (aluno) Prof. João Eduardo Caixeta Ribeiro (orientador) – PIC/ UNIUBE.
110. Avaliação da adaptação marginal de restaurações indiretas em resina laboratorial com emprego de microscópio clínico e microscópio óptico. Fernanda Ribeiro Santana (aluna); Prof. Dr. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
111. Avaliação da atividade de marcha de idosos institucionalizados. Patrícia Silva (aluna); Profª Lidiana Simões Marques (orientadora) – UNIUBE.
112. Avaliação da atividade de higiene pessoal de idosos institucionalizados. Fausto Fernandes Almeida Sousa (aluno); Profª Lidiana Simões Marques (orientadora) – UNIUBE.
113. Avaliação da atividade funcional de alimentação de idosos institucionalizados. Fausto Fernandes Patrícia Silva (aluna); Profª Lidiana Simões Marques (orientadora) – UNIUBE.
114. Avaliação da influência da fíbula na resistência mecânica da tíbia. Rodrigo César Rosa (aluno); Prof. Dr. Antônio Carlos Shimano (orientador) – UNIUBE.
115. Avaliação da presença de coliformes totais e fecais em água dos bebedouros do Campus I da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro. Ana Carolina Santana de Oliveira (aluna); Profª Ana Paula Sarreta Terra (orientadora) – FMTM.
116. Avaliação da radiodensidade de sete sistemas de pinos Intra-radiculares pré-fabricados. Renata Rezende Gil (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.

117. Avaliação da resistência ao cisalhamento de um sistema adesivo autocondicionante em superfície de esmalte com e sem desgaste. Thiago de Freitas Pinto (aluno); Prof. Dr. Wildomar José de Oliveira (orientador) – PIC/ UNIUBE.

118. Avaliação da uniformidade na resistência mecânica de comprimidos obtidos em maquina compressora rotativa. Toni Carvalho de Andrade (aluno); Profª Giovanna B. Borini (orientadora)– UNIUBE.


119. Avaliação de resistência à tração de sistemas de união dentinários. Tatyane Angélica Costa Silva (aluna); Prof. Luís Henrique Borges (orientador) – PIC/ UNIUBE.
120. Avaliação de sintomas de stress em professores universitários. Marcela Cunha do Amaral (aluna); Profª Helena de Ornellas Sivieri Pereira (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
121. Avaliação do balanço autonômico em lesados medulares sedentários e atletas pela variabilidade da freqüência cardíaca. Renata de Almeida Costa (aluna); Profª Tatiane Flores Ribeiro (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
122. Avaliação dos parâmetros bioquímicos e laboratoriais de ratos submetidos à dieta hiperlipídico-protêica. Michelle Cardoso Marques (aluna); Prof. Dr. Geraldo Thedei Júnior (orientador) – PIC/ UNIUBE.
123. Avaliação hormonal de crianças com alteração nutricional. Michelle Dib Murad (aluna) Profª Fernanda Oliveira Magalhães (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
124. Avaliação laboratorial e do metabolismo em crianças com alteração nutricional. Juliana C. da Silva Castanheira (aluna ); Profª Fernanda Oliveira Magalhães (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
125. Avaliação pré e pós reconstituição do ligamento cruzado anterior por meio de medidas funcionais. Graziella Nascimento Ferreira (aluna); Profª Alessandra da Cunha (orientadora) – PIC/ UNIUBE.

126. Caracterização de crianças com alteração nutricional do Bairro Alfredo Freire. Marzio de Souza Pereira Neto (aluno ); Profª Fernanda Oliveira Magalhães (orientadora) – PIC/ UNIUBE.


127. Comparação da adesão de bráquetes em esmalte utilizando ligth emitting diode (LED) com adesivo autocondicionante e convencional. Fabrício de Magalhães Guimarães (aluno); Prof. Wildomar José de Oliveira ( orientador) - UNIUBE.

128. Efeito da dieta hiperlipídico-protéica na taxa de ingestão da dieta e no peso dos órgãos de ratos wistar. Claudia Modesto Veludo de Oliveira (aluna); Prof. Geraldo Thedei Júnior – PIC/ UNIUBE.


129. Efeito da dieta hiperlipídico-protéica no volume e ph urinário de ratos wistar durante o período de desenvolvimento. Daniela Braga Tarqüinio (aluna); Prof. Dr. Geraldo Thedei Júnior (orientador) – UNIUBE.

130. Efeito de dieta hiperlipídico–proteíca no desenvolvimento de sobrepeso em ninhadas de ratos wistar. Lidiane Bernardes Faria (aluna); Prof. Geraldo Thedei Júnior (orientador) – PIBIC-FAPEMIG/ UNIUBE.


131. Efeitos do treinamento físico associado a reeducação alimentar sobre a composição corporal em pacientes obesas. Aline Alcoforado dos Santos (aluna); Profª Fabiana Pavan Viana (orientadora) - PIC/ UNIUBE.
132. Efeitos do treinamento físico aeróbico sobre os parâmetros lipídicos do plasma e sobre o índice de massa corporal em mulheres obesas submetidas à reeducação alimentar. Tatiana Beatriz Tomaz de Mmelo (aluna); Profª Fabiana Pavan Viana (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
133. Estudo comparativo entre o diagnóstico clínico e histopatológico e das características histológicas de cistos e granulomas periapicais diagnosticados no serviço de anatomia patológica do curso de odontologia da Universidade de Uberaba. Marllus Alvarenga Costa (aluno); Prof. Marcelo Sivieri de Araújo (orientador) – PIC/ UNIUBE.
134. Estudo das respostas da pressão arterial de pacientes submetidos a condicionamento físico na fase III da reabilitação cardíaca. Camila Hermógenes e Silva (aluna); Profª Fernanda Regina de Moraes (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
135. Estudo do comportamento da freqüência cardíaca de pacientes submetidos à fase III da reabilitação cardíaca. Patrícia Ribeiro (aluna); Profª Fernanda Regina de Moraes (orientadora) – PIC/ UNIUBE.

136. Estudo sobre o supertreinamento em atletas corredores de rua de Uberaba. Carlos Fernando Tomain (aluno); Prof. Dr. Dernival Bertoncello (orientador) – PIC/ UNIUBE.


137. Estudo sobre o supertreinamento em atletas corredores de rua de Uberaba e elaboração de protocolos específicos de treinamento. Carlos Alberto de Queiroz Júnior (aluno); Prof. Dernival Bertoncello (orientador) – PIC/ UNIUBE.
138. Fonoaudiologia escolar: o que sabem os professores de educação infantil? Carlos Henrique Baldo do Nascimento (aluno); Profª Ana Rita Campos Barbosa (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
139. Freqüência de depressão nos estudantes universitários do curso de ciências aeronáuticas associada a algumas variáveis de interesse. Cristiana Chaves Aveiro (aluna); Prof. João Eduardo Caixeta Ribeiro (orientador) – PIC/ UNIUBE.
140. Identificando a violência doméstica como fator de risco ao desenvolvimento infantil: Clínica de Psicologia. Letícia Borges Antonialli (aluna); Profª Maria Paula Panúncio Pinto (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
141. Identificando a violência doméstica como fator de risco ao desenvolvimento infantil: clínica de Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia. Kize Maria Constantina Pantaleão Pereira (aluna); Profª Maria Paula Panúncio Pinto (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
142. Identificando a violência doméstica como fator de risco ao desenvolvimento infantil: Clínica de Fisioterapia. Cecília Moraes Jabur (aluna); Profª Maria Paula Panúncio Pinto (orientadora) – PIC/ UNIUBE.
143. Influência da contaminação com sangue e formas de tratamento da dentina na resistência adesiva de cimento resinoso. Michelle Couto Abdalla (aluna); Prof. Dr. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
144. Influência da natação no crescimento de meninas. Renata Zago Maneira (aluna); Prof. Antônio Carlos Shimano (orientador) - UNIUBE.
145. Infiltração marginal de restaurações diretas e indiretas em compósito com término em esmalte e dentina. Lidiane Oliveira Martins de Araújo (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
146. Infiltração marginal em cavidades cervicais-efeito do material de proteção pulpar. Michelle Costa Mendes (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
147. Influência da cimentação provisória e do método de limpeza do preparo na cimentação definitiva com cimento resinoso. Janaína Carla Pereira (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
148. Influência da idade na cifose. Kellen Ferreira de Freitas Gomes (aluna); Prof. Antônio Carlos Shimano (orientador) – UNIUBE.
149. Influência da sacarose sobre o crescimento, metabolismo e morfologia de streptococcus mutans. Fernanda de Oliveira e Lucas (aluna); Prof. Dr. Geraldo Thedei Júnior (orientador) – UNIUBE.
150. Influência do uso de agentes dessensibilizantes na resistência adesiva de cimento resinoso à dentina. Bruno de Castro Ferreira Barrreto (aluno); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
151. Influência do período entre a aplicação e ativação do adesivo na resistência de união de cimento resinoso à dentina. Gisele Rodrigues da Silva (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
152. Influência do reaproveitamento de uma liga Ni-Cr na resistência de união com a cerâmica. Antonio Fernando Borges de Almeida (aluno); Prof. Gilberto Antônio Borges (orientador) – PIC/ UNIUBE.
153. Meningite cryptococica em pacientes imunocomprometidos do Hospital Escola (HE) da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro (FMTM). Tatiane Marques (aluna); Profª Ana Paula Sarreta Terra (orientadora) – FMTM.
154. Microrganismos totais presentes em escovas dentais descontaminadas por imersão em solução sanitizante de uso doméstico. Wilsione José Carneiro (aluno); Prof. Marcelo Sivieri de Araújo (orientador) – PIC/ UNIUBE.
155. O papel da terapia ocupacional no enfrentamento da deficiência física. Maíla de Oliveira Facuri (aluna); Profª Débora Couto de Melo (orientadora) – UNIUBE.
156. O perfil do dependente químico que busca recuperação em um instituição de apoio ao drogado e alcoólatra em Uberaba-MG. Liliane Cristina de Além-Mar e Silva (aluna). Prof. João Eduardo Caixeta Ribeiro (orientador) – PIC/ UNIUBE.
157. Prevalência da Doença de Chagas em pacientes autopsiados com cisticercose. Ivonete Helena Rocha (aluna); Prof. Vicente de Paula Antunes Teixeira (orientador) – FMTM.

158. Programa de atividades físicas recreacionais para idosos institucionalizados. Bruna Martins Lobo (aluna); Profª Lidiana Simões Marques (orientadora) – PIC/ UNIUBE.


159. Projeto e desenvolvimento de uma máquina universal de ensaio. Rodrigo César Rosa (aluno); Prof. Antônio Carlos Shimano (orientador) – PIC/ UNIUBE.
160. Radiopacidade de esmalte e dentina humano, bovino e suíno. Natércia Rodrigues da Silva (aluna); Prof. Carlos José Soares (orientador) – UFU.
161. Reaproveitamento de liga Ni-Cr na união com a cerâmica usando testes de flexão. Ana Claudia Neves Vanderley (aluna);. Prof. Gilberto Antônio Borges (orientador) – PIC/ UNIUBE.
162. Resistência mecânica da tíbia e fêmur de frango. Patrícia Silva (aluna); Prof. Dr. Antônio Carlos Shimano (orientador) – UNIUBE.
163. Streptococcus mutans presentes em escovas dentais descontaminadas por imersão em solução sanitizante de uso doméstico. Sheila Mara Parreira Lobato (aluna); Prof. Marcelo Sivieri de Araújo (orientador) – PIC/ UNIUBE.
164. Utilização de um equipamento para avaliação da força muscular do músculo quadríceps pré e pós reconstituição do ligamento cruzado anterior. Leandro Sérgio da Silva (aluno). Profª Alessandra da Cunha (orientadora) – PIC/ UNIUBE.

CIÊNCIAS AGRÁRIAS

AVALIAÇÃO HEMATOLÓGICA APÓS O USO DE ROMIFIDINA

NA TRANQÜILIZAÇÃO DE EQÜINOS

Acadêmico: Daniel Mendes Fatureto (Bolsista da FAPEMIG)

Orientador: Prof. Dr. Moacir Santos de Lacerda

Co-orientador: Prof. Paulo Henrique Zaiden Paro

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Medicina Veterinária

Órgão Financiador: PAPE-UNIUBE / FAPEMIG

A romifidina é uma droga de bastante uso na clínica e cirurgia de eqüinos por ter propriedades tranqüilizantes, relaxante muscular de ação central e analgésica. Com o objetivo de avaliar o efeito da romifidina sobre os valores do hemograma de eqüinos após tranqüilização com romifidina, foram utilizados 15 eqüinos hígidos, de ambos os sexos, idades e com e/ou sem raça definida procedentes do atendimento clínico-cirúrgico do Hospital Veterinário da Universidade de Uberaba e da Fazenda da Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba (FAZU). Os animais foram distribuídos em três grupos: grupo I, recebeu romifidina em solução a 1% via intravenosa na dose de 60 g/Kg; os do grupo II com 80 g/Kg e os do grupo III com 100 g/Kg. Previamente à administração dos fármacos (TO) e aos, 30 (T30), 60 (T60) e 90 (T90) minutos, após sua aplicação, foram avaliadas os valores hemácias, hematócrito, hemoglobina, volume globular médio, leucócitos, proteína plasmática, fibrinogênio, cortisol, insulina e glicose. Os resultados foram submetidos à análise estatística através do teste de análise de variância (ANOVA), seguido do teste t-Student. Em ambos os grupos houve queda significativa do número total de hemácias a partir dos T30, permanecendo até T90. Entretanto, o número total de leucócitos não revelou alterações dignas de nota em nenhum momento, em todos os grupos estudados. Houve diminuição do fibrinogênio e proteína plasmática em todos os momentos quando comparado com T0. A dosagem de glicose aumentou em todos os tempos quando comparado com T0 e a insulina acompanha queda de acordo com o aumento de glicose. As variações são dosedependentes e tendem retornar aos valores normais após 90 minutos. Conclui que as alterações paramétricas nos valores de hemograma, cortisol, insulina e glicose não são biologicamente significativas, mas merece cuidados quando do emprego da romifidina na tranqüilização de eqüinos.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: romifidina, eqüinos, tranqüilização

COMPARAÇÃO ENTRE ANTISSÉPTICOS NA ESCOVAÇÃO PRÉ-OPERATÓRIA

DAS MÃOS DOS COMPONENTES DA EQUIPE CIRÚRGICA

Acadêmico: Ana Alice Leite Vasconcellos (Bolsista do PIC/ UNIUBE)

Orientador: Prof. Dr. Moacir Santos de Lacerda

Co-orientador: Prof. Byron José Figueiredo Brandão

Instituição: Universidade de Uberaba - UNIUBE

Órgão Financiador: PAPE/ PIC - UNIUBE

Com o objetivo de avaliar dois anti-sépticos na escovação para anti-sepsia das mãos dos componentes da equipe cirúrgica utilizou-se 40 amostras divididos em dois grupos, usando polivinilpirrolidona a 10% (PVPI) (grupo I) e clorhexedine a 4% (grupo II). As amostras foram coletadas através de swab da mão dominante dos alunos da disciplina da Técnica Cirúrgica do curso de Medicina Veterinária de Uberaba e avaliados em três tempos diferentes: antes da escovação (PRE), logo após a secagem (IME) e uma hora após as mãos permanecerem enluvadas (POS), período em que cada indivíduo realizou um procedimento cirúrgico e submetidas à contagem de Unidades Formadoras de Colônias (UFC)/ml. Os resultados evidenciaram que o número de colônias foi reduzido significativamente (p<0,05) logo após a secagem dos braços e diminui ainda mais após uma hora de cirurgia em ambos os grupos. Quando comparado os dois grupos observou que o grupo que utilizou o anti-séptico PVPI obteve maior número de colônias do que o grupo com clorhexedine após anti-sepsia das mãos. Concluiu-se que o clorhexedine foi o preparado mais eficaz na redução imediata do número de bactérias ao término da anti-sepsia das mãos. Após o procedimento cirúrgico não houve diferença significativa entre os dois anti-sépticos.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: anti-sépticos, técnica cirúrgica, escovação,

COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS ORGÂNICOS E CONVENCIONAIS DE CONTROLE DE ECTOPARASITAS EM BOVINOCULTURA LEITEIRA SUSTENTÁVEL

Acadêmico: Wagner Carlos de Oliveira (Bolsista da FAPEMIG)

Orientador: Prof. Dr. Geraldo Deffune Gonçalves de Oliveira

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Medicina Veterinária

Órgão Financiador: PAPE - UNIUBE/ FAPEMIG

Diante da crescente tendência nacional e mundial de mercado e da procura da população por produtos orgânicos, sem resíduos químicos, este trabalho teve como objetivo comparar a eficácia do controle de bernes (Dermatobia hominis) e carrapatos (Boophilus microplus) no rebanho leiteiro, utilizando medicamentos homeopáticos, fitoterápicos e quimioterápicos, proporcionando assim embasamento cientifico para a produção leiteira sustentável. Foram selecionadas 32 (trinta e duas) vacas adultas ‘secas’ (fora de lactação) do plantel leiteiro da Fazenda Escola da Universidade de Uberaba, igualmente divididas por características de peso e sanidade entre 4 (quatro) Sistemas de Tratamentos para avaliar os seguintes métodos de controle de ectoparasitas, num delineamento experimental em 8 (oito animais) repetições inteiramente casualizadas: 1. Testemunha absoluta. 2. Convencional Agroquímico (controle positivo) à base de cipermetrina. 3. Homeopático, com bioterápico baseado em nosódios D12 de extratos dos próprios ectoparasitas supracitados. 4. Fitoterápico, com aplicação externa de produto à base de extrato oleoso de Nim (Azadirachta indica). Os animais foram mantidos a pasto sob condições ambientais o mais homogêneas possíveis pelo período de um ano, sendo tratados mensalmente e avaliados quinzenalmente por meio de contagens padronizadas de ectoparasitas. Observou-se uma redução geral de ambos ectoparasitas já nos primeiros seis meses do experimento, atribuída a um efeito disseminado do bioterápico homeopático, via excreções dos animais tratados. Os resultados obtidos indicam a melhor eficácia do tratamento homeopático que apresentou diferença significativa em relação ao tratamento fitoterápico no controle de carrapatos, não havendo diferenças entre este último e os dois tratamentos controles. A baixa eficiência do extrato oleoso de Nim pode ser atribuída à sua sensibilidade de degradação frente ao calor e luz. Os resultados indicam a viabilidade e eficiência dos bioterápicos homeopáticos para sistemas de produção de leite orgânico.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: sistemas orgânicos, ectoparasitas, bovinocultura leiteira sustentável, bernes, carrapatos,

homeopatia, bioterápico, fitoterapia, nim.

CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO CLÍNICO E HISTOPATOLÓGICO DA PIOMETRA EM CADELAS

Acadêmico: Luis Fernando Ciriani (Bolsista do PIC-UNIUBE)

Orientador: Prof. Ms. Renato Linhares Sampaio

Co-orientador: Prof. Dr. Moacir Santos de Lacerda

Instituição: Universidade de Uberaba - Curso de Medicina Veterinária

Órgão Financiador: PAPE/ PIC - UNIUBE




A piometra, definida como a produção e acumulo de secreção purulenta no interior do útero, se destaca estatisticamente por ser a principal afecção do trato reprodutivo da fêmea canina. Além da alta morbidade, a doença se destaca pelo alto índice de mortalidade, associado ao quadro clínico do animal e às manifestações sistêmicas da doença. Com base nos resultados obtidos, espera-se, com o presente trabalho, contribuir para o entendimento da fisiopatologia da piometra em cadelas permitindo, após a análise detalhada dos dados, a instituição de medidas preventivas e terapêuticas eficazes na diminuição da morbidade e mortalidade das cadelas acometidas por esta importante patologia do aparelho genital das fêmeas caninas. Apesar da natureza infecciosa da patologia, sabe-se que o processo é deflagrado por um desequilíbrio endócrino não diagnosticado a tempo, imputando, na grande maioria dos casos, quando da instalação da doença como caracterizada pela literatura, a interrupção da vida reprodutiva da fêmea. Estudos epidemiológicos têm demonstrado que a produção e acúmulo de secreção purulenta de natureza infecciosa no útero, doença há anos consagrada com a denominação de piometra, tem se destacado como a principal patologia do trato reprodutivo das fêmeas caninas, sendo raramente diagnosticada nas demais espécies domésticas. Para contemplar a proposta aqui apresentada, foram estudas 14 cadelas portadoras da doença, de raça, idade e peso variados, selecionadas aleatoriamente no Hospital Veterinário de Uberaba. Os animais foram inicialmente submetidos a exame clínico e ultrassonográfico para a confirmação da patologia. Após esta etapa, os animais foram preparados para a cirurgia, que consistiu na retirada cirúrgica do útero e dos ovários. Foram coletados no período pré-operatório materiais para as análises hormonais (estradiol e progesterona), hemáticas (eritrograma e leucograma) e bioquímica sérica. Após a cirurgia, foram coletados os ovários e fragmentos dos cornos uterinos, os quais foram acondicionados em frascos contendo formol a 10% e identificados, para posterior realização de exame histopatológico. Após a cirurgia, os animais foram acompanhados durante toda a fase de recuperação, até o completo restabelecimento. A análise dos dados permitiu confirmar a natureza endócrina do problema, caracterizado por índices elevados do hormônio progesterona, sustentando a hipótese de que a partir deste desequilíbrio endócrino, ocorrem mudanças uterinas capazes de permitir o acúmulo de líquido e o início da infecção. O estudo histopatológico dos cornos uterinos revelou processo inflamatório crônico, caracterizado pela marginação de células inflamatórias, acúmulo de líquido, edema e hiperplasia da parede uterina. O exame microbiológico demonstrou a presença de bactérias no líquido coletado do interior uterino, representadas principalmente pela Escherichia coli e Staphylococus sp. O perfil bioquímico sérico comprovou que a doença, apesar de se encontrar restrita ao espaço intra-uterino, tem conseqüências sistêmicas importantes, caracterizadas principalmente pela sobrecarga das funções renais. Conclui-se, a partir da análise do conjunto de dados fornecidos por este trabalho, que a piometra é uma doença complexa, reunindo na sua etiopatogenia e fisiopatologia fatores endócrinos, microbiológicos, bioquímicos e hematológicos, exigindo constante avaliação das fêmeas da espécie canina. Pode-se inferir também que a dosagem do hormônio progesterona pode contribuir para o diagnóstico precoce da doença e seu controle e tratamento.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: piometra, cadela, hiperplasia endometrial cística

CRIPTOSPORIDIOSE EM BOVINOS DE CORTE NA MICRORREGIÃO

DE UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS

Acadêmicos: Daniel de Castro Rodrigues (Bolsista do PIBIC)


Rúbia Mara Rodrigues Amorim (Bolsista do PIBIC)

Núbia da Silva Araújo


Cláudio Vieira da Silva

Orientadora: Profª Márcia Cristina Cury

Instituição: Universidade Federal de Uberlândia

Órgão Financiador: PIBIC-CNPq/UFU e FAPEMIG/ UFU

A saúde animal é quali-quantitativamente, parte importante dentre os fatores que influenciam a produção pecuária pois inumeráveis são os problemas sanitários que limitam a produção bovina. Cryptosporidium sp é um protozoário que parasita células epiteliais do trato gastro intestinal e respiratório de animais domésticos, sendo responsável pelo quadro clínico de diarréia em animais jovens, sendo esta uma das principais causas de morbidade e mortalidade. O presente trabalho objetiva-se estudar a ocorrência do Cryptosporidium sp em bovinos de corte da Microrregião de Uberlândia, Minas Gerais. Foram analisandas até o presente momento, amostras de fezes de 33 animais de um total de 250. Sendo estes, bezerros de corte machos, mestiços (taurinos x zebuínos), com idade variando entre 3 a 12 meses, através da técnica de Ziehl-Neelsen para a pesquisa de oocistos de Cryptosporidium sp. Verificou-se que dos 33 animais analisados, 10 (30,30%) apresentavam oocistos em suas fezes, embora nenhum dos positivos apresentassem sintomatologia clínica da doença. A ocorrência desse agente na população bovina, sugere a necessidade de medidas preventivas mais eficazes sobre a população adulta e jovem, pois portadores assintomáticos podem atuar como fonte de infeção para animais suscetíveis.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: Criptosporidium sp, bovinos de corte, prevalência

DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO DE OVINOS SANTA INêS

Acadêmico: Gustavo Abrahão Elias (Aluno do PIC-UNIUBE)

Orientador: Prof. Ms. João Cláudio do Carmo Paneto

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Medicina Veterinária

Órgão Financiador: PAPE/ UNIUBE

Há uma tendência natural entre os criadores de rebanhos voltados à produção de carne, de preocupação com os níveis de ganho de peso dos animais, levando a práticas de manejo e seleção fortemente voltados para a melhoria desta característica. No entanto, sabe-se que o desempenho reprodutivo, principalmente das fêmeas, é um fator de grande importância na definição do sucesso desse tipo de empreendimento. Na criação de ovinos para corte, fêmeas que não apresentam partos regulares, ou que não desmamam cordeiros vivos e em boas condições de desenvolvimento, passam muito tempo no rebanho, consumindo espaço, alimentação e outros recursos que poderiam estar disponíveis para animais em produção. Um grande número de fêmeas nestas condições significa prejuízo para o criador. Para avaliação deste desempenho reprodutivo, em um rebanho de ovinos da raça Santa Inês, foram utilizados como critérios: probabilidade de prenhez com um ano de idade (PP1); idade média ao primeiro parto (IPP); intervalo médio entre partos (IEP); número de cordeiros nascidos por parto (NCP); peso médio do cordeiro ao desmame (PMD); e idade ao desmame (ID). Para avaliar a variação da fertilidade das fêmeas de acordo com o avanço na sua idade, foi feita uma análise de variância, observando a influência da idade sobre o número de cordeiros nascidos, por cada ovelha, no período de estudo (14 meses, que compreende 3 estações de montas). A probabilidade de prenhez a um ano de idade, média do rebanho, ficou em 58%. A idade média ao primeiro parto ficou em 667 dias. O intervalo entre partos médio foi de 11,2 meses. O número médio de cordeiros nascidos por parto foi de 1,09. Os cordeiros foram desmamados, em média, ao 75 dias de idade, com um peso médio de 16,6 kg. Foi ainda observada uma taxa de mortalidade de cordeiros, do nascimento ao desmame, de 17,6%. Pôde-se constatar que a idade da ovelha influenciou significativamente (p<0,05) o número de cordeiros nascidos no período. Concluiu-se que a fertilidade e a precocidade sexual das fêmeas estão abaixo das possibilidades, podendo ser bastante melhoradas, recomendando-se, portanto, um trabalho mais intenso neste sentido. Dentro da faixa de idade estudada, entre 2 e 7 anos, observou-se que um aumento na idade tende a melhorar o desempenho reprodutivo das fêmeas.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: ovinos, Santa Inês, fêmeas, desempenho reprodutivo



DIFERENCIAÇÃO CITOLÓGICA ENTRE TUMORES MALIGNOS E BENIGNOS

EM CÃES, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE PUNÇÃO ASPIRATIVA POR AGULHA FINA

Acadêmico: Simão Albertin (Bolsista do PIC/ UNIUBE)

Orientadora: Profª Drª Alessandra Aparecida Medeiros

Instituição: Universidade de Uberaba – Curso de Medicina Veterinária

Órgão Financiador: PAPE/ PIC - UNIUBE

O emprego da citologia como método de diagnóstico em medicina veterinária tem crescido nos últimos anos, principalmente devido às vantagens que esse método proporciona. A citologia é um método de diagnóstico rápido, de fácil realização, podendo ser executado em até 30 minutos. Além disso, requer pequena quantidade de material para ser realizado, com custo relativamente baixo e além de oferecer pouco ou nenhum risco ao paciente. O exame histopatológico usualmente proporciona um diagnóstico definitivo, entretanto, é importante considerar a utilização da citologia, especialmente quando é de interesse a antecipação do diagnóstico. Dentre os métodos de colheita para exame citológico, o preferido é punção aspirativa por agulha fina, pois evita contaminação superficial, e permite a colheita de células de várias áreas dentro da lesão, ajudando a obtenção de uma amostra representativa. Assim, os objetivos deste estudo são: determinar a eficiência da punção aspirativa por agulha fina para o diagnóstico de neoplasias malignas e determinação de sua origem celular em cães; realizar um levantamento das neoplasias que ocorrem mais freqüentemente em cães, na cidade de Uberaba e região. Foram atendidos 30 cães apresentando aumentos de volume condizentes com lesões neoplásica, encaminhados ao serviço de cirurgia do Hospital Veterinário de Uberaba, no período de fevereiro de 2003 a agosto de 2003. O material utilizado para exame citológico foi colhido com agulha fina de 0,6 a 0,8 mm de diâmetro, com aspiração utilizando uma seringa de 20ml. Foram feitas de 3 a 5 coletas por animal, visando sempre a obtenção de material que representasse toda a formação. As lâminas foram fixadas ao ar, depois coradas por 5 minutos com Azul de Metileno e também pelo Panótico Rápido. Após serem coradas as lâminas foram lavadas em água destilada, secas e examinadas ao microscópio de luz, utilizando as objetivas de 40X e 100X. Foi realizado a exérese cirúrgica em todos os animais, sendo colhido material para diagnóstico histopatológico durante o procedimento cirúrgico, para posterior comparação entre os diagnósticos histopatológicos e citológicos dos tumores. Os tumores mais prevalentes, entre os animais atendidos no Hospital Veterinário de Uberaba, foram: adenocarcinoma de mama e tumor misto mamário. Houve concordância entre o método histopatológico e citológico na identificação das lesões em 82% dos casos. O diagnóstico citológico de tumores pode ser considerado rápido e fácil de ser executado, além de ter custo relativamente baixo e apresentar alta sensibilidade quando comparado com diagnóstico histopatológico. A técnica utilizada (PAAF) foi executada sem dificuldade durante colheita do material, sendo que em todos os animais coletados foi possível observar células neoplásicas nos esfregaços.

Área do Conhecimento: Ciências Agrárias
Palavras-chave: cães, tumores, citologia.

DIVERSIDADE DE FORMIGAS EM TRÊS AMBIENTES DISTINTOS: MATA CILIAR, PASTAGEM E CERRADO DE PEIRÓPOLIS- UBERABA,MG.


Acadêmico: Adolfo da Silva Melo

Orientadora: Profª Drª Anna Elizabeth Jannini

Instituição: Faculdade de Educação de Uberaba – Curso de Ciências Biológicas

Órgão Financiador: FEU

Formigas apresentam ocorrência cosmopolita, devido á sua capacidade de adaptação, funcionando, também, como bioindicadores de diversidade. A formicifauna esta presente na maioria dos ecossistema terrestres, esta grande adaptação e dispersão é relacionada a preferência e hábito alimentar . Isso resulta em uma grande riqueza morfológica e ecológica destes indivíduos. A metodologia usada é um gride 15x15m dividido em 9 quadrantes de 25m2 cada um com uma armadilha tipo pitt-foll e ao lado um transecto com 100m e em cada 10m um armadilha de isca em cada ambiente distinto. O presente trabalho tem como objetivos investigar a diversidade de formigas em três ambientes: mata ciliar, pastagem e cerrado, conhecer as espécies de formigas em atividade nos períodos diurno e noturno e verificar locais preferenciais desses animais. Pelas análises das coletas já realizadas em campo, observa-se um maior riqueza de indivíduos na mata ciliar e no cerrado. A mata ciliar, provavelmente por apresentar ambiente úmido e diversidade em espécies vegetais, torna-se um local convidativo á toda forma de vida que visita ou habita a mata. Embora com clima menos propício, o cerrado constitui-se em um ambiente com grande diversidade, onde foi possível coletar diversas espécies de formigas. A pastagem, área de monocultura, apresenta solo compactado com ausência de árvores e arbustos. Esses aspectos a tornam um local pouco propício à vida de insetos da família formicidae. Não houve registro de nenhum formigueiro nesse ambiente, o que deve estar relacionado à dureza do solo, pois formigas aladas recém fecundas precisam de um local adequado para iniciar seu formigueiro na primeira noite ou, caso contrário, podem ser predadas.Com resultados posteriores advindos dessa pesquisa, espera-se contribuir com o conhecimento da biodiversidade característica do grande domínio dos cerrados, com fins à sua preservação.
Área do Conhecimento: Ciências Agrárias - Ecologia
Palavras-chave: Formigas, Biodiversidade, Ambientes.


ESTUDO COMPARATIVO DE DORAMECTINA, ABAMECTINA, IVERMECTINA NO CONTROLE DE HELMINTOS GASTROINTESTINAIS EM BOVINOS ANELORADOS DA MICRORREGIÃO DE UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS

Acadêmicos: Daniel de Castro Rodrigues

Núbia da Silva Araújo

Orientadora: Profª Márcia Cristina Cury

Co-orientadores: Prof. Francisco Sales Resende de Carvalho

Prof. Ivan Pereira

Instituição: Universidade Federal de Uberlândia

Órgão Financiador: CNPq/ UFU e Tecfarm

Aplicação de medidas de controle dos helmintos é essencial para o desenvolvimento com sucesso da produção de ruminantes a pasto. Para o sucesso do controle das helmintoses, a aplicação dos anti-helmínticos preventivamente e estrategicamente, assim como os compostos em uso são pontos fundamentais. Este trabalho teve como objetivo de avaliar o efeito de diferentes tratamentos anti-helmínticos, na eliminação de ovos. Foram utilizados 40 bovinos naturalmente infectados, machos, mestiços (taurinos x zebuínos), com idade variando entre 3 a 12 meses. Sendo estes divididos em 4 grupos de 10 animais, grupo (1) controle, grupo (2) animais tratados com Doramectina, grupo (3) animais tratados com Abamectina, grupo (4) animais tratados com Ivermectina. Amostras fecais foram coletadas diretamente da ampola retal, no terceiro, sétimo, décimo quarto, vigésimo primeiro, vigésimo oitavo, trigésimo quinto dia após o tratamento. Estas foram analisadas pela da técnica de Gordon e Whitlock modificada, para realização da contagem de ovos por grama de fezes (OPG). Verificou-se que a Abamectina, promoveu uma redução no número de ovos e manteve uma variação média no numero de ovos de 400 do terceiro ao trigésimo quinto dia tratamento, enquanto a Ivermectina apresentou uma redução média no número de ovos apartir do décimo quarto dia de tratamento, mantendo uma média de 600 ovos. Doramectina apresentou redução no numero de ovos apartir do vigésimo primeiro dia de tratamento, sendo a média de ovos eliminados de 400 ovos no trigésimo quinto dia. Dos três anti-helminticos utilizados, o que apresentou melhor eficácia no controle de helmintos foi a Abamectina.

Área de Conhecimento: Ciências Agrárias

Palavras-chave: anti-helminticos, bovinos, estudo comparativo


1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   19


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal