Decreto Regulamentar n.º 90/84, de 26 de Dezembro



Baixar 435.15 Kb.
Página5/24
Encontro29.07.2016
Tamanho435.15 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24

Artigo 20.º


Materiais dos isoladores

Os isoladores serão de porcelana, vidro, resina ci-cloalifática ou outros materiais isolantes equivalentes, resistentes à corrosão pelos agentes atmosféricos.


Artigo 21.º


Características dos isoladores

  1. As características dos isoladores, particularmente a forma e dimensões, serão adequadas à função e aos esforços a que possam vir a ser submetidos em exploração normal.

  2. Os isoladores deverão ter uma tensão suportável de curta duração, à frequência industrial, sob chuva, não inferior a 4 kV.


Artigo 22.º


Suportes dos isoladores

Os suportes dos isoladores deverão resistir às acções provenientes dos condutores, com o coeficiente de segurança adoptado para os respectivos apoios, e ter protecção contra a corrosão adequada ao local.


Artigo 23.º


Material de fixação dos isoladores

O material de fixação dos isoladores não deverá ser constituído por substâncias que os ataquem ou aos respectivos suportes e se deteriorem ou sofram variações de volume que afectem o estado dos isoladores ou a segurança da fixação.



SUBSECÇÃO Ill

Dispositivos de fixação de condutores isolados em feixe (torçada) ou cabos

Artigo 24.º


Materiais dos dispositivos de fixação

Os condutores isolados em feixe (torçada) e os cabos auto-suportados ou suspensos de fiadores deverão ser fixados às superfícies de apoio por meio de dispositivos adequados. Estes dispositivos deverão, nomeadamente, fixá-los por forma segura, não permitindo, em condições normais, o seu deslizamento nem a deterioração do isolamento dos condutores ou da bainha dos cabos.


Artigo 25.º


Características dos dispositivos de fixação

  1. Os dispositivos de fixação dos condutores isolados em feixe (torçada) e dos cabos auto-suportados ou suspensos de fiadores deverão resistir às acções transmitidas pelos condutores, com o coeficiente de segurança adoptado para os respectivos apoios.

  2. Os dispositivos de fixação dos condutores isolados em feixe (torçada) e dos cabos auto-suportados ou suspensos de fiadores não deverão, pela sua constituição ou por revestimento adequado, danificar os condutores nem ser por estes deteriorados.

Comentário. – No caso dos condutores isolados em feixe (torçada), a parte dos dispositivos de fixação em contacto com os condutores deve ser de material isolante ou, se metálica, deve ser plastificada.

SUBSECÇÃO IV

Apoios, espias e escoras

Artigo 26.º


Materiais dos postes

Os postes serão de aço, de betão armado ou pré-esforçado, de madeira ou de outros materiais de resistência mecânica adequada, aprovados pela fiscalização do Governo.



Comentários:

  1. Vara os postes de madeira recomenda-se, em especial, o pinho (Pinus pinaster ait.) tratado e o castanho, sendo de excluir madeiras que, pelo seu comportamento, possam prejudicar a exploração das redes de distribuição.

  2. De entre os «outros materiais» referidos no artigo, cita-se o poliéster reforçado com fibra de vidro.

  3. O dimensionamento, a fabricação e o ensaio dos postes de aço reticulados, de betão e de madeira, devem obedecer às normas NP- 341, NP- 261 e NP- 267, respectivamente. Os postes de betão devem obedecer ainda à norma P- 628.


Artigo 27.º


Fundações de postes

  1. Os postes serão implantados directamente no solo ou consolidados por fundações adequadas de modo a ficar assegurada a sua estabilidade, tendo em conta a natureza do solo e as acções intervenientes, devendo observar-se na sua implantação o seguinte:

  1. Os postes metálicos serão encastrados em maciços de betão;

  2. Os postes de betão armado ou pré-esforçado poderão ser implantados directamente no solo;

  3. Os postes de madeira deverão ser, em regra, implantados directamente no solo ou fixados a dispositivos apropriados.

  1. Nos casos correntes de postes implantados directamente no solo a profundidade mínima de enterramento, em metros, deverá ser igual a

h = + 0,5

em que H, também em metros, é a altura total do , poste.



  1. Para postes de altura total superior a 15 m, desde que seja convenientemente justificada a estabilidade do poste, admitir-se-ão profundidades de enterramento menores que as dadas pela expressão do número anterior, mas nunca inferiores a 2 m.

  2. Para o cálculo das fundações dos postes dever-se-á adoptar o disposto no Regulamento de Segurança de Linhas Eléctricas de Alta Tensão, na parte aplicável.

  3. Entre os apoios ou suas fundações e os cabos subterrâneos de energia ou de telecomunicação deverão manter-se distâncias suficientes para evitar avarias, com um mínimo de 0,80 m.

Comentários:

  1. Os maciços de betão que constituem as fundações dos postes metálicos devem sobressair um pouco do solo e ter uma forma que facilite o escoamento da água.

  2. Os postes de betão dispensam, geralmente, fundações especiais, por se conseguir a sua estabilidade respeitando a profundidade mínima de enterramento fixada no n.º 2 do artigo e atacando a parte enterrada com pedra solta, como se procede para os postes de madeira.

  3. Os postes de madeira são, em regra, implantados directamente no solo, atacados simplesmente com pedra solta. Para este efeito recomenda-se a colocação de uma coroa de pedras duras de dimensões convenientes na base do poste e de outra no terço superior da escavação, devendo a altura destas coroas ser aproximadamente igual ao diâmetro do poste.

No caso de postes implantados em terreno particularmente mole pode ser necessário colocar mais de 2 coroas de pedras ou adoptar outros meios destinados a evitar que as pressões sobre as pedras e o fundo da escavação ultrapassem o limite admissível.

Os postes de madeira podem ser fixados a bases de betão, as quais devem sobressair um pouco do solo e ter uma forma que facilite o escoamento da água. A fixação do poste na respectiva base deve ser feita de modo a manter o poste afastado do solo, com o fim de preservar a madeira da humidade do solo e da acumulação das águas.

O encastramento de postes de madeira directamente em maciços de betão pode fazer-se desde que a distância entre a parte superior do maciço e a superfície do solo não seja inferior a 0,5 m.

No caso de postes de madeira implantados em passeios recobertos de betão ou asfalto recomenda-se que o revestimento seja interrompido a, pelo menos, 20 cm do poste e o espaço entre este e o revestimento seja compactado e nivelado.



Catálogo: Historico -> Lists -> Contedos%20EDAInside -> Attachments
Attachments -> Decreto Legislativo Regional N.º 19/A/2003, de 23 de Abril
Historico -> Anexo à instruçÃo n.º 6/2013 bO n.º 4
Historico -> Anexo à instruçÃo n.º 6/2013 bO n.º 4
Historico -> Instrução n o 32/2014
Historico -> Lógica Matemática Notas sobre a história da Lógica[1]
Historico -> Histórico funcional – modelo magistério nº
Historico -> InstruçÃo n.º 33/2012 bO n.º 10
Historico -> Histórico das tentativas de negociação da Associação dos Funcionários da Fundação itesp – afitesp- com a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania e Diretoria Executiva da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo “José Gomes da
Attachments -> Decreto-Lei N.º 069/2002, de 25 de Março Extensão das Competências de Regulação da erse às Regiões Autónomas
Attachments -> Decreto-Lei N.º 178/2006, de 5 de Setembro


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal