Deformação da História na Casa João Turin



Baixar 6.71 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho6.71 Kb.

Deformação da História na Casa João Turin

O artista plástico João Moro inaugura nesta quarta-feira, dia 07, às 18h30, a exposição Deformação da História, na Casa João Turin (Rua Mateus Leme, 38), espaço da Secretaria de Estado da Cultura. Na ocasião serão apresentados dois trabalhos inéditos: o primeiro é um imenso painel em relevo feito em resina sintética e pintado de alumínio com uma multidão de rostos deformados e amontoados de personagens célebres da cultura universal. E o segundo é uma instalação flutuante, com os mesmos rostos, agora pintados de branco, desmontados e deformados que preenche a sala e são reapresentados de uma nova maneira que provoca o observador a reflexão. A mostra tem entrada franca, fica em cartaz até 06 de junho e a entrada é franca.



Deformação da História está disposta em duas salas. Na primeira um imenso painel em relevo realizado em resina sintética e pintado de alumínio com uma multidão de rostos deformados e amontoados de personagens célebres da cultura universal. Na segunda o espectador encontra uma instalação flutuante, com os mesmos rostos, agora pintados de branco, desmontados e deformados preenche a sala e são reapresentados de uma nova maneira que querem provocar o observador, no qual é convidado a penetrar.

Segundo o artista, essas imagens sugerem a desmaterialização. Transpondo a realidade do inconsciente de uma deformação da história. Ele se inspirou a partir da origem de 76 bustos, de cópias realistas, que fez para o Parque de Ciência Newton Freire Maia, como por exemplo, bustos de Albert Einsten, Leonardo Da Vinci, Sócrates, Santos Dumont e outros.

O artista explica, que tanto numa obra quanto noutra, o que temos é um trabalho sobre a forma, na repetição de um molde, mas que sempre produz cópias diferentes - ao agir sobre o molde, cada obra é única. Para o critico de arte Fernando Bini “O tema, Deformação da História, pode nos conduzir a uma reflexão ou mesmo a uma indagação de como os meios de comunicação de hoje vem tratando o fato histórico, mas em João Moro a deformação é literal: ele deforma as faces dos personagens da história – são rostos na multidão.” ressalta.

Biografia

João Moro, nasceu, 1959, na cidade de Pato Branco, Paraná. Aos 11 anos iniciou sua trajetória nas artes. Muda-se de Ponta Grossa para Curitiba, em 1981, para ingressar na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, e na EMBAP, faz dois cursos, em paralelo, de Licenciatura em Desenho e Superior de Pintura.

Realizou cerca de 30 individuais e ganhou alguns prêmios como, por exemplo, em 1988, na 8º Mostra Nacional da Gravura. Moro, já participou com trabalhos de gravuras, telas e esculturas em mais de 35 salões e mostras. Inclusive, participou de mostras internacionais como na The 15º e 16º Internacional Independente Exhibition of Prints in Kanagawa,Japão.

Artista versátil de estilo contemporâneo já lecionou por mais de dez anos, e possui obras em alguns acervos no Estado do Paraná, como Museu Municipal de Arte e Museu da Gravura.



Serviço:

Abertura da exposição Deformação da História, de João Moro. Dia 07 de abril de 2010, às 18h30, na Casa João Turin (Rua Mateus Leme, 38). A mostra permanece até o dia 06 de junho. Horários de visitação: de segunda a sexta das 9h às 18h; sábados e domingos das 10h às 16h. A entrada é franca.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal