Denuncias de fraude em concurso revelam má gestão da Unemat



Baixar 6.7 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho6.7 Kb.
Denuncias de fraude em concurso revelam má gestão da Unemat


Certame seria realizado por fundação privada que, conforme decisão da comunidade universitária, não deveria mais ter convênio com a universidade

Diversas denúncias de fraudes e incompetência na execução levaram o Governo de Mato Grosso a cancelar, no domingo (22/11), o concurso público para preenchimento de 10 mil vagas nos quadros do Estado, realizado pela Universidade Estadual de Mato Grosso – Unemat. Os 274 mil candidatos que se deslocaram do país inteiro para fazer o concurso estão revoltados. Em Cuiabá, chegaram a fazer filas nas delegacias de Polícia para registrar boletins de ocorrência.

Em algumas regiões, faltou lugar para os candidatos fazerem as provas. Em outras, foram as próprias provas que não chegaram a tempo. Matérias veiculadas pela imprensa demonstram que muitos candidatos tiveram acesso, pela manhã, às provas que deveriam ser aplicadas somente durante a tarde.  As imagens da prova para o cargo de gestor governamental estão nos principais meios de comunicação.

O concurso público é considerado o maior da história de Mato Grosso. Atendia a seis editais, que reuniam 4.386 vagas para cargos de nível superior, 3, 7 mil para médio e 2 mil vagas para o nível fundamental. Os salários variam de R$ 465 a R$ 10.013. O reitor da Unemat, Taisir Karim, admitiu que o prejuízo para os cofres públicos pode chegar a R$ 10 milhões, já que somente para a realização da etapa de ontem foram gastos R$ 5 milhões.

Para a diretoria da Associação dos Docentes da Unemat – Adunemat Seção Sindical do ANDES-SN, o cancelamento do concurso por suspeita de fraude é reflexo dos diversos problemas que afetam instituição, originados principalmente pela falta de gestão democrática e o consequente desrespeito às decisões da comunidade acadêmica.

“Há quase um ano a Unemat está funcionando sem um estatuto válido, porque o aprovado democraticamente pelo Conselho Universitário, em reunião realizada em abril de 2009, ainda não foi homologado pelo Conselho Curador”, denuncia o diretor da Adunemat, Eduardo Soares Gonçalves. Segundo ele, é justamente neste estatuto que seria definido a desvinculação da Unemat com a entidade privada que seria responsável pela “organização” do concurso, a Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual - Faesp. 



Fundação privada: vício de origem
A Adunemat e o ANDES-SN têm denunciado a atuação perniciosa da Faesp na Unemat há anos, em função de suspeitas anteriores de má gestão da verba pública, improbidade administrativa, entre outros problemas.

Há dez dias, o Ministério Público – MP, atendendo a uma denúncia da entidade docente local, obrigou a administração superior da Unemat a assinar um Termo de Conduta se comprometendo a realizar sozinha o concurso, eliminando completamente a participação da fundação privada no certame.



Denúncias publicadas pelo jornal A Gazeta, de Cuiabá, demonstram que os problemas decorrentes da má organização do concurso já ocorriam desde a abertura das inscrições, comprometendo a atuação da Faesp e evidenciando a necessidade de acompanhamento e atuação do Ministério Público no caso.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal