Departamento de teologia luiz felipe xavier a primeira fase da investiga



Baixar 0.93 Mb.
Página1/14
Encontro25.07.2016
Tamanho0.93 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14
FACULDADE JESUÍTA DE FILOSOFIA E TEOLOGIA

DEPARTAMENTO DE TEOLOGIA

LUIZ FELIPE XAVIER

A PRIMEIRA FASE DA INVESTIGAÇÃO CRÍTICA SOBRE A VIDA DE JESUS

UMA COMPREENSÃO DA ANÁLISE DE ALBERT SCHWEITZER DA PRIMEIRA BUSCA DO JESUS HISTÓRICO


Dissertação de Mestrado

Orientador: Prof. Dr. Johan Konings

BELO HORIZONTE

2007


Agradecimentos
- A Deus, pela fé em Jesus Cristo, meu Salvador e Senhor.

- Ao orientador Johan Konings, por seu grande interesse e significativa contribuição.

- À minha amada Thaís, pelo amor e incentivo.

- Aos meus queridos pais, Luiz Carlos e Marília, pelo exemplo de vida.

- À minha irmã Mariana e aos meus amigos, pelo apoio.

- À minha avó Dayse e à Redê no Planalto, pelas constantes orações.

- Ao Beto e à Fátima, pelo estímulo.

- À Igreja Batista da Redenção, especialmente ao colegiado de pastores, pela nutrição espiritual.

- Ao Christian, meu pastor e amigo, por me ajudar a discernir e seguir os passos de Jesus.

- A todos os meus professores da FAJE, especialmente ao Ulpiano, pela excelência no ensino.

- À Ir. Carmelita, pela bolsa de estudos da CAPES.

- À Dulcinéia, por sua alegria em servir.

- Aos meus companheiros de sala, pelo tempo de convivência.

- À direção da FATE-BH, Sidney, Regina e Ebenezer, pela oportunidade de ensinar.

- Às professoras Daniela e Súsie, pelas revisões.

- Aos demais professores, funcionários e alunos da FATE-BH, pelo companheirismo.

- À direção, coordenação, professores, funcionários e alunos do Instituto Cristão do Caiçara, pelo carinho.

- A todos que, direta ou indiretamente, contribuíram com a realização desse sonho.



Resumo
A primeira busca do Jesus histórico se inicia com a publicação de sete fragmentos de Reimarus, por Lessing, em 1778. Tal busca se estende por todo o século XIX e chega ao fim com a publicação da obra A Busca do Jesus Histórico, de Albert Schweitzer. Esses quase dois séculos de pesquisa sobre a vida de Jesus deixaram um grande legado para a teologia. Uma vez que, em geral, esse período é tratado com certa superficialidade nos manuais de história da teologia, a presente pesquisa objetiva a compreensão dessa fase inicial da investigação crítica sobre a vida de Jesus. Logo, essa dissertação terá como ponto de partida e como instrumental teórico a análise que Schweitzer faz da primeira busca do Jesus histórico. Portanto, o primeiro capítulo apresentará a vida e a obra de Schweitzer. O segundo capítulo apresentará o método exegético por trás da primeira busca do Jesus histórico, o método histórico-crítico. O terceiro capítulo apresentará a fase inicial da primeira busca do Jesus histórico, isto é, de Reimarus a Strauss. O quarto capítulo apresentará a fase final da primeira busca do Jesus histórico, ou seja, de Strauss até Schweitzer.
Palavras Chaves

Busca do Jesus histórico; Evangelhos Sinópticos; Evangelho de João; Método Histórico-Crítico; Vidas de Jesus; Milagre; Mito; Escatologia.




Abstract
The first quest of the historical Jesus begins with the publication of seven fragments of Reimarus, by Lessing, in 1778. This search occurs throughout the XIX century and ends with the publication of the work The Quest of the Historical Jesus, by Albert Schweitzer. These almost two centuries of research about Jesus’ life left a great legacy for theology. As this period is treated, in general, with certain superficiality in the manuals of history of theology, the present research aims the comprehension of this initial phase of the critical investigation about the life of Jesus. Therefore, this dissertation will have as a starting point and as the theorical instrument the analysis that Schweitzer makes of the first quest of the historical Jesus. Consequently, the first chapter will present the life and work of Schweitzer. The second chapter will present the exegetic method behind the first quest of the historical Jesus, the historical-critical method. The third chapter will present the initial phase of the first quest of the historical Jesus, this is, from Reimarus to Strauss. The fourth chapter will present the final phase of the first quest of the historical Jesus, which is from Strauss to Schweitzer.
Keywords

The Quest of the Historical Jesus; Gospels; Historical-Critical Method; Lifes of Jesus; Miracle; Myth; Eschatology.




Sumário
Introdução....................................................................................................................................08

1. A vida e a obra de Albert Schweitzer.......................................................................................12

1.1. Introdução.........................................................................................................................12

1.2. O filho de pastor luterano..................................................................................................14

1.3. O jovem doutor em teologia..............................................................................................16

1.4. O médico dos negros africanos.........................................................................................28

1.5. Conclusão.........................................................................................................................41

2. Método histórico-crítico............................................................................................................43

2.1. Introdução.........................................................................................................................43

2.2. Origem e características do método histórico-crítico........................................................43

2.2.1. Círculo maior: Iluminismo........................................................................................44

2.2.2. Círculo intermediário: primeiros traços da teologia liberal protestante....................47

2.2.3. Círculo menor: método histórico-crítico....................................................................50

2.2.3.1. Origem histórica do método histórico-crítico...............................................50

2.2.3.2. Principais Características do método histórico-crítico.................................59

2.2.3.3. Análise dos passos metódicos de uma exegese histórico-crítica...............62

2.2.3.4. Relação entre o método histórico-crítico e a primeira busca do Jesus

histórico.......................................................................................................64

2.3. Conclusão.........................................................................................................................67

3. A Fase Inicial da Primeira Busca do Jesus Histórico Segundo Albert Schweitzer...................68

3.1. Introdução.........................................................................................................................68

3.2. A apresentação do problema............................................................................................68

3.3. As considerações de Albert Schweitzer sobre a busca do Jesus histórico de Hermann

Samuel Reimarus..............................................................................................................77

3.4. As considerações de Schweitzer sobre as vidas de Jesus do racionalismo primitivo......81

3.5. As considerações de Schweitzer sobre as primeiras vidas fictícias de Jesus..................86

3.6. As considerações de Schweitzer sobre o racionalismo plenamente desenvolvido em

Paulus...............................................................................................................................92

3.7. As considerações de Schweitzer sobre a última fase do racionalismo, Hase e

Schleiermacher................................................................................................................96

3.8. Conclusão.......................................................................................................................101

4. A Fase Final da Primeira Busca do Jesus Histórico Segundo Albert Schweitzer..................102

4.1. Introdução.......................................................................................................................102

4.2. As considerações de Schweitzer sobre Strauss e a sua primeira “vida de Jesus”.........102

4.3. As considerações de Schweitzer sobre os oponentes e defensores de Strauss............115

4.4. As considerações de Schweitzer sobre a Hipótese Marcana.........................................123

4.5. As considerações de Schweitzer sobre Bruno Bauer e a primeira vida de Jesus

cética...............................................................................................................................129

4.6. As considerações de Schweitzer sobre as outras imaginativas vidas de Jesus.............136

4.7. As considerações de Schweitzer sobre Renan...............................................................145

4.8. As considerações de Schweitzer sobre as vidas “liberais” de Jesus..............................148

4.9. Considerações finais de Schweitzer sobre o período pós-Strauss.................................156

Conclusão..................................................................................................................................158

Referência Bibliográfica.............................................................................................................163



Siglas e Abreviaturas
Cf. Conforme / Confira

ed. Edição

et. al. Et Alii.

Ibid. Na mesma obra

Idem. Do mesmo autor

In. Na obra

n. Número

Op.cit. Opus Citatum / Na mesma obra

Org. Organizador ou Editor

p. Página

reimpre. Reimpressão

v. Volume


Livros Bíblicos

Mt. Mateus

Mc. Marcos

Lc Lucas


At. Atos dos Apóstolos

Rm Romanos

Tg Tiago

Introdução
A primeira busca do Jesus histórico1 tem origem com a hipótese de distinção entre o Jesus real da história – Jesus histórico – e a interpretação do Novo Testamento sobre ele – Cristo da fé. Tal busca se iniciou na Europa, mais especificamente na Alemanha, no final do século XVIII. Os primeiros estudiosos que empreenderam essa busca pensavam que o Jesus histórico correspondia à figura de um simples mestre de religião, ao passo que a figura do Cristo da fé cristã, tal como descrita no Novo Testamento, não passava de uma interpretação equivocada por parte dos escritores da igreja primitiva. Essa primeira fase da investigação crítica acerca da vida de Jesus se estendeu por todo o século XIX e chegou ao fim com a publicação da obra A Busca do Jesus Histórico2, de Albert Schweitzer. Esses quase dois séculos de pesquisa sobre a vida de Jesus deixaram um grande legado para a teologia, especialmente para a cristologia e para a exegese do Novo Testamento.

Tendo em vista que a primeira busca do Jesus histórico foi muito importante para a história da teologia, surgem algumas questões: quando se iniciou a primeira busca do Jesus histórico? Qual era o ambiente filosófico-teológico no qual ela teve início? Qual método teológico ela utilizou para ler as Escrituras? Como ela se dividiu? Quando começa e quando termina cada fase? Quais são os principais expoentes de cada fase? Quais são os principais acentos de cada fase?

Na tentativa de se encontrar respostas para essas questões, a maioria dos estudiosos da teologia se volta para os manuais de história do pensamento teológico. O problema é que, na maior parte das vezes, as respostas não são encontradas porque o assunto é tratado de maneira superficial. Logo, diante disso, o pesquisador percebeu a necessidade de lançar um pouco mais de luz sobre esse assunto. Para que isso fosse possível, era preciso fazer uma análise mais detida da primeira busca do Jesus histórico. Porém, por onde e como começar? Depois de algumas pesquisas sobre o assunto, a obra A Busca do Jesus Histórico, de Schweitzer, se apresentou como uma boa possibilidade. Isso porque ele destina grande parte dela à análise dessa primeira fase da investigação crítica acerca da vida de Jesus. Portanto, a compreensão da análise que Schweitzer faz da primeira busca do Jesus histórico se tornou o objetivo da presente pesquisa.

É sabido que essa não é a única maneira de se buscar a compreensão da primeira busca do Jesus histórico, todavia, é uma maneira. Uma vez que a obra A Busca do Jesus Histórico, de Schweitzer, já se encontra editada na língua portuguesa3 e que o autor foi considerado o responsável pelo fim da primeira fase da investigação crítica acerca da vida de Jesus, o pesquisador entende que esses são motivos suficientes para se buscar uma compreensão maior do assunto lançando mão desse recurso.

A pesquisa, contudo, não cobrirá toda a obra A Busca do Jesus Histórico, de Schweitzer. Ela se restringirá à análise que ele faz da investigação crítica acerca da vida de Jesus desenvolvida entre os séculos XVIII e XIX. Durante essa análise, Schweitzer se mostra muito sensato. Ele procura fazer uma leitura honesta desse período, leitura essa caracterizada por uma postura intelectual aberta e sempre disposta a encontrar os acertos mais que os erros. Esse talvez seja o fator determinante para que ele tenha chegado às conclusões que chegou.

Conseqüentemente, a presente dissertação se insere dentro da teologia histórico-dogmática. Isso não quer dizer que nessa área da teologia se encerre todo o seu conteúdo. Muito pelo contrário. A própria maneira como Schweitzer apresenta o desenvolvimento da primeira busca do Jesus histórico evidencia que a reflexão sobre esse tema tem suas origens na teologia bíblico-exegética. Assim, por questões metodológicas, é necessário deixar bem claro que durante toda a dissertação essas duas áreas da teologia, histórico-dogmática e bíblico-exegética, estão em profunda relação. É difícil falar de uma sem que a outra esteja intimamente implicada.

O primeiro capítulo apresentará a vida e a obra de Schweitzer. Ele está dividido em três partes. A primeira parte, cujo subtítulo é O filho de pastor luterano, aborda da infância de Schweitzer ao fim dos anos escolares. A segunda parte, cujo subtítulo é O jovem doutor em teologia, aborda do início do curso de teologia e filosofia à ida para a África como médico-missionário. A terceira e última parte, cujo subtítulo é O médico dos negros africanos, aborda da chegada à África ao fim da sua vida. O principal objetivo desse primeiro capítulo é perceber o contexto no qual Schweitzer estava inserido e como tal contexto o influenciou de maneira significativa. Essa influência será notada, especialmente, naqueles aspectos relacionados à produção de sua obra A Busca do Jesus Histórico.

O segundo capítulo apresentará o método exegético por trás da primeira busca do Jesus histórico, o método histórico-crítico. Partindo do pressuposto que esse método só pode ser compreendido à luz do contexto no qual ele está inserido, se buscará uma aproximação do contexto filosófico-teológico no qual ele surge. Por um lado, o contexto filosófico é marcado pelo Iluminismo. Isso porque ele é considerado como a expressão filosófica da modernidade. Por outro lado, o contexto teológico é marcado pelos primórdios da teologia liberal protestante. Será dito primórdios porque o liberalismo teológico teve sua origem na Alemanha, espaço acadêmico no qual convergiram várias correntes teológicas e filosóficas, apenas no século XIX. Assim sendo, embora a teologia liberal protestante tenha seu início apenas no século XIX, antes disso, já é possível notar algumas de suas marcas na teologia do século XVIII. Esse é o contexto no qual tem origem o método histórico crítico. Como será visto, tanto suas características quanto seus passos metódicos são profundamente influenciados tanto pelo Iluminismo quanto pelos primórdios da teologia liberal protestante.

O terceiro capítulo apresentará a fase inicial da primeira busca do Jesus histórico, segundo Schweitzer. Essa primeira fase corresponderá aos seis primeiros capítulos da sua obra A Busca do Jesus Histórico. A abordagem de Schweitzer partirá da apresentação do problema histórico acerca do estudo sobre a vida de Jesus, passará pelas considerações de Schweitzer sobre a busca do Jesus histórico de Hermann Samuel Reimarus, sobre as vidas de Jesus do racionalismo primitivo, sobre as primeiras vidas fictícias de Jesus, sobre o racionalismo plenamente desenvolvido de Paulus e sobre a última fase do racionalismo, mais especificamente, até as considerações de Schweitzer com relação a Schleiermacher. É exatamente nessa fase de sua análise que Schweitzer tecerá suas críticas ao racionalismo existente por trás da primeira fase das pesquisas sobre o Jesus histórico.

O quarto capítulo apresentará a fase final da primeira busca do Jesus histórico, segundo Schweitzer. Essa segunda corresponderá aos capítulos sete a quatorze da sua obra A Busca do Jesus Histórico. A abordagem de Schweitzer partirá de Strauss e abordará todo o período posterior a ele4. Strauss é considerado por Schweitzer um divisor de águas. Conseqüentemente, a investigação crítica acerca da vida de Jesus é uma antes dele e outra depois dele. É por isso que o último capítulo começará com Strauss, passará pelos seus oponentes e defensores, pela Hipótese Marcana de Weisse, por Bruno Bauer e sua primeira vida de Jesus cética, pelas outras vidas imaginativas de Jesus, por Renan e irá até às chamadas vidas “liberais” de Jesus. No fim de todo esse percurso, Schweitzer fará suas considerações finais acerca do período pós-Strauss. Nesse momento, será ressaltada a importância da escatologia no que tange à conexão entre as ações de Jesus e os eventos de sua vida.

Por fim, cumpre ressaltar que a presente pesquisa nasceu de um desejo profundo por parte do pesquisador de conhecer melhor esse período tão rico e significativo na história da teologia. Sem dúvida alguma, o tempo investido em estudo foi de grande valia para o seu desenvolvimento acadêmico e para o aprimoramento dos seus conhecimentos sobre a primeira busca do Jesus histórico. Embora o pesquisador acredite que o Jesus histórico só possa ser conhecido pelo Cristo da fé, mesmo assim, a coragem, a sinceridade e o rigor com que o assunto foi estudado durante a primeira fase da investigação crítica acerca da vida de Jesus serviram como grande inspiração e como meio de ser interpelado por essa problemática. É válido ressaltar que o produto dessa pesquisa já está sendo e será ainda mais utilizado no meio acadêmico com o objetivo de divulgar a reflexão sobre o assunto. Até que surja uma oportunidade de dar prosseguimento aos estudos, o pesquisador estará submetendo os resultados da presente pesquisa a testes e eventuais correções.

1. A vida e a obra de Albert Schweitzer
1.1. Introdução

A presente pesquisa tem como objetivo principal a compreensão da análise que Schweitzer faz da primeira busca do Jesus histórico. É por isso que o primeiro capítulo se propõe a fazer uma aproximação biobibliográfica do mesmo. Essa aproximação é relevante porque contribui para uma melhor compreensão do contexto no qual Schweitzer estava inserido e como esse contexto o influenciou.

Mas, a tarefa de se reconstruir a vida e a obra de Schweitzer apresenta algumas dificuldades que não podem ser desconsideradas. Em primeiro lugar, tal reconstrução poderia partir de seus escritos autobiográficos como, por exemplo, seus livros De Minha Vida e Pensamento5, Memórias de Infância e Juventude, seus relatórios do trabalho na África A Beira da Mata Virgem, O Hospital em Lambarené, e alguns dos seus panfletos posteriores sem título. Porém, exceto no livro De Minha Vida e Pensamento, as informações nesses escritos autobiográficos estão dispersas e o acesso aos mesmos é muito difícil. Desses escritos, o único com o qual o pesquisador teve contato direto foi o De Minha Vida e Pensamento. No entanto, sua utilização na pesquisa se restringirá à confirmação de dados. Isso porque, nele, o relato de Schweitzer sobre a sua vida termina em 1929. Sendo assim, a utilização dessa obra como ponto de partida prejudicaria a compreensão dos anos seguintes de sua vida.

Em segundo lugar, tal reconstrução poderia partir de biografias de Schweitzer publicadas hoje, como, por exemplo, Albert Schweitzer: Uma Biografia (Albert Schweitzer: A Biography), uma das mais reconhecidas atualmente, escrita por James Brabazon, em comemoração ao centésimo vigésimo quinto aniversário do nascimento de Schweitzer. Todavia, o acesso à mesma também é muito difícil.

Em terceiro lugar, tal reconstrução poderia partir de livros em cujos conteúdos se encontram referências a Schweitzer com, por exemplo, um artigo da Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã, editada por Walter A. Elwell, um artigo do Dicionário Ilustrado dos Interpretes da Fé, editado por Justo L. González, e, até mesmo, um artigo da Enciclopédia Barsa. Contudo, o conteúdo existente em cada um desses artigos é muito limitado. Por serem apenas sínteses biográficas, o mais longo não passa de três páginas. Eles serão utilizados na pesquisa apenas como referenciais teóricos para a confirmação ou não de dados importantes.

Em quarto e último lugar, tal reconstrução poderia partir de sites da Internet sobre Schweitzer. Entretanto, dentre os inúmeros que fazem referência a ele, apenas alguns podem ser considerados como confiáveis como, por exemplo, o site da Associação Schweitzer (www.schweitzerfellowship.org), o site da Fundação Internacional do Hospital do Dr. Albert Schweitzer em Lambarené (www.schweitzerlambarene.net), o site do Prêmio Nobel (www.nobelprize.org), o site da Enciclopédia Britânica (www.britannica.com), e, até mesmo, o site do conhecido Rubem Alves que, por apreciar Schweitzer, escreve algo sobre a vida dele em seu site pessoal (www.rubemalves.com.br). Embora cada um deles tenha sido pesquisado, nenhum poderia servir como ponto de partida. Isso porque o conteúdo dos mesmos, apesar de confiável, é muito limitado.

Diante disso, é necessário fazer uma opção metodológica sobre o ponto de partida. Assim sendo, o presente capítulo, acerca da vida e obra de Albert Schweitzer, tem como principal ponto de partida o livro O Profeta das Selvas, de Hermann Hagedorn. Essa obra foi publicada primeiramente em inglês, com o título Prophet in the Wilderness, no ano de 1949. Sua tradução para o português aconteceu seis anos depois, em 1955. O tradutor responsável foi Ilydio Burgos Lopes. Na ocasião, O Profeta das Selvas saiu pela União Cultural Editora, de São Paulo, com duzentas e vinte e duas páginas. Atualmente, esse livro está esgotado.

A opção evidenciada acima pode ser considerada como a melhor por algumas razões. Em primeiro lugar, pela facilidade de acesso ao livro O Profeta das Selvas. Em segundo lugar, pela pesquisa do autor em todas as obras de Schweitzer e em mais vinte e sete autores que escrevem sobre ele (as referências podem ser consultadas na extensa bibliografia da obra)6. Em terceiro lugar, pela confiabilidade demonstrada pelo contato direto de Hagedorn com o próprio Schweitzer, onde esse último lhe escreve, de próprio punho, quarenta e sete páginas. Tais páginas correspondem aos dezoito anos seguintes ao fim de sua principal autobiografia, De Minha Vida e Pensamento.

Apesar dessas razões, é sabido que algumas dificuldades ainda permanecem. A primeira é com relação à data de publicação do livro O Profeta das Selvas. Ele foi publicado dezesseis anos antes da morte de Schweitzer. Então, a parte final da sua vida lhe escapa e teve que ser reconstruída pelo pesquisador a partir de outras fontes, explicitadas ao longo do texto. A segunda é que Hagedorn utiliza um estilo literário com traços poéticos. Tendo isso em vista, tentou-se fazer algumas adaptações para se retirar esses traços poéticos e adotar um estilo mais narrativo.

Por fim, o capítulo está dividido em três partes. A primeira parte, cujo subtítulo é O filho de pastor luterano, aborda da infância de Schweitzer ao fim dos anos escolares. A segunda parte, cujo subtítulo é O jovem doutor em teologia, aborda do início do curso de teologia e filosofia à ida para a África como médico-missionário. A terceira e última parte, cujo subtítulo é O médico dos negros africanos, aborda da chegada à África ao fim da sua vida.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal