Desculpa… Por acaso és uma bruxa?



Baixar 25.96 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho25.96 Kb.
Desculpa… Por acaso és uma bruxa?
Circunda a cor os rectângulos que estão de acordo com a história que ouviste.

Depois recorta-os, cola-os numa cartolina e enfeita-a ao teu gosto.




1

LEONARDO era um gato, preto como o carvão. Viva sozinho na rua, porque não tinha muitos amigos.

Quando o frio apertava, o Leonardo refugiava-se na biblioteca. Era um lugar quentinho e confortável, cheio de bons livros para ler.

Certo dia, Leonardo descobriu um livro chamado A Enciclopédia das Bruxas. Era mesmo interessante! Entre outras coisas, dizia:


OU


LEONARDO era um gato, preto como o carvão. Viva sozinho na rua, porque não tinha muitos amigos.

Quando o frio apertava, o Leonardo refugiava-se em casa. Era um lugar quentinho e confortável, cheio de bons livros para ler.

Certo dia, Leonardo descobriu um livro chamado A Enciclopédia das Bruxas. Era mesmo interessante! Entre outras coisas, dizia:














2

As bruxas usam meias às riscas e chapéus pontiagudos.

As bruxas viajam nas suas vassouras.

As bruxas têm caldeirões para aquecer as suas poções mágicas.

As bruxas cuidam de toda a espécie de animais de estimação – corvos, lagartos, corujas e morcegos – mas têm um carinho especial por gatos pretos.

OU


As bruxas usam meias às riscas e chapéus pontiagudos.

As bruxas viajam nas suas vassouras.

As bruxas têm caldeirões para fazer as suas poções mágicas.

As bruxas cuidam de toda a espécie de animais de estimação – corvos, lagartos, corujas e morcegos – mas têm um carinho especial por gatos.













3

- Se eu encontrar uma bruxa para mim, talvez nunca mais sofra nem de frio, nem de solidão – pensou o Leonardo. E assim …lá foi ele à procura de uma bruxa.

Enquanto caminhava pela rua, Leonardo viu um menino que usava meias às riscas, tal e qual como as bruxas do livro.

- Desculpa…Por acaso és uma bruxa? – perguntou-lhe.

Quando o menino se virou e viu o Leonardo, ficou muito contente.


OU


- Se eu encontrar uma bruxa para mim, talvez nunca mais sofra nem de frio, nem de solidão – pensou o Leonardo. E assim …lá foi ele à procura de uma bruxa.

Enquanto caminhava pela rua, Leonardo viu uma menina que usava meias às riscas, tal e qual como as bruxas do livro.

- Desculpa…Por acaso és uma bruxa? – perguntou-lhe.

Quando a menina se virou e viu o Leonardo, deu um pulo.















4

O Leonardo ouviu um som que parecia um sopro ou um assobio. Alguém estava a varrer a calçada com uma vassoura que era igualzinha às que tinha visto no livro. Tinha de ser uma bruxa?

- Desculpa …Por acaso és uma bruxa? – perguntou o Leonardo. O senhor virou-se. Era um varredor de ruas!


OU


O Leonardo ouviu um som que parecia o vento ou um apito. Alguém estava a varrer a calçada com uma vassoura que era igualzinha às que tinha visto no livro. Tinha de ser uma bruxa?

- Desculpa …Por acaso és uma bruxa? – perguntou o Leonardo. O senhor virou-se. Era um varredor de ruas!















5

Eis senão quando Leonardo avistou através de uma janela uma senhora a cozinhar num caldeirão grande e preto. O Leonardo aproximou-se da janela e perguntou: - Desculpa … Por acaso és uma bruxa?

- Como te atreves a chamar-me bruxa?! – gritou a senhora toda esganiçada. – Some-te gato malvado! E nunca mais ponhas aqui os pés!


OU


Eis senão quando Leonardo avistou através de uma janela uma senhora a cozinhar num caldeirão grande e preto. O Leonardo aproximou-se da janela e perguntou: - Desculpa … Por acaso és uma bruxa?

- Como te atreves a chamar-me bruxa?! – gritou a senhora toda zangada – Some-te gato malvado!















6

Regressou a casa e foi buscar um livro à prateleira e começou a lê-lo. Nem reparou nas seis meninas estranhas atrás da estante … mas nenhuma delas tirava os olhos do Leonardo. Assim que puderam, foram ter com ele a correr. Agarraram-no, abraçaram-no e encheram-no de festinhas.

OU


Regressou à biblioteca e foi buscar um livro à prateleira e começou a lê-lo. Nem reparou nas seis meninas estranhas atrás da estante … mas nenhuma delas tirava os olhos do Leonardo. Assim que puderam, foram ter com ele a correr. Agarraram-no, abraçaram-no e encheram-no de festinhas.













7

- Desculpem … Por acaso são bruxas? – perguntou o Leonardo.

- Claro – respondeu a senhora. – Estas bruxinhas são minhas filhas e eu sou a bruxa – mãe.

E eram mesmo bruxas – com vassouras, meias às riscas e chapéus pontiagudos, tal e qual como nas imagens da enciclopédia! E todas perguntaram se o podiam levar para sua casa …

OU


. - Desculpem … Por acaso são bruxas? – perguntou o Leonardo.

- Claro – respondeu a senhora. – Estas bruxinhas são minhas aprendizes e eu sou a bruxa – mestra.

E eram mesmo bruxas – com vassouras, meias às riscas e chapéus pontiagudos, tal e qual como nas imagens da enciclopédia! E todas perguntaram se o podiam levar para sua casa …














8

Se quiseres, nós podemos levar-te para a nossa escola.

- Claro que quero! – exclamou o Leonardo. E todas as meninas aplaudiram com alegria a decisão do gatinho.

- E agora, meninas, silêncio, por favor. Escolham os vossos livros e preencham a requisição – disse a bruxa – mestra.

De seguida, voltaremos à escola para uma lição sobre feitiços e poções … e eu vou mostrar-te o teu novo lado. Vais adorar ser um gato de uma verdadeira escola de bruxas.




OU

Se quiseres, nós podemos levar-te para a nossa casa.

- Claro que quero! – exclamou o Leonardo. E todas as meninas aplaudiram com alegria a decisão do gatinho.

- E agora, meninas, silêncio, por favor. Escolham os vossos livros e preencham a requisição – disse a bruxa – mestra.

De seguida, voltaremos a casa para uma lição sobre feitiços e poções … e eu vou mostrar-te o teu novo lado. Vais adorar ser um gato de uma verdadeira bruxa.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal