Dezembro 2008 – voz da ermida do padre pio – Ano V – Número 12



Baixar 25.49 Kb.
Encontro03.08.2016
Tamanho25.49 Kb.
Dezembro 2008 – VOZ DA ERMIDA DO PADRE PIO – Ano V – Número 12

Quarta Colônia, Faxinal do Soturno – E-mail Solcas@Verizon.net



REZE TENHA CONFIANÇA E NÃO SE PREOCUPE (Padre Pio).


É HORA DE AGRADECER: Diante do Natal o “coração”, deslumbrado, pára! Seria pelas luzes, pelos presentes, pela imaginação ou pelo próprio “mistério” do Natal? A história que chegou até nós confirma o detalhe que José, noivo de Maria, ainda antes de conviverem, constatou estar ela grávida. Para José, que mal podia crer no que via, foi um impasse terrível. Concluindo que tudo estava terminado, pensou em desaparecer e teria sumido se não fossem as palavras do Anjo: José, não tenhas receio de receber Maria...; o que nela foi gerado vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe porás o nome de JESUS, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados. Do fundo da maior desilusão de sua vida, José desperta iluminado; um novo dia, uma nova realidade, difíceis de entender, não fosse a nova luz a lembrar-lhe as palavras do profeta: Eis que a virgem ficará grávida e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus conosco. Seria ela a virgem? Encorajado por essa percepção, retorna a Maria, decidido a pedir perdão, até mil vezes se fosse necessário. A figura santa da Virgem, contudo, o emudeceu. Não havia outro caminho senão aceitar o que seu doce sorriso afirmava: Sim, é verdade! E José, quase delirando, se põe a repetir: Então, Ele, o Messias, vai estar aqui, entre nós, vai morar com a gente? E Maria novamente concorda: Sim... Ele mora aqui com a gente! Impossível imaginar momentos de tanto prazer e tão intensa alegria. Este é o “mistério” do Natal! Alegria e prazer que se apoderam sempre de novo dos corações e nos fazem repetir com os Anjos: Gloria in excelsis Deo (Glóra a Deus nas alturas) e paz na terra aos homens de boa vontade! Senhor, obrigado, fique com a gente e proteja nossas famílias, Amém.
O PAPA FALOU: “A Sagrada Escritura é Palavra de Deus em palavras humanas. Isso implica que deve ser lida tendo presente a unidade de toda a Escritura, a tradição viva da Igreja e a luz da fé. Se é verdade que a Bíblia é também uma obra literária ou, mais ainda, o grande código da cultura universal, não é menos verdade que ela não deve ser despojada do elemento divino, mas ser lida no mesmo Espírito em que foi composta”.
A IGREJA ENSINA: “Como um enamorado lê uma carta de sua amada, assim devem todos ler a Bíblia... Ela foi escrita para mim. Nossa fé não tem só um livro no centro, mas uma história de salvação e uma pessoa, Jesus Cristo, Palavra de Deus feita carne, homem, história. O conhecimento exegético tem de entrelaçar-se indissoluvelmente com a tradição espiritual e teológica, para não se quebrar a unidade da natureza divina e humana de Jesus Cristo e das Escrituras” (Dom Ravasi).
CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA: Deveres dos filhos. (n.2214). A paternidade divina é a fonte da paternidade humana, o fundamento da honra devida aos pais. O respeito dos filhos, menores ou adultos, pelo pai e pela mãe alimenta-se da afeição natural nascida do vínculo que os une e é exigido pelo preceito divino.
O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO na Educação Católica. Dentro da cultura atual, cada vez mais carente de religião, existe uma necessidade crescente de novas escolas católicas onde os jovens, além de receberem uma educação equilibrada com vistas a um desenvolvimento humano integral, podem, ao mesmo tempo e em cooperação com a GRAÇA de Deus, ser formados na FÉ e na perene SABEDORIA da Igreja. (Mais detalhes em www.saopio.com.br)
MOMENTOS: Aos cinco anos fez a 1ª Comunhão. Num dia de 1959, depois da confissão, sabendo que o Padre Pio permitia dar a Eucaristia a crianças em estado de inocência, perguntei-lhe: Padre, minha filha tem cinco anos, poderia deixá-la fazer a 1ª Comunhão? Ele me respondeu: Diante da Hóstia, será que ela entende a mudança do pão e do vinho, no Corpo e Sangue de Cristo? Refleti uns segundos e, com a maior convicção respondi que sim, (pensei que, além de entender, ela tinha mais fé que nós os grandes). E a resposta dele foi: Fagliela fare (Deixe-a fazer). Voltando a Teramo, cidade onde morava, perguntei ao pároco Giovanni Iobbi se podia levar minha filhinha para receber a primeira Comunhão do Padre Pio. Ao ouvir tal pedido, o pároco me deu uma olhada um tanto severa, talvez porque a filha ainda não tinha começado a catequese requerida para a Comunhão. Claro, não insisti e me resignei a esperar. Mas, uns dias depois, na igreja de Nossa Senhora Imaculada, enquanto aguardava a hora da Missa, inesperadamente, o pároco se aproximou e delicadamente me disse: Se quer levar sua filha ao Padre Pio, para que lhe dê a 1ª Comunhão, pode ir, está dada a licença. No dia 2 de outubro, dia dos Anjos da Guarda, a pequena recebeu a 1ª Comunhão das mãos do Padre Pio, que escreveu no verso da foto: Que Jesus te conserve sempre na sua graça. (Edda Zavalloni)
E-MAILS E COMENTÁRIOS:

Obrigada pelos temas de reflexão do Padre Pio que me enviaram. Muito interessantes. Contribuem para o aprofundamento da vivência cristã e da espiritualidade minha e do grupo, ao qual os repasso. Obrigada por contribuir com a formação cristã do nosso povo. Que Deus os abençoe e recompense por todo este bem. O pessoal do projeto ao qual vocês dão assistência continua se encontrando mensalmente para a formação dos inscritos e suas famílias. O grupo fará os cartões de Natal e as cartinhas para os padrinhos. Aguardem”.

Missa Solene em latim, na Matriz, de Faxinal do Soturno, dia 8 de novembro. O Pe. Remígio, muito firme no Canto Gregoriano, presidiu. Entonação impecável. Também em latim, os padres Genésio e Bernardino cantaram, respectivamente, a Epístola e o Evangelho. A homilia foi do Pe. Bernardino e, claro, em português. O Coral Santa Cecília, de Faxinal, cantou a Missa ‘Immaculata’, em latim. O DVD recordação será desfrutado hoje e pelos nossos pósteros”.

Acabei de ler o livro: ‘Teologia do Corpo’. ...achei-o muito bom e fundamentado na Sagrada Escritura. Deus, realmente, escolhe homens e tempo certos para suas revelações. O livro merece toda a nossa consideração. Um assunto para reflexão de casados, solteiros e celibatários. Que Deus te ilumine na tradução de outros livros... e na composição de Voz da Ermida, que tanto bem faz”.

Domingo, 9 de novembro, tivemos Terço e Missa na Ermida. Pe. Bernardino celebrou, Pe. Ládio dirigiu as cerimônias e o canto, e a Cleci fez o papel de comentarista. Os presentes (umas 50 pessoas) foram bem servidos. Deve-se notar que no mesmo dia realizou-se a famosa Romaria da Medianeira em Santa Maria (aproximadamente 300.000 pessoas) e aqui em Faxinal, na mesma hora, tinha lugar a Missa de corpo presente da senhora Barichello.

Ontem, 16/11/2008, uma caravana de peregrinos de diversos lugares da Serra, Jaboticaba e vizinhanças de Nova Palma nos surpreendeu. Pediram Missa às 10,00, mas o Pe. Genésio, que atendeu seu pedido, preferiu esperar pela chegada dos devotos que fizeram a pé uma parte da escalada do monte. Com a Missa e as orações eles queriam agradecer ao Padre Pio a graça da cura de uma senhora muito doente. Devia ser benquista, pois a Ermida ficou lotada. Para domingo, dia 30, está prevista uma peregrinação da Legião de Maria de Pinhal Grande. Pediram Missa às 15,00 e, se possível, uma introdução sobre a vida de São Pio. Wilson Cervo, em agradecimento pela graça da saúde, já conseguiu a instalação de um bebedouro na subida do Cerro Comprido, com dois bancos para os cansados repousarem um pouco. Parabéns e bênçãos aos agradecedores”.



 “...logo vai sair concurso ... e pretendo fazê-lo; rezem para que eu passe; e meu sonho se realize mesmo...Tenho fé que vou conseguir.... Domingo que vem, romaria e festa na Ermida de São Pio; está dando propaganda na TV”.

Dia 23/11/2008 – A Festa na Ermida foi um sucesso! Dia de céu límpido. Entre a manhã e a tarde, foram uns 2500 romeiros. Todos unanimemente a consideraram a maior festa do Padre Pio até agora. Às 4 da manhã já havia gente galgando o Cerro Comprido a pé. Muitos outros fizeram o mesmo durante o dia. Apesar do pó levantado pelos carros e outras conduções, era um vaivém contínuo, como tráfego de cidade. O trabalho dos bombeiros aliviou, mas não o suficiente. Contudo para um coração de poeta, o caminho era muito lindo! Os raios de sol penetrando os espaços entre as árvores pareciam cortinas de luz abençoando os que estavam a caminho...! Todo o sacrifício dos peregrinos foi compensado: no altar da Ermida, além do Padre Pio, encontrava-se também o Santíssimo exposto no ostensório. Às 10,30 num altar preparado na frente da Ermida houve Missa campal, presidida pelo Pe. Bernardino e concelebrada pelo Pe. Osvaldo, pároco de Polêsine. A liturgia, abrilhantada pelo coral de Faxinal, foi transmitida a todos os lares da região pelas Rádio São Roque de Faxinal e a Rádio Integração, de Restinga. A participação do povo foi de muita atenção, oração e fervor. Cerca de 1.300 pessoas receberam a comunhão. Um dos devotos falou: a Missa foi tão agradável que nem notamos o tempo passar! Com as músicas, a homilia do sacerdote e tudo o que nos contou sobre São Pio, fomos inundados de paz e luz espiritual! Obrigado, Senhor, pela presença de São Pio nessa Ermida. Com ele é mais fácil manter a Fé e a Esperança. Outra senhora, do interior, contou: Estava com muita gana de chegar para a festa mas faltava condução. Que surpresa, minhas orações foram atendidas. Um filho apareceu e me levou... Logo depois da Missa, feliz da vida, ela falou: "Baah, uma maravilha! Nem preciso almoçar, basta um pedacinho de pão" – Será que o pessoal junto ao Padre Pio fica mais “leve” e feliz? Aos organizadores da festa, nossa homenagem e agradecimento. O almoço campeiro (1.400 quilos de churrasco tradicional) e a tenda com cucas, bebidas, sorvetes, etc. agradou a todos. Como é lindo ver as famílias agrupadas aqui e acolá, à sombra do arvoredo. Bela expressão de vida social! Às duas da tarde aproximadamente, diante do Santíssimo exposto, na Ermida totalmente tomada pelos devotos, houve terço, muitas orações e, por fim, bênção do Santíssimo. A seguir, a Missa da saúde, com a presença de muitos idosos (uns de bengala e outros de andador); ela foi presidida pelo padre Osvaldo; tendo como concelebrantes os padres Bernardino, Luizinho Sponchiado e Ênio Rigo. Novamente, uma função religiosa cheia de Fé e emoção. O Pe. Amélio Parini, dos Servos da Caridade, que estava entre o povo confirmou: Fiquei realmente impressionado e muito contente com tudo o que presenciei. Pe. Parini, volte quando quiser; está convidado e poderá também presidir a Missa na Ermida. Tudo provou que a Quarta Colônia ama o Padre Pio de verdade!.
NA ESCOLA DO PRESÉPIO – Falar em dezembro é falar em Natal. Árvores imponentes, cheias de lâmpadas coloridas e Papais Noéis, vão criando o clima e a expectativa para o grande dia, muito antes que ele ocorra. Clima e expectativa que vão se concretizar com a armação dos presépios. Cristãos do mundo inteiro ficamos então como que extasiados e cheios de um quase estupor diante da gruta que o Filho de Deus escolheu para sua primeira morada na terra. Sem palavras diante daquela Mãe que olha como que atônita o milagroso fruto de seu ventre virginal; que afaga levemente o pequenino, como só uma mãe consegue fazê-lo: o rosto celestial, os olhos ligeiramente velados de lágrimas, de tanta comoção e alegria. E a seu lado, São José, de pé, protegendo zelosamente os “seus” tesouros. Natal é por excelência a festa da família, da qual todos nos sentimos chamados a fazer parte, unidos à pequena família do presépio, composta por Jesus, Maria e José. Um presépio, no entanto, só é verdadeiro presépio se nos fala, se nos catequiza, se nos interpela. “Quais e quantos são, ó cristãos, os ensinamentos que partem da gruta de Belém!” – escrevia o Padre Pio. Mas para acolhê-los – acrescenta ele – devemos pedir “a esta divina criança que nos revista de humildade, pois somente com esta virtude podemos saborear este mistério tão cheio de ternuras divinas”. “O celeste Menino, todo mansidão e doçura – diz ainda Padre Pio – quer infundir em nós, pelo seu exemplo, estas sublimes virtudes, a fim de que, neste mundo dilacerado e tumultuado, surja uma era de paz e de amor”. Em suas biografias encontramos que o Padre Pio ficava em êxtase diante da gruta de Belém, diante da Sagrada Família. Aguardava a festa do Natal com a impaciência e a alegria incontida de uma criança. Acariciava com o olhar cintilante de emoção o divino bebê, deitado na manjedoura. Depois olhava para a Virgem Mãe, como a lhe sussurrar: “Obrigado, Mãe, por este maravilhoso presente que nos trouxeste – o teu divino Filho”. E para São José um sorriso, como para suavizar as cruzes que incluía sua gravíssima tarefa de cuidar e defender a esposa e o seu Pequeno. Foi certamente na escola do presépio que nasceu e se intensificou a preocupação do Padre Pio com a família, que via como prolongamento da Sagrada Família. Com que prazer abençoava os casais que iam pedir-lhe uma bênção para o seu amor. Com que insistência os advertia sobre a importância da educação religiosa e moral dos filhos, a exemplo de Nossa Senhora e São José; e aos jovens, o dever da obediência aos pais, a prática da pureza e a rejeição da moda indecorosa. Todas lições aprendidas na escola do presépio.




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal