DicionåRIo Técnico e Cientïfico Concepção do Gabinete Editorial Formar



Baixar 1.78 Mb.
Página1/40
Encontro20.07.2016
Tamanho1.78 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   40
DicionåRIo Técnico e Cientïfico

Concepção do Gabinete Editorial Formar


Edição especial realizada por acordo e gentileza de FORMAR

para o Circulo de Leitores, Lda. no mês de Março de 1982.


NOTA INTRODUTóRIA
Sintético, funcional e de fácil consulta, este Dicionário Técnico e Científico Ilustrado apresenta os significados de cerca de 700 vocábulos actualmente utilizados nos múltiplos domínios da Ciência e da Técnica, com particular incidência nos que se relacionam com a Astronomia, Botânica, Física, Geologia, Matemática, Meteorologia, Mineralogia, Química e Zoologia, designadamente. Esta obra integra, também, cerca de 900 ilustrações - minuciosamente executadas - que têm como objectivo complementar parte essencial da informação contida no texto.
O leitor encontra, ainda, nesta obra, notas biográficas sobre alguns dos cientistas que, ao longo dos séculos, mais se destacaram pelo seu decisivo contributo para o progresso científico e técnico hoje atingido pela Humanidade.
O Dicionário Técnico e Científico Ilustrado constitui, pois, uma obra utilissima, valiosa e actual que, estimulando e desenvolvendo o gosto pelo saber, se torna, por isso, particularmente aconselhável para os estudantes, que aqui encontram um auxiliar indispensável e uma apropriada fonte de documentação e informação.
OS EDITORES
Ábaco - Qualquer material didáctico destinado à aprendizagem, concreta e intuitiva do cálculo e das contas, bem como à compreensão abstracta da numeração e do cálculo.
Abalo premonitório - Pequenos estremecimentos que precedem os abalos principais nos tremores de terra.
Abcissa - Número real x* do par ordenado (x, y), que corresponde a um ponto F do eixo orientado OX. Mede a distância OP*= x*, sendo F a projecçã o de P sobre o eixo das abcissas (o x).
Abdómen - Parte do tronco que, no homem, se encontra entre o peito (tórax) e a bacia e o períneo. Costuma ser diferenciada a parte baixa da cavidade abdominal (cavidade pélvica ou «pelve»). Os limites de separação vão da arcada púbica ao ângulo da 5.a vértebra lombar e 1.a sagrada. Na cavidade abdominal está contida a maior parte do aparelho digestivo (estômago, intestinos, fígado, pâncreas), assim como o baço e os rins. Todas as paredes abdominais são forradas, na parte interna, pelo peritoneu e pela serosa, que forra, igualmente, os vários órgãos. O diafragma separa o tórax da cavidade abdominal.
Abelianas - Relações matemáticas introduzidas, na Álgebra e na Análise, pelo matemático norueguês N. Abel. Classificam-se em três grupos: equações algébricas, funções efípticas generalizadas e integrais.
Aberração - Desvio aparente da direcção de um astro devido ao movimento do observador - que participa dos movimentos da Terra - e a não ser infinita a velocidade da luz que o astro envia. O fenômeno foi descoberto pelo astrónomo inglês Bradley. Em óptica há dois tipos principais de aberrações: esférica e cromática.

A aberração esférica é provocada pela incapacidade das lentes e espelhos (com superfícies esféricas) para reunir, num mesmo foco, os raios luminosos que neles incidem. A aberração cromática deve-se à incapacidade de uma lente simples para reunir, num mesmo foco, raios de diferentes comprimentos de onda. Este defeito pode ser corrigido com uma lente acromática.


Abiogénese - Termo, usado em Biologia, que significa gestação espontânea. Segundo a teoria, que prevaleceu até há um século e meio, os organismos vivos podiam ser gerados pela matéria morta. As larvas das moscas, por exemplo, seriam geradas pelas águas pútridas. A invenção do microscópio, o estudo dos microrganismos e a subsequente descoberta das bactérias, assim como outros factos e estudos científicos, refutaram a teoria da geração espontânea.
Abissal - Diz-se de todo o ser vivo que habita as profundidades oceânicas. A fauna abissal está adaptada às altas pressões e à ausência de luz, características dessas regiões. É constituída por animais, de formas geralmente estranhas, dispondo, por vezes, de órgãos luminosos e de fortes órgãos apreensores de alimentos. As suas cores, em geral, são pouco vivas, escuras e pardas.

Abrasivo - Substância dura, cristalizada, susceptível de arrancar, por fricção, pequenas quantidades de matérias de outros corpos. Caracterizam-se pela sua dureza, resistência à fractura e estrutura cristalográfica. Os abrasivos podem ser naturais e artificiais.

Abrasivos naturais: quartzo, areia, grés, esmeril, pedra-pomes, tripolis, diamantes, etc. Abrasivos artificiáis, vidro moído, granalha de aço, diamante artificial, corindo, carborundo, etc. A sua utilização vai desde os trabalhos de desbaste até ao acabamento de superfícies com grande perfeição.
Acção - 1. Manifestação de uma força, operação de um agente: acção da luz, acção do calor. 2. Maneira como as causas actuam: acção quimica, acção de um veneno. 3 . Movi mento: sempre em acção. Acção reflexa - Meio simples de transformar sensações em movimento. Ao receber-se um estimulo (dor, tacto, pressão, calor, frio, visão, audição, ete.), a mensagem é levada ao sistema nervoso central, onde é captada, sendo enviada, aos nervos motores, outra mensagem para que estes produzam o movimento. A vontade da pessoa ou animal, não intervém neste tipo de reacção, embora possa, ou não, haver consciência do que acontece. Um exemplo simples consiste no que sucede quando se bate no joelho, com a borda da mão: é enviado, para a espínal medula, um impulso e, dela, parte outro, para os músculos do joelho, provocando a sua contracção e fazendo com que a perna se levante, num movimento brusco. Ficaram célebres as experiências, sobre as acções reflexas, levadas a cabo pelo médico e fisiologista russo Ivan Petrovitch Pavlov (1849-1936).
Aceleração - Em Física defíne-se a aceleração como sendo a variação da velocidade na unidade de tempo. A aceleração constante dá origem a

um movimento chamado uniformemente variado. Este movimento pode classificar-se em uniformemente acelerado - quando a aceleração é positiva - e uniformemente retardado quando a aceleração é negativa. A aceleração será dada por:


Aceleração da gravidade - Um corpo em movimento livre, próximo da superfície da Terra, experimenta uma aceleração que, em cada lugar, tem o mesmo valor. Esta aceleração, a que se dá o nome de aceleração da gravidade, resulta de um campo de forças -o campo da gravidade -

que é produzido pela composição da força atractiva, originada pela Terra segundo a lei da gravitação universal, com a força centrífuga, devida ao movimento de rotação da Terra. A direcção do vector representativo da aceleração da gravidade define a vertical no lugar considerado e o seu



sentido é de cima para baixo. Ao seu valor absoluto, g, dá-se o nome de intensidade da gravidade. Este valor varia com as coordenadas do lugar que influem na sua distância ao centro de gravidade da Terra: altitude e latitude.
Acetato - Sal do ácido acético. Um dos mais conhecidos é o acetato de celulose, utilizado no fabrico de fibras artificiais.
Acetileno - Gás incolor, solúvel na acetona e na água (C2 H2). É, praticamente, inodoro, no estado puro. E um carboneto de hidrogénio a partir do qual podem preparar-se plásticos, borracha sintética, solventes, clorofórmio, etc. Encontra-se, ainda, na base de certos produtos usados na limpeza a seco. Pode ser obtido pela acção da água sobre a carbite, ou por síntese total, a partir do carbono e do hidrogénio. Misturado com o oxigénio, emprega-se na obtenção de temperaturas muito elevadas na indústria de soldagem e para cortar metais. Este gás também foi utilizado em iluminação.
Acetona - Líquido incolor, muito volátil e inflamável, mistura-se fácilmente com a água. É muito usada na indústria e entra no fabrico de produtos fotográficos, tintas, vernizes, solventes e líquidos antinódoas, bem como no fabrico de pólvoras. Encontra-se na natureza, sendo a sua fórmula química CH3COCH3. E produzida, em grande escala, pela fermentação de matérias feculosas, tais como o milho, o arroz, a cavalinha, etc,, com bactérias Feribach.
Acidente - Acontecimento inesperado e anormal, que pode ocasionar consequencias danosas. Os acidentes são responsáveis por mais anos perdidos do que qualquer outra causa (doenças cardíacas e apoplexias). A prevenção dos acidentes é, por isso, um dos principais problemas da saúde pública.
Acidez - O excesso de suco gástrico (ácido) dá origem à hiperacidez gástrica ou azia. Combate-se pela ingestão de alcalinos, como o bicarbonato de sódio, devendo sempre tratar-se a causa.
Ácido - Composto capaz de libertar iões H. Podem ser hidrácidos ou oxácidos, conforme, na sua molécula, não se encontra, ou encontra, o oxigénio. Se, num ácido, se substituir, total ou parcialmente, o hidrogénio por um metal, obtém-se um sal. Os ácidos têm, em geral, um sabor acre, são corrosivos e avermelham a tintura azul de tornesol. Há dois tipos principais de ácidos: ácidos inorgânicos, ou minerais (de origem mineral) e ácidos orgânicos, que contêm carbono. Os ácidos inorgânicos mais simples são o ácido clorídrico, ou muriático, (H CI), o ácido sulfúrico, ou vitríolo (H2S 04) e o ácido nítrico (H N 03) Alguns dos ácidos orgânicos mais conhecidos são: o ácido fórmico (OCOOH), encontrado nas formigas e nos pêlos de certas urtigas, e o ácido acético (CH3COOH), presente no vinagre.
Acidos aminados - Substâncias químicas, relativamente simples, que se produzem como resultado da desintegração das proteínas, como sucede no processo da digestão. São caracterizados por algumas semelhanças fundamentais, na sua estrutura química. Numa dieta normal encontram-se presentes mais de vinte ácidos aminados diferentes, como material proteico. Uma molécula de proteína é composta por um grande número de ácidos aminados ligados entre si.

Alguns ácidos aminados são indispensáveis ao funcionamento normal do organismo; outros não. Depois de as proteínas ingeridas se desintegrarem, nos ácidos aminados que as compõem, pelo processo da digestão, eles são absorvidos pela corrente circulatória e podem passar para todas as partes do corpo. Nas células individuais do organismo podem formar-se novas proteínas que têm uma constituição diferente das que foram fornecidas, originalmente, ao corpo. Estas novas proteínas podem servir para substituir os tecidos gastos pelo uso e deterioração normal. A característica comum dos ácidos aminados é constituírem uma cadeia de carbono, com o radical orgânico COO14 num dos extremos e o grupo aminoalcalino NH2 no outro. São, assim, corpos polares que se podem ligar pelos seus pólos opostos.


Ácido bórico - É uma substância branca, cristalina, ligeiramente solúvel na água fria e muito solúvel na água a ferver. Este ácido (H313 03) extrai-se de certas águas minerais de origem vulcâ nica, principalmente dos pântanos da Toscana, mas é produzido, também, tratando-se o bórax com o ácido sulfúrico ou clorídrico. É um anti-séptico suave, frequentemente incorporado nos pós-de-talco.

É usado, como fundente, nas soldas comuns e de bronze, no endurecimento do aço e nas indústrias do vidro e da cerâmica.


Ácido láctico - É uma substância (116 C3 03) que se produz pela fermentação do açúcar do leite, ou lactose, por meio de bactérias. Existem quatro tipos de ácidos lácticos, com a mesma fórmula química, sendo um deles encontrado no soro do leite.
Ácido tânico - É uma substância adstringente extraída da casca de certas árvores. Este ácido, também chamado tanino, é usado, principalmente, na preparação de couros crus.
Acioridria - Falta de ácido clorídrico no sangue.
Aço - Dá-se o nome de aços às ligas de ferro e carbono que não apresentam, nas suas microstruturas, nem grafite eutética, nem carboneto de ferro eutético. Os aços contêm sempre, além de impurezas inevitáveis (enxôfre, fósforo, azoto, oxigénio, etc,), outros elementos que, ou são simples elementos de elaboraçã o (silício, manganés), ou que se destinam a uma modificação profunda da sua estrutura e das suas propriedades (crómio, níquel, molibdénio, cobalto, tungsténio, vanádio, titânio, etc.). No primeiro caso, chamam-se aços vulgares e, no segundo. aços especiais. Estes têm cada vez mais importância na tecnologia moderna. Os aços vulgares podem ser classificados, de acordo com o seu teor em carbono, elemento preponderante na dureza e temperabifidade, da seguinte forma: aço extramacio (C O,15%), aço macio (0,15% a O,30%), aço semiduro (0,30% a O,45%), aço duro (0,45% a O,65%) e aço extraduro (0,65%). Os aços podem, também, ser classificados com base no processo de fabrico. Teremos, então: aço Bessemer, aço Thomas, aço Siemens-Martin, aços eléctricos, etc. Podem, ainda, classificar-se, de acordo com os fabricos sofridos após a elaboração, em aços vazados, aços forjados, ou aços laminados ou perfilados.

Na elaboração do aço são empregados os seguintes processos: a) Convertor; b) Forno Martin-Siemens; c) Forno eléctrico; d) Processo de oxigénio. Na Europa Ocidental e na América, o processo Siemens-Martin é, de longe, o dominante.


Aço inoxidável - Liga especial de aço que não oxida. Foi criado, há 55 anos, para emprego na indústria da cutelaria. De início não passou de uma simples liga de aço, que continha uma proporção baixa ou média de carbono e cerca de 14% de cromo. Podia ser endurecido e temperado, como o aço usado na cutelaria, embora a temperaturas muito diferentes. Os mais recentes tipos de aço inoxidável contêm muito pouco carbono, mas outras percentagens de cromo e níquel. Há outros tipos de aço, com 12% de magnésio, que também não oxidam. São ligas de aço empregadas, amplamente, na manufactura de objectos caseiros, esgotos, equipamentos de cozinha, assim como de aparelhos e máquinas de indústria química, que devem ser resistentes, tanto à oxidação como à corrosão.
Acrifiavina - Antisséptico derivado do alcatrão de hulha. É usado em tratamentos pré-operatórios da pele, no tamponamento de feridas, etc.
Acromegalia - Aumento do tamanho das mãos e dos pés, que é um sintoma de doença. E devida a um excesso, na vida adulta, da hormona do crescimento da hípófise. Igual excesso, na infância, transforma a criança num gigante. A acromegalia trata-se com raios X ou cirurgia da glândula pituitária ou da hipófise.
ACTH (abreviatura de «Adreno-Cortico-Tropie-Hormone»)- É uma hormona segregada pela glândula pituitária e que estimula a produção de cortisona pelo córtex supra-renal. Usa-se, por vezes, como substituto da cortisona, em casos de artrite reumática. Experimentalmente, a ACTH tem sido, também, utilizada para combater a tuberculose, a asma e certos tipos de cancro.
Actinornicose - Doença infecciosa devida ao desenvolvimento de uma bactéria que pertence ao grupo dos fungos parasitas. Trata-se com antibióticos, sulfamidas e soros.
Açúcar - Os químicos chamam-lhe sacarose. Representa cerca de um terço dos glúcidos absorvidos, diariamente, pelo ser humano, num regime equilibrado. É um alimento energético, que se digere com facilidade, dando, no intestino delgado, glucose e levulose, distribuídas, pelo sangue, nas células. O excesso é absorvido pelo fígado e fica à disposição de todo o organismo. Os açúcares mais importantes são os que se encontram, na proporção de 16 a

20%, na beterraba, e de 14 a 26%, na cana-de-açúcar. Além do seu emprego como agente adoçante, é, também, matéria-prima importante no fabrico de álcoois e de muitos produtos químicos.


Acuidade visual - Agudeza de visão.
Acumulador ou pilha secundária - Pilha eléctrica capaz de armazenar energia eléctrica, sob determinada forma, cm possibilidade de a devolver, no todo ou em parte, muitas vezes,mediante certas transformações. Durante a descarga, os seus elementos reagem, entre si, e produzem energia eléctrica. A passagem de uma corrente eléctrica, em sentido contrário e através da pilha, devolve os elementos químicos ao seu estado original, a fim de que a pilha se torne a carregar e fique pronta para produzir, novamente, energia eléctrica. Os dois tipos de acumuladores mais utilizados são o de ácido-chumbo, que é empregado para movimentar os motores de automóveis, para operações telefónicas e trabalhos de rádio, e o tipo alcalino, que se usa para iluminação de emergência e para veículos de tracção. A voltagem de cada pilha é pequena, sendo necessário reuni-las em bateria para se obter a voltagem exigida. Por exemplo, para um acumulador de automóvel de 12 volts, são necessários seis elementos de pilha.

O acumulador de ácido-chumbo consiste num número de placas de peróxido de chumbo (positivas) e de chumbo esponjoso (negativas), intercaladas, mas separadas umas das outras, e mergulhadas numa solução de ácido sulfúrico contida num recipiente de vidro ou de borracha vulcanizada. As placas podem ser construídas de diversas formas: no tipo «Fauré» consistem num retículo de antimónio e chumbo, cheio de material activo, e, no tipo «Planté», em lâminas de chumbo, especialmente tratadas, com superfície profundamente sulcada. Não é, exactamente, conhecida a acção química da pilha, mas hoje é, geralmente, aceite a teoria do sulfato duplo, As placas, quando descarregadas, consistem, principalmente, em sulfato de chumbo. A corrente de carga converte-o em peróxido de chumbo, no pólo positivo, e em chumbo, no negativo, enquanto os iões de sulfato libertados se combinam, com a solução electrolítica, para formar ácido sulfúrico. A densidade da solução eleva-se, mais ou menos, de 1, 14 para 1,28, e este facto serve para indicar o estado da pilha. Na descarga, inverte-se a acção química, sendo reduzidas as placas de peróxido de chumbo a sulfato de chumbo, e o ácido a água. Durante a carga e a descarga, a voltagem da pilha varia de 2,2 volts (quando carregada) a 1,8 volts (quando descarregada). A cor das placas também varia, indicando o estado da pilha. Há dois tipos de pilhas, ou baterias alcalinas: o tipo «Edison», ou pilha de «ferro-níquel»,e a de «níquel-cádmio». Ambos os tipos usam, como electrólito, a soda cáustica, ou hidróxido de potássio, mas as placas são diferentes. As placas positivas da pilha de ferro-níquel são constituídas por tubos de aço niquelado, encapados com folhas metálicas de níquel e hidróxido de níquel. As placas negativas são retículos de aço niquelado, cheias de óxido de ferro em pó. O recipiente de ferro é hermeticamente fechado, a fim de evitar que a soda cáustica seja reduzida pela atmosfera. Na descarga, o material activo oxida-se pela libertaçã o dos iões OH do electrólito. A voltagem da pilha, quando está carregada, é de 1,4 volts, caindo para 1,1 volts, na descarga, mantendo-se, contudo, quase constante a densidade do electrólito. No caso da pilha de níquel-cádmio, as placas são constituídas por tubos de aço niquelado perfurados, que contêm hidróxido de níquel, para o pólo positivo e cádinio, para o negativo. Quando da descarga, o material activo é oxidado, reduzindo-se, durante a carga. A densidade do electrólito é constante, durante a descarga. A voltagem desce, por pilha, de 1,2 a 1,1. As pilhas alcalinas, embora mais caras que as de chumbo-aço, são mais resistentes, admitem cargas mais altas, têm maior duração e exigem menos cuidados.


Acupunctura - Tratamento de origem oriental, feito através da inserção de agulhas, através da pele, em determinados pontos, muitas vezes afastados do local a tratar, mas que parecem ter influência sobre ele.
Acústica - Parte da Física que estuda os fenómenos ligados à sensação do som. A produção do som deve ser atribuída, directamente, às vibraçõ es, e existe uma relação entre a altura do som e a frequência. A altura de um som é expressa pela sua frequência. Um som, para ser detectado pelo ouvido humano, necessita de ter vibrações de frequência compreendida entre 20 e 20 000 e/s. Quando as vibrações tiverem uma frequência inferior a 20 e/s, diz-se que se trata de infra-sons, Quando ultrapassem os

20 000 e/s trata-se de ultra-sons.

A propagação das vibrações sonoras faz-se por intermédio de corpos materiais, aos quais as vibrações são transmitidas. O som propaga-se através dos corpos sólidos, líquidos e gasosos, mas não se propaga no vácuo. No ar, o som propaga-se com a velocidade de 340 m/s. O eco é a reflexão das ondas sonoras, quando encontram um obstáculo. Para que um eco seja audível, é necessário que, entre a fonte sonora e o obstáculo, haja, pelo menos, uma distância de 17 metros. Os instrumentos musicais podem ser: de cordas, de sopro, e de percussão.
Adaptação - É uma característica de toda a matéria viva e que consiste em ajustar-se, ou adaptar-se às condições em que vive, e em assegurar a sua sobrevivência nos diversos meios onde todos os seres têm que lutar pela vida. Há múltiplos exemplos de adaptação, como, por exemplo, a célebre afirmação de que a necessidade cria o órgão e a sua não utilização provoca o seu definhamento e, eventualmente, a sua desaparição.

Entre vários tipos de adaptação, temos: luminosidade dos peixes abissais; o pescoço alto das girafas, para lhes permitir chegar aos altos ramos onde se encontram as suas folhas preferidas; a cor das aves e dos peixes; a simbiose, entre uma alga e um fungo, ete.


Adenites - Inflamação de um ou mais gânglios linfáticos.
Adenóides - Nódulos de tecido linfóide da faringe. Podem apresentar-se muito desenvolvidos, sobretudo na infância, e prejudicar a respiração nasal. Quando esta perturbação é muito acentuada, é aconselhável a extracção cirúrgica (adenoidectomia).
Adenovirus - Vírus vulgar que foi encontrado, pela primeira vez, em adenóides extirpados cirurgicamente. É uma das causas da dor de garganta e de outros sintomas, como os da constipação.
Aderência - Coalescência de membranas devida a inflamação.
Adiabática - Transformação em que um sistema não cede nem absorve energia calorífica, durante uma transformação.

Por exemplo, se o cilindro de um motor de combustão interna estivesse completamente isolado do exterior, não perderia, nem ganharia calor durante os movimentos de expansão e compressão. Contudo, na prática, perde e ganha calor, não se verificando, pois, a condição adiabática. A representação gráfica de uma transformação adiabática é materializada por uma curva que tem, como assimptotas, os eixos OP e OV.


Adolescência - Período iniciado com o aparecimento da puberdade e que termina quando se atinge um desenvolvimento físico completo. Normalmente situa-se entre os 12 e os 20 anos, para as raparigas, e entre os 14 e os 22, para os rapazes. Estes limites são variáveis, de raça para raça, e por influência do clima.

*//* (ficam aqui algumas falhas que deverão sr vistas com o livro)

Adrenalina - Hormona da medula supra-renal, que também pode ser obtida sinteticamente. Chámam-lhe a hormona de alarme, porque a sua acção pode conduzir ao colapso circulatório. ‘P;Feei, iambém, acção ocular, ejtoiíoi*iii o mioses e exoftalmoses. crredordada Adsorção - Quando urna milierfície sólida é posta em contacto «oi~n urna mistura, liquida ou gasosa, V.)@Wica-se, na superfície de separação, um aumento de concentração de im ou alguns componentes da nikiMia. Esta retenção tem o nome de ;i41rção e tem várias aplicações aii.4@idflcas ou tecnológicas: cromotografia, tatálise k heterogénea, PYriffiffil - ~.@ ete. E o que se verifica, por 4.-emplo, quando as ~OXFTWeW =derem a urna fibra. Adstringente - Produto que contrài e seca a superfície das %@i.4@iibranas. Por exemplo: nitrat? de =ia, sais Ma de alumínio, hamamelia, O Me#io, etc. Advecção - Movimento @Te%zontal do ar causado, úúILIffim , pelas variações da *i ig:9reipiffi# =Mo cá, próximo da superfície da T44àow E responsável pela temperatura e outras alterações. Acróbio - Microrganismo wijo desenvolvimento não é siwkAv-ii senão num meio oxigenado. Aerodinâmica - Parte da iiiicânica dos fluidos que estuda os ---4ákes em movimento, as suas v,4~ des e pressões. Tem, como t Me. Ifiro e principal, determinar as dif.,[ar resultantes do movimento dw . M entre os corpos mergulhados no ar e este. asa ern Lecha No caso dos móveis, interessa à locomoção terrestre e marítima wefundamentalmente, à ffiCM7M ~É,- ea dos acródinos. Com o aparecimento das -%Wes velocidades esta ciência é íTup mais importante que nunca. Os #.Wis das asas dos aviões - em delta, isi flecha e supersónicos - são todos aerodínamicamente concebidos. §lá-se o nome de linha m,,!w#rxM.R.~ forma curvilínca de um corpo que hi e permite mover-se, através de iiiizfluido, com um mínimo de atrito -4'qL@rficial. Aerofagia - L",MVR?6 ~-Afonia - Perda de voz poi 4eração on delÍ4 orgânica ou funcional de sLiialquer órgão da fonação. Aftas - Pequenas vesículas iuperficiais, seguidas de ulceração, e e aparecem, sobretudo i boca. Agar-Agar - fflwfflr W--




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   40


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal