Diretoria de enfermagem



Baixar 434.7 Kb.
Página1/5
Encontro30.07.2016
Tamanho434.7 Kb.
  1   2   3   4   5
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

DIRETORIA DE ENFERMAGEM

DOCUMENTOS BÁSICOS


NOVEMBRO – 1980


OBJETIVOS


DA DIRETORIA DE ENFERMAGEM

DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO


A Diretoria De Enfermagem do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina responsável pela administração da atividades de Enfermagem baseada na filosofia definida tem por objetivos:


I. Na Área Assistencial:


  • Estabelecer o nível qualitativo e quantitativo da assistência de enfermagem a ser prestado.




  • Planejar, executar e avaliar a assistência de enfermagem centrada nas necessidades individuais e coletivos, de indivíduos, família e comunidade.




  • Integrar as ações de enfermagem sob o ponto de vista preventivo, curativo e de reabilitação.


II. Na Área do Ensino:


  • Promover condições de treinamento e seleção de todo o pessoal a ser admitido.




  • Promover condições de reciclagem periódica (Centro de Educação e Pesquisa em enfermagem (CEPEn) para todo o pessoal.




  • Promover condições adequadas para o ensino à nível de:

  • Formação de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem,

  • Graduação em Enfermagem,

  • Pós – Graduação em Enfermagem.




  • Manter e desenvolver um sistema de integração docente assistencial na área de enfermagem.




  • Criar condições que favoreçam a constante atualização de pessoal através do curso e estágios em outras instituições.


III. Na Área de Administração de Enfermagem
 Estabelecer e desenvolver uma política, para a área de Enfermagem levando em consideração a política de pessoal do hospital;
 Prover os Recursos Humanos e Materiais necessários ao desenvolvimento da assistência de Enfermagem de acordo com com nível estabelecido.
 Manter e favorecer boa comunicação e relacionamento dentro da enfermagem, implementando o sistema cooperativo de trabalho;
 Manter e favorecer bom comunicação e relacionamento com os demais órgãos da Instituição bem como outros serviços de saúde;
 Avaliar anualmente o desempenho da Diretoria de Enfermagem no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina.
IV. Na Área de Pesquisa.
 Realizar e estimular o desenvolvimento de estudos e pesquisas, na área de enfermagem e colaborar com pesquisas na área da saúde.
V. Na Área de Extensão:
 Programar, desenvolver e avaliar programa de extensão, conforme necessidades sentidas e expressas pela comunidade ou propostos pela Diretoria de Enfermagem e que tiveram boa receptividade entre os grupos aos quais se destinam.

FILOSOFIA

DA DIRETORIA DE ENFERMAGEM

DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

A Diretoria de Enfermagem do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina acredita que:


  1. Todo ser humano tem direito a vida, liberdade e segurança pessoal, igualdade e direitos sem distinção de qualquer espécie, seja raça, cor,sexo, língua, religião, opinião política e classe social.

02. A saúde é uma condição de bem estar do ser humano em que ele está em equilíbrio consigo mesmo e com o meio ambiente.




  1. A enfermagem é um serviço prestado ao homem, e assim a prática de enfermagem é uma arte e o seu exercício exige conhecimentos científicos próprios a serem consolidados e ampliados.

Na atualidade, a natureza deste serviço prestado ao homem é o atendimento de suas necessidades básicas, sempre visando a independência do homem desta assistência, em situações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde.


  1. A enfermagem, pelas suas características somente poderá ser exercida em equipe, levando ao compromisso da prática cooperativa na enfermagem. O enfermeiro como coordenador da equipe de enfermagem deve implementar este sistema cooperativo, através do exercício da liderança autêntica, em que encontra um equilíbrio das ações expressivas e instrumentais agindo de forma deliberada e não automática.

SUBSÍDIO

PARA A ELABORAÇÃO DA

FILOSOFIA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO



  1. A Saúde é uma condição do bem estar do ser humano em que ele esta em equilíbrio consigo mesmo e com meio ambiente;




  1. A Saúde, a Educação e os Recursos Econômicos, como componentes do desenvolvimento social, estão em íntima relação com as condições de vida;




  1. A preocupação fundamental dos serviços de saúde deve ser o bem estar da população em que está inserida e, estes serviços e seus profissionais devem lutar por melhores condições de vida das pessoas;




  1. Os serviços de saúde devem propiciar assistência integral ao homem, preventiva, curativa e de reabilitação, pois a doença é um processo com múltiplas causas, constituindo-se uma intercorrência do ciclo vital;




  1. A cobertura de saúde da população é um trabalho multidisciplinar e a sua realização pressupõe o trabalho em equipe;




  1. O Hospital é uma instituição de saúde em que se desenvolvem ações preventivas e de reabilitação integradas entre si e com a comunidade.

O Hospital Universitário, organizado com a sistemática de assistência progressiva é a instituição mais diferenciada de um sistema regionalizado de saúde, desempenhando relevante papel na coordenação deste sistema pela prática assistencial mais avançada.

INTEGRAÇÃO DOCENTE ASSISTENCIAL (IDA)

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UFSC –

ÁREA DE ENFERMAGEM

A integração docente assistencial será efetiva com a identidade das ações de assistência e ensino, onde o processo de ensino e aprendizagem é decorrente do processo assistencial.

A finalidade primordial do Hospital Universitário é a assistencial integral de saúde à comunidade com relevância para o ensino e a pesquisa mas como funções que derivam do sistema assistencial.

Assim, os profissionais que exercem seu trabalho no Hospital Universitário estão voltados para a assistência, com a preocupação de ensinar assistindo.

A efetiva integração ocorrerá com:



  • Ações assistenciais idênticas para docentes e não docentes;

  • Implementações de um sistema cooperativo no trabalho;

  • Responsabilidade pela integração docente assistencial partilhada, pelos órgãos da Diretoria de Enfermagem (DE).


Pré–Requisitos necessários a IDA


  • Planejamento, execução e avaliação da assistência, ensino e pesquisa em enfermagem comum aos profissionais;

  • Todos assistem e buscam ensinar pelo ato assistencial em si;

  • Professores e alunos estão num único sistema assistencial;

  • Todos os enfermeiros, assistenciais ou docentes serão antes de tudo enfermeiros;

  • O critério fundamental para o preenchimento dos cargos de chefia deve ser a capacidade de liderança;

  • Todos os enfermeiros devem ser estimulados suas potencialidades de liderança, ensino e pesquisa;

  • O aluno será elemento ativo da equipe assistencial ;

  • A política deve propiciar níveis salariais condizentes e compatíveis com a função sem diferenças que características em classes dentro da enfermagem de nível superior do Hospital Universitário;

  • A contra partida financeira, pela assistência, ao professor deve ser acompanhada pela de ensino ao enfermeiro;

  • Ao nível de setores haverá um divisão equitativa das atividades assistenciais e de ensino entre o enfermeiro responsável pela unidade, os docentes e demais enfermeiros da unidade

  • A IDA para ser efetiva, deve ser contínua, não havendo solução de continuidade durante os períodos de férias escolares.


Estrutura Administrativa da IDA
A Avaliação semestral da IDA em todos os níveis da Diretoria de Enfermagem será executada pela comissão de IDA constituída de:

  • Diretoria

  • Chefe da Divisão de Pacientes Internos

  • Chefe da Divisão de pacientes Externos

  • Chefe do Departamento de Enfermagem

  • Sub-Chefe do Departamento de Enfermagem

  • Coordenadora de Curso de Enfermagem.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

DIRETORIA DE ENFERMAGEM

MÉTODO DE ASSISTÊNCIA

DE ENFERMAGEM

Elaborado por: Profa Rosita Saupe

Profª Lidvina Horr


DEZEMBRO – 1984

SUMÁRIO
PRONTUÁRIO ORIENTADO PARA O PROBLEMA SEGUNDO WEED




  1. IIntrodução




  1. Aplicação do Método Científico




  1. Utilização do Sistema Científico no Sistema de Prontuário orientado para o problema.




  1. Componente do Sistema de Prontuário orientado para o problema segundo Weed

    1. Banco de Dados Iniciais

    2. Lista de Problemas

    3. Planos Iniciais

    4. Prescrição

    5. Notas de Evolução

PRONTUÁRIO ORIENTADO PARA O PROBLEMA NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVESIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA





  1. Introdução

  2. Área Médica

  3. Área de Enfermagem

  4. Demais áreas

  5. Componentes do Prontuário

 Histórico da Saúde

 Lista de problemas

 Evolução

 Prescrição

 Observação Complementares de Enfermagem
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA E/OU REFERENCIADA
ANEXOS
ANEXO 1. LISTA SUGESTÃO DE VERBOS PARA USAR NA PRESCRIÇÃO.
ANEXO 2. ROTEIRO DE HISTÓRICO DE ENFERMAGEM.
ANEXO 3. ROTEIRO DE OBSERVAÇÕES.

PRONTUÁRIO ORIENTADO PARA O PROBLEMA SEGUNDO WEED




  1. Introdução

“Os prontuários tradicionais registram observações e informações de acordo com a fonte que as colhe, tais como o médico, o consultor, a enfermeira ou o técnico. A um dado momento, o mesmo paciente pode ter cinco ou seis fichas separadas. Esse método é confuso e obsoleto, particularmente com o aumento das especialidades médicas e profissões ligada à saúde”. (3 : ii).

“No sistema orientado para o problema, o paciente tem um prontuário no qual todas as observações e dados são correlacionados com seus problemas específicos. Cada problema e visto em relação a todos os seus outros problemas”. ( 3 : ii)


  1. Aplicação do Método Científico

“Embora só recentemente o sistema do prontuário orientado para o problema tenha se tornado popular, ele se baseia no método científico de resolução de problemas. No método científico, começa-se com um corpo inicial de conhecimentos, contendo atos e conceitos sobre um determinado assunto, visto a partir de um determinado quadro de referência. O corpo de conhecimento representa tudo o que presentemente se sabe ou se determinou sobre o tema. A partir destas informações, são desenvolvidas hipóteses que procuram examinar e explicar aspectos importantes a respeito do tema a ser tratado”. (3.2).

No método científico, programa-se experimentações com vírus a refinar ou comprovar as hipóteses. A medida em que cada experimentação é realizada, resultados são obtidos e anotados separadamente para cada hipótese. Se todos os resultados fossem misturados, a relação de um resultado isolado com uma hipótese em particular não ficaria clara. Neste ponto, as hipóteses, experimentações e resultados obtidos fornecem conhecimentos cada vez mais amplos sobre o tema. E assim se completa o ciclo do método científico”. (3.2), que esquematizado, tornando-o o mais claro e objetivo.

ESQUEMA DO MÉTODO CIENTÍFICO: (3:2)




HIPÓTESES



  1   2   3   4   5


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal