Diretoria Executiva Ata da reunião de Diretoria



Baixar 131.81 Kb.
Encontro21.07.2016
Tamanho131.81 Kb.
Diretoria Executiva

Ata da reunião de Diretoria










Data

17/11/2008







Horário

13:30h as 17:30h







Local

Sede do Sindigas

Rio de Janeiro, RJ



Nacional Gás

Antonio Maurício de Carvalho Martins

Nacional Gás

Achile Marmiroli

Liquigás

Paolo Ditta

Liquigás

Thomaz Lucchini Coutinho

SHV Gás

Lauro M. Barretto Cotta

SHV Gás

Rubem Mesquita Vieira

SHV Gás

Ricardo Márcio Tonietto

SHV Gás

Angela Flores Furtado

Ultragaz

Pedro Jorge Filho

Ultragaz

Plínio Laerte Braz

Ultragaz

Júlio César Nogueira

Sindigás

Sergio Bandeira de Mello




Ausências




Amazongas

José Anselmo G. Rodrigues Filho

Sociedade Fogás

Jonathan Saul Benchimol

Repsol Gás Brasil S/A

Marcos Arnaldo Silva

Repsol Gás Brasil S/A

Jederson Beck




Temas da convocação da reunião

1. Encontro no MME e programa de acesso para baixa renda

2. Encontro com Dr. Edson Silva na ANP em 23/10/2008

3. Expansão do CADI

4. Proposta de valor para um aumento de eficiência na cadeia de revenda e distribuição

5. Projeto GLP (Qualidade Compartilhada)

6. Outros




Material de leitura enviado antes da reunião

E-mails e mensagens em geral da crise na liderança da revenda

Planilha atualizada sobre a requalificação.

Relatórios de visitas ao Dr. Edson Silva e Dr. Lima no MME, inclusive material de apoio usado nos eventos.

Material relativo ao evento da WLPGA

Outros




1. Encontro no MME e programa de acesso para baixa renda

SBM e Pedro Jorge reportaram aos demais a excelente reunião havida no MME.

SBM esclareceu o estágio aparente de andamento do projeto de acesso a “baixa renda”, com uso de aumento de PIS/COFINS para financiar uma alocação de benefício específico para um “filtro” a ser aplicado no programa bolsa família.

Informações precisam ser mais bem esclarecidas sobre momento do projeto. No MME, o projeto foi apresentado como uma proposta isolada da Petrobras. Já em conversas de algumas empresas na Petrobras esta garante que o projeto já se apresenta como um programa de governo sendo analisado para estudo de viabilidade de implementação.

Alguns pontos foram encarados como interessantes:



  1. Possibilidade de criar com Petrobras algum tipo de fundação para viabilizar implementação de novas tecnologias e de programas sociais, com a demonstração clara de que a Petrobras pretenderia assumir maior parte dos custos de implementar uma fundação nos moldes da PERC.

  2. Uma tecnologia como um cartão Gás poderia ser um primeiro passo para separar com TECNOLOGIA o formal do informal, assim como nos casos de vans e ônibus formais, onde o “RIOCARD”, como outros estados, somente é aceito nos veículos formais. Dependendo da forma como fosse desenvolvido poderíamos ter um importante instrumento de fidelização.

Com alguma preocupação foi visto o desenvolvimento de algo que impacta de forma tão importante o nosso varejo seja desenvolvida sem qualquer participação do setor.


Diretoria exigiu que SINDIGAS se manifeste de forma escrita, junto a Petrobras e ao MME, que frente ao conhecimento da existência de um programa de acesso ao baixa renda, as associadas ao Sindigás pedem acesso ao projeto e desejam fazer parte de todas as etapas de desenvolvimento, uma vez que isto impacta fortemente o nosso negócio e podemos contribuir firmemente na idealização e no desenvolvimento de soluções.

Empresas manifestaram preocupação com desejo da Petrobras em zerar as diferenças entre preços de P-13 e outros, de forma a financiar o projeto. Apesar do desejo de diminuir as diferenças, as empresas se preocupam com a possibilidade de aumento de PIS/COFINS associada ao aumento do preço EX-REFINARIA, de forma simultânea o que pode levar a criação de um P-13 de R$ 45,00 ou R$ 50,00.




Empresas se comprometeram a preparar cenários e simulações de preços, com preços igualados (P-13 e outros), com aumento e não de PIS/COFINS, com equalização nacional de um ICMS de 12%, considerando cenários atuais de export e import parity, etc.


SBM deixou registrada a declaração do Secretário de Petróleo e Gás do MME (importante posicionamento do MME):

Solução de mecanismo de acesso ao Gás LP para o público de baixa renda é a porta de entrada na agenda positiva do setor”.


As empresas consideram a tutela exagerada e preocupante.


Ações definidas

Responsável

Prazo

Fazer contato com Sillas da Petrobras e marcar posição por escrito

SBM

Imediato

Montar cenários simulados sobre efeitos no preço final.

Todos

Imediato

Convocar Grupo especial










2. Encontro com Dr. Edson Silva na ANP em 23/10/2008

Reunião de 23/10/2008:

SBM agradeceu o apoio de todos que estiveram presentes no encontro e afirmou que todos os temas foram muito bem aceitos. Foi recriado o grupo de trabalho sobre FIM DAS RESTRIÇÕES DE USO com reunião prevista para 26/11.

Adicionalmente, a proposta de requalificação foi bem aceita (deve haver contra proposta por parte da ANP) e estamos preparando um resumo de duas páginas com esta proposta.

SBM lembrou que o tema sobre multibandeira encaixou muito bem e abriu espaço para um trabalho maior. Já contratamos um parecer jurídico e estamos buscando um parecerista econômico para tentar enterrar o tema.


SBM apresentou aos presentes preocupação de estarmos trabalhando de forma conjunta com a COPAGAZ e esta empresa estar sistematicamente afirmando que não vai cumprir com os compromissos que estamos apresentando no projeto de requalificação. Todos os presentes disseram ser impossível ter uma manifestação firme da COPAGAZ.

SBM sugeriu e foi aprovado que a proposta que será apresentada por escrito deverá ter a assinatura da COPAGAZ de maneira formal ou exclusão da mesma da proposta.


Empresas não concordaram com quadro apresentado sobre avanços das requalificações.



Ações definidas

Responsável

Prazo

Preparar novo quadro de avanços da requalificação com dados desde o fim da fase I e com prognósticos (compromissos) para os próximos anos

Adriano Horta

Imediato..

Preparar documento sobre requalificação e pegar assinatura firme da COPAGAZ

SBM / Adriano Horta

Imediato

Convidar empresas para reunião de 26/11 sobre fim das restrições de uso

SBM

Imediato

Prosseguir com contratação de pareceres econômicos e jurídicos contra o MULTIBANDEIRA. Não efetuar rateio mas usar recursos extraordinários de saldo orçamentário geral. 2008_11_Pareceres_multibandeira_02.

SBM/ Daniel

Imediato, sem rateio




3. Expansão do CADI



Projetos em andamento:

Temos em andamento os projetos no interior de SP e no RS. Ambos são desenvolvidos tendo os Sindicatos locais como prestadores de serviço e parceiros, simultaneamente.

Mauricio Martins levantou o caso do RS, em que as empresas teriam aprovado a continuidade de contribuição de R$ 5.000,00 por mês para o Sindicato do RS. Outras empresas informaram que todos aprovaram mais um mês de contribuição e pediram transparência para Ronaldo Tonet para dar continuidade ao processo.

Ricardo Tonietto esclareceu que a Diretoria Jurídica recomendou que o CADI sofresse uma evolução, mas nunca determinou a interrupção dos processos em curso. Destacou que os projetos em andamento já representam riscos e que para corrigir, na visão da Diretoria Jurídica, precisaria um convênio firmado com a ANP e transmissão periódica de todas as denúncias recebidas, inclusive as solucionadas.

R. Tonietto informou que a diretriz da Diretoria Jurídica não foi mandatória.

SBM lembrou que na última reunião de Diretoria, para não perder o material publicitário (R$120.000,00), decidiu-se dar continuidade ao projeto do RS.

Foi discutido o envio por parte do SINGASUL de cerca de 340 denúncias para a ANP e empresas confirmaram ter conhecimento que o filtro teria sido definido localmente com o Sindicato.
Expansão:

Ficou acordado que o projeto de expansão desta iniciativa somente deve se dar caso se confirmem as seguintes condições:



  1. Assinatura de convênio com a ANP.

  2. Dados serem transmitidos ou entregues para ANP a cada 60 dias, sem filtro

  3. Execução deve ser em empresa externa com acesso para Sindicatos parceiros e grupos gerenciais das empresas, nas áreas definidas.

Ficou acertado que SBM deve preparar projeto final para levar à ANP.

Buscar uma empresa externa, submeter à aprovação da Diretoria de Regulamentação, contratar softwares de controle e acompanhamento e emitir relatórios gerenciais.



Projeto do Ceará:

Foi comentado o sucesso do projeto no Ceará, onde não tivemos CADI. Os comentários gerais foram de que o sucesso ocorreu em especial a uma liderança ativa no Sindicato local, que não só mobilizou revenda e distribuição, mas também o poder público.



Comentado proposta feita pela ONG que comanda o Disque Denúncia em Pernambuco:

SBM agradeceu apoio das empresas, comentou que a proposta enviada é desproporcional mas a oportunidade é interessante.

Ficou acertado que SBM irá se comunicar com autoridades locais agradecendo, demonstrando interesse de nossa parte mas marcar impossibilidade de fazer um investimento de R$ 50.000 mensais, fora mídia, quando nossos projetos médios não excedem R$ 300.000,00 por semestre incluindo mídia e material de ponto de venda.

A parceria, no entanto, não deve ser desconsiderada.


CADI DF:

Projeto deve aguardar etapas de aprovação da nova fase do CADI com todas as formalizações.

Custos não foram aprovados.


Ações definidas

Responsável

Prazo

Buscar empresa prestadora de serviço que.possa tocar o CADI de forma independente.

SBM / Daniel Braga / Neto

Imediato

Contratação para uso PILOTO do software que monitora o CADI

Daniel Braga / Otavio / Neto

Imediato

Recusar proposta apresentada pelo Disque Denúncia de Pernambuco

SBM / Daniel Braga / R. Tonietto

Imediato

Apresentar proposta final para a ANP. Preparar material com fluxo de informação, relatórios típicos, janelas e filtros que podem ser aplicados, outros detalhes, para apresentar para a Fiscalização da ANP.

Daniel Braga

Ainda em Dezembro




4. Proposta de valor para um aumento de eficiência na cadeia de revenda e distribuição.

Diagnóstico

SBM apresentou matéria do Jornal O GLOBO onde se abordava o transporte clandestino em VANS PIRATAS e a constatação de que o consumidor final PREFERE A VAN CLANDESTINA.

Relação estabelecida com o revendedor clandestino ou ponto de venda informal.

SBM sugeriu que as empresas contratem uma consultoria especializada em varejo para apresentar um diagnóstico e um caminho firme para que a proposta de valor do FORMAL seja superior em qualidade a do CLANDESTINO.

Exceto a Nacional Gás, que com manifestação clara de Mauricio Martins julgou oportuna a sugestão, as demais empresas contestaram a necessidade de uma proposta de valor desta natureza e alegaram que já fazem isto com sua rede formal.

SBM argumentou que é difícil imaginar que uma empresa, por melhor que sejam seus planos de marketing, fidelização, etc, venha a se transformar em uma ilha de prosperidade em um mercado dilacerado pela informalidade, pela infidelidade.

Lembrou ainda que no início das VANS PIRATAS os empresários formais compraram VANS para competir e logo viram que esta não seria a solução, partiram para o uso da Polícia e da regulamentação e viram baixo nível de sucesso. Então investiram em tecnologia como RIO CARD e outros serviços (ar-condicionado, pontualidade, etc.).

A tentativa de proposta de valor do informal é impossível de acompanhar, pois da inocente informalidade estes migram e mergulham para a criminalidade.


Análise do material prévio:

Após envio as empresas devem apresentar seus comentários para SBM.


Apresentação de empresas:

Cada companhia deve enviar para SBM nomes e dados de contatos para empresas de consultoria especializada em varejo e gestão.


Próximos passos:

SBM ficou de apresentar um PAPER para crítica que melhor representasse o produto a ser contratado.

Pedro Jorge registrou fortemente que em sua larga experiência com consultorias externas ele considera que seja fundamental a definição dos produtos que desejamos ter destas empresas para escaparmos das soluções generalistas.

Assim, para um projeto como este, a Ultragaz está disposta a ajudar se os produtos forem definidos como por exemplo:




- Fim da multibandeira

- Ampliação da fidelização dos clientes finais e das revendas

- Fim do Atacadista

- Garantia de acesso das distribuidoras às operações de varejo e melhoras tangíveis e acompanháveis dos progressos na operação no varejo

- Apresentação clara das propostas para o canal Revenda e para o canal distribuição, entendidos aí cada elo, da grande Distribuidora até o remanescente nano-comerciante.

- Mecanismo para baixa renda

- Como fazer o consumidor final preferir a revenda formal.

- Profissionalização da revenda

- Liderança da revenda e tratamento de temas divergentes e convergentes

- Redução da cadeia excessivamente longa

- Aprimoramentos normativos e as linhas de argumentação para tal.

- Implementação de tecnologias de ponto de venda

- Tratamento do Ticket médio

- Crédito


Atenção: Todo o trabalho será focado para o setor e não para cada empresa. Ficou entendido que cada empresa terá um dever de casa pesado após conclusões.


Ações definidas

Responsável

Prazo

Preparar e enviar diagnóstico

SBM

Imediato

Analisar diagnóstico, indicar pessoas focais do grupo de trabalho e indicar empresas a serem convidadas.

Todos

Imediato, após item anterior



5. Projeto GLP (Qualidade Compartilhada)

Apresentada proposta de Pedro Jorge para avaliar a oportunidade de trazer o Projeto GLP para dentro do Sindigás.
Todos consideraram conveniente. SBM informou que Jonathan, mesmo estando ausente, havia informado que o Projeto GLP é deficitário em pequena monta. Pedro Jorge afirmou que não, informou ter verificado e concluído que o Projeto GLP é superavitário.
Paolo Ditta lembrou que o estatuto do Sindigás permite a criação das câmaras setoriais e nestas podemos trazer os atuais sócios do Projeto GLP e o CB09, sem a necessidade de criar nova empresa e sem impedimento que empresas não Distribuidoras se associem a estas câmaras setoriais.
Ficou decidido que o Sindigás deve preparar um plano de negócio para atrair os associados, fabricantes de appliances, etc., e ter tudo pronto para disparar no momento adequado, cartas, material de divulgação, contatos a serem feitos, modelos de reunião, forma de condução, etc.
Todos concordam que não existe como ter descontinuidade alguma no CB09. SBM ficou de conversar confidencialmente com pessoal mais ativo, como Marcos Siqueira, para melhor executar este plano referente ao CB09.
Todos concordaram que João Nery deveria, no máximo, ser contratado para um processo de transição do CB0 mas que não deve ser considerado como empregado do Sindigás, ainda menos como remoto.
O quadro de comparação entre estatuto e atividades atuais mostra que o Projeto GLP se desviou demais de sua atividade original e se concentrou em temas técnicos.
PRÓXIMOS PASSOS:

Aguardar posicionamento vindo de Pedro Jorge após contatos com Lúcio (atual presidente do Projeto GLP).





Ações definidas

Responsável

Prazo

Desenvolver o plano de negócios do NOVO PROJETO GÁS LP, incluindo atividades, comissões, datas das reuniões, cartas para convite, newsletters, planos de divulgação de trabalhos, seminários, etc.

Desenvolver um projeto de marketing completo



Cristiane/ Adriano

Imediato

Verificar data de mudança no comando do CB-09 para indicação de novo nome

Adriano / Marcos Siqueira

Imediato

Desenvolvimento de um “estatuto” para esta câmara setorial a ser criada no Sindigás, mantidas a maioria das características do Projeto GLP original e atraindo as empresas de Appliance atuais e novas

Daniel / Neto

Imediato




6. Grupo de trabalho sobre comércio industrial

Plinio comentou estar surpreso de como o Sindigás se concentra praticamente de forma exclusiva aos temas dos embalados, em especial embalagens menores que P-13.

Todos concordaram e fornecer nomes para criação deste grupo de trabalho.

Planilha será enviada em branco para que empresas apresentem seus representantes.






Ações definidas

Responsável

Prazo

Enviar quadro em Branco

SBM / equipe interna do Sindigas

Imediato

Devolver quadro preenchido

Todos

Imediato

Convocar primeira reunião ainda para Dezembro

Adriano

Imediato




7. Outros

TAC

Levantado por Lauro Cotta uma série de casos recentes de TACs que vêm sendo assinados sem que sejam obtidas contrapartidas interessantes, ou até mesmo que seja gasta toda a energia para comprovação de impossibilidade.

Um dos exemplos dados foi o do MTE no Rio Grande do Sul.

Alguns dos TACs comentados eram desconhecidos dos executivos, mesmo suas empresas tendo assinado e concordado com os mesmos.

Enfraquecimento de propostas por não estar havendo uma harmonização prévia.
Comissão sobre novos usos do Gás LP e seus 5 grupos complementares ainda estão incompletos.
SBM pediu urgência na indicação dos 6 nomes para as comissões

Quadro incompleto segue anexo.


WLPGA

SBM apresentou a discussão ocorrida com a WLPGA durante encontro no RJ, com James Rockall.

Ficou claro, por parte da WLPGA, que podemos sugerir mas eles não se obrigam a acatar nada e se consideram livres para definir o que desejarem.

James Rockall disse que o Comitê Nacional pode colaborar mas não pode definir NADA.

SBM confessou frustração com o relacionamento mas todos aceitaram que assim será e que falhas, receitas, etc., devem ser cobradas da WLPGA face a forma intransigente desta associação com os apoiadores locais.

SBM se comprometeu a relatar dificuldades de maior monta e manter encontros mensais com empresas patrocinadoras.


Temas específicos:

Key-notes Speakers:

Primeiro dia: Preferência por MINISTRO DE MINAS E ENERGIA: EDSON LOBÃO, e

Primeira opção: Governador do Estado do Rio de Janeiro

Segunda opção: Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro
Segundo dia:

Primeira opção: José Sergio Gabriele – Presidente da Petrobras

Segunda opção: José de Lima de Andrade Neto – MME
Componentes importantes na mesa do primeiro e/ou 2º dia:

Haroldo Lima – ANP

Julio Bueno – Secretário de Energia do Estado do Rio de Janeiro

Deputados Federais como: Eduardo Gomes e Eduardo Sciarra, entre outros.


COOL EARTH foi reprovada como empresa prestadora de serviço para neutralização de emissão de carbono devido aos desentendimentos com autoridades ambientais no Brasil.
AIGLP

Apresentada estrutura geral do evento.

Empresas ficaram preocupadas com a crise mundial e potencialmente esvaziamento do evento.

Todos insistiram em manter o evento vivo mas estudar a possibilidade de ser bienal.

Dúvidas sobre a continuidade do projeto da AIGLP foram colocadas na mesa.

Apresentadas propostas para patrocínio e SBM pediu que as empresas Brasileiras não deixem de ser, pelo menos, Prata ou Bronze neste evento em Lima.






CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA ATUAR NA ADIN CONTRA AS LEIS DO P-5 E P-8

R. Tonietto insistiu no enorme risco que representam as diversas leis estaduais como as que obrigam as empresas a exporem a venda de botijões de 5 e 8 kg. Tonietto apresentou orçamentos para a ação, fundamentada em parecer, também orçado, destacando que tal trabalho pode chegar a R$ 550.000,00 de gastos Diretos e até R$ 680.000,00 com diretos e indiretos.

Esses valores englobam a propositura da primeira ação direta, em face da lei do RJ à qual deverão ser distribuídas por dependência as ações a serem propostas em seqüência em outros estados.

Empresas se manifestaram da seguinte forma:

SHV – Favorável

NG – Pendente

Ultragaz – Pendente

Liquigas – Pendente



2008_11_ADIN_P-5 E P-8 07_A

Todos ficaram de dar retorno no máximo em 10 dias.


PARECER FISCAL SOBRE CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA DAS DISTRIBUIDORAS, DAS REVENDAS E DAS INSTALAÇÕES DAS DISTRIBUIDORAS AUTORIZADAS PARA OPERAR COMO REVENDA PELA 297/03:

Aprovada verba de até R$ 12.000,00, não precisa ser rateada, mas precisa ser paga com excedente de verba não ordinária, saldo de verba geral.

Paolo Ditta pediu que o parecer evite enfrentamento com a FECOMBUSTIVEIS uma vez que revendedores têm que contribuir de qualquer forma.

SBM disse que o Parecer deverá tratar as questões sobre nossos locais de forma separada da contribuição das revendas. 2008_11_PARECER_FISCAL_CATÃO_07_B


PATENTE DA REQUALIFICAÇÃO:

R. Tonietto reportou avanços do caso, afirmou termos bom direito e que podemos pegar carona no caso da NHL.



Rateio do primeiro caso que chega ao STJ:

O escritório do Professor Cândido Dinamarco, contratado para o acompanhamento do processo de OM, que se encontra em Brasília, perante o STJ, apresentou contrato conforme já aprovado, com honorários de pro-labore de R$ 40.000,00 e ad exitum de R$ 50.000,00.

Valor estimado de R$ 100.000,00

Aprovado o rateio total, incluindo COPAGAZ, com base no Market Share de 2007, total Brasil. R$ 100.000,00



2008_11_SERVGAS_DINAMARCO_STJ_OM_07_C
Reunião de Dezembro de 2008:

Atendendo pedido de Jonathan, a reunião que estava prevista para 15/12 foi mudada da seguinte forma:


11/12 – 14:30h – Reunião do Conselho da AIGLP

11/12 – 20:00h – Jantar de fim de ano do Sindigás, no Rio de Janeiro, em local a ser definido

12/12 – 09:30 as 12:00h – Reunião ordinária da Diretoria do Sindigás

12/12 – 14:30h – reunião da Comissão do IBP.








Ações definidas

Responsável

Prazo

ADIN – P5 e P8 – Estimativa de máximo R$ 680.000,00, envolvendo êxito. Esperar posicionamento formal das empresas para efetuar rateio.

2008_11_ADIN_P-5 E P-8 07_A

SBM / equipe interna do Sindigas

Imediato

Cobrar das empresas um posicionamento fechado sobre o valor a ser contratado para auxiliar na ADIN do ES

R. Tonietto

Imediato

Enviar carta para os principais executivos de cada uma das empresas apresentando formalmente os compromissos de patrocínio para o Forum de maio/2009 no Perú. E cobrar por telefone

Diego / Cristiane

Imediato

Informar reprovação da COOL EARTH para a WLPGA

Cristiane

Imediato

Convocar reunião da comissão organizadora dos eventos da WLPGA e da AIGLP

Cristiane

Imediato

Mandar confirmação de que sim, as empresas aceitam revisão da garantia do MOU, de US$ 300,000.00 para EURO 235.000,00

SBM

Imediato

Sem rateio foi aprovado trabalho de elaboração de parecer de Marcos Catão, com gastos diretos máximos de R$ 12.000,00, e com verba excedente de ordinário. Projeto a ser tratado como extraordinário sem rateio. 2008_11_PARECER_FISCAL_CATÃO_07_B

Daniel / R. Tonietto

Imediato

Efetuar rateio imediato de R$ 100.000,00 sobre caso de OM da SERVGAS, seguir instruções de R. Tonietto e envolver a COPAGAZ no rateio. R$ 100.000,00

2008_11_SERVGAS_DINAMARCO_STJ_OM_07_C

Neto / Daniel

Imediato



Convocada por:

SBM

Tipo de reunião

Informação / Decisão

Facilitador

SBM

Responsável pelas notas:

SBM

Demandante

Diretoria e Conselho

Acompanhamento interno no SINDIGÁS

SBM/NETO

Cliente

Conselho

Responsável

Diretoria

Formalização da aprovação da ata



Data: _____/______/______


Empresa

Nome por extenso:

Assinatura

































































































































Aprovando ata de reunião de:





Data

17/11/2008




Horário

13:30h as 17:30h




Local

Sede do Sindigas

Rio de Janeiro, RJ










©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal