Disciplina de Semiologia Médica – clm 1000 Objetivo da disciplina



Baixar 50.65 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho50.65 Kb.
Universidade Federal de Santa Maria

Centro de Ciências da Saúde

Curso de Medicina

Departamento de Clínica Médica



Disciplina de Semiologia Médica – CLM 1000
Objetivo da disciplina

Capacitar o discente com conhecimentos, habilidades e atitudes que o possibilite interagir com o paciente, coletando informações, elaborando e registrando a anamnese, executando e registrando os achados do exame físico e tendo condições de, ao final, elaborar a listagem de problemas para condutas diagnósticas e terapêuticas.



Programa teórico-prático – 1.° sem 2007

Seg 05 mar – 13:30 h – Apresentação da disciplina (Auditório do Centro de Ciências da Saúde).


Seg 12 mar – 13:30 h – Apresentação dos acadêmicos aos respectivos professores. Conhecer as dependências do Hospital Universitário de Santa Maria, locais onde serão realizados os seminários, aulas práticas, palestras, ...

Ter 13 marAnamnese (identificação, queixa principal e duração, história da doença atual, anamnese livre e dirigida, história fisiológica, história patológica pregressa, história social (questionário CAGE), história familiar, listagem de problemas) – Seminário e prática.

Qua 14 mar – Dor e Cefaléia – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.

Quin 15 mar – Interrogatório complementar (revisão geral dos aparelhos e sistemas) – Seminário e prática.


Seg 19 mar – Palestra sobre dorProfa. Miriam Seligman. Auditório Alberto Londero.

Ter 20 mar – Interrogatório complementar (revisão geral dos aparelhos e sistemas) – Seminário e prática.

Qua 21 mar – Dispnéia e cianose – Seminário e prática.

Qui 22 mar – Exame físico geral (estado geral, psiquismo, fácies, atitude, tipo morfológico, pele, anexos da pele e mucosas) – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 26 mar – Palestra sobre semiologia dermatológicaProf. Valdeci J Pomblum. Auditório Alberto Londero.

Ter 27 mar – Exame físico geral (tecido celular subcutâneo, linfonodos, sinais vitais – pulso, freqüência respiratória, freqüência cardíaca) – Seminário e prática.

Qua 28 mar – Pressão arterial (hipertensão e hipotensão) – Seminário e prática.

Qui 29 mar – Estado nutricional – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 02 abr – Palestra sobre Hipertensão Arterial SistêmicaProf. Arnaldo T. Rodrigues. Sala 1003 – Anexo do Centro de Ciências da Saúde.

Ter 03 abr – Edema – Seminário e prática.

Qua 04 abr – Febre – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.

Qui 05 abr – Cabeça (crânio, face, olhos, nariz, orelha, boca) – Seminário e prática.


Seg 09 abr – Palestra sobre febreProf. Valdeci J. Pomblum. Auditório Alberto Londero.

Ter 10 abr – Cabeça (crânio, face, olhos, nariz, orelha, boca) – Prática.

Qua 11 abr – Icterícia – Seminário e prática.

Qui 12 abr – Pescoço (tiróide, pulsos, linfonodos) – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 16 abr – Palestra sobre anexos oculares e fundo de olhoProf. Álvaro Rossi. Auditório Alberto Londero.

Agendar, junto ao Serviço de Oftalmologia do HUSM, aulas práticas sobre fundo de olho com os professores Álvaro (quartas-feiras, às 8:00 h) e Rizzato (quintas-feiras, às 7:30 h).

Ter 17 abr – Tosse e exame físico do sistema respiratório – Seminário e prática.

Qua 18 abr – Sistema respiratório – Prática.

Qui 19 abr – Sistema cardiovascular – Seminário e prática.


Seg 23 abr – Palestra sobre FebreProf. Alexandre V. Schawarzbold. Auditório Alberto Londero.

Ter 24 abr – Sistema cardiovascular – Prática.

Qua 25 abr – Dor torácica – Seminário e prática. Palestra sobre asma e DPOCProfa. Roseane Cardoso Marchiori.

Qui 26 abr – Eletrocardiograma (ECG) – fundamentos, ECG normal) – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 30 abr – Palestra sobre dor torácicaProf. Paulo Tadeu R. Cavalheiro. Auditório Alberto Londero.

Ter 01 mai – Feriado (Dia Internacional do Trabalho).

Qua 02 mai – ECG (distúrbios de ritmo e síndromes isquêmicas) – Seminário e prática.

Qui 03 mai – Prática. Às 11:00 h, reunião dos professores (Pauta 1: discussão sobre a primeira avaliação parcial escrita).


Seg. 07 mai – Palestra sobre ECGProf. Paulo Tadeu R. Cavalheiro. Sala 1003 do anexo do CCS. Prova prático-oral.

Ter 08 mai – Prova prático-oral.

Qua 09 mai – Prova prático-oral. Às 11:00 h, reunião dos professores (Pauta 1: discussão sobre a primeira avaliação parcial escrita).

Qui 10 mai – Prova prático-oral. Palestra sobre semiologia dermatológicaProfa. Shirley Matte.

Seg 14 mai – Primeira avaliação parcial escrita – salas 1003 e 1004 do Anexo do Centro de Ciências da Saúde.

Ter 15 mai – Dor abdominal e exame físico do abdome – Seminário e prática. Publicação do gabarito da primeira avaliação parcial escrita.

Qua 16 mai – Diarréia e constipação – Prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.

Qui 17 mai – Feriado (Aniversário do Município de Santa Maria).


Seg 21 mai – Palestra sobre dor abdominalProf. Nestor Bonini. Auditório Alberto Londero. Publicação das notas da primeira avaliação parcial escrita no site do DCM.

Ter 22 mai – Hipertensão portal – Seminário e prática.

Qua 23 mai – Ascite – Seminário e prática.

Qui 24 mai – Hemorragia digestiva – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 28 mai – Palestra sobre hemorragia digestivaProf. Saulo Dalcin. Auditório Alberto Londero.

Ter 29 mai – Semiologia do sistema urinário – Seminário e prática.

Quar 30 mai – Síndrome nefrítica e síndrome nefrótica – Seminário e prática.

Qui 31 mai – Semiologia do sistema urinário – Prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 04 jun – Palestra sobre síndromes nefrológicasProf. Rafael L. Cauduro. Auditório Alberto Londero.

Ter 05 jun – Semiologia do sistema neurológico – Seminário e prática.

Qua 06 jun – Distúrbios da consciência – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores.

Qui 07 jun – Feriado (Corpus Christi).


Seg 11 jun – Palestra sobre morte encefálicaProf. Rafael Cauduro. Auditório Alberto Londero.

Ter 12 jun – Alterações da motricidade – Seminário e prática.

Qua 13 jun – Alterações da sensibilidade – Seminário e prática.

Qui 14 jun – Pares cranianos. Às 11:00 h, reunião dos professores.


Seg 18 jun – Palestra sobre o exame neurológicoProf. Boaventura. Auditório Alberto Londero.

Ter 19 jun – Semiologia do sistema locomotor (lombalgias, artrites, artroses) – seminário e prática.

Qua 20 jun – Exame físico do sistema locomotor – Seminário e prática.

Qui 21 jun – Exame físico do sistema locomotor – Seminário e prática. Às 11:00 h, reunião dos professores (Pauta 1: discussão sobre a segunda avaliação parcial escrita).


Seg 25 jun – Palestra sobre o exame físico do sistema locomotorCésar Xavier Acosta, MD. Auditório Alberto Londero. Prova prático-oral.

Ter 26 jun – Prova prático-oral.

Qua 27 jun – Prova prático-oral.

Qui 28 jun – Prova prático-oral. Às 11:00 h, reunião dos professores (Pauta 1: discussão sobre a segunda avaliação parcial escrita).


Seg 02 jul – Segunda avaliação parcial escrita – salas 1003 e 1004 do Anexo do Centro de Ciências da Saúde.

Ter 03 jul – Publicação do gabarito da segunda avaliação parcial escrita.

Qua 04 jul –

Qui 05 jul – Às 11:00 h, reunião dos professores (Pauta 1: discussão sobre o exame final). Publicação das notas da segunda avaliação parcial escrita e médias no site do DCM.

Seg 09 jul – Avaliação final (avaliação escrita + avaliação prático-oral) – Às 08:00h, no Departamento de Clínica Médica, e, às 10:00 h, no Hospital Universitário de Santa Maria.

Ter 03 jul – Publicação do gabarito da avaliação final (avaliação escrita).

Qua 04 jul –

Qui 05 jul – Às 11:00 h, reunião dos professores. Publicação das notas da avaliação final e média final no site do DCM.



Metodologia didático-pedagógica


1) Seminários

Todos os discentes e professores prepararam o tema pela bibliografia recomendada e outras que julgarem adequadas. A ordem de apresentação será aleatória com a participação de todos, a critério do professor, que coordenará o seminário. Quando necessário, o professor poderá abrir para comentários e complementações (hora em que os discentes mais estudiosos podem exibir sua maior leitura e experiência). O professor será um facilitador e estimulador, fazendo com que todos participem. Ao final do seminário, cada discente se dará um conceito, A, B, C, ou D, seguindo os critérios (quadro 2) com a devida justificativa. Este conceito pode ser questionado para mais ou para menos pelos colegas e pelo professor.


Quadro 2. Descrição de competências e atitudes.

Conceito

Descrição de competências e atitudes

Pontos


A

Presente, pontual, partipação verbal ótima em quantidade e qualidade, mostrando leitura prévia do material teórico e recursos pessoais, além da integração dos conhecimentos teóricos e práticos que a disciplina envolve


20


B

Presente, pontual, participação verbal boa em quantidade e qualidade, mostrando leitura prévia do material teórico e recursos pessoais de conhecimento sobre o assunto


15


C

Presente, pontual, participação verbal pequena, tímida, irregular, denotando não ter lido material teórico mas tendo recurso pessoal de conhecimento sobre o assunto


10


D

Presente, atrasado, sem participação verbal e/ou mostra que não leu o material teórico e não detendo conhecimento pessoal sobre o assunto


5

E

Ausente

zero


2) AULAS PRÁTICAS

As aulas práticas constarão de estudo da anamnese, da semiotécnica e do exame físico com a demonstração prática inicial pelo professor e/ou pelo monitor. Logo, deve seguir-se um tempo de prática para aprendizagem e desenvoltura da semiotécnica, supervisionada pelo professor e/ou pelo monitor, agregando o raciocínio fisiopatológico dos sintomas e sinais identificados e construindo a listagem de problemas para o estabelecimento de diagnóstico(s) anatômico(s), de sistema(s), sindrômico(s) e etiológico(s).


3) Palestras

Serão realizadas por profissionais de reconhecido saber na área após o tema já ter sido discutido previamente nos seminários. Após a palestra, haverá um espaço para interação com o palestrante. As palestras (com discussão) terão a duração de duas horas.


4) MONITORIAS

Cada professor terá o apoio didático-pedagógico de um monitor-discente junto ao seu grupo de alunos.

O monitor acompanhará as atividades da Disciplina, auxiliando e orientando os discentes com ênfase na semiotécnica médica.

O monitor desempenhará suas funções cumprindo uma carga horária de 8 a 12 horas semanais conforme normas da Universidade. Deve estar aprovado em prova específica para a Monitoria da Disciplina de Semiologia Médica. Suas atividades devem ser acompanhadas e avaliadas pelos professores responsáveis. Suas faltas devem ser notificadas, podendo ser dispensado quando não estiver correspondendo à sua função.



Método de avaliação


Ao final de cada bimestre, o discente obterá uma nota resultante de uma avaliação TEÓRICA e de uma avaliação PRÁTICA.

1) A avaliação teórica será dada pela média dos pontos dos seminários, valendo 20 (vinte) pontos, somada a média dos pontos das provas escritas, também, valendo 20 (vinte) pontos - com valor máximo de 40 pontos;

2) A avaliação prática será dada pela média dos pontos das anamneses, exames físicos e listagens de problemas entregues, valendo 20 (vinte) pontos, somada aos pontos obtidos na prova prático-oral, também valendo 20 (vinte) pontos – com valor máximo de 40 (quarenta) pontos.

3) Em cada uma das avaliações prático-orais, recomenda-se que o discente seja examinado por dois professores, no mínimo; quando for examinado por um só professor, este não deve ser o mesmo que lhe ministra as aulas práticas.

4) Cada avaliação prático-oral, com o valor de 20 (vinte) pontos, será realizada junto ao paciente, onde o discente fará anamnese, exame físico no tempo máximo de cinqüenta minutos. Ao final, junto com o(s) professor(es) que o assistiu, fará a listagem de problemas e exercitará a auto-avaliação, considerando os conhecimentos (memória, relação, aplicação), as habilidades (semiotécnica, destreza, fidelidade, listagem de problemas) e as atitudes (valores, sentimentos, postura na interação com o paciente) com pesos que estão demonstrados no exemplo do quadro 1.
Quadro 1. Auto-avaliação.

Aluno


Conhecimentos (6,0)

Habilidade (10,0)

Atitude (4,0)

João Antonio X


Memória (2.0) 1.9

Relação (2.0) 1.4

Aplicação (2.0) 1.8


Domínio (4.0) 3.5

Destreza (2.0) 1.8

Fidelidade (2.0) 1.7

Listagem de problemas. (2.0) 1.9



Valores (2.0) 1.0

Sentimentos (2.0) 1.4


Pontos: 16,4


5.1

8.9

2.4

5) O resultado final da avaliação bimestral será conferido pela soma dos pontos alcançados de um valor de 0 (zero) a 80 (oitenta) pontos. Os outros 20 (vinte) pontos constituem o peso da nota da Semiologia Pediátrica para somar os 100 (cem) pontos da Disciplina de Semiologia Médica.

6) Avaliação final é constituída por uma avaliação escrita e uma avaliação prático-oral.
5) Professores e MONITORES
Prof. Marcelo BINATOTurma 11

Monitor: Rodrigo CASTILHO DAL` CAROBO


Prof. Marcelo DA S. BIAVASCHITurma 12

Monitor: Helen CEZIMBRA


Prof. Paulo Tadeu R. CAVALHEIROTurma 13

Monitor: Diego Ilha Thomasi


Prof. Rafael L. CAUDUROTurma 14

Monitor: Fernando KOCHHANN STOFFELS


Prof. Valdeci J. POMBLUMTurma 15

Monitor: Fábio Batistella


6. BIBLIOGRAFIA

Bibliografia

1. Bibliografia Básica

1. LÓPEZ M, LAURENTYS-MEDEIROS J. Semiologia médica: as bases do diagnóstico clínico. 5. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2004.
2. Bibliografia Complementar

1. BARROS E, ALBUQUERQUE GC, PINHEIRO CTS, CZEPIELEWSKI MA. Exame clínico: consulta rápida. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

2. BICKLEY LS, HOEKELMAN RA. Bates: propedêutica médica. 8. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2005.

3. DELP MH, MANNING RT. Major: propedêutica médica. São Paulo: Atheneu Editora, 1969.

4. EPSTEIN O, PERKIN GD, COOKSON J, DE BONO DP. Exame clínico. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

5. LAMPERT JB. Orientação semiotécnica para o exame clínico. Santa Maria: Editora da UFSM, 1996.

6. PITREZ FAB. Propedêutica médica. Porto Alegre: Edições AMRIGS, 2000.

7. PORTO CC. Semiologia médica. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 1997.

8. RAMOS Jr J. Semiotécnica da observação clínica. 7. ed. São Paulo: Sarvier, 1990.

9. SANVITO WL. Propedêutica neurológica básica. 5. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.







Módulo de Clínica Médica – Disciplina de Semiologia Média – 1. semestre de 2007 Seite von


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal