Disciplina Mestrado em História e Filosofia das Ciências Epistemologia e Filosofia das Ciências do século XX



Baixar 25.25 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho25.25 Kb.





Disciplina Mestrado em História e Filosofia das Ciências
Epistemologia e Filosofia das Ciências do século XX


Designação

Epistemologia e Filosofia das Ciências do século XX


Departamento responsável

Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências

Coordenador da disciplina

Olga Pombo

Docentes que participam na leccionação




Número de créditos

6 ECTS

Total de horas de leccionação (presencial)

3T

Ano da disciplina / Semestre

1º ano do 2º ciclo / 1º semestre

Carga Horária

6h semanais

Objectivos do Curso

Apresentação e estudo comparativo de algumas das mais importantes Epistemologias e Filosofias da Ciências do Século XX.



Programa






1. Introdução (4 sessões: exposição seguida de debate)


  • Epistemologia e Filosofia das Ciências. O estatuto disciplinar da Epistemologia.

  • A relação da Filosofia das Ciências com a História das Ciências. Principais momentos da História da Filosofia da Ciência.

  • Tarefas da Filosofia das Ciências para o século XXI

  • Grandes Categorias Epistemológicas: Cumulativismo e Não-cumulativismo, Continuismo e Descontinuismo. Externalismo e Internalismo.


2. Alguns modelos epistemológicos. Estudo comparativo (10 sessões: comentário de texto em regime de seminário).


  • Bachelard. Uma epistemologia da ruptura. Obstáculo epistemológico e filosofia do não. Um modelo internalista, descontinuista e cumulativista.

  • Positivismo Lógico. A questão da unidade das ciências. Reducionismo e não reducionismo.

  • Popper. A lógica da descoberta científica. Progresso e falsificacionismo. O problema da indução. Teoria e conjectura.

  • Thomas Kuhn. Ciência normal, crise e revolução científica. Incomensurabilidade dos paradigmas. A questão do não-cumulativismo.

  • Lakatos. Os programas de investigação científica. Núcleo duro e heurística negativa.

Feyerabend. O anarquismo filosófico e a proliferação de hipóteses.


Bibliografia recomendada



Bachelard, G., (1938), La Formation de l'Esprit Scientifique, Contribution à une Psychanalyse de la Connaissance Objective, Paris: Vrin, (1975).

Bachelard, G., (1940), La Philosophie du Non. Pour une Philosophie du Nouvel Esprit Scientifique, Paris: Presses Universitaires de France, (1975).

Bachelard, G., (1949), Le Rationalisme Appliquée, Paris: Presses Universitaires de France, (1975).

Bachelard, G., (1951), L'activité Rationaliste de la Physique Contemporaine, Paris: Presses Universitaires de France.

Bachelard, G., (1953), Le Matérialisme Rationnel, Paris: Presses Universitaires de France, (1980).

Carnap, R., (1930),“The Old and the New Logic“, in A. J. Ayer, Logical Positivism, 133-146, New York: The Free Press (1959).

Carnap, R., (1932), “The Elimination of Metaphysics through Logical Analysis of Language“, in A.J. Ayer, Logical Positivism, 60-81, New York: The Free Press (1959).

Carnap, R., (1934), “The Task of the Logic of Science“, in B. McGuinsess (ed.), Unified Science. The Viena Circle Monograph Series Originally Edited by Otto Neurath, now in an English Edition, 46-66, Dordreadt / Boston / Lancaster / Tokyo: Reidel Publishing Company, (1987).

Carnap, R., (1938), “Logical Foundations of the Unity of Science“, in O. Neurath (ed.), International Encyclopedia of Unified Science, I, 42-62, Chicago / Illionis: The University of Chicago Press.

Neurath, O., (1932), “Unified Science and Phychology“, in B. McGuinness (ed.), Unified Science. The Viena Circle Monograph Series Originally Edited by Otto Neurath, Now in an English edition, 1-23, Dordrecht / Boston / Lancaster / Tokyo: D. Reidel Publishing Company.

Neurath, O., (1933), “Protocol Sentences“, in A. J. Ayer, Logical Positivism, 199-208, New York: The Free Press, (1959).

Popper, K. R., (1934), The Logik of Scientific Discovery, London: Hutchinson, (1967).

Popper, K. R., (1963), Conjectures and Refutations. The Growth of Scientific Knowledge, London: Routledge and Kegan Paul, (1972).

Popper, K. R., (1972), Objective Knowledge. An Evolutionary Approach, Oxford: Oxford University Press, (1986).

Kuhn, T. S., (1962), The Structure of Scientific Revolutions, Chicago: University of Chicago Press.

Kuhn, T. S., (1971), “The Relation between History and the History of Science“, Daedalus, 100, 271-304.

Kuhn, T. S., (1977), The Essential Tension. Selected Studies in Scientific Tradition and Change, Chicago: The University of Chicago Press.

Kuhn, T. S., (1979a), “A Função do Dogma na Investigação Científica“, in M.M. Carrilho (org.), História e Prática das Ciências, 43-75.

Lakatos, I., (1987), Philosophical Papers, II. Mathematics, Science and Epistemology, Cambridge: Cambridge University Press.

Lakatos, I e Musgrave, A., (1970), Criticism and the Growth of Knowledge, (trad. port. de Octávio Mendes Cajado e Pablo Mariconda, “A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento“), S. Paulo: Cultrix, (1979).

Feyerabend, P. K, (1975), Against Method, London / New York: Verso, (1988, edição revista).

Feyerabend, P.K., (1978), Science in a Free Society, London: New Left Books.

Feyerabend, P.K, (1989), Dialogo sul Metodo, (trad. port. de António Guerreiro, “Diálogo sobre o Método“), Lisboa: Presença, (1991).


Métodos de ensino


Exposição, comentário de textos em regime de seminário, apresentações dos alunos



Métodos de avaliação



Participação nos trabalhos de seminário (20%) e trabalho escrito individual (50%), sua apresentação e discussão (30%)

Língua de ensino

Português


(24.07.2008)


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal