Divulgu e distribuiçÃo gratuita



Baixar 341.9 Kb.
Página1/8
Encontro05.08.2016
Tamanho341.9 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8


CENTRO ESPÍRITA “NOSSO LAR”

São Paulo – SP.












D I V U L G U E


- DISTRIBUIÇÃO GRATUITA -


ÍNDICE

. Mensagens pelo Médium Francisco Cândido Xavier




01 -

02 -


03 -

04 -


05 -

06 -


07 -

08 -


09 -

10 -


11 -

12 -


13 -

14 -


15 -

16 -


17 -

18 -


19 -

20 -


21 -

22 -


23 -

24 –


25 –

26 –


27 –

28 –


29 –

Casamento

Matrimônio

Casar-se

Vida Conjugal

Em Casa

Em Casa


Educação no Lar

Em Família

Não Perturbeis

Quanto Puderes

No Caminho da Elevação

Teus Filhos

Conflitos Domésticos

Familiares Problemas

Uniões Enfermas

Uniões de Prova

União Infeliz

Desvinculações Familiares

Divórcio

Divórcio


Divórcio

Ante o Divórcio

Divorcio e Lar

Casamento e Divórcio

Matrimônio e Divórcio

Divórcio


No Reino Doméstico

Amor – Casamento – Divórcio

Compromisso e União


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

Emmanuel


Emmanuel

André Luiz

André Luiz

André Luiz

Irmão X

Esp. Diversos



Cornélio Pires

04

05

06



07

08

09



10

11

12



13

14

15



16

17

18



19

20

22



23

24

25



27

28

29



30

32

33



35

36

. Mensagens pelo Médium Divaldo Pereira Franco


30 –

31 –


32 –

33 –


34 –

35 –


No Lar

Casamento e Família

Responsabilidade no Matrimônio

Problemas no Matrimônio

Desquite e Divórcio

Dentro do Lar



Marco Prisco

Benedita Fernandes

Joanna de Ângelis

Joanna de Ângelis

Joanna de Ângelis

Joanna de Ângelis



37

38

40



42

44

46




. Escritores Espíritas


36 –

37 –


38 –

39 –


40 –

41 –


42 –

43 –


44 –

45 –


O Altar Doméstico

Nossa Dívida para com o Sexo

Matrimônio e Sexo

Desquite, Divórcio, Separação, --- Como Queiram

Espiritismo e Lar

A Família como Instrumento de Redenção Humana

O Divórcio

Abandono do Lar

O Problema do Divórcio

O Divórcio Face a Moral Cristã



Eliseo Rigonatti

Eliseo Rigonatti

Eliseo Rigonatti

Eliseo Rigonatti

Martins Peralva

Deolindo Amorim

Helena M. Craveiro Carvalho

Celso Martins

Richard Simonetti

Rodolfo Calligaris



48

49

50



51

55

58



60

62

65



67

... Os que ensinam, com exceções louváveis, quase sempre se caracterizam por dois modos diferentes de agir. Exibem certas atitudes quando pregam, e adotam outras quando em atividade diária. Daí resulta a perturbação geral, porque os ouvintes se sentem à vontade para mudar a “roupa do caráter”.

Espírito : Emmanuel.

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Caminho, Verdade e Vida - Cap. 38

CASAMENTO
“Pergunta --- Será contrário à lei da Natureza o casamento,

isto é, a união permanente de dois seres?”

“Resposta --- É um progresso na marcha da Humanidade.”

Item n. 695, de “O Livro dos Espíritos”.


O casamento ou a união permanente de dois seres, como é óbvio, implica o regime de vivência pelo qual duas criaturas se confiam uma à outra, no campo da assistência mútua.
Essa união reflete as Leis Divinas que permitem seja dado um esposo para uma esposa, um companheiro para uma companheira, um coração para outro coração ou vice-versa, na criação e desenvolvimento de valores para a vida.
Imperioso, porém, que a ligação se baseie na responsabilidade recíproca, de vez que na comunhão sexual um ser humano se entrega a outro ser humano e, por isso mesmo, não deve haver qualquer desconsideração, entre si.
Quando as obrigações mútuas não são respeitadas no ajuste, a comunhão sexual injuriada ou perfidamente interrompida costuma gerar dolorosas repercussões na consciência, estabelecendo problemas cármicos de solução, por vezes, muito difícil, porquanto ninguém fere alguém sem ferir a si mesmo.
Indiscutivelmente, nos Planos Superiores, o liame entre dois seres é espontâneo, composto em vínculos de afinidade inelutável. Na Terra do futuro, as ligações afetivas obedecerão a idêntico princípio e, por antecipação, milhares de criaturas já desfrutam no próprio estágio da encarnação dessas uniões ideais, em que se jungem psiquicamente uma à outra, sem necessidade da permuta sexual, mais profundamente considerada, a fim de se apoiarem mutuamente, na formação de obras preciosas, na esfera do espírito.
Acontece, no entanto, que milhões de almas, detidas na evolução primária, jazem no Planeta, arraigadas a débitos escabrosos, perante a lei de causa e efeito e, inclinadas que ainda são ao desequilíbrio e ao abuso, exigem severos estatutos dos homens para a regulação das trocas sexuais que lhes dizem respeito, de modo a que não se façam salteadores impunes na construção do mundo moral.
Os débitos contraídos por legiões de companheiros da Humanidade, portadores de entendimento verte para os temas do amor, determinam a existência de milhões de uniões supostamente infelizes, nas quais a reparação de faltas passadas confere a numerosos ajustes sexuais, sejam eles ou não acobertados pelo beneplácito das leis humanas, o aspecto de ligações francamente expiatórias, com base no sofrimento purificador. De qualquer modo, é forçoso reconhecer que não existem no mundo conjugações afetivas, sejam elas quais forem, sem raízes nos princípios cármicos, nos quais as nossas responsabilidades são esposadas em comum.


Esp.: Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Vida e Sexo – Cap. 7 – Pág. 33




M A T R I M Ô N I O

“ Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem

mácula; porém, aos que se dão à prostituição e aos

adúlteros, Deus os julgará. “ - Hebreus : 13 - 4


Ninguém naturalmente será compelido a compromissos obrigatórios, diante das leis que nos regem a evolução, mas quando alguém se fixe num acordo sagrado, perante a vida, deve estar preparado a mentê-lo, até a renovação de suas experiências, no quadro dos Desígnios de Deus.


Entre esses compromissos da Terra, permanece o do matrimônio como um dos laços mais santos.
Essa venerável instituição é a raiz de todas as nobres organizações que dignificam o planeta.
Nos dias que passam, certa situação de desequilíbrio ameaça o caminho de numerosos cônjuges, nas estradas do mundo.
Porque muitos homens hão desdenhados os seus títulos de paternidade, muitas mulheres vão desprezando os seus valores benditos de mães.
Os lares são também os lugares santos que vão padecendo transformações.
Entretanto, a solução essencial dos problemas humanos deve proceder do “leito sem mácula”, pilar da organização sociológica que desejais para os vossos dias.
Numerosas criaturas acusam o matrimônio e alegam que não encontraram em sua instituição a ventura que lhes é devida.

Todavia, se não colheram a felicidade é que necessitavam do trabalho obtido e toda oportunidade de trabalho é caminho para os júbilos do porvir.


Lares infelizes significam cônjuges inconscientes de seus deveres, com as excessões justas.
Tarde ou cedo, os homens e as mulheres, desviados das obrigações divinas, voltarão à simplicidade inicial para tornarem a apreender no livro da abnegação o do respeito a Deus, porque a existência não é um feriado para indisciplinas, mas um dia de trabalho santo em que o espírito deve entrar na posse de sua herança eterna, entre as bênçãos de luz e paz da alegria de viver.

Espírito : Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Levantar e Seguir - Pág. 41




CASAR - SE

Não basta casar-se. Imperioso saber para quê.


Dirás provavelmente que a resposta é óbvia, que as criaturas abraçam o matrimônio por amor.
O amor, porém, reclama cultivo. E a felicidade na comunhão afetiva não é prato feito e sim construção do dia-a-dia.
As leis humanas casam as pessoas para que as pessoas se unam segundo as Leis Divinas.
- * -
Se desposaste alguém que te constituía o mais belo dos sonhos e se encontras nesse alguém o fracasso do ideal que acalentaste, é chegado o tempo de trabalhares mais intensivamente na edificação dos planos que ideaste de início.
- * -
Ergueste o lar por amor e tão-só pelo amor conseguirás conservá-lo.

Não será exigindo tiranicamente isso ou aquilo de quem te compartilha o teto e a existência que te desincumbirás dos compromissos a que te empenhaste.


- * -
Unicamente doando a ti mesmo em apoio da esposa ou do esposo é que assegurarás a estabilidade da união em que investiste os melhores sentimentos.

Se sabes que a tolerância e a bondade resolvem os problemas em pauta, a ti cabe o primeiro passo a fim de patenteá-las na vivência comum, garantindo a harmonia doméstica.


- * -
Inegavelmente não se te nega o direito de adiar realizações ou dilatar o prazo destinado ao resgate de certos débitos, de vez que ninguém pode aceitar a criminalidade em nome do amor. Entretanto, nos dias difíceis do lar recorda que o divórcio é justo, mas na condição de medida articulada em última instância. E nem te esqueças de que casar-se é tarefa para todos os dias, porquanto somente da comunhão espiritual gradativa e profunda é que surgirá a integração dos cônjuges na vida permutada, de coração para coração, na qual o casamento se lança sempre para Mais Alto, em plenitude de amor eterno.

Espírito : Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Na Era do Espírito - Cap. 11



VIDA CONJUGAL

“Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria

mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o seu marido.”

Paulo. (Efésios, 5:33.)

As tragédias da vida conjugal costumam povoar a senda comum. Explicando o desequilíbrio, invoca-se a incompatibilidade dos temperamentos, os desencantos da vida íntima ou as excessivas aflições domésticas.
O marido disputa companhias novas ou entretenimentos prejudiciais, ao passo que, em muitos casos, abre-se a mente feminina ao império das tentações, entrando em falso rumo.
Semelhante situação, porém, será sempre estranhável nos lares formados sobre as escolas da fé, nos círculos do Cristianismo.
Os cônjuges, com o Cristo, acolhem, acima de tudo, as doces exortações da fraternidade.
É possível que os sonhos, muita vez, se desfaçam ao toque de provas salvadoras, dentro dos ninhos afetivos, construídos na árvore da fantasia. Muitos homens e mulheres exigem, por tempo vasto, flores celestes sobre espinhos terrenos, reclamando dos outros atitudes e diretrizes que eles são, por enquanto, incapazes de adotar, e o matrimônio se lhes converte em instituição detestável.
O cristão, contudo, não pode ignorar a transitoriedade das experiências humanas. Com Jesus, é impossível destruir os divinos fundamentos da amizade real. Busque-se o lado útil e santo da tarefa e que a esperança seja a lâmpada acesa no caminho...
Tua esposa mantém-se em nível inferior à tua expectativa ? Lembra-te de que ela é mãe de teus filhinhos e serva de tuas necessidades. Teu esposo é ignorante e cruel ? Não olvides que ele é o companheiro que Deus te concedeu...

Espírito : Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Vinha de Luz - Cap. 137


EM CASA

O templo doméstico é uma benção do Céu na Terra, porque dentro dele é possível realizar o verdadeiro trabalho da santificação.

--*--

Aí temos o valioso passadiço da alma, em trânsito para as Esferas Superiores.



--*--

Nesse divino corredor para a Vida Celestial, a criatura encontra todos os processos de regeneração, de modo a aperfeiçoar-se devidamente.

--*--

É na consangüinidade, quase sempre, que o homem recebe as mais puras afeições, mas é igualmente nela que reencontra as suas aversões mais profundas.



--*--

Nossa alma é arrojada à organização familiar, no mundo, assim como o metal inferior é precipitado ao cadinho fervente.

--*--

Precisamos suportar a tensão elevada do clima em que estagiamos, a fim de apurar as nossas qualidades mais nobres.



--*--

Não vale fugir ou rebelar-se.

--*--

Retroceder seria retornar às sombras do passado e indisciplinar-se eqüivaleria relegar ao amanhã abençoadas realizações que o Senhor espera de nossa boa vontade ainda hoje.



--*--

Saibamos, assim, usar a prece e a serenidade, a compreensão e a tolerância, se desejamos reduzir o tempo do nosso curso educativo na recuperação espiritual.

--*--

Como alguns, aprendemos a servir valorosamente a muitos.



--*--

Redimindo-nos perante o adversário de ontem, nosso coração vitorioso circulará no grande entendimento da humanidade.

--*--

Se encontraste, em casa, o campo de batalha, em que sentes compelido a graves indenizações do pretérito, não te detenhas na hesitação ou na dúvida!



--*--

Suporta os conflitos indispensáveis à própria redenção, com o valor moral do soldado que carrega o fardo da própria responsabilidade, enquanto se desenvolve a guerra a que foi trazido.

--*--

Não te esqueças de que o lar é o espelho, onde o mundo contempla o teu perfil e, por isso mesmo, intrépidos e tranqüilos nos compromissos esposados, saibamos enobrecê-lo e santificá-lo.


Espírito : Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Fé, Paz e Amor - Pág. 92

EM CASA

Ninguém foge à lei da reencarnação.

--*--

Ontem, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral..



Hoje, guardamo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

--*--


Ontem, abandonamos a jovem que nos amava, inclinando-a ao mergulho na lagoa do vício.

Hoje, têmo-la de volta por filha incompreensiva, necessitada do nosso amor.

--*--

Ontem, colocamos o orgulho e a vaidade no peito de um irmão que nos seguia os exemplos menos felizes.



Hoje, partilhamos com ele, à feição de esposo despótico ou de filho problema, o cálice amargo da redenção.

--*--


Ontem, esquecemos compromissos veneráveis, arrastando alguém ao suicídio.

Hoje, reencontramos esse mesmo alguém na pessoa de um filhinho, portador de moléstia irreversível, tutelando-lhe, à custa de lágrimas, o trabalho de reajuste.

--*--

Ontem, abandonamos a companheira inexperiente, à míngua de todo auxílio, situando-a nas garras da delinqüência.



Hoje, achâmo-la ao nosso lado, na presença da esposa conturbada e doente, a exigir-nos a permanência no curso infatigável da tolerância.

--*--


Ontem, dilaceramos a alma sensível de pais afetuosos e devotados, sangrando-lhes o espírito, a punhaladas de ingratidão.

Hoje, moramos no espinheiro, em forma de lar, carregando fardos de angústia, a fim de aprender a plantar carinhos e fidelidade.


A frente de toda dificuldade e de toda prova, abençoa sempre e faze o melhor que possas.
Ajuda aos que te partilham a experiência, ora pelos que te perseguem, sorria para os que te ferem e desculpa todos aqueles que te injuriam...
A humildade é chave de nossa libertação.
E, sejam quais sejam os teus obstáculos na família, é preciso reconhecer que toda construção moral do Reino de Deus, perante o mundo, começa nos alicerces invisíveis da luta em casa.

Espírito : Emmanuel

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro: Ideal Espírita - Pág. 132 - Cap. 53


EDUCAÇÃO NO LAR

“Vós fazeis o que também vistes junto de vosso pai.”

Jesus. (João, 8:38.)

Preconiza-se na atualidade do mundo uma educação pela liberdade plena dos instintos do homem, olvidando-se, pouca a pouco, os antigos ensinamentos quanto a formação do caráter no lar; a coletividade, porém, cedo ou tarde, será compelida a reajustar seus propósitos.


Os pais humanos têm de ser os primeiros mentores da criatura. De sua missão amorosa, decorre a organização do ambiente justo. Meios corrompidos significam maus pais entre os que, a peso de longos sacrifícios, conseguem manter, na invigilância coletiva, a segurança possível contra a desordem ameaçadora.
A tarefa doméstica nunca será uma válvula para gozos improdutivos, porque constitui trabalho e cooperação com Deus. O homem ou a mulher que desejam ao mesmo tempo ser pais e gozadores da vida terrestre, estão cegos e terminarão seus loucos esforços, espiritualmente falando, na vala comum da inutilidade.
Debalde se improvisarão sociólogos para substituir a educação no lar por sucedâneos abstrusos que envenenam a alma. Só um espírito que haja compreendido a paternidade de Deus, acima de tudo, consegue escapar à lei pela qual os filhos sempre imitarão os pais, ainda quando estes sejam perversos.
Ouçamos a palavra do Cristo e, se tendes filhos na Terra, guardai a declaração do Mestre, com advertência.

Espírito : Emmanuel.

Psicografia : Francisco Cândido Xavier

Livro : Caminho, Verdade e Vida - Cap. 12






Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal