Documento de Projeto



Baixar 2.19 Mb.
Página29/30
Encontro19.07.2016
Tamanho2.19 Mb.
1   ...   22   23   24   25   26   27   28   29   30

ANEXO 8: BIBLIOGRAFIA
Almeida Filho O M; Bueno R e Bononi V L (1995a): Algumas espécies de fungos Basidiomycetes de manguezais do Estado de São Paulo. Hoehnea 20 (1/2): 87-92.
Almeida R; Cunha-Lignon M; Coelho-Jr C e Schaeffer-Novelli Y (1995b): Análise dos processos ecológicos dos subsídios para a conservação dos ecossistemas manguezais na região da Cananeia - Relatório. São Paulo, Brasil.
Alves R R N (1999): O manguezal da laguna de Intermares, João Pessoa-PB: composição, caracterização estrutural e impactos antrópicos. Monografia de graduação. Curso de Ciências Biológicas. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. ix + 61 p.
Andrade, M. A. B e Lamberti, A. (1965) A vegetação. Em Azevedo, A. (coord.). A Baixada Santista – aspectos geográficos. I. As bases físicas. São Paulo, EDUSP. P. 151-178.
AQUASIS – 2003 – A Zona Costeira do Ceará, Diagnóstico para a Gestão Integrada. Gráfica e Editora Pouchain Ramos, Fortaleza.
Araújo, D.S.D., Henriques, R.P.B. (1984) Análise florística das restingas do Estado do Rio de Janeiro. Em: Lacerda, L.D. et al. (orgs.) Restingas: Origem, Estrutura e Processos. Niterói, CEUFF, p.159-193.
Araújo F R e Araújo Y M G (2004): Metabissulfito de sódio e SO2 : Perigo químico oculto para os trabalhadores que realizam a despesca do camarão em cativeiro. Relatório técnico, MTE/DRT/CE, 2004, 10p.
Araújo A R R (2006): Fishery statistics and commercialization of the mangrove crab, Ucides cordatus (L.), in Braganca – Pará – Brazil. Tese de doutorado. Universidade de Bremen.
Atlas de Manguezal (2003): Estudo das áreas de manguezais do nordeste do Brasil. Avaliação das áreas de manguezais dos Estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Laboratório de Ciências do Mar – LABOMAR.
Aveline, L. C. (1980) Fauna dos manguezais brasileiros. Rev. Bras. Geográfica 42 (4), 786-821.
Ball M C (1980): Patterns in a mangrove forest of southern Florida. Oecologia (Berl). 44: 226-235.
Ball M C (1980): Patterns of secondary sucession in a mangrove forest of southern Florida. Oecologia (Berl), 44: 226-235.
Barber, C.V., K.R. Miller, and M. Boness (eds.). 2004. Securing protected áreas in the face of global change: issues and strategies. Gland, Switzerland and Cambridge, UK: União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN)
Barbier, E. (2000) Valuing the environment as input: review of applications to mangrove-fishery linkages. Ecological Economics, 35 47–61.
Barletta, M. (1999) Seasonal changes of density, biomass and species composition of fishes in different habitats of the Caete estuary (North Brazilian coast-east Amazon). Zentrum fur Marine Tropenokologie, Contribution 7, 115 pp.
Barros F; Melo M M R F; Chiea S A C; Kirizawa M; Wanderley M G L e Jung-Mendaçolli S L (1976): Caracterização geral da vegetação e listagem das espécies ocorrentes. Em Flora Fanerogâmica da Ilha do Cardoso (M.M.R.F. Melo et al., ed.). Instituto de Botânica, São Paulo. v1.
Barroso G F (1984): Preliminary assessment of the eutrophication potential from sewage effluents of four waste water treatment plants in Espírito Santo state (Brazil). Verh. int. Verein. Limnol., 26:666-670.
Bastos, M.N.C., Rosário, C.S. e Lobato, L.C.B. (1995): Caracterização fitofisionômica da restinga de Algodoal, Maracanã-PA, Brasil. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Botânica. Belém, 11 (2): 173-197.
Bezerra F C (2003): Produção de mudas de hortaliças em ambiente protegido. Documentos 72. Embrapa, 2003. p. 22.
Binh, C.T., M.J. Phillips, e H. Demaine. (1997): Integrated shrimp-mangrove farming systems in the Mekong delta of Vietnam. Aquaculture Research 28: 599-610.
Boorman, L A (1999): Mangroves and Salt Marshes. Ed. Springer Netherlands. Vol 3, n. 4, p 227-241.
Boto K G e Bunt J S (1981): Tidal Export of Particulate Organic Matter from a Northern Australian Mangrove System. Estuarine, Coastal and Shelf Science Vol 13, No 3, p 247-255.
Brown, Cory R. (2001) Visitor Use Fees in Protected Áreas; Synthesis of the North American, Costa Rican and Belizean experience. The Nature Conservancy, Washington, D.C.
Camargo, M. (1999) Biologia e estrutura populacional das especies da familia Sciaenidae (Pisces: Perciformes), no estuario do rio Caete, Municipio de Braganca, Para-Brasil. Belém, Universidade Federal do Para / Museu Paraense Emilio Goeldi, 84p. Dissertação de Mestrado em Zoologia.
Camargo, M. e Isaac, V. J. (2003) Ictiofauna estuarina. Em: Os manguezais da costa Norte Brasileira / organizado por Marcus Fernandes. Maranhão: Fundação Rio Bacanga, 142 p.: il.
Camargo, M. e Isaac, V.J. (1998) Population structure of fish fauna in the estuarine area of Caete River, Braganca, Para, Brasil. Acta Scientiarum, 20 (2): 171-177.
Canestri V e Riuz O (1973): Destruction of mangroves. Mar. Pollut; 4: 183-185.
Chapman V J (1974): Mangrove Biogeography. em: SYMPOSIUM ON BIOLOGY AND MANAGEMENT OF MANGROVES: Honolulu: 1974. Proceedings, Florida, Inst. Of Food Agricultural Sciences, University os Florida, p.3-22.
CIMA. (1991) O Desafio do Desenvolvimento Sustentável - Relatório do Brasil para a ECO/92. Secr. Imprensa. Brasília. p. 93-131. (PASTA)

Cintrón G. and Schaeffer-Novelli Y. (1983): Introdución a la ecologia del mangar. Oficina Regional de Ciencia e Tecnologia de la UNESCO para America Latina y el Caribe. Montevideo: ROSTRAC/UNESCO, 109p.


Cintrón-Molero G and Schaeffer-Novelli Y (1992): Ecology and management of New World mangroves. Em: Seeliger, U. ed., Coastal Plant Communities of Latin America.
CNIO - Comissão Nacional Independente sobre os Oceanos, (1998): O Brasil e o Mar no Século XXI: Relatório aos Tomadores de Decisão do País. Rio de Janeiro:. 408 p: il.
Coelho P A (1966): Alguns decápodos novos para Pernambuco e estados vizinhos na Coleção Carcinológica do Instituto Oceanográfico da Universidade Federal de Pernambuco. Segunda lista. Ciência e Cultura 18(2): 139-140.
Coelho P A (1967): Lista dos Stenopodidea (Crustacea Decapoda Natantia) de Pernambuco e estados vizinhos. Trabalhos Oceanográficos da Universidade Federal de Pernambuco 9/11: 249-254.
Coelho, P. A. (1976) Biogeografia e bionomia dos crustâceos decapodas reptantes do litoral equatorial do Brasil. Tese de doutorado. Instituto Biociencias, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 94 pp.
Coelho-Jr, C. (1998): Manguezal, desenvolvimento estrutural da cobertura vegetal ao longo de gradientes de inundação – Cananéia, Estado de São Paulo, Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, Instituto Oceanográfico, 108p.
Costa, C. S. B. e Davy, A. J. (1992) Coastal plant communities of Latin America. Pp. 179-199. Em: U. Seeliger (ed.). Coastal saltmarsh communities of Latin America. Academic Press, New York.
Coutinho S M V (2000): Composição e Estrutura do Manguezal da Área de Proteção Ambiental Barra de Mamanguape. Relatório não publicado, apresentado ao CNPq. João Pessoa, 69p.
Cunha, L. H. O. ; Madruga, A. M. ; Diegues, A. C. (1992) Reserva extrativista para regiões de mangue: uma proposta preliminar para o estuário de Mamanguape, Paraíba. Estudo de Caso n º 4. Programa de Pesquisa e Conservação de Áreas Úmidas no Brasil. Pró-reitoria da Universidade de São Paulo. São Paulo. 74 pp.
Dantas F M A and Araújo M C (1997): Variação temporal dos estádios gonadais de fêmeas de Penaeus schimitti, capturados na área costeira de Lucena, Paraíba, Brasil. Em: Anais do 7° Congresso Nordestino de Ecologia. UFBA, UESC e S.N.E. 225-226 pp.
Day J W; Martin J F; Cardoch L and Templet P H (1997) System functioning as a basis for sustainable management of deltaic ecosystems. Coastal Management 25, 115-153.
Dias-Neto, J. (1991) Pesca de Camarões na Costa Norte do Brasil. Atlântica, Rio Grande, v. 13, n. 1, p. 21-28.
Dias-Neto, J. (2003) Gestão dos recursos pesqueiros marinhos no Brasil. Brasília.
Diegues, A.C.S., (1987) Conservação e desenvolvimento sustentado de ecossistemas litorâneos no Brasil. Em: Simpósio sobre Ecossistemas da Costa Sul e Sudeste Brasileira. V. 3, Academia de Ciências do Estado de São Paulo, Cananéia, São Paulo, p. 196-213 (Publicação ACIESP, no 54-III).
Diegues, A. C. S. (1988a) A Pesca Artesanal no Litoral Brasileiro: Cenários e Estratégias para a sua Sobrevivência. São Paulo, Programa de Pesquisa e Conservação de Áreas Úmidas do Brasil -USP. São Paulo, 44p.
Diegues, A. C. S. et al. (1988b) -Diversidade Biológica e Culturas Tradicionais: O Caso das Comunidades Caiçaras. Documento apresentado na IV Conferência da IUCN. São José, Costa Rica.
Diegues A C (1991): Comunidades humanas e os manguezais do Brasil.. Em: CPRH, 1991. Alternativas de uso e proteção dos manguezais do Nordeste. Recife, Companhia Pernambucana de Controle da Poluição Ambiental e de Administração do Recursos Hídricos. Série Publicações Técnicas, No 003, 38-45.
Diele K (2000): Life history and population structure of the exploited mangrove crab Ucides cordatus cordatus (L.) (Decapoda: Brachyura) in the estuary, North Brazil. Tese de Doutorado. Universidade de Bremen, ZMT Contribution 9: 103p.
Dinerstein, E.; Olson, D.; Graham, D.; Webster, A.; Primm, S.; Bookbinder, M.; Ledec, G. (1995). “A Conservation Assessment of the Terrestrial Eco-regions of Latin America and the Caribbean. The World Bank & World Wildlife Fund”. Washington, DC.
Ecoregional Workshop: A Conservation Assessment of Mangrove Ecoregions of Latin America and the Caribbean (1994). World Wildlife Fund, Washington D.C.
EL Robrini, M. (1992) Batimetria. EM: Programa Nacional de Gerenciamento Costeiro. RELATÓRIO TÉCNICO. IDESP/IBAMA/SECTAM. Belém-Pa.p:8-16.
Emerton, Lucy, Joshua Bishop and Lee Thomas (eds.) (2006). Sustainable Financing of Protected Áreas: A global review of challenges and options. IUCN, Gland.
FAO (2002). O estado mundial de la pesca y la acuicultura. Roma: FAO, 150 p.
FAO - Food and Agriculture Organization (1992): Guia de campo de las especies comerciales marinas y de aguas salobres de la costa septentrional de Sur America. Preparado por: F. Cervigon, R. Cipriani, W. Fisher, L. Garibaldi, M. Hendrickx, A. J. Lesmus, R. Marquez, J. M. Poutiers, G. Robaina y B. Rodriguez. Comision de las Comunidades Europeas, Agencia Noruega para el desarollo Internacional y ONU para la Agricultura y la Alimentacion. 513p. + XL.
Fernandes M E B (2000): Association of mammals with mangrove forests: a world wide review. Bol. Lab. Hidrobiol., 13: 83-108.

Fernandes M E B; Silva E F; Lima J F; Hercos A P; Fernandes C M; Arruda C C B; Gomes G; Santos H; Soares C and Saraiva R M (2006): Distribuição das macroalgas associadas as florestas de mangue ao longo da costa amazônica brasileira. Acta Amazonica (no prelo).


Fonseca G A B; Rylands A B; Costa C M R; Machado R B and Leite Y L R (1994): Livro vermelho dos mamíferos brasileiros ameaçados de extinção. Belo Horizonte, Fundação Biodiversitas, WWF, Conservatio International, MacArthur Fund., IUCN/SSC, 459p.
Forum Nacional de Áreas Protegidas. Grupo de Trabalho de Sustentabilidade Financeira. (Set. 2006). Pilares para o plano de sustentabilidade econômica do Sistema Nacional de Unidades de Conservação. (Draft)
Frey R W and Basan P B (1985): Coastal salt marsh. Em: Daves Jr., R.A. (ed.) Coastal Sedimentary Environments. New York, Springer-Verlag. 420p.
Garcia S and LE RESTE L. (1987): Life cicles, dynamics, exploitation and management of coast penaeid shrimp stocks. FAO Fisheries Technical Paper. Roma, 203: 1-215.
Glaser, M. & M. Grasso (1998). Fisheries of a mangrove estuary: dynamics and dependencies between economy and ecosystem in the Caeté Bay. Northeast Pará, Brazil. Boletim do Museu Paraense Rmilio Goeldi-Serie Zoologia 14:95-125.
Gornitz V (1991): Global coastal hazards from future sea level rise. Palaeogeography, Paleaoclimatology, Palaeoecology; 89: 379–98.
Grasso, M. (1998) Ecological-economic model for optimal mangrove trade off between forestry and fishery production: comparing a dynamic optimization and a simulation model. Ecol. Model. 112 (2-3):131-150.
Grasso, M. & Schaeffer-Novelli, Y. (1999) “Economic valuation of mangrove ecosystems." Em: May, P.H. (org.) Natural Resource Valuation and Policy in Brazil: Methods and Cases. Columbia Univ. Press, Nova York.
GT/Carcinicultura (2005): Diagnóstico sobre os impactos da carcinicultura (cultura de crustáceos em viveiros) no meio ambiente, nas regiões Norte e Nordeste (não publicado).
Gutierrez, J., Jones, C., Groffman, P., Findlay, S., Iribarne, O., Ribeiro, P., Bruschetti, C.M. (2006): The Contribution of Crab Burrow Excavation to Carbon Availability in Surficial Salt-marsh Sediments. Ecosystems 9: 647–658
Hallowell C (1996): Farmers of the sea. Time Magazine. October, 28, p.52-53.
Hendrickx M E (1995): Cangrejos. Majidae. Em: FAO (Ed.), Guía FAO para la identificación de especies para los fines de la pesca. Pacífico Centro-Oriental. Plantas e Invertebrados. 1:607-612. Organización de las Naciones Unidas para la Agricultura y la Alimentación, Roma.
Herz R (1999): Procesamiento digital de imagenes de satelite para el reconocimiento de patrones en los manglares. Instituto de Ecologia, A. C. Mexico, UICN/ORMA, Costa Rica, NOAA/NMFS Silver Spring MD USA, p 83-108.
Herz R (1991): Manguezais do Brasil. São Paulo, IOUSP/CIRM, 401p.
Hiller B (1995): Seasonality, nesting biology and mating behavior of the oil-collecting bee Epicharis dejeanii (Anthophoridae, Centridini). Biociências, Porto Alegre, 2 (1): 107-124.
Holthuis L B (1959): Stomatopod Crustacea of Suriname. Studies on the fauna of Suriname and other Guyanas, Utrecht, 3(10):173-191.
Hussain, M.Z. and I. Ahmed . 1994. Management of forest resources. In Hussain, MZ, Acharya G, eds. Mangroves of the Sundarbans, Vol. 2. Bangladesh: União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN)
Hutchings P and Saenger P (1987): Ecology of mangroves. University of Queensland Press, Queensland, Australia.
IBAMA (1994c), Relatório da Reunião do Grupo Permanente de Estudos(GPE) do Caranguejo-uçá, Centro de Pesquisa e Extensão Pesqueira do Nordeste. São Luís, 53p.
IBAMA (1998): Protecao e controle de ecossistemas costeiros. Manguezal da baia da Babitonga. Brasilia, 146p. Coleção meio ambiente. Série estudos pesca n. 25.
IBAMA (2003). Proposta de metodologia para a avaliação de grau de impacto com conversão direta para compensação ambiental para o caso de empreendimentos pontuais de comunicação – telecomunicação, radiodifusão e outras atividades afins, pré-existentes em unidades de conservação. DIREC.
IBAMA (2003). Estatística de Pesca – 2003, Brasil, Brasília: IBAMA, 98p.
IBAMA (2004). Estatística de Pesca – 2004, Brasil, Brasília: IBAMA, 242p.
IBAMA (2005): Estatistica da pesca 2004 Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Relatoria disponivel em www. IBAMA.org.br:
Instituto de Hospitalidade. (2004) Norma nacional para meios de hospedagem; requisitos para sustentabilidade. Norm no. NIH-54, Salvador, Bahia.
Isaia, T. & Barcellos, N. D. E. (1992) Proposta de direcionamento da política florestal para a região nordeste do Brasil. Em: Circular Técnica no. 14. Projeto PNUD/FAO/BRA/87/007 – Desenvolvimento Florestal Integrado do Nordeste do Brasil. IBAMA, Natal, RN. p 1-7.
Jones D A (1984): Crabs of the mangal ecosystems. In Hydrobiology of the Mangal. Por, F. D., Dor, I. (eds.). The Hague, 89-109.
Juma, C., (1997). The role of information in the operation of the Convention on Biological Diversity. Pp. 125-128 in D.L. Hawksworth, P.M. Kirk & S. D. Clarke (eds.), Biodiversity Information: Needs and Options. Proceedings of the 1996 International Workshop on Biodiversity Information. CAB International, Wallingford, UK
Kjerfve B and Lacerda L D (1993): Management and status of the mangroves of Brazil. ISME/ITTO publ., Conservation and sustentainable utilization of mangrove forests in Latin America and Africa regions. Part I Latin America, vol. 2, p. 245-272.
Lacerda L D and Kjerfve B (1995): Biodiversidade e valor socioeconomico dos mangues brasileiros. Em: WORKSHOP NACIONAL PRESERVACAO DA BIODIVERSIDADE E DO VALOR SOCIO-ECONOMICO DOS ECOSSISTEMAS MANGUEZAISTROPICAL, 2003, Salvador. Anais... MMA/Unesco/PNUD, 20 p.
Lahmann E J; Snedaker S C and Brown M S (1987): Structural comparisons of mangrove forests near shrimp ponds in Southern Ecuador. Interciencia. 12(5):240-243.
Legat & Puchnick, (2003). Sustentabilidade da pesca do caranguejo-uçá, Ucides cosdatus cosdatus, nos Estados do Piauí e Maranhão: Uma visão da cadeia produtiva do caranguejo a partir de Fóruns Participativos de discussão. Embrapa/Ministério da Agricultura. 25pp
Legat et al (2005). Current fishery status of Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Brachyura, Ocypodidae) in the Parnaiba Delta region, Brazil. Nauplius: 13(1): 65 – 70
Loureiro, Wilson. (2002) Contribuição do icms Ecológico à conservação da biodiversidade no estado do Paraná. Doctoral Dissertation, Federal University of Paraná.
Lugo, A. E. and Snedaker, S. C. (1974): The ecology of mangrove. Annual Review of Ecology and Systematics. 5: 39-64. Paz, N. 1980. Estudio bio
Luz, L M; Prost, M T C; Mendes, A C and Berredo, J F (2000): Interações entre gradientes de sucessão de manguezais e dinâmica costeira: o exemplo da Ilha Nova – São Caetano de Odivelas/Pará/Brasil. In workshop ECOLAB, 5, Macapa. Livro de resumos expandidos. Amapa, p. 159-164.
Maciel, N.C., (1991) Alguns aspectos da ecologia do manguezal.. Em: CPRH, 1991. Alternativas de uso e proteção dos manguezais do Nordeste. Recife, Companhia Pernambucana de Controle da Poluição Ambiental e de Administração do Recursos Hídricos. Série Publicações Técnicas, No 003, 9- 37.
Maneschy, M. C. (1993) Pescadores nos manguezais; estratégias técnicas e relações sociais de produção na captura do caranguejo. Em: FURTADO, L. G., LEITÃO, W. e Mello, A. B. F. (Orgs). Povos das águas: realidade e perspectivas na Amazônia. Belém. Museu Paraense Emílio Goeldi. p. 19-62.
Marcgrave, George. 1942. História Natural do Brasil. Trad: Mons. Dr. José Procópio de Magalhães. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado.
Marcondes-Machado, L. O. ; Monteiro-Filho, E. L. A. (1989) Nota Sobre A Presenca dos Guaras, Eudocimus ruber (Linne,1758) (Threskiornithidae, Aves), No Litoral de Sao Paulo. Alerta Para Sua Proteção. CIENCIA E CULTURA, São Paulo, v. 41, n. 12, p. 1213-1214.
Martinez C (1998): Ecologia trofica y reproductiva de seis especies de ciconiiformes en un sistema de manglar. Tesis de Doctorado. Spain: Barcelona: Universidade de Barcelona.
Martinez C (2005): Aves: Ciconiformes. Em: Os manguezais da costa Norte brasileira. Vol. II / Maranhão: Fundação Rio Bacanga, p. 81-104: il.
Martins-Juras, I. A. G. (1989) Ictiofauna estuarina da ilha do Maranhao (MA-Brasil). Tese de doutorado. Universidade de Sao Paulo, Instituto Oceanografico, 184p.
May, P.H. (1985) Economia Ecológica – aplicação no Brasil. Ed. Campus. RJ: Campos.
May, Peter, et al. (no prelo) Gestão de recursos hídricos em unidades de conservação: o caso do Parque Nacional de Tijuca. Instituto Terrazul / Ibama / Petrobras Ambiental.
Medeiros, C.P.S. (2000) A importância econômica da biodiversidade – uma análise social de custo benefício para o Parque Nacional do Superagüi, no Litoral Norte do Estado do Paraná, Brasil. V Encontro Brasileiro de Ecossistemas, Anais,  p 318.
Mehlig U (2001): Aspects of tree primary production in an equatorial mangrove forest in Brazil. ZMT Contrib. 14, Bremen.
Melo G S (1996): Manual de Identificação dos Brachyura (caranguejos e siris) do litoral brasileiro. São Paulo. FAPESP, 604p.
Mendes A C (2005): Geomorfologia e sedimentologia. Em: Os manguezais da costa Norte brasileira. Vol. II / Maranhão: Fundação Rio Bacanga, p. 13-31: il.
Menezes G V (1994): Produção e decomposição em bosques de mangue da Ilha do Cardoso, SP. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, Instituto Oceanografico, Sao Paulo, 116p.
Menezes M P M (2006): Investigations of mangrove forest dynamics in Amazonia, North, Brazil. PhD thesis. University of Bremen. 151p.
Menezes M P M; Berger U and Costa Neto S V (2000): Mangrove Forest: species diversity and  structure in the Bragança’s peninsula, northern brazilian. German Brazilian Workshop on     Neotropical Ecosystems – achievements and Prospects of cooperative research.    September  3-8 , 2000. UNiversity of Hamburg, Germany.
Migotto A E and Tiago C G (1999): Biodiversidade do Estado de São Paulo: síntese do conhecimento ao final do século XX. Vol. 3: Invertebrados marinhos. São Paulo, FAPESP, 310p.
Millenium Ecosystem Assessment (2005). Ecosystems and Human Well-being: Synthesis. Island Press, Washington, DC.
Miranda P T C; França M A M and Coutinho M L O (1994): Composição florística e estrutura dos bosques de mangue dos rios Ceará, Cocó e Pacoti. SEMACE, Fortaleza. 48 p.
Moberg, F. & Ronnback, P. (2003) Ecosystem services of the tropical seascape: interactions, substitutions, and restoration. Ocean & Coastal Management 46 27-46.
Mochel F R (1995): Endofauna do Manguezal. São Luís: EDUFMA, v. 1. 121 p.
Mochel F R; Cutrim M V J; Correia M M F; Ibanez M S R; Macedo L A A and Kowarick M A (1991): Diagnóstico dos principais problemas ambientais do Maranhão. 1. ed. São Luís: Lithograf/Governo do Maranhao, 1991. v. 1. 193 p.
Montenegro, S.C.S. (2002) - A conexão homem-camarão (Macrobrachium carcinus e M. acanthurus) no Baixo São Francisco Alagoano: uma abordagem etnoecológica. Tese de Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP.
Moraes, Antonio Carlos Robert de. (1999) Contribuições para a gestão costeira do Brasil: elementos para uma geografia do litoral.São Paulo: Hucitec; Edusp.
Morais, J O; Meireles A J A and Freire G S S (1989): Processos hidrodinâmicos e

material em suspensão no estuário do rio Pacoti - Fortaleza, Ceará , Anais do 35 Cong. Bras. Geologia, v.2. p.581 – 591.


Mourão, J da S (2000): Classificação e ecologia de peixes estuarinos por pescadores do Estuário do Rio Mamanguape - PB. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.132p + apêndices.
Nascimento, S. A. (1993): Biologia do caranguejo-uçá (Ucides cordatus). ADEMA - Administração Estadual do Meio Ambiente, Aracaju,SE, 48 pp.
Nascimento, I A (1998): Aquicultura marinha e ambiente: a busca de tecnologia limpas para um desenvolvimento sustentado. TECBAHIA – Revista Baiana de Tecnologia, (13) 3: 44-67.
Nascimento, S A; Santos E R; Bonfim L and Costa R S (1992): Estudo Bio-ecológico do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) e do manguezal do estado de Sergipe, Nordeste do Brasil. Administração Estadual do Meio Ambiente, Governo do estado de Sergipe. Relatório Técnico, 12 p.
Nishida, A.K., Moura A.C.A., Soares D.M.B., Silva E.G., Leite R.L., Alves R.R.N. (1999) Catadores de caranguejo do litoral paraibano: Diagnóstico Sócio-econômico e Ambiental, Subsídios para Elaboração de um Projeto Piloto. Cadernos Oficina Social 2: 132-142.
Nordi, N; Nishida A K and Alves R R N (2006): Effectiveness of two gathering techniques utilized by gtherers of the land-crab Ucides cordatus (LINNAEUS, 1973) in Paraiba State, Northeast, Brazil. Human Ecology Review (HER), Estados Unidos.
Nybakken, James Willard (2005): Marine Biology: An Ecological Approach. 6th Ed, Pearson Benjamin Cummings.
Odum, H T (1970): Summary: an emerging view of the ecological system at El Verde. In: A tropical rain forest. H. T. Odum & R. F. Piegeon (eds). Division of Technical Information, U. S. Atomic Energy Commission. OAK Ridge, Tenessee. Pp.I-191 a I-289.
Olson, D. M., et al. (1996) A Conservation Assessment of Mangrove Eco-regions of Latin America and the Caribbean. Final Report for The Ford Foundation. World Wildlife Fund, Washington D.C.
Paiva, M, P.: Bezerra, R. C.F.: Fonteles Filho, A. A. (1997) Recursos pesqueiros e estuarinos do Brasil. Fortaleza, EUFC, 287 p.
Paludo, D, Klonowski VS (1999) Barra de Mamanguape-PB: Estudo do impacto do uso de madeira de manguezal pela população extrativista e da possibilidade de reflorestamento e manejo dos recursos madeireiros. Série Cadernos da Reserva da Biosfera. Mata Atlántica. MAB. UNESCO. Nº 16. pp. 7-54.
Pannier, R and Pannier F (1980) Estructura y dinamica del ecosistema de manglares: un enfoque global de la problematica. Em Memorias del Seminario sobre el estudio científico e impacto humano en el ecosistema de manglares. UNESCO, ROSTLAC. Montevideo. pp. 46-55.
Pantoja, C (1993): Mangrove forests of Para state, North Brazil. Em: Workshop conservation and sustainable utilization of mangrove forests. Latin America and Africa regions. Rio de Janeiro. Mangrove ecosystems proceedings. Niteroi: ITT/ISMEProject PD 114/90, n.1, p 13-14.
Pendoley, K and Fitzpatrick J (1999): Browsing of Mangroves by Green Turtles in Western Australia. Marine Turtle Newsletter 84:10.
Pereira, S C S B (1983): Noções de biologia e ecologia dos camarões peneídeos. Em: Manual de maricultura. Cabo Frio, Instituto de Pesquisas da Marinha, Projeto Cabo Frio, pp VIII-1A – VIII-28A.

Ponte, A C E; Fonseca I A Z and Claro S M C A (1987): Impacto causado por pretóleo no manguezal do canal da Bertioga -Estrutura da vegetação. Anais do I Simpósio de Ecossistemas da Costa Sul e Sudeste Brasileira. 2: 138-147


Porto, H L R and Fonteles-Filho A A (1984): Aspectos da Pesca e Caracterizacao Biometrica do Camarao Branco, Penaeus Schimitti, Na Ilha de Sao Luis - Estado do Maranhao. Bol. Lab. Hidrob., v. 4, n. 1, p. 97-125.
Primavera, J H (1993): Intensive prawn farming in the Phillipines: ecological, social and economic implications. Ambio, 20:28-33.
Reltório do worshop do Probio “Avaliação de Àreas e Ações Prioritárias para a Conservação da Biodiversidade de Zonas Costeiras e Marinhas”, Grupo d Ecossistema: Manguezais, água salobra e apicuns. Porto Seguro, Brazil, 25 - 29 de outubro, 1999.
Proisy, C., et al (2003): Monitoring the dynamic of the Amazon coast (Para, Brazil and French Guiana) using a common methodology based on spatial analysis coupled with a simulation tool. Em: MANGROVE 2003, Salvador, Brazil. Livro de resumos. Salvador, 459p
Rebelo-Mochel, F. (1993) Manguezais do estado do Maranhão, Norte do Brasil. Memórias de um workshop sobre a conservação e uso sustentável dos recursos de florestas de mangue na America Latina e na África. 1: 14.
Radam, Projeto Radam (1973): Folha Sb.23 Teresina E Parte Da Folha Sb.24 Jaguaribe; geologia, geomorfologia, solos, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro.
Rebelo-Mochel F (1997): Manguezais sobre São Luís Ilha, Maranhão o Brasil. Em: B. Kjerfve, L.D. Lacerda, & E.H.S. Diop [Eds.], Mangrove ecosystem studies in Latin America and Africa. Paris. UNESCO. p.145-154.
Rebelo-Mochel, F.; Cutrim, M.V.J. & Gueiros, B. (2000) Potencial dos manguezais da Baía de Turiaçu para o desenvolvimento do Ecoturismo na Amazônia Maranhense: Indicadores sócioambientais. Parnaíba-PI, Resumos do Encontro Nacional de Educação Ambiental nas Áreas de Manguezal.
Rebelo-Mochel, F. (2003) Diagnóstico e disciplinamento da área marinha e estuarina do litoral do Piauí. Teresina-PI. Governo do Estado/Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. 25p.
Riviera-Monroy V H; Torres L A; Bahamon N; Newmark F and Twilley R R (1999): The potential use of mangrove forests as nitrogen sinks of shrimp aquaculture pond effluents: the role of denitrification. Journal of the World aquaculture society. 30 (1): pp 12-25.
Robertson A I (1991): Plant-animal interactions and the structure and function of mangrove forests ecosystems. Austr. J. Ecology 16: 433 - 443.
Rönnbäck, P. (1999) The ecological basis for economic value of seafood production supported by mangrove ecosystems. Ecological Economics, 29 235–252.
Roquetti-Humaita M H (1990): Estudo dos manguezais da Baixada Santista. Relatório final. São Paulo, CETESB. 70 p. + anexos.
Rosa R S; Rosa I L and Rocha L A (1997): Diversidade da ictiofauna de poças de maré da Praia de cabo Branco, João Pessoa, Paraíba, Brasil. Revta. bras. Zool. 14 (1): 195-200.
Rosa R S and Sassi R (2002): Estudo da biodiversidade da área de proteção ambiental barra do rio mamanguape. Relatório Final do Projeto apresentado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Universidade Federal da Paraiba.
Rossi M and Mattos I F A (1992): O ecossistema mangue: uma análise dos solos e da vegetação no Estado de São Paulo. Revista do Instituto Florestal, v.4, p. 930-936. (Edição especial).
Saenger, P.F.; Lemenager, R.P.; Hendrix, K.S. (1983) Effects of anhydrous ammonia treatment of wheat straw upon in vitro digestion, performance and intake by beef cattle. Journal of Animal Science, v.56, n.1, p.15-20.
Saenger P; Hegerl E J and Davie J D S (1983): Global status of mangrove ecosystems. IUCN, Gland.
Saintilan N (1998): Relationships between height and girth of mangroves and soil-water conditions in the Mary and Hawkesbury River estuaries, eastern Australia. Aust. Jnl. Ecol., 23: 322-328.
Schaeffer-Novelli Y (1981): Proposta Para Estudo dos Recursos de Marismas e Manguezais. RELAT. INT. INST. OCEANOGR., UNIV. S.PAULO, n. 10, p. 1-13.
Schaeffer-Novelli Y (1989): Perfil dos ecossistemas litorâneos brasileiros, com especial ênfase sobre o ecossistema manguezal. Pub. Esp. do Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo, 7: 1-16.
Schaeffer-Novelli, Y. & Cintrón-Molero, G, 1990. Status of mangrove research in Latin America and the Caribbean. Bolm. Inst. oceanogr., S. Paulo, 38 (1):93-97.
Schaeffer-Novelli, Y.; Cintrón-Molero, G & Adaime, R.R. (1990) Variability of mangrove ecosystem along Brazilian coast. Estuaries, 3(2):204-218.
Schaeffer-Novelli, Y., (1994). Tabela referente ao Módulo 2 "Os ambientes costeiro e marinho: aplicação dos conhecimentos científicos a um adequado manejo"; Sessão 7 "Ecossistemas costeiros brasileiros", organizada por ocasião do "Course on the Integrated Management of Coastal and Marine Áreas for Susteinable Development", realizado no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, Brasil, 09 a 20 de maio de 1994, sob a égide da ONU.
Schaeffer-Novelli Y (2002): Manguezal, marisma e apicum (Diagnóstico Preliminar). In: Fundação BIO - RIO; Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente do Pará - SECTAM; Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte - DEMA; Sociedade Nordestina de Ecologia - SNE [el al]. (Org.). MMA- Ministério do Meio Ambiente 2002. Avaliações e ações prioritárias para conservação da biodiversidade das Zonas Costeira e Marinha. Brasília: MMA/SBF.
Scott, D.A. and Carbonell, M. (1986) Directory of Neotropical wetlands. IUCN, Cambridge and IWRB, Slimbridge, UK. 684 pp.
Senna, C S F (1992): Fatores ambientais relacionados ao estudo de pescadores-coletores pré-históricos. Em: Lourdes Gonçalves Furtado. (Org.). Populações Humanas, Rios e Mares da Amazônia. São Paulo, v. 1, p. 78-92.
Senna, C S F and Melo C (1994): Impactos naturais e antropicos em manguezais do litoral do nordeste do Para. In II workshop ECOLAB, Amapa. Anais Amapa. P 9-11.
Senna, C S F and Pantoja S A M (1995): Aspectos Geobotânicos da Restinga de Maiandeua-APA de Algodoal/Maiandeua (Pa). Em: III workshop ECOLAB., 1995, Belém. Livro de Resumos Expandidos. Belém : Museu Paraense Emílio Goeldi, 1995. v. 1. p. 78-82.
Senna, C. e Sarmento, A. P. (1996) Aplicações de sensoriamento remoto no mapeamento geobotânico do litoral do NE do Pará. Mus. Para. Emílio Goeldi. Série Ciências da Terra. Vol. 8: 137-55.
Shea, E.L., G. Dolcemascolo, C.L. Anderson, A. Barnston, C.P. Guard, M.P. Hamnett, S.T. Kubota, N. Lewis, J. Loschnigg, and G. Meehl. 2001. Preparing for a changing climate: The potential consequences of climate variability and change. Honolulu: East-West Center. Smith, T.J., III, M.B. Robblee, H.R. Wanless, and T.W. Doyle. 1994. Mangroves, hurricanes, and east-west center.

Sherman, R E; Fahey T J and Battles J J (1998): Small-scale disturbance and regeneration dynamics in a neotropical mangrove forest. Journal of Ecology, v. 88, p. 165-180.


SILVA, G.F.; VENTURIERI, G.C.; SILVA, E.S.A. Meliponiculture as a sustainble development alternative: Financial Management within family groups in northeast amazon, Brazil. http://mel.cpatu.embrapa.br/downloads/Economic_Meliponiculture.pdf
SILVA, G.F.; VENTURIERI, G.C.; SILVA, E.S.A. Meliponicultura como alternativa de desenvolvimento sustentável: gestão financeira em estabelecimentos familiares do município de Igarapé-Açu, PA. Em: XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, 4. Ed. 2006. Anais 2006.
Silva, L H S (1998): Phytoplankton of lake Monte Alegre, São Paulo State. Verh. int. Verein. Limnol., 26:268.
Sinh, L X (1994): Mangrove forests and shrimp culture in Ngoc Hien District, Minh Hai Province, Vietnam. NAGA – The ICLARM Quarterly. 17(4):15-16.
Soares, M L G (1997): Estudo da biomassa aérea de manguezais do sudeste do Brasil – Análise de modelos. Tese de Doutorado. Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, V.1, 294pp.
Souza, Filho P W M (2004): Amazon macrotidal mangrove coast: morphologic settings, mapping and measurements of the largest continuous mangrove in world. Artigo submetido a revista Gerenciamento Costeiro Integrado, número especial Ecossistema Manguezal em 10 de julho de 2004.
Spalding, M D; Blasco F and Field C D (1997): World Mangrove Atlas. The International Society for Mangrove Ecosystems, Okinawa, Japão. 178 p.
Strahler, A N and Strahler A H (2000): Arid Land Research and Management. Volume 17, Number 4.
SUDAM/UFMA - Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, (1983): Relatório final: Caracterização ambiental e prospecção pesqueira do estuário do rio Cururuca-Maranhão. Ministério do interior – Superintendência do desenvolvimento da Amazônia. Belém – Brasil, 141p.
Turner, R E (1977): Intertidal vegetation and commercial yields of penaeid shrimps. Trans. American Fisheries Soceity 106, 411-416.
Ukpong, I E (1994): Mangroves and Salt Marshes. Ed. Springer Netherlands. Vol 1, n. 4, p 211-218.
VENTURIERI, G.C. Conservação e geração de renda: Meliponicultura entre agricultores familiares da amazônia oriental. 1956-2006: 50 anos da abelha africanaizada em Riberão Preto. 12-15 June, 2006. Em: VII ENCONTRO SOBRE ABELHAS, 2006. Resumos 2006.
Vreugdenhil, Daan. (2003) Protected areas system planning and monitoring. Doctoral dissertation, Wageningen University, Netherlands.
Warner, G F (1969): The occurrence and distribution of crabs in a Jamaican mangrove swamp. J. Anim. Ecol. 38: 379 - 389. 1969.
Watanabe, T, De Oliveira RB, Sassi R, Melo GN, Moura GF, Gadelha CL, Machado VMN (1994) Evidences of contamination caused by sugar-cane monoculture and associated industrial activities in water bodies of the state of Paraíba, Northeast Brazil. Acta Limnologica Brasiliensia 5: 85-101.
Weber, R J and Weber H H (1978): Management of acidity in mangrove sited aquaculture. Rev. Biol. Trop., 26(Supl. 1): 45-51.
WHSRN (2001): Bowdoin National Wildlife Refuge. www.manomet.org/whsrn.

PÁGINA DE ASSINATURA


País: Brasil
Resultado UNDAF: Resultado 5: Uso mais eficiente dos recursos disponíveis assegurado para promover o desenvolvimento econômico eqüitativo e ambientalmente sustentável

Resultado Esperado: 5.2 Políticas publicas com maior transversalização da dimensão ambiental em sua definição, implementação, manejo, monitoramento e avaliação

Produtos Esperados: 5.2.1. Maior capacidade institucional para a definição, implementação, monitoramento e avaliação de políticas de uso dos recursos naturais disponíveis.
Entidade Implementadora do GEF: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)
Entidade Co-Implementadora: Ministério do Meio ambiente – MMA

(Designada Entidade Executora)


Outros Parceiros: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

Período do Programa: 2007-2011

Componente do Programa: Meio ambiente

Título do Projeto: Conservação Efetiva e Uso Sustentável de ecossistemas manguezais no Brasil (PIMS 3280)

Número do Projeto: 00055992

PIMS 3280

Duração do Projeto: 5 anos

Arranjo de Gestão: NEX

1   ...   22   23   24   25   26   27   28   29   30


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal