Doenças Relacionadas com o Trabalho: Diagnóstico e Condutas Manual de Procedimentos para os Serviços de Saúde Ministério da Saúde – ops capítulo 17



Baixar 398.14 Kb.
Página6/16
Encontro29.07.2016
Tamanho398.14 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16



QUEIMADURA SOLAR RELACIONADA COM O TRABALHO

CÓDIGO CID-10: L55. -




I - DEFINIÇÃO DA DOENÇA/DESCRIÇÃO



Queimadura ou Eritema solar é uma reação aguda, caracterizada por formação de eritema, edema e dor e, nos casos mais graves, por vesiculação e formação de bolhas, após exposição da pele a uma dose intensa de radiação solar.





II – EPIDEMIOLOGIA/FATORES DE RISCO DE NATUREZA

OCUPACIONAL CONHECIDOS

Apesar de um grande número de trabalhadores expostos à luz solar durante a sua jornada de trabalho, em todo mundo - entre eles os da agricultura, pesca e da construção civil - esta exposição geralmente é de longo prazo, com quadros clínicos crônicos. Os quadros agudos resultantes de uma dose única e intensa de radiação solar são mais raros. Trabalhadores de pele clara são os mais sensíveis.


A Queimadura solar relacionada com o trabalho deve ser enquadrada no Grupo I da Classificação de Schilling, sendo o trabalho considerado causa necessária.





III – QUADRO CLÍNICO E DIAGNÓSTICO

O eritema inicia-se após um período de latência de 2 a 7 horas, com uma intensidade máxima por volta de 12 a 24 horas, persistindo por horas ou dias, dependendo da intensidade da radiação e do tipo de pele do trabalhador. Os quadros mais graves podem cursar com vesiculação e formação de bolhas, com resolução mais demorada e maior risco de infecção secundária.


O diagnóstico baseia-se no quadro clínico e na história de exposição a dose intensa de radiação solar.





IV – TRATAMENTO E OUTRAS CONDUTAS

O tratamento é feito com o uso de compressas frias ou pasta d’água. Cremes de corticóides de baixa potência, ingestão aumentada de água, e outros líquidos, podendo ser indicados analgésicos e antitérmicos.





V – PREVENÇÃO

Devem ser observadas as medidas gerais de prevenção descritas na Introdução deste Capítulo. Para os trabalhadores fortemente expostos à luz solar recomenda-se a utilização de vestuário adequado, limpo, arejado, de tecido apropriado às condições climáticas (temperatura e umidade) primária, incluindo chapéus, de forma a proteger o rosto e a pele do corpo da exposição em ambientes externos.


Entre as medidas preventivas específicas estão a exposição gradual e o uso de filtros solares (fotoprotetores) que absorvem os raios ultravioleta (UVB). Deve se evitar a exposição em horários de maior radiação solar.
Recomenda-se a verificação do cumprimento, pelos empregadores, de medidas de controle dos fatores de riscos ocupacionais e acompanhamento da saúde dos trabalhadores prescritas na legislação trabalhista e nos regulamentos sanitários e ambientais existentes nos estados e municípios
O exame médico periódico visa a identificação de sinais e sintomas para a detecção precoce da doença. Consta de avaliação clínica, que inclui exame dermatológico cuidadoso e exames complementares de acordo com a exposição ocupacional e orientação do trabalhador.
Feito o diagnóstico e confirmada a relação da doença com o trabalho deve ser realizado:

  • informação aos trabalhadores;

  • exame dos expostos visando identificar outros casos;

  • notificação do caso ao sistema de informação em saúde;

  • caso o trabalhador seja segurado pelo SAT da Previdência Social, providenciar emissão da CAT, conforme descrito no Capítulo 5; e

  • orientação ao empregador para que adote os recursos técnicos e gerenciais adequados para eliminação ou controle dos fatores de risco.







VI – OBSERVAÇÕES ADICIONAIS E LEITURAS RECOMENDADAS

ADAMS, R.M. (Ed.) – Occupational Skin Disease. 2nd. ed. Philadelphia, Saunders, 1990. 706 p.


ALI, S.A. - Dermatoses Ocupacionais. São Paulo, Fundacentro, 1994. 224 p.
ALI, S.A - Dermatoses ocupacionais. In: MENDES, R. (Ed.) - Patologia do Trabalho. Rio de Janeiro, Atheneu, 1995. p.139-72.
ILO - Encyclopaedia of Occupational Health and Safety. 4th ed. Geneva, International Labour Office, 1998. 4 v.

LEVY, B.S.& WEGMAN, D.H. (Eds.) - Occupational Health – Recognizing and Preventing Work-Related Disease. 4rd ed. New York, Little, Brown and Co., 2000. .







OUTRAS ALTERAÇÕES AGUDAS DA PELE DEVIDAS À RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA, RELACIONADAS COM O TRABALHO
CÓDIGO CID-10: L56. -
DERMATITE POR FOTOCONTATO (DERMATITE DE BERLOQUE) (L56.2)

URTICÁRIA SOLAR (L56.3)

OUTRAS ALTERAÇÕES AGUDAS ESPECIFICADAS (L56.8)

OUTRAS ALTERAÇÕES NÃO ESPECIFICADAS (L56.9)





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal