Dom Paulo Evaristo Cardeal Arns, ofm



Baixar 86.7 Kb.
Página1/3
Encontro24.07.2016
Tamanho86.7 Kb.
  1   2   3
BIOGRAFIA

Dom Paulo Evaristo Cardeal Arns, OFM




Dom Paulo Evaristo Cardeal Arns, OFM

Cardeal da Santa Igreja Romana

Arcebispo Emérito de São Paulo

Titular de Santo Antônio de Pádua da Via Tuscolana

Nascido em Forquilhinha, Criciúma, SC, 14/09/1921.


Ordenação Sacerdotal: Petrópolis, RJ, 30/11/45.
Eleito Bispo Titular de Respecta e designado Bispo Auxiliar do Cardeal Rossi: 02/05/66.
Ordenação Episcopal: Forquilhinha, SC, 03/07/66.
Promovido a Arcebispo Metropolitano de São Paulo: 22/10/70.
Posse como Arcebispo: 01/11/70.
Criado Cardeal por Paulo VI: 05/03/73;

Como Bispo:

Arcebispo Metropolitano de São Paulo de 01/11/1970 a 22/5/1998;
Cardeal desde 1973;
Membro da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos;
Coordenador do Colégio Episcopal de São Paulo;
Grão Chanceler da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;

Fone: (0 xx 11) 6243-3325



HISTÓRICO


Histórico

 

5º Arcebispo e 3º Cardeal de São Paulo:


Dom Frei Paulo Evaristo Arns, ofm (01/11/1970 a 22/5/98)

Nasceu em Forquilhinha, Criciúma, SC, em 14.09.1921. Ingressou na ordem franciscana em 1939. Ordenou-se presbítero a 30.11.1945 em Petrópolis, RJ. Freqüentou a Sorbonne de Paris, onde laureou-se em Patrística e Línguas clássicas. Foi professor e mestre dos clérigos, diretor do CIC e jornalista profissional. Trabalhou como vigário nos subúrbios de Petrópolis, onde era amigo das crianças e dos pobres dos morros, quando foi indicado bispo auxiliar de Dom Agnelo Rossi, no dia 02.05.1966 e sagrado em 03.07.1966, como bispo titular de Respecta.


Atuou intensamente na Região Norte de São Paulo. Foi nomeado Arcebispo de São Paulo no dia 22.10.1970, tomando posse dia 01.11.1970.
Perante o núncio apostólico, vinte e oito bispos e arcebispos, diante do governador, do prefeito e cerca de cinco mil fiéis, Dom Paulo tendo a mãe presente, Sra. Helena Steiner Arns, com 76 anos, e seus quatorze irmãos, fez comovente exortação, da qual extraímos:

"Venho do meio do povo desta Arquidiocese a que já pertencia, do clero a quem amo e de quem sou irmão, dos religiosos que comigo se esforçam para serem sinal e esperança dos bens que estão para chegar, dos leigos que entendem o serviço aos irmãos como tarefa essencial de sua existência."

 

 



CARDEAL

Feito Cardeal por Paulo VI no consistório de 05.03.1973, com o título de Santo Antônio na Via Tuscolana.


Assim que assume a diocese incrementa fortemente a participação dos leigos nos passos do Concílio Vaticano II. Realiza a Operação Periferia, vendendo o palácio Episcopal e assume destemida defesa dos direitos humanos constantemente violados pela ditadura militar. Torna-se voz dos sem voz e arauto da justiça social em nossa pátria. É de sua responsabilidade a edição do livro e relatório "Brasil, nunca mais", marco na luta contra a tortura.
Cria novas regiões episcopais, realiza amplo plano de pastoral urbana e lança as bases para a ação colegiada na grande metrópole de São Paulo. Criou as condições essenciais para a entre-ajuda do projeto "Igrejas-irmãs". Em seu tempo Dom Paulo cria quarenta e três paróquias, incentiva e apoia o surgimento de mais de duas mil comunidades de base nas periferias da metrópole paulistana, particularmente nas atuais dioceses sufragâneas de São Miguel, Osasco, Campo Limpo e Santo Amaro, além das regiões de Belém e de Brasilândia. Esta era a resposta eficaz e efetiva ao crescimento desordenado, à miséria crescente e à migração constante e forçada para a capital de São Paulo.
Em 1975 tem como bispos auxiliares, Dom José Thurler, Dom Benedito de Ulhôa Vieira, Dom Francisco Manuel Vieira, Dom Mauro Morelli, Dom Joel Ivo Catapan e Dom Angélico Sândalo Bernardino, cada qual assumindo uma das seis regiões episcopais, divididas em setores de pastoral com autonomia e dinâmica próprias. Ainda serão escolhidos Dom Luciano Mendes de Almeida, Dom Alfredo Novak, Dom Antônio Celso Queiroz, Dom Fernando Penteado, Dom Antônio Gaspar e Dom Décio Pereira.
Cada setor deverá assumir e articular as quatro prioridades escolhidas pelo povo: Comunidades eclesiais de base, Direitos humanos e Marginalizados, Mundo do Trabalho e Pastoral da Periferia.
A arquidiocese começa a agir de acordo com planos de pastoral, nos moldes da CNBB, fixando a cada dois anos e depois a cada quatro anos objetivos e prioridades pastorais para garantir eficácia e unidade pastoral evangelizadora. Foram sete os planos de pastoral aplicados no tempo de D. Paulo, sempre motivados pelo lema: De esperança em esperança. As prioridades do 7° plano são: Saúde, Moradia, Mundo do Trabalho e Educação.
Depois de inúmeras divisões de seu território ao longo dos anos, a Arquidiocese tinha em 1997, a seguinte configuração:

seis regiões episcopais,


cinqüenta setores de pastoral,
três vicariatos ambientais,
duzentos e sessenta e sete paróquias territoriais e pessoais,
dez santuários,
quatrocentos e sessenta e uma comunidades eclesiais de base,
vinte e cinco pastorais articuladas pela cidade,
trinta e seis movimentos de leigos,
coordenados por dezenas de ministros e ministras leigas,
com o apoio ministerial de 2337 religiosas,
771 sacerdotes diocesanos e religiosos,
cinqüenta e nove seminaristas,
cinco bispos auxiliares e um vigário episcopal (D. Antonio Gaspar, Dom Joel Ivo Catapan, Dom Antonio Celso de Queiróz, Dom Angélico Sândalo Bernardino, D. Fernando José Penteado, Mons. Walter Caldeira) e o pastor diocesano, Dom Paulo Evaristo Arns.

A arquidiocese compreende somente 635,33 Km2 dos 1509 Km2 do Município. A população, em 1997, era estimada em 9 milhões de habitantes.


Dom Paulo é autor de 56 livros e recebeu mais de uma centena de títulos nacionais e internacionais.

FORMAÇÃO


Cursos

* Seminário menor dos franciscanos em Rio Negro (PR), 1934-1939.


* Noviciado em Rodeio, SC, 1940.

Formação Universitária

* Filosofia: Curitiba, 1941-1943


* Teologia: Petrópolis, 1944-1947

Especialização e pós-graduação

* Licença em Letras: estudos brasileiros, latinos, gregos e história antiga; Universidade de Paris (Sorbonne), 1947 - 1950


* Pedagogia: Instituto de Pedagogia de Paris, 1950 - 1952
* Literatura Antiga: Instituto de Altos Estudos, Paris, 1950-1952
* Estágios: 3 na Alemanha, 2 na Inglaterra, 1 na Holanda, 1 na Bélgica, 1 nos Estados Unidos e 1 no Canadá, 1948-1950
* Doutorado em Letras: Universidade de Paris (Sorbonne), em 03.05.52, com a distinção maior, "très honorable" para a tese: La technique du livre d’après Saint Jérome
* Teses secundárias: Les Confessions de Saint Augustin dans l’oeuvre de Saint Bonaventure; Thesaurus Linguae Latinae.
CARGOS E ATIVIDADES


1946-1966

* Professor no Ginásio de Rio negro (PR), 1946.


* Professor de francês e letras clássicas; Seminário Santo Antônio, Agudos (SP), 1953-1955.
* Fundador da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Bauru, 1954.
* Professor de língua e literatura francesa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Bauru, 1954-1955.
* Professor e Orientador da Campanha de Aperfeiçoamento do Ensino Secundário, do Ministério da Educação e Cultura: Juiz de Fora e Curitiba, 1955-1957.
* Professor de Literatura Cristã e História da Igreja Antiga: Instituto de Teologia de Petrópolis, 1956.
* Mestre de Clérigos e prefeito de estudos: Ordem dos Frades Menores, Petrópolis, 1956-1966.
* Capelão da Comunidade de São José Operário, Itamarati, Petrópolis, 1956-1966.
* Professor de Didática geral: Faculdade de Filosofia de Petrópolis, 1958.
* Jornalista (não-profissional): registro na 14º Delegacia Regional do Trabalho: Petrópolis, 1961-1966.
* Vice-Provincial dos Franciscanos de São Paulo, 1962-1966.
* Membro da Comissão internacional para reforma das constituições dos Frades Menores: Roma, Itália, 1966.
1966-1970

* O papa Paulo VI o nomeou bispo auxiliar de dom Agnelo Rossi em São Paulo, 02.05.66


* Foi Ordenado bispo em Forquilhinha, SC, em 03.07.66
* Atuou como vigário episcopal da região norte (Santana), 1966-1970
* Em Santana começou trabalho orgânico e integrado com padres, religiosos e leigos, preocupado com a formação permanente do clero e do povo. Criou a "Missão do Povo de Deus’, passando um tempo em cada paróquia da região com uma equipe para multiplicar os ensinos do Concílio Ecumênico Vaticano II. Dessa missão, surgiram Ministros da Palavra que levaram a "Semana da Palavra", em 8 etapas, para as ruas da arquidiocese, evangelizando a cidade, formando comunidades eclesiais de base (CEBs) e multiplicando grupos de rua.
* Membro da Comissão Central da CNBB, setor educação, 1967-1971
* Membro do Secretariado do Vaticano para os Não-Crentes, 1968-1983
* Em 1969, a pedido do cardeal Rossi, acompanhou o episódio dos Seminaristas dominicanos que foram presos pelos militares porque ajudavam universitários contra a ditadura e passou a defendê-los.
* Jornalista (não profissional) em São Paulo, 1966-1976.

1970-1975

* Quinto Arcebispo Metropolitano de São Paulo, nomeação em 22.10.70 e posse em 01.11.70


* Grão-chanceler da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), 01.11.70 a 22.05.98
* Grão-chanceler da Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, 1.11.70 a 22.05.98
* Presidente do Amparo Maternal, maternidade mantida pela Arquidiocese de São Paulo para acolher as mães carentes e/ou solteiras que não são assistidas por nenhum tipo de previdência social pública ou privada, 1970 - 1998
* Presidente da Regional Sul-1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), 1971-1975;
* Em janeiro de 1971, denunciou a prisão e tortura de dois agentes de pastoral, o padre Giulio Vicini e a leiga Yara Spadini
* Apoiou dom Hélder Câmara e dom Waldyr Calheiros que estavam sendo pressionados pelo regime militar
* O São Paulo, semanário arquidiocesano, começa a avaliar, em 1971, a relação da Igreja com o Estado e sofre prolongada censura.
* Em 1972, como presidente do Regional Sul-1 da CNBB, reuniu todos os bispos do Estado de São Paulo em Brodosqui, publicando, a seguir, o primeiro dos documentos contundentes da Igreja sobre os direitos humanos, Testemunho de Paz, com grande repercussão
* Em 1972 lançou a "Operação Periferia" para servir as áreas mais carentes da cidade de SP
* Criou a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese que patrocinou, entre tantas iniciativas, a publicação do livro "Meu Depoimento sobre o Esquadrão da Morte", de Hélio Bicudo.
* Em 05.03.73 ocorreu sua investidura como terceiro Cardeal de São Paulo, em Roma, nomeado pelo Papa Paulo VI
* Deixou o Palácio Pio XII em 1973 para morar em casa simples no bairro do Sumaré. Os US$5 milhões da venda do palácio foram aplicados na construção de 1200 centros comunitários na periferia da cidade.
* Presidiu, na Catedral, em 30.03.73, a "Celebração da Esperança" em memória do estudante universitário Alexandre Vannucchi Leme, torturado e morto pelo regime militar no cárcere.
* Em 1973 assumiu como Igreja-Irmã a prelazia de Itacoatiara, no Amazonas, enviando padres, irmãs e agentes de educação para desenvolver projetos com as comunidades predominantemente indígenas da região.

* Realizou , em novembro de 1973, a "Semana da Paz na Terra", para a defesa dos Direitos Humanos.


* Sofreu a perempção da rádio da Arquidiocese, a Rádio Nove de Julho, por decreto assinado pelo Presidente Médici em 01.11.73 apesar de os próprios órgãos governamentais haverem elogiado, poucos dias antes, os relatórios enviados e o desempenho técnico da rádio.
* Em 26.10.73, na antiga Cúria Metropolitana na Praça Clóvis Bevilaqua, centro de São Paulo, participou, juntamente com o reverendo Jaime Wright, do lançamento da 1a. edição do folheto ecumênico sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos, publicado pela Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE).
* Participou do Sínodo Mundial dos Bispos sobre Evangelização, em Roma, 1974.
* Membro da Sagrada Congregação para os Sacramentos e o Culto Divino, 1974-1988.
* Acompanhado de familiares de presos políticos foi a Brasília em 1974, para encontro com o general Golbery do Couto e Silva, quando apresentou dossiê sobre 22 casos de desaparecimentos.

1975-1980

* Em 1975 começou nova etapa arquidiocesana, obtendo da Santa Sé a nomeação de quatro novos bispos auxiliares: dom Joel Catapan, dom Angélico Bernardino, dom Francisco Vieira e dom Mauro Morelli, formando o Colégio Episcopal e influenciando decididamente na pastoral com a regionalização mais bem estruturada.


* Presidiu a Assembléia Arquidiocesana em novembro de 1975, que aprovou as 4 prioridades de seu 1° Plano de Pastoral: CEBs, Periferia, Mundo do Trabalho e Direitos Humanos.
* Constituiu e aprovou a Comissão Arquidiocesana de Pastoral dos Direitos Humanos e Marginalizados.
* Começa a fazer apelos em prol da anistia.
* Em 1975 participou do Colóquio Internacional e Interreligioso realizado em Bellagio (Itália), com o tema: "Fome e alimentos para o futuro do mundo.
* Presidente da Regional Sul - 1 da CNBB: 2° mandato 1975 - 1979.
* Celebrou em 31.10.75, na Catedral da Sé, o histórico culto ecumênico em memória de Wladimir Herzog, jornalista morto na tortura dos porões da ditadura militar.
* Com o episcopado do estado de São Paulo lançou, em novembro de 1975, a declaração "Não oprimas teu irmão", que reiterava a denúncia e condenação da tortura.
* Recebeu dois bispos para a arquidiocese em 1976: dom Antonio Celso Queiroz e dom Luciano Mendes de Almeida.
* Juntamente com Adolfo Pérez Esquivel, tomou medidas práticas em favor das vítimas da "guerra suja" na Argentina, a partir do golpe militar de 1976 naquele país.
* Empossado como jornalista militante pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa) em São Paulo, em 30/05/76.
* Recebeu, juntamente com o Presidente norte-americano Jimmy Carter, título de Doutor Honoris Causa em Direito, da Universidade de Notre Dame, Indiana, USA, 1977.
* A PUC foi invadida pela polícia comandada pelo coronel Erasmo Dias, com enormes prejuízos pessoais e materiais.
* Participou, em 1977, do Colóquio Internacional e Interreligioso realizado em Lisboa, com o tema "A nova ordem econômica e as religiões"
* Defendeu dom Pedro Casaldáliga, ameaçado de expulsão do país.
* Apoiou a Ato da Penha, 18.09.77, em solidariedade aos perseguidos pela ditadura, organizado por 20 entidades laicas, que produziram os documento "Epístola dos Leigos pela Justiça e Libertação".
* Visitou o Paraguai em 1977 para conhecer o trabalho do Comitê Ecumênico de Igrejas, tornando-se o 1° cardeal a visitar aquele país.
* Cedeu uma sala da cúria metropolitana, em 1977, para o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), a fim de atender o crescente fluxo de refugiados políticos vindos de países vizinhos no Cone Sul (Argentina, Chile e Uruguai, principalmente) onde a repressão militar era pior que no Brasil.
* Organizou a Comissão de Ecumenismo e Diálogo Interreligioso (CEDRA) em 05.10.77.
* Deu início ao curso de bacharelado em teologia para leigos, em 1978.
* Apoiou em 1978 o movimento "Custo de Vida".
* Apoiou, em junho de 1978, a organização CLAMOR - Comitê de Defesa dos Direitos Humanos no cone Sul.
* Realizou em 1978, e com a Comissão Arquidiocesana de Pastoral dos Direitos Humanos e Marginalizados, a Semana dos Direitos Humanos, no teatro da Universidade Católica (TUCA), sob ameaças do secretário de Segurança Pública.
* Participou, em novembro de 1978, como um dos principais palestrantes, do Simpósio Internacional sobre Direitos Humanos, organizado pela Vicaría de la Solidaridad, da Arquidiocese de Santiago, Chile.
* Em dezembro de 1978, lançou a cartilha Humildes contra a Violência, preparada pela Comissão Arquidiocesana de Pastoral dos Direitos Humanos e Marginalizados.
* Durante esse ano, reuniu-se várias vezes com juizes e promotores públicos para discutir a aplicação da Justiça na linha dos direitos humanos.
* Encontrou-se com o presidente Jimmy Carter, no Rio de Janeiro, 30.03.78.
* Em companhia de Dom Tomás Balduíno, Bispo de Goiás, pediu ao CEDI (Centro Ecumênico de Documentação e Informação, e este elaborou, em dezembro de 1978, o documento "Repressão na Igreja do Brasil, reflexo de uma situação de opressão", com ampla divulgação.
* Apoiou a Comissão Arquidiocesana de Pastoral dos Direitos Humanos e Marginalizados em sua ajuda à greve dos metalúrgicos do ABC, a qual foi marcada pela morte, em 30.10.79, atingido por bala de policial, do operário Santo Dias da Silva, agente de pastoral da Arquidiocese de São Paulo. O enterro de Santo Dias foi presidida por D. Paulo, apoiado por grande manifestação popular nas ruas do centro de São Paulo.
* Em julho de 1979, com o comparecimento maciço da mídia, dom Paulo deu entrevista na qual anunciava que o Comitê de Defesa dos Direitos Humanos nos Países do Cone Sul (CLAMOR) havia localizado em Valparaíso, Chile, as crianças Anatole e Vicky, o que prenunciava a localização posterior, pelas Avós da Praça de Maio, de mais de 50 crianças, cujas mães tinham sido exterminadas pela repressão na Argentina.
* Participou, em 1979, da 3a. Assembléia dos Bispos Latinos-Americanos (CELAM), em Puebla, México.
* Em 04.09.79 fez pronunciamnto em culto ecumênico em solidariedade ao povo argentino.

1980-1984

* Defendeu líderes sindicais operários nas greves de 1980.


* Com o estímulo do Grão-chanceler, os estudantes, professores e funcionários da PUC-SP realizaram a 1a. eleição para escolha do reitor da universidade
* Acolheu, em fevereiro de 1980, a 4a. Conferência da Associação Ecumênica de Teólogos do Terceiro Mundo, com a participação de 140 delegados de 42 países.
* Acompanhou o papa João Paulo II em sua 1a. visita ao Brasil, em 1980. Em São Paulo, entre outros atos, João Paulo II falou no estádio do Morumbi para 200 mil operários, em 03.07.80.
* Em 1981 participou do encontro ecumênico internacional em Estocolmo, Suécia, denominado "Semana Ecumênica de Desenvolvimento".
"* Apoiou a campanha contra o desemprego, em 1981.
* Orientou as comunidades da Arquidiocese no movimento pelas eleições diretas, com a cartilha e slides sobre Fé e Política.
* Participou em 24.03.81, do culto ecumênico no 1º aniversário da morte de dom Oscar Romero, arcebispo assasinado de San Salvador.
* Participou no Natal de 1981, do culto ecumênico da Esperança, com a participação de refugiados políticos dos países do Cone Sul.
* Participou, como membro fundador, da Comissão Independente Internacional das Nações Unidas para Questões Humanitárias, criada em decorrência da resolução 34/136 de 14.12.81 da Assembléia Geral da ONU (esta comissão iniciou suas atividades em outubro de 1982), sendo o único religioso, em todo o mundo, eleito para esta comissão.
* Entregou ao papa João Paulo II, em janeiro de 1983 em Roma, um exemplar do livro Desaparecidos en Argentina, publicado pelo CLAMOR.
* Eleito membro do Secretariado do Sínodo Mundial dos Bispos, no Sínodo de outubro de 1983, mandato expirado em 1987
* Em 1983 participou, em Uppsala, Suécia, da "Conferência Mundial Sobre Vida e Paz", que tratou do desarmamento nuclear, prestigiada com a presença do rei e da rainha da Suécia.
* Foi membro do Serviço Internacional pelos Direitos Humanos, com sede em Genebra.
* É membro do Serviço Paz e Justiça na América Latina (SERPAJ-AL).
* Organizou, em setembro de 1984 na Arquidiocese de São Paulo, a 1º Semana Fé e Compromisso Social - que se tornaria em evento anual - para refletir sobre alguma forte questão social e detectar possíveis soluções e encaminhamentos. O tema foi "A pastoral da Igreja no Brasil e os ensinamentos sociais do papa João Paulo II"

1985-1990

* Fez o discurso de abertura do Congresso Internacional de Entidades de Benemerência Não Governamentais, patrocinado pela ONU, em Dakar, África, 19.05.85


* Membro da Pax Christi Internacional, junho de 1985
* Recebeu, em 1985, a Medalha Nansen do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), no Palácio das Nações, em Genebra.
* Realizou, com o apoio financeiro do Conselho Mundial de Igrejas e a coordenação do Rev. Jaime Wright o projeto "Brasil: Nunca mais"¸ contendo informações obtidas nos arquivos militares oficiais sobre o uso institucionalizado da tortura durante o regime militar dos anos 1964-1985. O livro-resumo, lançado em 15.07.85, permaneceu 91 semanas consecutivas nas listas dos 10 mais vendidos de não-ficção. Em 1987 doou todo o acervo acumuladodo BNM ao arquivo Edgard Leuenroth da UNICAMP; 25 coleções de 12 volumes com 6891 páginas cada coleção, a 14 entidades no Brasil e 11 no exterior; 548 rolos de microfilmes e mais de 100 disquetes ao "Latin American Microform Project (LAMP)", em Chicago, EUA.
* Em 1985 foi convidado pelas Igrejas da África do Sul a pronunciar uma série de conferências dentro da campanha "End of Conscription" (Fim da Convocação Militar), mas foi barrado pelas autoridades daquele país no momento em que se dirigia, para embarque a Joanesburgo, ao aeroporto de São Paulo.
* Estimulou a criação, que ocorreu em 03.10.85, do Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de São Paulo, a fim de coordenar e ajudar a resolver problemas locais de vários centros regionais de defesa dos direitos humanos que surgiram como resultado da primeira reunião continental de bispos patrocinada pelo SERPAJ-AL.
* Em 1986, começou a falar contra a dívida externa.
* Ajudou a fundar, em 15.03.86, a Agência Ecumênica de Notícias (AGEN).
* Em 26.10.86 presidiu a celebração ecumênica pela Paz, na Praça da Sé.
* Em 1987 lançou o Projeto Esperança, campanha para conscientização sobre AIDS na Arquidiocese de São Paulo.
* Participou, em 20.05.87, do culto ecumênico em solidariedade ao povo da África do Sul e outros povos oprimidos do Terceiro Mundo.
* Recebeu do governo da França, em 09.05.87, o título de Comendador da Legião de Honra, entregue na Cúria pelo embaixador da França no Brasil, presente a primeira-dama Danielle Mitterrand.
* Tornou-se presidente, em 1987, do Comitê Latino-americano de Peritos pela Prevenção de Tortura (CEPTA).
* Integrou a Comissão Internacional Sul-Sul, dirigida pelo ex-presidente da Tanzânia, Mwalimu Julius K. Nyerere , em 1987.
* Em outubro de 1988, falou na II Assembléia Geral do Conselho Latino-americano de Igrejas (CLAI), em Itaici (SP).
* Foi o único religiosos nomeado, em janeiro de 1988, para o Comitê Honorário da Campanha Européia pela Interdependência e Solidariedade Norte-Sul, mantida pelo Conselho da Europa a convite do rei da Espanha, Juan Carlos I.
* Abriu a 1a. Conferência Pan-Americana sobre Relações Católico-Judaicas.
* Teve o território da Arquidiocese de São Paulo dividido pelo Vaticano, em 1989, com a criação de 4 dioceses desmembradas: Osasco, São Miguel Paulista, Campo Limpo e Santo Amaro, com novos bispos, passando a Arquidiocese a ter 6 regiões episcopais.
* Em 17.12.89 foi o negociador para a libertação do empresário Abílio Diniz, seqüestrado por um grupo de chilenos, argentinos, canadenses e brasileiro.
* Foi indicado oficialmente para o Prêmio Nobel da Paz de 1989.
* Participou da Romaria da Terra no Maranhão, em 1990.
* Recebeu, em 1990, o Prêmio Juca Pato de Intelectual do ano, pelo livro "Clamor do Povo pela Paz".
* Em 25.01.90 celebrou culto ecumênico na catedral da Sé juntamente com dom Robert Runcie, arcebispo da Cantuária, o "papa" da Igreja anglicana
* De 23 a 28.07.90 participou, em Princeton, EUA, da Assembléia Internacional Interreligiosa em favor da criança carente, patrocinada pelo UNICEF (Fundo das Nações Unidas para Crianças).



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal