Dossier de Imprensa programaçÃo artística '12



Baixar 60.55 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho60.55 Kb.









Dossier de Imprensa







PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA '12






Fevereiro. Março.

Assessoria Comunicação Social

Marta Santos

tel: 234.379.805 ou 234.400.920

e-mail: msantos@teatroaveirense.pt

TEATRO AVEIRENSE
FEVEREIRO

_________________

TODA A GENTE SABE QUE TODA A GENTE SABE

De Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa. Com Teresa Guilherme, Sofia de Portugal, Rodrigo Saraiva, Heitor Lourenço, Lurdes Norberto.

Dia 4 Fevereiro | 21h30 | Sala Principal

Preços: 12 Euros - Plateia, 10 Euros - Balcão  

100 MIN. | M/12
“Toda a gente sabe que toda a gente sabe”, é uma comédia genial que vem confirmar o talento inquestionável da dupla de autores Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa.

A versão Portuguesa, com adaptação de texto de Teresa Guilherme e Miguel Dias, dá-nos a conhecer a família “Mello da Cunha”, outrora afortunada e presença assídua na esfera da alta sociedade, actualmente falida, que continua no entanto a viver de aparências.

Evangelina (Teresa Guilherme) é a sobrinha de Maria das Dores que vive inconformada com o seu actual estatuto, em constante nostalgia pelo glamour perdido, numa incessante busca das luzes da ribalta de outros tempos;

Maria Inês (Sofia de Portugal), filha de Evangelina, menina rebelde que chocou a família ao fugir com um pugilista alcoólico. Já separada, volta a viver com a família sem nunca esquecer a sua fogosa relação, contrariando as aspirações sociais e morais da sua mãe;

Luis Ernesto (Rodrigo Saraiva), irmão de Maria Inês jovem corretor da bolsa, vive a sua sexualidade escondida … mas pouco!

Cláudio Oliveirinha (Heitor Lourenço), de origem humilde cuja família enriquece à custa de uma cadeia de pizzarias, é a presa perfeita para a salvação dos Mello da Cunha. Jovem recatado, deixa-se contagiar e descobre, para seu próprio espanto, a sua orientação sexual;

Maria da Dores (Lurdes Norberto) é a tia, mulher sábia que soube tirar proveito de todos os prazeres da vida, tem uma capacidade invulgar de conhecer melhor do que ninguém a sua família;

“Toda a gente sabe que toda a gente sabe” é uma sátira da decadência de uma família disfuncional complementada pela vivacidade inigualável dos seus diálogos.

Toda gente sabe que…toda a gente sabe que é a comédia do ano…a não perder!

CONCERTO PROMENADE

Conservatório de Música de Aveiro

Dia 5 Fevereiro | 11h00 | Sala Principal

Preço único: 2 Euros

60 MIN. | M/3
No primeiro domingo de cada mês, o Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian associa-se ao Teatro Aveirense para a criação de concertos Promenade. Uma oportunidade de ouro para quem procura uma introdução à música erudita ou apenas momentos musicais de uma qualidade incontestável.

Programa:

Bert Appermont   -  Celtic Child         

Carlos Marques  - Zéfiro       

Clifton Williams-  Symphonic Suite                 

Johan de Meij – Higlights from Chess 

Kees Vlak – Pássaros do Brasil

 
ALIBANTES

A partir do “Carnaval dos Animais”, Camille Saint Säens. Concepção e Direcção: Romulus Neagu. Co-criação e Interpretação Patrick Murys, Peter Michael Dietz e Romulus Neagu

Dia 11 Fevereiro | 21h30 | Sala Principal

Preço único: 8 Euros  

50 MIN. | M/12
Mergulhados num espaço fechado, profundo, imaculado e claustrofóbico, os Alibantes, de Rabelais, agora espelhados no mais recente trabalho do coreógrafo Romulus Neagu, voltam a aparecer como “homens de língua de fora”, desenfreados… São embalados por um Carnaval dos Animais, a obra mais célebre de Camille Saint-Saëns. A partitura abre essa janela imensa de universos que são desfiados em palco e são pautados pela intervenção do músico Luís Pedro Madeira que reinterpreta, a partitura original do compositor francês.

Alicerçados na clausura que os rodeia mas, ao mesmo tempo, ávidos por uma liberdade que, aos olhos do espectador parece impossível de alcançar, estes Alibantes mantêm-se à procura… talvez desse Carnaval dos Animais, talvez de uma evasão desse espaço constrangedor… Uma demanda, às vezes, infantil e ingénua, outras vezes violenta, animalesca, esquizofrénica e melancólica, alimentada pelas memórias pessoais, episódios que atravessam toda a narrativa coreográfica.

É ao longo desta procura frágil, tensa e muito física que Patrick Murys, Peter Michael Dietz e

Romulus Neagu prescrutam os objectos espalhados pelo palco… compulsivamente… relacionam-se com eles, como se fossem um corpo. Impõem-lhes o seu virtuosismo e deixam-se constranger por esses corposobjecto, presença que marca, indelevelmente, a estética de Alibantes.

Um filme a preto e branco com vida própria, em que as personagens vão-se criando e instalando, enquanto tentam sobreviver por entre a densidade que emana da situação limite que protagonizam, esmagados pela clausura do espaço.
Ficha Artística:

Concepção e Direcção do Projecto Romulus Neagu. Co-criação e Interpretação Patrick Murys, Peter Michael Dietz e Romulus Neagu. Música Camille Saint Säens e Pedro Ribeiro. Interpretação Musical (ao vivo) Pedro Ribeiro. Desenho de Luz Cristóvão Cunha. Produção Associação Cultural Intruso. Produção Executiva Adriana Gehres. Fotografia Nuno Rodrigues. Co-Produção Teatro Viriato, no âmbito do projecto W-Est_Where. Projecto Financiado por DGArtes



LUIS DE MATOS CHAOS

Dia 25 Fevereiro | 21h30 | Sala Principal

Preços:  15 Euros – Plateia, 12,5 Euros - Balcão  (10 Euros - menores de 12 anos)  

90 MIN. | M/8
“Luis de Matos CHAOS” é o novo “one man show” do mágico português mais premiado e distinguido de sempre. Luis de Matos, numa curta temporada no Auditório do Casino Estoril, estreia o seu novo concerto de ilusões… tão reais que desafiam a razão!
Da mesma forma que o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque, também a presença de cada espectador se reflecte em cada representação de “Luis de Matos CHAOS”. Uma jornada inesquecível, plena de interacção e mistério, repleta de feitos inexplicáveis que perduram na memória de cada espectador que os vive.
Em “Luis de Matos CHAOS” os mais estranhos elementos interagem de forma mágica e surpreendente. Saramago disse um dia que o “caos” é uma ordem por decifrar. Em “Luis de Matos CHAOS”, o “decifrar” não é uma opção. Os noventa minutos de espectáculo são uma combinação única da imaginação colectiva de todos que nele participam.
“Luis de Matos CHAOS” é uma experiência mágica sem precedentes, uma colecção de mistérios tornados realidade em cada representação, constituindo uma viagem mágica pessoal, intransmissível e memorável. Ilusão ou realidade? A escolha é sua…
“Luis de Matos CHAOS” é um espectáculo para TODA a família!

+ Info: http://www.luisdematos.pt

À MANEIRA DE NIJINSKI

Oficina Dança Crianças de Leonor Barata

Dia 26 Fevereiro | 11h00

Preço Oficina: 6€ (Criança + Adulto)

90 MIN. | M/4
À Maneira deles, agora! O que propomos agora é a continuação do projecto “À Maneira delas” desenvolvendo o lado masculino da dança do inicio do séc. XX e fazendo o percurso revisitando Vaslav Nijinski (1889-1959), Rudolf Laban (1879-1958) e Merce Cunningham (1919-2009): À maneira deles agora! A premissa mantém-se: utilizar os seus métodos explorando em simultâneo o seu universo de criação e as suas biografias.

Nijinski

Nijinski, teve uma vida torturada, cheia de angústia e desilusões, mas a proposta formal das suas criações, em particular a Sagração da Primavera, fazem balançar os pilares da Dança Clássica, provocando incontáveis escândalos.

Esta Oficina pretende desenvolver com as crianças, esse lado en dedans, que ele nos apresenta e que ainda hoje nos causa estranheza, com os corpos torcidos e em duas dimensões.

MARÇO

___________________

OS 39 DEGRAUS

De Alfred Hitchcook. Espectáculo de Paulo Sousa Costa. Produção Yellow Star Company. Encenação Cláudio Hochman. Interpretação Vera Kolodzig, Joaquim Horta, João Didelet e Rui Melo.

Dias 2 e 3 Março | 21h30 | Sala Principal

Preços: 1ª Plateia - 15 Euros, 2ª Plateia - 12,5 Euros, Balcão – 10 Euros

100 MIN. | M/12
Quando um ilustre e bem parecido gentleman inglês é procurado por um crime que não cometeu e se vê enredado numa teia de espiões, isto significa que estamos perante “Os 39 Degraus”. Adaptado do clássico de Hitchcock, “Os 39 Degraus” leva ao palco quatro corajosos actores que, sozinhos, desempenham mais de 100 personagens, num dos mais brilhantes e premiados espectáculos da Broadway e West End.

O resultado só pode ser uma comédia a alta velocidade que tem tudo: intriga, espionagem, aventuras, heróis, vilões, romance e muitas gargalhadas. Mais que um espectáculo, “Os 39 Degraus” é uma experiência teatral nunca antes vista nos palcos portugueses.


Ficha Artística:

Um espectáculo de Paulo Sousa Costa. Produção Yellow Star Company. Encenação Cláudio Hochman. Interpretação Vera Kolodzig, Joaquim Horta, João Didelet e Rui Melo. Tradução Sílvia Baptista. Música e Sonoplastia Alexandre Manaia. Som Jorge Barata. Desenho de Luz José Carlos Nascimento.



CONCERTO PROMENADE

Conservatório de Música de Aveiro

Dia 4 Março | 11h00 | Sala Principal

Preço único: 2 Euros

60 MIN. | M/3
No primeiro domingo de cada mês, o Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian associa-se ao Teatro Aveirense para a criação de concertos Promenade. Uma oportunidade de ouro para quem procura uma introdução à música erudita ou apenas momentos musicais de uma qualidade incontestável.

ÓPERA “A CORAGEM E O PESSIMISMO”

Produção e Concepção Pedagógica: Foco Musical. Coprodução: Associação Musical das Beiras/Estúdio de Ópera do Centro /Foco Musical.



Sessões: dia 8 às 14h30; dia 9 às 10h30 e 14h30; e dia 10 às 16h00 | Sala Principal

Preços: Escolas 3 Euros // Famílias: Geral 6 Euros e 4 Euros p/ Menores de 12 anos

60 MIN. | M/3
«A partir dos Lusíadas, de Luís de Camões, relata-se a aventura das Descobertas Portuguesas. Mas aqui, nesta aventura, a personagem principal chama-se A Coragem. Esta é, pois, a história dos perigos porque passa a viagem da Senhora Coragem, perigos e aventuras relatados por O Poeta - Camões, pois claro.

Os perigos da viagem são personificados pela personagem A Monstra que, afinal, não é tão má como parece - como se vê no desenlace. A Senhora Coragem vence A Monstra e, mais do que tudo, ignora e vence O Pessimista. Ultrapassando doenças e tempestades consegue concluir, com sucesso, a viagem  - e descobre assim um novo mundo. É O Poeta - Camões - que relata e celebra este grande acontecimento.

No final, O Poeta lembra que, quem levar consigo O Pessimismo, nunca chegará ao outro lado.»
Ficha Artística:

Título: “A Coragem e o Pessimismo - Uma grande aventura que Camões relatou”. Música: Jorge Salgueiro. Libreto: Gonçalo M. Tavares. Encenação: Guilherme Mendonça. Direcção Musical e Artística: António Vassalo Lourenço. Cenografia – Kim Cachoupo. Figurinos – Clara Bento

Desenho de Luz – Dino da Costa. Produção e Conceção Pedagógica: Foco Musical. Coprodução: Associação Musical das Beiras/Estúdio de Ópera do Centro /Foco Musical.

RADICAL WRONG

Coreografia Wim Vandekeybus. Produção Ultima Vez (BE)

Dia 17 Março | 21h30 | Sala Principal

Preço único: 10 Euros

90 MIN. | M/14
Coreógrafo, fotógrafo, realizador e ator. O nome Wim Vandekeybus fala por si, tendo criado inúmeras performances, filmes, produções e trabalhado com aclamados elencos internacionais, confronta-nos com dilemas duros, misturando a dança e a música quase sempre em diálogos combativos e desafiantes. Radical Wrong, a sua última criação, é uma antiperformance. 

Um espetáculo que pretende apelar aos jovens entusiastas de hoje, com um aberto desafio à experimentação, ao contacto com diferentes contextos, pessoas, géneros, disciplinas e formas de movimento. Um espetáculo que se faz da sua contínua procura de identidade, sem receio de cometer erros, porque, afinal, é precisamente essa a sua força.


Ficha Artística:

Direcção, Coreografia e Cenografia Wim Vandekeybus. Criação e interpretação Maté Mészáros, Bénédicte Mottart, Melkorka Sigridur Magnusdottir, Damien Chapelle, Dymitry Szypura, Ricardo Ambrozio, Tanja Marín Fridjónsdóttir, Zebastián Méndez Marín, Thi-Mai Nguyen, Julio Cesar Iglesias Ungo. Assistente artistico e dramaturgia Greet Van Poeck, David Dusa. Assistente de Movimento Iñaki Azpillaga. Coprodução Cultuurcentrum Hasselt, Krokusfestival. ULTIMA VEZ é apoiada por the Flemish Authorities & the Flemish Community Commission of the Brussels Capital Region. Créditos Fotográficos Pieter-Jan De Pue



À MANEIRA DE LABAN

Oficina Dança Crianças de Leonor Barata

Dia 18 Março | 11h00

Preço Oficina: 6€ (Criança + Adulto).

90 MIN. | M/4
À Maneira deles, agora! O que propomos agora é a continuação do projecto “À Maneira Delas” desenvolvendo o lado masculino da dança do inicio do séc. XX e fazendo o percurso revisitando Vaslav Nijinski (1889-1959), Rudolf Laban (1879-1958) e Merce Cunningham (1919-2009): À maneira deles agora! A premissa mantém-se: utilizar os seus métodos explorando em simultâneo o seu universo de criação e as suas biografias.

Laban

É sem dúvida o grande teorizador deste início de século. Criador e coreógrafo, mas também pedagogo e investigador, é uma referência incontornável em qualquer história da dança. Exploraremos sobretudo a sua relação com o espaço e com o movimento do coro, situando-o em termos de contexto social e dos movimentos físicos dos operários.



CONCERTO PRIMAVERA

Pelo Conservatório de Música de Aveiro. Concerto Solidário a favor das Florinhas do Vouga – Aveiro – IPSS.

Dia 21 Março | 18h00 | Sala Principal

Preço único: 2 Euros

60 MIN. | M/3

A FUGA

De Jordi Galcerán. Tradução Joaquim Monchique. Com Maria Rueff, José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto e Sónia Aragão.

Dia 24 Março | 21h30 | Sala Principal

Preço: 1ª Plateia - 15 Euros, 2ª Plateia - 12,5 Euros, 1º Balcão - 10 Euros, 2º Balcão - 8 Euros

100 MIN. | M/12

Comemorações do Dia Mundial do Teatro
Um ministro demite-se na sequência de um escândalo de corrupção que lhe destrói a carreira política. A sua mulher foge com o jornalista que revelou o caso. O caos instalou-se na vida de Vicente Calado que considera tomar medidas definitivas quando uma vendedora ambulante lhe bate à porta.

Com uma vida dura, esta mulher é alegre e dinâmica. A força com que luta contra as adversidades diárias tornam-na diferente de qualquer outra mulher que conheceu. O seu encanto conquista-o, levando-o à esperança por dias melhores e à paixão.

Mas, esta mulher não vem só e, de uma só vez, Vicente conhece um marido violento e infiel, um pai paralítico e mudo e uma prostituta. Todos juntos, transformam-lhe a vida, fazendo-o protagonista de uma série de incríveis situações.

Nem tudo o que parece, é nesta comédia que apenas pode terminar de forma...surpreendente!

 

Ficha Artística:

Autor Jórdi Galcerán | Encenação Fernando Gomes | Tradução Joaquim Monchique | Cenografia Eric Costa | Figurinos Dino Alves | Desenho de Luz Paulo Sabino | Música Alexandre Manaia. Interpretação Maria Rueff,  José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto, Sónia Aragão



DIA MUNDIAL DO TEATRO

Comemorações do Dia Mundial do Teatro – Teatro Aveirense

Dia 27 de Março



Programa:

Visitas Guiadas – Serviço Educativo

Manhã e Tarde | Vários espaços

Entradas gratuitas e mediante reserva



+

Visita Encenada

21h30 | Vários espaços

Por DAVID Q. 60 MIN / M/12

Entradas gratuitas e mediante reserva
Visita Encenada” é uma visita guiada pelos espaços do Teatro Aveirense e, simultaneamente, um espectáculo. Um objecto que procura o equilíbrio subtil dos conceitos de Visita e de Encenação sem deixar que o público perca a noção de visita, como elemento real, e simultaneamente remetê-lo para um espectáculo, como elemento ficcional; um percurso no teatro e a exploração, através do corpo, do texto e da encenação, de espaços que transportam consigo variadíssimas dimensões que importa revelar e/ou ampliar.

“Visita Encenada” é uma viagem pelos espaços do teatro e uma viagem pelo universo literário de alguns dos autores maiores da literatura universal. Neste sentido, procuramos ir ao encontro, também, de alguns textos e autores presentes nos programas de português do ensino básico e secundário. Interessava-nos trabalhar o texto nas suas várias formas narrativas, não só o texto dramático, e autores clássicos e contemporâneos da literatura portuguesa, mas também abrir outras possibilidades de leitura e interpretação a esses mesmos textos.

“Visita Encenada” é um objecto artístico que se relaciona com a nudez e despojamento dos espaços, que prescinde da cenografia e recorre ao apontamento cénico e de guarda roupa e que pretende na sua aparente fragmentação, constituir, na verdade, um todo coerente e apreensível.

CONCERTO PAULO DE CARVALHO

Tour Paulo de Carvalho - 50 Anos de Carreira

Dia 31 Março | 21h30 | Sala Principal

Preços a anunciar.

90 MIN. | M/6
50 ANOS DE CARREIRA não se fazem todos os dias. Uma carreira ímpar de espectáculos, edições discográficas, canções e participação cívica na sociedade.

Por isso, Paulo de Carvalho está a comemorá-los com um espectáculo único onde revisita, com surpreendentes arranjos, os grandes temas da sua vida musical, acompanhado por grandes músicos de uma geração posterior à sua.

O tema que simbolicamente assinala o início da Democracia em Portugal, “E Depois do Adeus”, marca para sempre o homem e o cantor, mas Paulo de Carvalho deu voz a muitos outro temas que várias gerações cantam de cor, como “Gostava dos Vos Ver Aqui”, “Nini dos Meus Quinze Anos”, “Dez Anos”, “Prelúdio (Mãe Negra)”, “Os Meninos de Huambo”, “O Cacilheiro” ou, mais recentemente, “O Meu Mundo Inteiro”.

Ao longo de 50 anos, Paulo de Carvalho notabilizou-se como cantautor, mas deu também voz a alguns dos mais notáveis poetas portugueses, dos quais se destacam Ary dos Santos, José Niza, Fernando Assis Pacheco ou Joaquim Pessoa.

Com uma voz plena de personalidade e um timbre único, Paulo de Carvalho confere a todas as suas músicas um cunho próprio, o que o leva a descobrir e a cruzar géneros e influências musicais. Desde o Fado ao Jazz, da Música Ligeira aos ritmos latinos e africanos, é esta a sua coerência musical.

Paulo de Carvalho, para muitos “A VOZ” dos portugueses e um cidadão notável, é um nome incontornável da música portuguesa.




FIM



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal