Dossier Técnico Pedagógico



Baixar 62.88 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho62.88 Kb.

Dossier Técnico Pedagógico

Projecto: 005295/2008/22

Área de Formação: 481.Ciências Informáticas

Referencial de Formação: 481039.Técnico de Informática

Nível de Formação: 3

Modalidade de Formação: EFA – NS

Local de Formação: Reguengos de Monsaraz


Data: 17-06-09

Título do documento: Proposta de Trabalho CP4 DR4 - Uma nova identidade europeia em construção: o papel da multiculturalidade e da diversidade

Técnico de Formação: Gonçalo Oliveira

Proposta de Trabalho


1


A política mundial está sendo reconfigurada seguindo linhas culturais e

civilizacionais. Nesse mundo, os conflitos mais abrangentes, importantes e

perigosos não se darão entre classes sociais, ricos e pobres, ou entre grupos

definidos em termos económicos, mas sim entre povos pertencentes a

diferentes identidades culturais. As guerras tribais e os conflitos étnicos

irão ocorrer no seio das civilizações. [...].

HUNTINGTON, 1997

. Lê atentamente a seguinte citação.


    1. Indica qual o motivo apontado pelo autor para os próximos conflitos mundiais.

R: O motivo para os próximos conflitos mundiais apontado pelo autor é as diferentes identidades culturais entre povos.
2. Apresenta uma definição de identidade cultural e de uma religião.

Identidade cultural – É o sentimento de identidade de um grupo ou cultura, ou de um indivíduo, na medida em que ele é influenciado pela sua pertença a um grupo ou cultura.

Religião – A Religião (do latim: "religio" usado na Vulgata, que significa "prestar culto a uma divindade", “ligar novamente", ou simplesmente "religar") pode ser definida como um conjunto de crenças relacionadas com aquilo que parte da humanidade considera como sobrenatural, divino, sagrado e transcendental, bem como o conjunto de rituais e códigos morais que derivam dessas crenças.
3. Menciona quais os principais factores de identidade cultural.

R: Os principais factores de identidade cultural são: A História, a língua, os costumes e o modo de vida, a religião, a etnia ou raça.
4. Refere quais as principais formas de relacionamento entre distintas identidades culturais.
R: As principais formas de relacionamento entre distintas identidades culturais é o contacto entre culturas mas sem aquisição de novos elementos, a aculturação e o conflito.
5. De acordo com o seguinte texto, menciona alguns dos conflitos mundiais originados por questões culturais.


Através da História, a expansão do poder de uma civilização geralmente

ocorreu ao mesmo tempo que o florescimento da sua cultura e quase

sempre requereu dela usar seu poder para estender seus valores, práticas

e instituições a outras sociedades. Uma civilização universal requer um

poder universal. [...]. O colonialismo europeu terminou; a hegemonia

norte-americana está retrocedendo. Segue-se a erosão da cultura ocidental,

enquanto se reafirmam costumes, idiomas, crenças e instituições indígenas

com raízes históricas. O crescente poder das sociedades não-ocidentais

produzido pela modernização está gerando um renascimento das culturas

não-ocidentais pelo mundo afora.

HUNTINGTON, 1997, p. 111



R: Alguns dos conflitos mundiais originados por questões culturais foram: Históricos – Ruanda (Utus e tutsis), Nazismo/Judeus, China/Tibete, Colonialismo Africano e Sul-americano pelos Portugueses e Espanhóis. Actuais – Israel/Palestina, Curdos/Turcos, Cartoons/Dinamarqueses, Cristãos/Muçulmanos, Guerra do Véu França.
6. Elabora um documento que sintetize as principais características das 5 principais religiões a nível mundial respeitando os seguintes tópicos de análise:

- Pequena evolução histórica;

- Principal figura religiosa/ fundador;

- Livro sagrado;

- Locais sagrados;

- Principais festividades;

- O Culto;

- Simbologia religiosa;



Cristianismo
Pequena evolução Histórica

O cristianismo é a religião dos que crêem que Jesus Cristo é Filho de Deus, morto e ressuscitado. Jesus nasceu em Belém, teve discípulos que espalharam a sua pregação a partir de Jerusalém. Pedro e Paulo difundiram o cristianismo na Europa. Mais tarde, com Teodósio, o cristianismo é proclamado religião do Estado.  Com a queda do Império romano e superadas as invasões bárbaras, os povos europeus foram abraçando, uns após outros, a religião cristã. Com os Descobrimentos, o cristianismo expande-se pelas Américas, África e Extremo Oriente.



Principal figura Histórica/fundador: Jesus

Livro Sagrado: Bíblia

Locais sagrados: Igrejas cristãs

Principais festividades: O Natal, a Páscoa e o Pentecostes.

O Culto:   Embora diferente nas igrejas católicas, ortodoxa e protestante, encontramos pontos comuns. Todas elas têm um culto privado, que consiste na prática da fé e das obrigações que ela encerra, e um culto público. Este último tem a sua expressão nos Sacramentos, realidades humanas que realizam e manifestam a intervenção de Deus no mundo. O seu número não é igual para todas as formas do cristianismo. Evocando o dia da ressurreição de Cristo, os cristãos celebram o Domingo.

Simbologia Religiosa:
Budismo
Pequena Evolução Histórica

A história do budismo desenvolve-se desde século VI a.C até ao presente, começando com o nascimento de Siddhartha Gautama. Durante este período, a religião evoluiu à medida que encontrou diferentes países e culturas, acrescentando ao fundo indiano inicial elementos culturais oriundos do Helenismo, bem como da Ásia Central, do Sudeste asiático e Extremo Oriente. No processo o budismo alcançou uma expansão territorial considerável ao ponto de influenciar de uma forma ou de outra quase todo o continente asiático. A história do budismo caracteriza-se também pelo desenvolvimento de vários movimentos e cismas, entre os quais se encontram as tradições Theravada, Mahayana e Vajrayana.



Principal figura histórica/fundador: Buda

Livro Sagrado: O Budismo possui uma coleção imensa de livros sagrados chamada Tripitaka. Três são os livros sagrados básicos do Budismo Shin: O Grande Sutra da Vida Imensurável, O Pequeno Sutra ou Sutra de Amida e O Sutra da Contemplação da Vida Imensurável.

Locais Sagrados: Os Templos

Principais festividades: A oferta de flores, velas e pauzinhos de incenso, as estátuas de Buda são honradas de modo particular. Nas de madeira, os fiéis colocam folhinhas de ouro, pronunciando a típica oração budista.

O Culto: O credo budista consiste nas «quatro verdades santas»:
1- Toda a existência é insatisfatória e cheia de sofrimento;
2- Este sofrimento é causado pela ignorância, pelo desejo ardente ou apego – esforço constante para encontrar algo de eterno e estável num mundo transitório;
3- O sofrimento ou insatisfação pode-se superar na totalidade – é o Nirvana;

4- Consegue-se alcançar a nirvana seguindo o nobre cominho das Oito Vias: (estas oito vias não têm de ser seguidas por um ordem estabelecida)


Simbologia Religiosa:


Hinduísmo
Pequena evolução Histórica

No terceiro milénio a.C. havia, junto dos rios Indo e Ganges, uma civilização já bastante avançada. Entre 2000 e 1500 a.C. o povo ariano destrói essa civilização e estabelece ali a religião védica. Veneram muitos deuses. Entretanto aparecem os Upanishadas que forneceram uma nova direcção para a tradição védica. O seu estudo deu lugar ao bramanismo (religião dos sacerdotes, Brâhmanes) e depois, no início da nossa era o hinduísmo.



Principal Figura Histórica/fundador: Vishnu

Livro sagrado; Vedas (Palavra sânscrita que significa "conhecimento divino"). Os Vedas são hinos escritos em sânscrito arcaico do séc. XII ao V a.C. e foram cinco colecções ou Samhita, que teriam sido reveladas por Brama aos rishi, ou sábios: é o "shruti", ou revelações. Divide-se em:

Rig-Veda – ou veda das estrofes, composto por mil e vinte e oito hinos dirigidos à divindade;

Yajur-Veda – ou Veda das fórmulas sacrificais, composto por cinco colecções de formulação poética;

Sarna-Veda – ou Veda das melodias compreende muitas estrofes acompanhadas quase sempre por notações musicais arcaicas para uso dos cantores.

Atharva-Veda – ou dos contos mágicos, composto por trechos cosmogónicos e místicos.

Os Vedas foram comentados, explicados e completado por outras obras.       



Brâma – Série de livros que servem de comentários explicativos aos Vedas e de guia aos sacerdotes nos sacrifícios. Os mais antigos parecem situar-se no séc. VII a.C.

Upanixade – Comenta as Vedas. São textos de doutrina oculta, compostos entre o VII a.C. e a época medieval que contêm, de forma não sistematizada, os temas fundamentais filosofia indiana.

Mahabharata – Longo poema escrito ao longo de alguns séculos; é constituído por fébulas e dissertações morais sendo a mais célebre a Baghavadgita, ou canto de Bem-aventurado. Fundamento particular de devoção a Krisna, ensina a conduta correcta.

Ramayana – E o mais antigo poema épico-religioso. Compõe-se de 50000 versos e conta as aventuras do herói Rama, encarnação de Vixnu.

Locais sagrados; Templos

Principais festividades; Uma religião com tantos deuses tem festas inumeráveis – mais de 40 por ano, variando segundo as regiões. Embora sendo difícil citá-las, indicando as principais

Durga-puja – É a festa em honra de Durga, deusa da fecundidade, esposa de Xiva. Celebra-se em Outubro – Novembro. São dez dias de procissões e cerimónias, nos templos.

Sivaratri – Em Fevereiro, em honra de Xiva, os fiéis decoram os templos e passa lá a noite.

Diwalí – Celebra-se em Outubro – Novembro, na lua nova, em honra de Lakshmi, deusa da prosperidade e da felicidade, É a festa das luzes. Vêem-se lâmpadas, por todos os lados, nos templos, nas casas, nos caminhos, no mar...

Holi – Em Fevereiro – Março, com danças e procissões, festeja a Primavera, a fecundação, o deus do amor.

O Culto; Os actos da vida dos hindus revestem-se dum carácter sagrado e devem obedecer a ritos precisos, públicos ou privados

A oração deve fazer-se, pelo menos duas vezes por dia, ao nascer e pôr-do-sol.

Recitam-se textos dos Vedas e oferecem-se flores e fogo à divindade a que se presta homenagem.

    Existem os brâmanes, sacerdotes que consagram a sua vida aos deuses.

Muitos ritos e festas doméstica acompanham a vida, desde a sua concepção até à morte, passando pelo dom do nome, iniciação religiosa (entre os oito e dez anos), casamento...
Simbologia religiosa;


Judaísmo
Pequena evolução histórica

A história do Judaísmo começa com o chamado de Abraão, que por volta de 1850 a.C. deixou a Síria para se estabelecer na terra de Canaã, actual Israel. Com a morte de Abraão, Jacob e os seus 12 filhos emigraram para o Egipto à procura de melhores condições de vida e de pastagens para os animais. Com o passar do tempo, foram tratados como escravos e obrigados a construir cidades e silos para armazenagem do cereal.

A escravidão durou até 1300 ou 1200 a.C. quando, guiado por Moisés, o povo judeu conseguiu libertar-se e, passando através do Mar Vermelho, regressaram novamente a Canaã.

A história do povo Judeu é também uma história de diásporas, isto é, de exílios.

Entre 500 a.C. e 100 d.C., sucederam-se, em Israel, as dominações estrangeiras: primeiro os babilónicos, depois os persas, depois Alexandre Magno, os remos gregos, e por fim os Romanos. Nos séculos seguintes, a diáspora continuou cada vez mais intensa. Os livros da história recordam a expulsão dos Judeus de Espanha, em 1494 e o extermínio pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Principal figura religiosa/ fundador; Abraão

Livro sagrado; O principal livro sagrado, a Torá, consiste nos primeiros cinco livros da Bíblia hebraica. As leis básicas da vida judaica nela se encontram. Também se considera sagrada uma coletânea de comentários eruditos sobre a Torá, chamada Talmude.

Locais sagrados; Muro das lamentações.

Principais festividades; - O dia do perdão – «Yom Kippur» – festa de jejum e de expiação. Cada judeu deve estender ao seu inimigo a mão da reconciliação, esquecendo as ofensas e pedindo desculpas.

- A festa da Páscoa – «Pessah» – recorda a saída do povo hebraico do Egipto, guiado por Moisés. Prolonga-se por oito dias.

- A festa do Pentecostes – «Shavuot» – recorda a Dom da Torá (Dez Mandamentos), dada por Deus a Moisés, no monte Sinai.

O Culto; Os judeus devotos vão à sinagoga três vezes ao dia.

- De manhã e à noite, recitam a afirmação básica do judaísmo, Shemá, parte da Torá.

- O Shabat, dia de descanso, é o cerne da semana. Começa ao pôr do sol da sexta-feira, quando se acendem as velas, seguidas por preces e uma refeição em família.

Simbologia religiosa;


Islamismo
Pequena evolução histórica

Islam, em árabe significa submissão à vontade de Deus e os muçulmanos são os adeptos desta fé. É uma religião iniciada na Arábia por Maomé. Maomé nasceu em Meca (Arábia Saudita) entre os anos 570 e 580 d.C. filho de pais pobres, ficou órfão muito cedo tendo de trabalhar como pastor. Entretanto entrou ao serviço de uma viúva rica, como condutor de camelos. Impressionada pela sua inteligência e beleza, casa com ele apesar de muito mais novo.


 A sua vida de comerciante rico alterou-se profundamente ao ser alvo de visões numa caverna perto de Meca, numa noite de 611. O próprio Anjo Gabriel, aparecendo-lhe numa nuvem de luz, anuncia-lhe que ele é o profeta de Allah (nome árabe de Deus). Iniciou então as suas pregações, as quais foram alvo de tremendas contestações por parte dos habitantes da sua terra natal. Prega contra o politeísmo e a idolatria. Perseguido, Maomé fugiu para Latrebe, actual Medina e cidade rival de Meca. A esta fuga deu-se o nome de Hégira. Estávamos então no ano 622 d.C. Esta data constitui o início da contagem cronológica islâmica. Lá, depressa se tomou importante a nível político, social, e militar. E em 630, conquistou pela força Meca, tendo-a reconhecido como lugar de peregrinação.

Principal figura religiosa; Alá

Livro sagrado; O Alcorão (leitura ou recitação) é o livro que contém as revelações do arcanjo Gabriel feitas ao profeta Maomé. Ensina preceitos religiosos, dogmas e moral. Consta de 114 capítulos (suras). Contém não só louvores e alusões às características de Allah como também descrições do paraíso e juízo final, lendas judaicas e cristãs e normas sociais.

Locais sagrados; A cidade de Meca, onde fica a pedra negra, também conhecida como Caaba. A cidade de Medina, local onde Maomé construiu a primeira Mesquita (templo religioso dos muçulmanos). A cidade de Jerusalém, cidade onde o profeta subiu ao céu e foi ao paraíso para encontrar com Moises e Jesus.

Principais festividades;  Aid es-Seghír – Esta festa dura três dias e realiza-se no mês de Chawwál. Celebra o fim do jejum e dá ocasião às pessoas de se encontrarem, trocar prendas e desejarem votos de felicidade.

Achura – Significa "o décimo" – é no dia 10 do mês de Muharram. Foi nesse dia que Deus teria criado Adão e Eva, tal como o Paraíso e o Inferno. É um dia de jejum, mas à tarde, os crentes, fiéis às tradições, comem uma espécie de gelado composto de toda a espécie de frutos secos. São precisas 40 espécies de ingredientes e coze, em fogo brando, horas e horas.

Aíd eI-Adha - A seguir ao Ramadão, a festa mais importante é a do Sacrifício. É semelhante àquela. Responde a uma das prescrições do Corão. Este manda sacrificar animais, segundo os ritos sagrados, para agradecer ao Senhor que multiplicou os animais úteis ao ser humano. Algum tempo antes da festa, chegam rebanhos às cidades e os vendedores conduzem-nos de rua em rua até venderem tudo. Depois de comprado o carneiro, é lavado, escovado, ornamentado com fitas. Depois é morto. A sua carne é distribuída pelos pobres. O proprietário apenas guarda os miúdos. Esta festa celebra o holocausto oferecido a Deus por Abraão.

Mouloud - Os muçulmanos celebram no dia 12 do mês de Rabiul-awwal o nascimento de Maomé. Nesse dia, os crentes vão às mesquitas e ouvem a vida do profeta. Os ricos distribuem esmolas e oferecem um animal em sacrifício. É também costume nesse dia ir aos túmulos dos parentes mais próximos. Na Turquia, por causa das lâmpadas que ornam as mesquitas à noite, chama-se "noite das lâmpadas".

  O Culto; Os muçulmanos têm cinco obrigações fundamentais:

- Profissão de fé na unidade de Deus, Allah, e a missão do Profeta Maomé, emitindo repetidamente que “Não há outra divindade senão Allah e Maomé é o seu Profeta” («Lã ilãh illã'llah Mohammad rasoul Allãh»).

- Oração feita 5 vezes por dia, ajoelhando num tapete, voltado para Meca. A oração é um acto de adoração a Allah. As roupas e o corpo devem estar limpos de todas as impurezas. Além disso, no homem, a parte do corpo entre o umbigo e os joelhos deve estar tapada e, na mulher, só as mãos e a cara poderão estar destapadas.

- Esmola islâmica (zakat) – é a quantia, em géneros ou em dinheiro, que o Muçulmano que possui meios deve distribuir entre os necessitados. O zakat é obrigatório para quem tem em seu poder, durante um ano, ouro com o peso mínimo de 88 gramas ou prata como peso mínimo de 612 gramas.

- Jejum do Ramadão – é o acto de se abster de comer, beber, fumar, etc. durante um mês, desde o nascer até ao pôr do sol. Estão dispensadas as crianças, os dementes, os inválidos, os idosos e os fracos. O viajante, o doente ou a mulher que amamenta, podem adiar este jejum. É feito no mês de Ramadão, mês em que Allah revelou o Alcorão.

- Peregrinação a Meca – Deve fazer-se uma vez na vida, se as circunstâncias o permitirem, isto é, se estiverem em condições físicas e materiais para empreenderem a viagem. Lá, devem dar sete voltas à Caaba.
Simbologia religiosa;



Vanessa Miguelito

A consultar:



http://religioes.home.sapo.pt/

http://emrcevora.no.sapo.pt/wq1/

http://www.jornaldesites.net/temas/religioes.php
















Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal