Duração: 25 horas. Créditos: 1 crédito. N.º de acreditação



Baixar 43.11 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho43.11 Kb.








Ação de Formação


História e Desenvolvimento do Pensamento Crítico



Formadora

Mestre Helena Romão


Modalidade: Curso de Formação.

Duração: 25 horas.

Créditos: 1 crédito.

N.º de acreditação: CCPFC/ACC-83440/15.

Público-alvo: Professores do Grupo 200 do 2º Ciclo e do Grupo 400 do 3º Ciclo do Ensino Básico.

Para os efeitos previstos no art.º 5º do RJFC de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 200 do 2º Ciclo e do Grupo 400 do 3º Ciclo do Ensino Básico.

Para efeitos de aplicação do nº 3º do artigo 14º do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente acção releva para a progressão em carreira.

Organização: Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão.

Local de realização: Escola Secundária de Tondela

Inscrição: Até ao dia 8 de janeiro de 2016 em http:/cfaeplanaltobeirao.webege.com/.








    1. DA AÇÃO

Com a globalização, os progressos do conhecimento científico e das tecnologias são constantes, num processo de mutabilidade gigante e generalizado que torna impossível aos sistemas educativos delinearem skills e concetualizarem a preparação necessária ao aluno e ao profissional do século XXI.

Assim, consideram os estudiosos da educação, a nível mundial, que a única preparação consistente para um processo de autorregulação e autoaprendizagem consistirá no desenvolvimento de skills do pensamento crítico que, enquanto ferramenta versátil, permitirá e potenciará as capacidades de adaptação ao meio, num processo crítico e criativo constante impossível de se conseguir com um ensino do currículo/metodologia tradicional.

Também a heterogeneidade da escola atual (com alunos de diferentes contextos e diferentes estilos de aprendizagens que as neurociências vêm descobrindo), coloca cada vez mais desafios pedagógico-didáticos aos docentes que perseguem o sucesso educativo para todos os seus alunos.

Indubitavelmente, este contexto obriga o docente a uma constante atualização concetual, pedagógica e didática a qual lhe permitirá repensar/reformular a sua prática letiva e responder tanto às exigências desta realidade institucional e social (nacional e internacional) como às reais necessidades cognitivas e aos novos interesses dos alunos.

As caraterísticas críticas dos métodos historiográfico e didático, da disciplina de História (integradora de um real total), fazem com que seja esta a disciplina que mais se vocaciona para a promoção destas competências nos alunos, sem que se omita que estas são ferramentas transversais interessantes para qualquer disciplina.

Assim, o desenvolvimento de estratégias no âmbito do Pensamento Crítico nos contextos de aprendizagem em geral e na didática específica da História terá como destinatários os grupos de recrutamento seguintes: Português e Estudos Sociais-História (200) e História (400).

Esta ação propõe-se ser um local de atualização, reflexão e partilha de saberes teórico-práticos sobre as práticas letivas respondendo às atuais exigências da concetualização, reflexão crítica, planificação, implementação e avaliação das experiências de aprendizagem nas aulas de História.


    1. OBJETIVOS

  • Incrementar o conhecimento dos docentes sobre definição e elementos do Pensamento Crítico;

  • Promover a reflexão crítica dos docentes acerca da sua prática didático-pedagógica em contexto de sala de aula e promover uma mudança conceptual que tenha reflexo nos skills a desenvolver no aluno do século XXI;

  • Promover nos docentes a capacidade de planificar uma prática docente orientada para o desenvolvimento do Pensamento Crítico nos discentes;

  • Identificar e produzir materiais de vária índole para apoio à promoção do Pensamento Crítico;

  • Planificar/produzir experiências de ensino/aprendizagem a serem desenvolvidas pelos professores nas suas aulas considerando a promoção do Pensamento Crítico num “Think outside the box”;

  • Aplicar, se possível, ao contexto escolar algum dos materiais produzidos tentando avaliar a sua eficácia de acordo com os objetivos do Pensamento Crítico.

  • Experienciar, na prática da ação, o uso de ferramentas do Pensamento Crítico e, de um modo geral, o uso de rigor e eficácia na produção do trabalho e na comunicação. Metodologias aplicáveis à disciplina de história. (Um exemplo: o método dos 6 chapéus);

  • Produzir atividade(s) de avaliação do Pensamento Crítico;




    1. CONTEÚDOS

  1. Pensamento Crítico

a) Definição(ões) de Pensamento Crítico;

b) Elementos constituintes do Pensamento Crítico;

c) O Pensamento Crítico nos skills necessários ao aluno do século XXI.


  1. Práticas promotoras do Pensamento Crítico:

a) no método historiográfico;

b) na prática pedagógico-didática da aula de História - diagnóstico;



  1. Materiais e atividades/estratégias eficazes na promoção do Pensamento Crítico a usar em

sala de aula – a importância do uso de fontes primárias;

      1. fontes de testemunhos diretos (carta, desenho, música);

      2. fontes da vida real e quotidiana.

  1. A sala de aula do século XXI; - Materiais e recursos nos e-manuais e online;

  2. Produção de materiais de vária índole para apoio à promoção do Pensamento Crítico;

  3. Planificação/produção experiências de ensino/aprendizagem considerando a promoção do

Pensamento Crítico num “Think outside the box”;

  1. Trabalho prático com as ferramentas do Pensamento Crítico com o uso de rigor e eficácia

na produção do trabalho e na comunicação. Metodologias aplicáveis à disciplina de

história; (Um exemplo: o método dos 6 chapéus);



  1. Avaliação do pensamento crítico.


4. METODOLOGIAS

Sessões 1 e 2

Exploração de ideias prévias (brainstorming) e registo;

Exposição de natureza concetual;

Questionamento/debate crítico, seguindo metodologias do Pensamento Crítico com

diagnóstico de práticas;

Sessão 3

Exploração de ideias prévias;

Exposição de natureza concetual;

Questionamento/debate crítico, seguindo metodologias do Pensamento Crítico com

diagnóstico de práticas;

Análise de casos práticos: um e-manual;

Análise de materiais e recursos online;

Reflexão Crítica.

Formação de grupos de pares para construção de um exemplo prático do uso de um

material para Promoção do Pensamento Crítico.



Sessões 4 e 5

Exploração de ideias prévias;

Exposição de natureza concetual;

Questionamento/debate crítico, seguindo metodologias do Pensamento Crítico com diagnóstico de práticas;

Formação de grupos para trabalho com um exemplo prático do uso do método dos 6

chapéus para Promoção do Pensamento Crítico – Reflexão Crítica.




Sessão 6

Exploração de ideias prévias;

Exposição de natureza concetual;

Análise de casos práticos: itens de um teste e o questionamento oral;

Questionamento/debate crítico, seguindo metodologias do Pensamento Crítico com

diagnóstico de práticas;




  1. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Será tido em consideração:

- Cumprimento da obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais;

- Trabalhos práticos e reflexões efetuadas, a partir das e nas sessões de acordo com os

critérios:

- Participação e realização/conclusão das tarefas nas Sessões 25%;

- Assiduidade/Pontualidade, produção de trabalhos e/ou Materiais e/ou procedimentos,

aplicação em contexto escolar, o rigor, eficácia e boa comunicação 60%;

- Reflexão crítica 15%.

- Classificação na escala de 1 a 10, com a menção qualitativa de:

1 a 4.9 valores - Insuficiente:

5 a 6.4 valores - Regular

6,5 a 7.9 valores - Bom

8 a 8.9 valores - Muito Bom

9 a 10 valores – Excelente.


6. CRONOGRAMA

A ação terá o seguinte cronograma:




Mês

Dias

Horário

Nº de Horas

janeiro

16 e 23

9.00-12.30 - 14.00-17.30

14

fevereiro

13

9.00-12.30 - 14.00-17.30

7

20

9.00-13.00

4

Total de horas

25

7. CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Será tido em consideração:



  1. Professores do Grupo 200 do 2º Ciclo e do Grupo 400 do 3º Ciclo do Ensino Básico em exercício de funções nas escolas associadas do CFAE-PB;

  2. Professores do Grupo 200 do 2º Ciclo e do Grupo 400 do 3º Ciclo do Ensino Básico em exercício de funções noutras escolas;

  3. Ordem de inscrição.


8. INSCRIÇÕES

O original da ficha de inscrição tem de ser entregue ou enviada para o CFAE do Planalto Beirão

até dia 8 de janeiro de 2016.

Os interessados na participação da ação, entram na página do Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão (http://cfaeplanaltobeirao.webege.com/).

Na homepage, na divulgação desta ação, clicam no Inscreva-se já. Vai abrir um formulário de inscrição, onde terá que preencher todos os campos do formulário e por fim clica no botão Imprimir. A impressão obtida tem de ser confirmada pelos Serviços de Administração Escolar da respetiva Escola, assinada pelo Diretor e carimbada.


Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - CFAE dos Concelhos de Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão e Tondela Sede: Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro (Esc. Sec. C/3ºCiclo de Tondela); Rua Dr. Amadeu Ferraz de Carvalho, 3460-521 Tondela Tel: 232 822 121; Fax: 232 814 149; E-mail:cfaeplanaltobeirao@gmail.com; Site: cfaeplanaltobeirao.webege.com; Moodle: moodle.esev.ipv.pt/planaltobeirao; Facebook: cfaeplanaltobeirao



Página de



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal