Em torno da casa



Baixar 27.58 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho27.58 Kb.
Exercicios/Grécia

1) O nome perieco, em grego [perioikos], significava morador “em torno da casa” e servia para designar uma classe com várias obrigações de Estado, entre elas a do serviço militar. Com base nestas obrigações estatais dos periecos em Esparta antiga, é correto afirmar que estes homens socialmente eram reconhecidos como:

a) cidadãos espartanos que cumpriam o dever cívico desde o nascimento, servindo como guerreiros e sustentando a ordem dentro e fora da militarizada cidade-Estado de Esaprta.

b) homens livres, mas com direitos limitados, estando politicamente submetidos aos esparciatas, os cidadãos espartanos, os quais definiam o lugar dos periecos na guerra

c) trabalhadores servos, presos à terra e sem direitos políticos, estando sob a autoridade direta dos hilotas, os cidadãos espartanos, que os levavam para a guerra como escravos.

d) escravos de uma categoria superior a dos hilotas. Os periecos recebiam alforria com mais facilidade e não podiam ser maltratados por seus senhores, pois serviam na guerra

e) pequenos proprietários rurais que ganharam cidadania espartana depois da guerra do Peloponeso, quando Esparta teve que convocar mais homens além dos seus cidadãos.

2) Temos um regime que nada tem a invejar das leis estrangeiras. Somos, antes, exemplos que imitadores. Nominalmente, como as coisas não dependem de uma minoria, mas, ao contrário, da maioria, o regime se denomina democracia. No entanto, se, em matéria de divergências particulares, a igualdade de todos diante da lei é assegurada, cada um, em virtude das honras devidas à posição ocupada, é julgado naquilo que pode ocasionar sua distinção: no que se refere à vida pública, as origens sociais contam menos que o mérito, sem que a pobreza dificulte a alguém servir à cidade por causa da humildade de sua posição (...)

 

Uma pessoa pode, ao mesmo tempo, ocupar-se de seus assuntos e dos do Estado e a multiplicidade das ocupações não impede o julgamento dos assuntos públicos. Somos os únicos a taxar, efetivamente, aqueles que não fazem parte dos ativos, mas dos inúteis.



Tucídides, História da Guerra do Peloponeso.

Tratando da democracia ateniense, o autor destaca, nesse texto:

a)a influência que outros modelos políticos exerceram sobre Atenas;

b)    a importância do princípio da isonomia entre os cidadãos.

c) seu desprezo por aqueles que se dedicavam à vida pública;

d) o critério censitário que determinava a participação política;

e) a influência que outros modelos políticos exerceram sobre Atenas;
3) Ao povo dei tantos privilégios quantos lhe bastam à sua honra; nada tirei nem acrescente; mas os que tinham poder e eram admirados pelas riquezas, também neles pensei que nada tivessem de infamantes... Entre uma e outra facção, a nenhuma permitiu vencer injustamente. (Sólon, século VI a.C.)

No governo de Atenas, o autor procurou:

a) Restringir a participação política de ricos e pobres, para impedir que suas demandas pusessem em perigo a realeza

b) Impedir que o equilíbrio político existente, que beneficiava a aristocracia, fosse alterado no sentido da democracia.

c) Permitir a participação dos cidadãos pobres na política para derrubar o monopólio dos grandes proprietários de terras.

d) Abolir a escravidão dos cidadãos que se endividavam, ao mesmo tempo em que mantinha sua exclusão da vida política.

e) Disfarçar seu poder tirânico com concessões e encenações que davam aos cidadãos a ilusão de que participavam da política.

4) Através da cultura, a sociedade humana constrói seu conhecimento sobre a natureza e procura decifrar os mistérios do universo. A produção cultural foi um dos Destaques da Grécia na Antiguidade. Na época, o teatro grego:

a) conseguiu sintetizar as preocupações religiosas da sociedade, criticando as concepções mitológicas dominantes

b) teve suas encenações ao ar livre bastante admiradas, com atores do sexo masculino, usando máscaras nas representações.

c) divertiu o povo com suas comédias cheias de ironia filosófica, evitando a representação de temas sobre as angústias humanas.

d) representou a vida confusa dos deuses gregos, contribuindo para esvaziar o poder dos mitos e da aristocracia.

e) foi à expressão das preocupações filosóficas do seu povo, divulgando uma ética democrática sem ligações com a religião.
5) No período clássico grego (Séc. V–IV a.C) Atenas com sua ordem democrática, seu desenvolvimento econômico e sua expansão pelo mar Egeu, destacou-se como a mais importante entre as cidades-estados da Grécia antiga. O fortalecimento grego-ateniense apoiado numa forte política expansionista deflagrou inúmeros conflitos com o Império Persa, outra potência que disputava com os Gregos o controle da Jônia (região costeira da Ásia Menor). Posteriormente, deflagraram-se as guerras entre as polis gregas contra a hegemonia ateniense, fortalecida ainda mais após as guerras com os Persas. Dessas lutas entre cidades-estados, a derrota de Atenas significou o declínio da sociedade grega clássica.

A quais acontecimentos, respectivamente, se refere o texto acima?

Assinale a alternativa correta.

a) Guerras Médicas e Batalha de Pelusa.

b) Guerra do Peloponeso e Batalha de Pelusa.

c) Guerras Púnicas e Guerra do Peloponeso

d) Guerras Médicas e Guerra do Peloponeso.

e) Guerras Médicas e Guerra do Peloponeso.

6) Atenas viveu, após as reformas implementadas por Clístenes em 508 a.C., sob um regime democrático. As reformas na distribuição dos cidadãos por tribos, ampliadas de 4 para 10 e a repartição de cada tribo em três demos, um na cidade, um no litoral e outro na área rural, foram as bases para as reformas posteriores. Sobre o assunto, assinale a afirmativa incorreta:

a) O ostracismo, aplicado pela primeira vez no período 488 – 487 a.C., estabelecia a expulsão do cidadão denunciado como politicamente perigoso e a cassação de seus direitos políticos por um prazo de dez anos.

b) Entre as reformas implementadas por Péricles, a criação da mistoforia – remuneração ao exercício de cargos e à participação nas assembléias – permitiu que os cidadãos mais pobres pudessem participar da política sem colocar em risco a sua subsistência material.

c) Todos os habitantes de Atenas, maiores de dezoito anos, de qualquer gênero, de qualquer procedência, ou de qualquer classe de riqueza podiam votar na assembléia popular – Eclésia.

d) Na Atenas do século IV a.C., a Eclésia era o centro de vida política, englobando entre suas funções as dimensões legislativa, executiva, judiciária e eleitoral.

e) Ao longo do século IV a.C., a democracia ateniense enfrentou dificuldades para manter suas instituições, dentre elas as advindas do volume de recursos para sustentar as remunerações dos cidadãos, como a mistoforia.


7) Na sociedade espartana, o hilotismo era elemento constitutivo de sua organização social. Sobre os hilotas, assinale o que for correto:

1  

Eram responsáveis pelo comércio e artesanato locais.




2  

Eram respeitados pela classe dominante espartana, tendo a possibilidade de acumular pequenas fortunas com as quais comprovam títulos de cidadania.




4  

Eram submetidos aos kriptios, forma de repressão e extermínio, para impedir o crescimento demográfico e rebeliões.




8  

Constituíam a camada




São Corretas:
8) O conjunto das reformas políticas que se encontravam na origem da polis dos lacedemônios estava reunido em um documento proveniente do

oráculo de Delfos denominado “Grande Retra”, muito provavelmente um decreto-lei primitivo, anterior ao século VI a.C., sobre o governo espartano.

De acordo com esse documento: 

A respeito da organização política de Esparta no período

clássico (séculos V e IV a.C.), não é correto afirmar que:

a) o corpo cívico era constituído por indivíduos de sexo

masculino, nascidos de pai e mãe espartanos, os

assim denominados homoioi ou “iguais.

b) a polis era uma oligarquia que, de modo atípico,

conservava a instituição da realeza, representada

por dois reis escolhidos entre as famílias mais

importantes, os quais eram obrigados a jurar lealdade

à constituição espartana.

C) o Estado espartano regulava estritamente o sistema

educacional dos cidadãos, razão pela qual as crianças

do sexo masculino eram, aos 7 anos de idade,

retiradas do convívio familiar para receberem uma

formação militar coletiva.

d) o conselho espartano (gerúsia) era formado por trinta

membros, cabendo-lhe a tarefa de elaborar os projetos

de lei a serem submetidos à assembléia, e atuava

como a mais alta instância da justiça criminal.

e) a assembléia espartana (ecclesia), da qual fazia parte

o conjunto da população da Lacedemônia (espartanos,

periecos e hilotas), era soberana sobrepondo-se à

capacidade decisória da gerúsia.


9) Denominamos de “civilização helenística” à civilização que resultou:

a) da unificação cultural do Oriente, após as conquistas de Ciro.

b) da fusão de elementos culturais gregos e persas, ao fim das Guerras Médicas;

c) da fusão de elementos culturais atenienses e espartanos ao fim da Guerra do Peloponeso.

d) fusão dos elementos culturais gregos e romanos nas áreas conquistadas por Roma.

e) da fusão de elementos culturais gregos e orientais nas regiões conquistadas por Alexandre Magno.

10) A conseqüência mais aparente das invasões foi a destruição quase integral da civilização micênica. No espaço de um século, as criações orgulhosas dos arquitetos aqueus, palácios e cidadelas, não são mais do que ruínas. Ao mesmo tempo vemos desaparecer a realeza burocrática, a escrita, que não passava de uma técnica de administração, e todas as criações artísticas...” (Pierre Lévèque, A aventura grega.)
O texto refere-se às invasões:

a) Persas

b)germânicas.

c)macedônicas.

d)dóricas

e)cretenses.



Gabarito:

1)B


Comentário: Os periecos dedicavam-se principalmente ao comércio e ao artesanato. Descendiam dos povos conquistados pelos esparciatas e não tinham direitos políticos nem participavam dos órgãos do governo, mas pagavam impostos ao governo.
2)B

Comentário: Todos os cidadãos têm o mesmo direito perante as leis. Essa igualdade de direito era chamada pelos atenienses de isonomia.

3)B

Comentário: Sólon dividiu a sociedade de forma censitária, ou seja, de acordo com a renda de cada indivíduo, possibilitando a ascensão dos demiurgos que eram os homens enriquecidos pelo comércio.


4)B

Comentário: A encenação das peças era feita exclusivamente por atores masculinos que usavam máscaras e representavam também personagens femininos, que deram origem às grandes obras do teatro ateniense.


5) E

Comentário: A guerra do Peloponeso foi um conflito armado entre Atenas e Esparta. (431 a 404 a.C.). A razão da guerra foi o crescimento do poder ateniense e o temor que o mesmo despertava entre os espartanos). As Guerras Médicas ocorreram entre os povos gregos (aqueus, jônios, dórios e eólios) e os medos-persas, pela disputa sobre a Jônia na Ásia Menor, quando as colônias gregas da região, principalmente Mileto, tentaram livrar-se do domínio persa.


6)C

Comentário: Apenas pequena parte da população masculina adulta constituía o grupo dos cidadãos. Os estrangeiros, os escravos, as mulheres e os jovens menores de 21 anos não tinham direitos políticos, excluídos da vida democrática. Só uma minoria tinha direitos.

7) Soma:12

Comentário: Para controlar as revoltas, os esparciatas organizavam expedições anuais de extermínio (criptias), que consistiam na perseguição e morte dos hilotas considerados perigosos.


Desprezados socialmente, promoviam revoltas contra os grupos dominantes.
Os hilotas viviam presos à terra dos esparciatas e com seu trabalho sustentavam os cidadãos.

8)E


Comentário: A assembléia ou ápela era formada por todos os cidadãos

dórios. O poder era controlado por um grupo restrito

e fechado, que se fazia representar pela gerúsia e pelos

éforos
9) E



10) D

Comentário: Os dórios destruíram a civilização Creto- Micênica provocando o fenômeno denominado Primeira Diáspora Grega.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal