Emdr ficha de trabalho nome: Data: Fase 1: história clínica



Baixar 70.41 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho70.41 Kb.




EMDR
FICHA DE TRABALHO
NOME: Data: .
FASE 1: HISTÓRIA CLÍNICA

 História Clínica Preliminar

 Identificando as Metas
1. Queixa principal: O que o(a) traz aqui hoje?”

2. Incidente: “Fale-me sobre um incidente recente que represente a sua questão.”

3. Imagem (foto): “O que representa a pior parte desse incidente?”

4. Crença Negativa (CN): “Quando pensa naquela imagem, que palavras expressam o que pensa a seu respeito agora, que seja negativo?”

5. Crença Positiva (CP): “Quando traz aquela imagem perturbadora à mente, o que gostaria de pensar a seu respeito agora, que fosse positivo?”

6. Passado: A) “Quando traz essa situação perturbadora recente à mente, qual o momento mais antigo em que pensou coisas parecidas a seu respeito, ou teve emoções ou sensações físicas semelhantes no passado? - Algum evento anterior a este?”

ou

Quando CN não estiver clara: B) “Concentre-se na imagem e nas emoções, veja como sente isso no seu corpo agora, que pensamentos negativos acompanham isso?. Agora, feche os olhos e reveja a sua infância... Identifique a primeira vez que se lembra ter sentido assim”

ou

Quando já estiver clara: C) “Feche os olhos, concentre-se nesses pensamentos negativos, traga a imagem à sua mente, veja onde sente isso no seu corpo, deixe sua mente flutuar para o passado... sua infância... e veja o que surge... Identifique a primeira vez que experimentou isso”.

7. Disparadores Actuais: “Além dessa questão, há alguma outra situação recente em que tenha tido pensamentos ou reações semelhantes?”


8. Projecção para Futuro: “Além das situações atuais que mencionou, há algo mais que o(a) preocupe, que aparece quando pensa no seu futuro?” OU “Como é que se deseja ver no futuro em relação a esta questão?”

Averiguar:

▪ ANSIEDADES ANTECIPATÓRIAS (Como reagirei se minha vida ficar diferente?/ Se não tiver mais este problema?). Visão sistémica (Como os outros reagirão se minha vida mudar? Para quem será mais fácil/difícil?)

▪ Necessidade de aprender NOVAS HABILIDADES (ex.: Já não tenho medo de conduzir, mas preciso de aulas de condução).


FASE 2: PREPARAÇÃO
 Estabelecer rapport: vínculo terapêutico.

 Informar sobre o EMDR e continuar somente após Consentimento



frame1§
Este é um momento adequado para investigar e elucidar as expectativas do cliente (medo de enlouquecer/perder boas memórias), enfatizando que não há “forma ou resposta correcta”, e tudo que vier pode ser enfrentado no ritmo do cliente.
 Instruções ao Cliente:


(SINAL DE PARE):

Se a qualquer momento quiser parar, por favor faça este sinal” (levantar a mão).
(USAR UMA METÁFORA):

De vez em quando, uma metáfora pode ajudar a criar uma sensação de distância entre nós e a

experiência dolorosa. Por exemplo:

- pode imaginar que está a viajar num comboio ou autocarro e, pela janela, observa os



pensamentos, as imagens, os sentimentos, as emoções e as sensações corporais como se

fossem a paisagem que passa;

ou

- pode imaginar que está assistindo à experiência como se fosse um filme no ecrã de um cinema



ou da televisão.
Qual é a metáfora que gostaria de utilizar se for preciso?”

Não se utiliza a estimulação bilateral para instalar a metáfora.




Postura física “posso chegar a minha cadeira mais perto de si?”

Testar os movimentos bilaterais – (retirar óculos, terapeuta fora do campo visual, demonstrar movimentos laterais, diagonais, “oito-deitado”, circular e evitar movimento pára-brisa na horizontal. O terapeuta também demonstra também o toque - movimento tátil na palma das mãos, nos joelhos (com ou sem almofadas) e o auditivo). “A que distância minha mão fica mais confortável para si?” “Esta velocidade está boa?” “Que tal este movimento?” “E este?” “Qual deles prefere?”


AUDITIVO TÁTIL



FASE 2: Construção do Lugar Tranquilo


  1. IMAGEM

Criar ou recordar a imagem de um lugar real ou imaginário, que traga o sentimento de calma e

segurança: “Vai ter agora a oportunidade de criar um recurso especial para si, um lugar na sua



mente, para onde se pode retirar sempre que precisar de se sentir calmo e protegido. Pode ser

a lembrança de um lugar calmo e tranquilo que conheça ou um lugar imaginário, o seu lugar

especial.”
Se o cliente não conseguir : “Posso ajudá-lo a construir um? Gosta mais de praia ou de

montanhas? Dia ou noite? Que imagens? Sons? Cheiros? Temperaturas? etc.”


  1. EMOÇÕES E SENSAÇÕES:

Pensar na imagem e localizar sensações no corpo: “Pensando nesse lugar tranquilo, gostaria

que focasse as emoções e sensações agradáveis e veja onde sente isso no seu corpo.”


  1. INTENSIFICAÇÃO DA IMAGEM, EMOÇÃO E SENSAÇÃO

Narrando os detalhes da experiência: “Pensando nesse lugar tranquilo, percebe se há sons?

Quais? Cheiro? Como é a temperatura? Qual a hora do dia/noite que prefere nesse lugar? Que

cores predominam?”


  1. MOVIMENTOS BILATERAIS (4 a 6 movimentos já escolhidos previamente)

Pense na imagem deste lugar onde se sente seguro e tranquilo. Concentre-se no seu corpo

e procure sentir onde estão essas sensações agradáveis e aprecie-as. Agora, concentre-se

nessas sensações e acompanhe os movimentos.”
Terapeuta pergunta: “Como se sente agora?”: Se bem, reforçar com + 4 a 6 movimentos

bilaterais. Se mal (investigar o que está a perturbar), modificar o tipo de movimentos ou



começar novamente.


  1. PALAVRA-CHAVE que esteja associada com o lugar (ex: paz, tranquilidade, segurança)

Se pudesse representar esse lugar especial, seguro, com apenas 1 palavra, qual seria? Agora

pense novamente nesse lugar especial com todos os detalhes que descreveu (repeti-los para o

paciente). Preste atenção na palavra que escolheu e siga os movimentos (4 a 6, lentos)”


  1. FAZENDO SOZINHO, SEM A PERTURBAÇÃO

Agora, gostaria que pensasse novamente no seu lugar seguro, ideal, com todos os detalhes

que descreveu (repeti-los), preste atenção a palavra que escolheu e, sem que eu faça os

movimentos, gostaria que tentasse sozinho, fazer esse processo.”


  1. EXPERIMENTAR COM PERTURBAÇÃO LEVE

Bem, imagine agora um pequeno aborrecimento (SUDS=1) recente, (espere) Agora, pense no

seu lugar tranquilo, com todos os detalhes que relatou, (repeti-los) pense na palavra

escolhida (repetir) e nas sensações agradáveis que o acompanham. Observe como se sente.


  1. EXPERIMENTAR SOZINHO COM PERTURBAÇÃO LEVE

Agora, pense num aborrecimento pequeno e depois concentre-se no seu lugar tranquilo. Faça

sozinho.”

Siga para a FASE 3: AVALIAÇÃO. Pode ser noutra sessão se o tempo estiver curto.

FASE 3: AVALIAÇÃO
META A SER REPROCESSADA: “Hoje vamos trabalhar o evento chave relacionado com o

tema sobre o qual já conversamos”
I – IMAGEM: Pensando na recordação que vamos trabalhar hoje, que imagem (ou foto) representa

essa experiência difícil? ou “Que imagem representa a pior parte do incidente?”


CN – CRENÇA NEGATIVA: Quando pensa nessa recordação difícil, que palavras descrevem

melhor o que pensa sobre si mesmo AGORA, que seja negativo?”


CP – CRENÇA POSITIVA: Quando pensa nessa recordação difícil, que palavras descrevem melhor

o que gostaria de pensar sobre si mesmo AGORA, que fosse positivo?”


VoC (Validade da Crença Positiva): Quando pensa nessa recordação difícil, numa escala de 1 a

7, sendo 7 completamente verdadeiro e 1 completamente

falso, o quanto é que sente que essas palavras positivas são

verdadeiras (repetir CP) AGORA?”
Totalmente Falso 1 2 3 4 5 6 7 Totalmente Verdadeiro

E – EMOÇÕES: Quando pensa nessa experiência e nas palavras negativas (repetir CN) que

emoções sente AGORA?


SUDS: Quando pensa nessa experiência difícil, quanta perturbação sente AGORA, numa escala de 0

a 10, sendo zero nenhuma perturbação e dez a máxima perturbação que pode imaginar?”
Nenhuma 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Máxima

S – SENSAÇÕES CORPORAIS: “Onde sente essa perturbação no seu corpo?”

FASE 4: DESSENSIBILIZAÇÃO
Instruções Específicas:O que vamos fazer é o seguinte: Vou-lhe pedir que mantenha na sua mente alguns pensamentos perturbadores enquanto segue os meus movimentos bilaterais. Farei isso durante algum tempo, e de seguida vou parar. Nessa altura terá que me dizer o que está a experimentar. Às vezes, imagens, pensamentos, emoções ou sensações físicas ligados a recordação vão mudar, mas outras vezes não. Pode ser que eu lhe pergunte se algo surge; às vezes pode ser que sim, outras vezes não. Não existe uma “maneira certa” de as coisas acontecerem neste processo. Por isso, quero que responda da maneira mais precisa possível sobre o que estiver a acontecer, sem julgar se deveria estar a acontecer assim ou de outra forma. Deixe que aconteça o que tiver que acontecer. Vou fazer alguns movimentos bilaterais e depois falaremos brevemente sobre o que aconteceu. Alguma pergunta por enquanto?”

Frase Integradora: Agora, volte a pensar na imagem dessa experiência difícil; pense nas palavras negativas (repetir a CN); observe onde sente isso no seu corpo – e siga meus movimentos”.
Começar com poucos movimentos (10-12 MBLs); se a pessoa relata que nada acontece, fazer séries mais longas (24+); se chorar, perguntar se pode prosseguir ou se pára. Anotar principalmente respostas positivas, que podem virar Crenças Positivas na Fase 5

Ab-reações (aumentar a velocidade se for possível): “Posso continuar?” “isso..”/”são coisas do passado..” / observe o que acontece../ está a ir muito bem../ deixe que aconteça o que tiver de acontecer../ deixe vir.../observe como se fosse a paisagem durante uma viagem de comboio/como se fosse o vídeo de um filme antigo...


Após cada série: “Feche os olhos... respire fundo.. solte... “ Aguarde alguns instantes. Se a pessoa demorar muito: “Pode abrir os olhos quando quiser/ olhe para mim”

Em seguida: “E agora?... /O que acontece?... /O que surgiu?... /O que percebe?...

Depois que a pessoa relata algo, dizemos: “Vamos com isso/ podemos prosseguir/seguimos?”
MEDIR o SUDS após 2 respostas +, ou se o relato indicar que não há mudanças ou se a pessoa perde o acesso da memória perturbadora.
[“Voltando à experiência difícil e utilizando a escala de 0 a 10, sendo que 0 signfica nenhuma perturbação e 10 é a máxima perturbação que pode imaginar, quanta perturbação SENTE AGORA?”]
Nenhuma 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Máxima

Se SUDS estiver em “2” ou mais, continuar com MBLs

Se SUDS for “1”: “O que falta para chegar a zero?”
Fase 4 acaba quando SUDS = 0
FASE 5: INSTALAÇÃO DA CRENÇA POSITIVA


  1. Quando pensa na recordação difícil com a qual começamos, as palavras (repetir CP) ainda são válidas? Quer reforçar essas palavras ou acha que outras palavras positivas seriam mais coerentes agora? O cliente pode modificar a sua cognição positiva, se quiser. Fazer uma pausa para possível reformulação. Se surgir nova CP durante o reprocessamento, esta deverá ser utilizada na instalação.


2 - Medir VoC: “Pense na experiência inicial e nas palavras (repetir CP desejada), Numa escala

de 1 a 7, sendo 7 completamente verdadeiro, e 1 completamente falso, o quanto sente que

essas palavras positivas são verdadeiras AGORA?
Totalmente Falso 1 2 3 4 5 6 7 Totalmente Verdadeiro
3 -Traga a experiência difícil à mente, pense nas palavras (repetir CP), e siga meus movimentos”.

Fazer MBLs na mesma velocidade de fase 4. Fazer ao menos uma série de MBLs, mesmo se

VoC já estiver em 7, para fortalecer o positivo.
4 - Medir VoC de novo depois de cada série: “Numa escala de 1 a 7, como sente essas palavras

positivas (repetir CP), quando pensa na experiência inicial AGORA?”

► Se o cliente informa menos que 6, fazer mais séries de MBLs. Se aparecerem novos conteúdos

perturbadores, voltar à Fase 4;

► Se o cliente informa 6: “O que falta para chegar a 7”; conferir se não há crenças limitantes.

► Se VoC não aumenta: verificar ganhos secundários, necessidades de novas habilidades, recursos

adicionais, para prosseguir. Quando o VoC for 7, passar para Fase 6.



FASE 6: VERIFICAÇÃO CORPORAL
Feche os olhos, concentre-se na experiência difícil (ou incidente inicial) que acaba de trabalhar, e nas palavras positivas (repetir CP) mentalmente examine todo o seu corpo, e diga-me se sente alguma perturbação”.
Se o cliente informar alguma perturbação, avaliar SUDS corporal:
Feche os olhos, concentre-se na experiência difícil (ou incidente inicial) que acaba de trabalhar, e nas palavras positivas (repetir CP) e, numa escala de 0 a 10, na qual zero é nenhuma perturbação e 10 a máxima que possa imaginar, quanta perturbação sente AGORA?
Nenhuma 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Máxima
►Se SUDS > 0, diga: Concentre-se nessa perturbação e siga os meus movimentos.” e faça MBLs na

velocidade de Fase 4 até SUDS = 0.

►Se o incómodo persistir, pedir para o cliente colocar a mão sobre o local do incómodo. Se novos

conteúdos perturbadores aparecerem, voltar à fase 4.

►Se sensação POSITIVA OU CONFORTÁVEL, pode-se fazer movimentos mais lentos para

fortalecer positivamente: Concentre-se nessa sensação agradável e siga os meus movimentos.”
FASE 7: FECHO
► Assegurar-se da estabilidade do cliente ao completar uma sessão de EMDR (2 pés no presente)

► Buscar uma mudança de estado que reduza reprocessamento (lugar tranquilo), caso necessário,

especialmente com sessão incompleta.
Sessão completa = Fase 4 com SUDS= 0 (ou 1), Fase 5 com VoC = 7 (ou 6), E Fase 6 com SUDS Corporal = 0
O reprocessamento que fizemos hoje pode continuar após a sessão. Pode ser que durante o restante dia ou semana tenha novas imagens, pensamentos, emoções ou sensações físicas sobre o que trabalhámos; pode ser que tenha sonhos sobre o assunto. Se isso acontecer, apenas preste atenção no que experimenta. Tente identificar o que disparou essas percepções”
Faça um registo ou diário das coisas que surgirem durante a semana, como por exemplo

pensamentos, sensações, lembranças e experiências. Pode anotar o que lhe acontecer, novos insights, sonhos, e novos alvos para as próximas sessões de terapia. Pode usar a escala de 0 a 10 para organizar suas experiências em nível de importância.”
Se precisar, entre em contacto por favor” (informar telefone e/ou email)
Sessão incompleta

“Infelizmente, o tempo desta sessão está a chegar ao fim e vamos ter que parar. Importa-se se ficamos por aqui? Podemos deixar o restante para próxima sessão?”
“Quais são algumas das coisas novas ou pensamentos positivos que percebeu hoje?”
[“Se quiser, pode ficar um pouco no seu lugar, tranquilo.”] Avaliar a necessidade de fazer outros exercícios de relaxamento/mudança de estado para que o paciente esteja pronto para sair da sessão.
[“Se precisar, entre em contato por favor.”] (informar telefone e/ou e-mail).
FASE 8: REAVALIAÇÃO (Sessão Seguinte)
Conferir acontecimentos desde a última sessão de tratamento


  1. Sonhos

  2. Mudanças em comportamentos

  3. Reacções aos disparadores atuais

  4. Novos pensamentos, insights

  5. Novos aspectos da Memória Alvo

  6. Outras memórias mais antigas associadas ao tema

  7. SUDS residual?


Retomando o reprocessamento de um alvo incompleto/SUDS residual –

Alvo escolhido NÃO se encontra com SUDS = 0, VoC= 7 ou verificação corporal com SUDS = 0


Usar NOVA FICHA DE TRABALHO
Aceder o Alvo com perturbação da sessão anterior (Evento Chave, Cenas Intermediárias do Passado, Disparadores do Presente ou Projecção ao Futuro):
[“Traga o incidente perturbador que trabalhamos na sessão anterior.”] Se a pessoa não se recorda, oferecer indícios a princípio indiretos: [‘Aquela situação sobre seu passado”.]
[“Que imagem aparece? Que pensamentos a respeito aparecem? Que pensamentos negativos a seu respeito? Que emoções? Que sensações físicas?”]
Estimando a linha de base:

[“Numa escala de 0 a 10 (SUDS), o quão perturbador sente este incidente agora?]


Retome o reprocessamento:
Se o SUDS for mais que zero, retome o reprocessamento: [“Vamos com isso!”] Continue até que as fases 4, 5 e 6 estejam completas: SUDS = 0, VoC = 7 e verificação corporal sem perturbação SUDS corporal = 0
Próximos passos:

Projeção para o futuro: [“Agora, quando pensar sobre essa dificuldade no futuro, como se deseja imaginar/reagir? Visualize como que se fosse um vídeo. Há alguma perturbação?”] Caso haja perturbação, reprocessar.


[“Quero que passe o vídeo enquanto faço a estimulação bilateral. Quando terminar, basta fechar os olhos”] Caso a estimulação seja visual.
Se a passagem do vídeo não for acompanhada de perturbação:

[“Quero que passe esse vídeo futuro, mas desta vez com alguma perturbação. Algo em torno de 1 ou 2 em uma escala de 0 a 10. Quando terminar o vídeo, basta fechar os olhos”]



Caso SUDS permaneça em zero, tentar o equivalente às fases 5 e 6::

  • [“Quero que passe novamente o vídeo, associado desta vez com a frase positiva que já escolheu. Observe o que acontece”]

  • [“Agora feche os olhos, passe o vídeo associado à frase positiva e mentalmente examine seu corpo. Observe se identifica alguma perturbação”]


Seguir para o próximo alvo da lista de queixas.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal