Ensinamentos de Sai Baba Capítulo 1 Amor e Dever o caminho da Perfeição



Baixar 0.87 Mb.
Página1/26
Encontro06.08.2016
Tamanho0.87 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26
Ensinamentos de Sai Baba

Capítulo 1

Amor e Dever - O Caminho da Perfeição

Se você deseja paz e alegria, você deve viver no amor.

Somente através do amor, você encontrará paz interior.

Somente através do amor, você encontrará a verdadeira alegria.

O amor floresce através das ações de dar e perdoar.

Desenvolva o seu amor.

Mergulhe no amor.

Essas palavras de Sai são uma torrente de amor fluindo para você.

Encarnações do Amor,

Há muitos campos do conhecimento, mas há apenas um conhecimento supremo. Este conhecimento supremo é o autoconhecimento, o conhecimento do ser imortal. É o conhecimento de sua realidade imutável, seu verdadeiro ser - aquele que jamais nasceu e o qual jamais morrerá. Há muitos outros tipos de conhecimento. Há os diferentes campos da arte, ciências, comércio e educação. Mas tais conhecimentos irão ajudá-lo apenas a atingir os objetivos transitórios do mundo, e também prazeres mundanos. Para realizar a eterna bem-aventurança, que é a sua própria natureza, você deve possuir o autoconhecimento. Este é o único conhecimento que irá habilitá-lo a perceber a paz interior e a alegria sem fim que é a sua própria realidade, sua verdadeira identidade. Ao brilhar com o autoconhecimento, você se torna o próprio amor. Você se torna puro e completamente sem ego. Assim, você estará sempre em perfeita harmonia com toda a existência.



Conhecer a Si mesmo é conhecer a Deus

Autoconhecimento não é diferente do conhecimento de Deus. O sagrado conhecimento de Deus e o sagrado conhecimento do ser imortal são um e o mesmo. Estes são a única sabedoria divina. Ao realizar o ser uno onipresente, você irá se estabelecer na consciência da unidade. Então, você verá apenas a unidade em toda a diversidade que está a sua volta. A partir de então, você transcenderá a existência mundana e obterá a imortalidade que esteve procurando.

Qual é a base para esse conhecimento supremo? É a pureza da mente. Para purificar a mente você deve preencher toda a sua vida com espiritualidade. Engaje-se em atividades nobres. Associe-se a pessoas espiritualizadas. Observe uma conduta exemplar em sua vida diária. Esforce-se para cumprir seu dever com perfeição. Viva uma vida de serviços desinteressados e atos virtuosos. Estude os sábios ensinamentos do passado, pratique-os no seu dia a dia. Deixe que esses ensinamentos sejam os marcos do seu caminho. Assim, sua mente irá se tornar pura. E com uma mente pura, você será capaz de discriminar entre o permanente e o temporário; entre o que é benéfico e o que é prejudicial a seu progresso espiritual. Então, todas as suas atividades habituais do cotidiano tornar-se-ão sagradas e a graça de Deus será derramada sobre você.

Hoje, você pode ser altamente educado em conhecimento mundano; você pode ser um grande estudioso das escrituras sagradas ou um "expert" em varias áreas e ter renome mundial. Mas todas as suas conquistas e títulos não podem lhe proporcionar verdadeira sabedoria. Para ser verdadeiramente sábio e remover a aflição de seu coração, você deve saber quem você realmente é. Você deve realizar seu ser imortal. Você não pode transcender a aflição por qualquer outro meio. Apenas o conhecimento de seu ser verdadeiro irá permiti-lo transpor todo sofrimento e miséria. Este é o único conhecimento capaz de proporcionar alegria completa. Ao dominar um campo do conhecimento mundano, você obtém o respeito de seus semelhantes. Você pode se tornar famoso e satisfazer todas as suas aspirações mundanas; mas, somente ao adquirir o autoconhecimento, você merece e ganha a graça de Deus. Quando obtiver a graça, você irá se tornar sempre repleto de bem-aventurança. Você desfrutará a alegria suprema.

Quem são aqueles que merecem obter esse conhecimento sagrado? Estará este reservado, como alguns argumentam, aos idosos; ou serão as crianças também merecedoras? Deverá este ser dado apenas aos iniciados religiosos ou também àqueles que não possuem base religiosa? Deverá este ser restrito aos homens, ou as mulheres também estarão qualificadas? Na verdade, para obter essa sabedoria, raça, cor, idade, sexo, nacionalidade ou posição social não têm qualquer importância. O sábio Valmiki, em idade jovem, era um ladrão de beira de estrada; o sábio Narada nasceu de uma modesta criada; ainda assim, ambos se tornaram grandes expoentes espirituais. Todos estão igualmente aptos a adquirir esta suprema sabedoria.

O Senhor vem àqueles que possuem devoção por Ele; Ele olha o coração e não o "status" externo. Desenvolva a sua devoção. Devoção é muito importante para a vida humana. O Senhor disse na Gita: "Você se torna muito querido a Mim quando Me serve com o coração repleto de amor".



Fé em Si mesmo e Fé em Deus

Quando Deus o aconselha a desenvolver sua devoção, não quer dizer que você deva negligenciar seus deveres mundanos. Prepare-se bem para desempenhar todas as suas tarefas no mundo. Cuide para aprender adequadamente o conhecimento mundano necessário ao desempenho de seus deveres. O mais importante: tenha sempre fé em si mesmo, fé em que você é capaz de cumprir o papel para o qual você nasceu como ser humano. Fé em si mesmo e fé em Deus são os verdadeiros segredos da grandeza. Na verdade, fé em si mesmo e fé em Deus são a mesma coisa; pois fé em si mesmo significa ter fé em sua natureza divina inata.

O conhecimento mundano pode proporcionar apenas alimento e abrigo, enquanto o autoconhecimento proporciona o maior de todos os tesouros: a percepção de sua própria realidade. Ainda assim, sem um pouco de conhecimento do mundo, você não será capaz de obter o conhecimento sobre o eterno. Você não deve ser descuidado na esfera do conhecimento mundano. O conhecimento espiritual precisa ser equilibrado com o conhecimento mundano. Os sábios Valmiki e Vyasa foram honrados por todos. Eles escreveram muitas escrituras sagradas, incluindo os eternos Ramayana e Mahabharata. Eles foram grandes expoentes espirituais; no entanto, eles também eram bem versados em conhecimento mundano. De outra forma, como eles jamais poderiam ter escrito esses grandes clássicos?

Tudo no mundo vem de Deus. Como tudo vem dele, o que é possível oferecê-lo? A única coisa que você pode oferecê-lo é o seu amor. Isso é tudo que ele espera de você. Essa é a razão pela qual o poeta cantou:



Amado Senhor,

Tu és a realidade onipenetrante.

Estando o universo cheio de Ti, como posso construir um

templo para Ti ?

Sendo Tu tão efulgente quanto milhões e mais milhões de

sóis, como posso oferecer-Te minha pequena chama de

vela ?

Sendo Tu a realidade interna de todos os seres, como

posso chamar-Te por um nome específico ?

Estando todo o universo em Teu estômago, como posso

oferecer-Te um pouco de comida com devoção ?

Tudo que posso oferecer-Te é o meu amor,

E tudo que posso esperar por fazer é esvaziar meu ser em

Ti, que és o oceano do divino amor.

O Sem Forma Assume uma Forma

Para satisfazer os anseios humanos, vocês dão nome e forma ao Senhor. Mas, na realidade, Ele não possui forma alguma. Mesmo assim, Ele assumirá uma forma para que vocês possam expressar devoção e adorá-Lo; satisfazendo suas ânsias espirituais. Seja qual for a forma do Senhor escolhida por você, adore com o coração cheio de amor.

Ramakrishna não era um homem culto, ele mal sabia ler; mas sua mente estava engajada em adorar a Divina Mãe. Com o coração transbordante de amor, ele dedicou toda a sua vida a adorar a Divina Mãe. Ele estava vivendo com apenas 5 rupias por mês; era o suficiente para todas as necessidades que tinha. Através de sua intensa e concentrada devoção, ele se tornou luminoso. Hoje, ele é bem conhecido em todo o mundo; você pode encontrar Centros de Ramakrishna (Ramakrishna Mission) em toda parte. Ele é honrado universalmente.


  • De igual maneira, um ladrão como Ratnakara se tornou o grande sábio Valmiki devido ao seu amor por Deus. Prahlada era o filho de um demônio; mesmo assim, ele se tornou luminoso e puro com o divino amor que nutria por Deus. Hanuman, um macaco, por repetir o nome de Rama, tornou-se um ser glorioso e é honrado em toda a Índia. Jatayu era um pássaro que, devido a seu grande amor por Rama, imergiu no princípio divino quando chegou a hora de deixar o corpo físico. Para ter devoção a Deus, raça, credo, sexo ou qualquer outra distinção não faz a menor diferença. Todos estão igualmente aptos.

O capítulo sobre devoção é o mais importante capítulo na Gita. Esta é a razão pela qual começamos com ele hoje. Devoção não é meramente repetir o nome de Deus. Trata-se de um amor puro e imortal por Deus. Esse amor é completamente sem ego em sua natureza, desprovido de qualquer desejo mundano. É puro, permanente e eterno. Este amor divino deve ser praticado constantemente em sua vida diária.

 

 



Consciência Divina

De início, você deve saber quem você realmente é. Você é o corpo? Se você é o corpo então por que você afirma: "Este é meu corpo" ? Se o chama de "seu corpo", então você deve ser algo diferente do corpo. Quando você diz "meu coração", isso quer dizer que você é algo diferente de seu coração. Seu coração é algo possuído por você, que é o dono. Você diz: "...este é meu irmão, esta é minha irmã, esta é a minha mente, meu corpo, meu intelecto... ." O elemento comum (imutável) em todas essas declarações é "meu/minha". Existe um verdadeiro "Eu" que está por trás do pequeno "meu/minha", o qual os origina. Trata-se, na realidade, da consciência mais profunda em cada pessoa e em cada objeto. Este é o Eu universal, a consciência divina. A consciência divina está em toda parte. Está dentro de você, em volta de você, abaixo, acima e também a seu lado. Na verdade, ela é você.

A consciência divina pode ser encontrada em qualquer lugar, em qualquer coisa no mundo. Mas, para perceber isto, a mente deve se tornar introspectiva. Você deve ser guiado por dentro e buscar sua própria verdade. Você deve perceber que você não é isso ou aquilo...: você não é a mente, você não é o corpo, você não é o intelecto. Então, quem é você ? A resposta vem: "eu sou eu". Este é o correto caminho para a auto-realização. Essa jornada só pode se desenvolver quando você segue o caminho do amor, a senda da devoção. Para buscar Deus, não há outro caminho.

Onde quer que você olhe, o sem forma assumiu formas. Deus está presente em toda parte. Mas para que você possa compreendê-Lo, Ele assumiu uma forma e um nome específicos. Ele está em toda parte como a divindade sem forma; mas, antes que possa perceber isto, você deve desenvolver amor e devoção a Deus com forma. Assim, no começo, você adentra o caminho devocional no degrau mais baixo e adora Deus com nome e com forma. Então, aos poucos, passo a passo, você alcança o estado mais elevado. Você retira sua mente do mundo exterior e adora Deus sem forma; até que, finalmente, você percebe sua própria realidade como sendo o princípio divino sem forma. Isto é auto-realização.

Trabalho, Adoração e Sabedoria

Sem flores não pode haver frutos. O processo de maturação das flores em frutos verdes e, depois, em frutos maduros pode ser comparado ao processo de auto-realização. O estágio da floração corresponde ao caminho do serviço. Quando avançamos para o estágio dos frutos verdes é o caminho da devoção. Quando os frutos se tornam maduros e cheios do doce néctar da sabedoria, então este caminho se torna o do autoconhecimento. Nesse estágio, as flores dos bons trabalhos e serviço se transformam, através do amor e devoção, nos doces frutos da sabedoria. Assim, bons trabalhos conduzem naturalmente à adoração, ao desapego e, em seguida, à sabedoria. Na jornada espiritual não basta apenas adorar, você deve se engajar em bons trabalhos. Contudo, seu trabalho irá se transformar em adoração quando você regar cada ato com amor por Deus e oferecer todos os seus trabalhos a Ele.

Enquanto você está nesse mundo, você deve engajar-se no trabalho. O trabalho é muito importante para os seres humanos. É através de seus trabalhos que vocês aprendem a harmonizar pensamentos, palavras e ações. Para as grandes almas, pensamentos, palavras e ações estão sempre harmonizados. No começo, quando ainda há grande quantidade de desejos, você não será capaz de trabalhar sem o desejo de gozar os frutos. Mais tarde, no entanto, você irá se tornar totalmente sem ego e despreocupado com os resultados de seu trabalho. Dessa forma, gradualmente, seu trabalho vai se transformando em adoração e, no devido tempo, você estará fazendo tudo apenas por amor a Deus.

A verdade é uma, mas os sábios a chamam por diversos nomes. A divindade é uma, mas muitos nomes são usados para falar da realidade una e absoluta. Do uno surgiu a diversidade. Quando uma criança nasce é chamada de bebê. Conforme vai crescendo se torna um jovem. Depois dos vinte, se torna um adulto e, depois, pai ou mãe. Ainda em vida, mais tarde, se torna avô ou avó. Mas todas essas são uma e a mesma entidade. Da mesma maneira, a realidade última é sempre una e a mesma. Quando perceber essa unidade e permanecer firmemente estabelecido na única divindade subjacente a todos os nomes e formas que mudam, você terá atingido algo que realmente vale a pena.



A Extinção da Ilusão

Tenha um claro entendimento da Gita em seu coração. Qual é a essência dos ensinamentos da Gita ? Alguns acham que é o caminho do serviço e da ação. Da mesma forma, outros acham que é o caminho do conhecimento e da sabedoria. Mas essas são verdades parciais. A Gita se inicia com um verso cuja primeira palavra é "dharma", que significa dever ou ação correta. O verso conclusivo da Gita termina com a palavra "meu". Quando essas palavras são unidas formam "meu dever" ou "meu trabalho". Essas palavras resumem todo o ensinamento da Gita. Isso quer dizer que você deve realizar seus deveres prescritos até os limites da capacidade humana para a excelência e perfeição, fazendo o trabalho apropriado à fase da vida em que você se encontra.

Sendo um estudante, estude bem suas lições. Sendo um chefe de família, faça seu trabalho e cuide das responsabilidades de sua família de maneira apropriada. Sendo um aposentado, faça os deveres apropriados a esse estágio da vida; e se você renunciou ao mundo para se engajar na contemplação da realidade, então, firme-se nesse caminho. Quando você cumpre seu dever da melhor maneira possível, fazendo-o de maneira sincera e consciente, então não haverá mais confusão ou miséria.

Arjuna teve de cumprir seu dever no campo de batalha. Seu papel era ser um guerreiro, combater o mal e proteger os bons. Mas, ao ver os amigos e parentes perfilados em ambos os lados do campo de batalha, ele esqueceu sua forte resolução de lutar pelo que era certo, luta para a qual ele havia se preparado por muito tempo. Ele se tornou cheio de apego e ilusão e largou seu arco no chão. Ele abandonou seu dever e se tornou miserável. Krishna ensinou a Arjuna como se livrar do desespero aderindo ao dever prescrito. Krishna ensinou a Arjuna a verdade sobre o ser imortal e mostrou que seu dever era seguir as propensões internas do Senhor, que estava dentro do coração. Quando Krishna terminou seus ensinamentos, ele perguntou a Arjuna: "Teus apegos e ilusões desapareceram?" Arjuna pegou seu arco e respondeu: "Meu desespero sumiu completamente. Toda minha ilusão se foi. Farei como Tu comandas!"

Enquanto estiver iludido, você estará num estado de escravidão. Quando você sofre de ilusão ou forte paixão, a liberação é impossível. A liberação não está, de forma alguma, relacionada aos prazeres mundanos. Liberação não é um carro com ar condicionado ou uma vida confortável. Liberação é a completa destruição da ilusão, a extinção de todos os apegos mundanos, a incineração de todos os desejos egoístas.

De agora em diante, faça seu dever com perfeição e se torne um exemplo para a humanidade. Aplique os ensinamentos da Gita em sua vida diária e seja abençoado com Graça. Muitos de vocês estão apenas perdendo tempo. Comece hoje a reformar a si mesmo. Não percam tempo. Tempo é Deus. Todos os dias, dedique algum tempo a esses ensinamentos sagrados e contemple seu significado interno. Uma vez entendidos, ponha os ensinamentos em prática. Só assim, você será capaz de viver uma vida sagrada, uma vida de pureza e perfeição, que é a característica de um verdadeiro ser humano.

 

 Capítulo 2



Entrega – A Transformação do Homem em Deus

Krishna declarou na Gita: "Se você entregar-se completamente a Mim, e refugiar-se em Mim; você será protegido por Mim. Eu eliminarei seus pecados e irei guiá-lo à auto-realização." Você deve ter este ensinamento como um tesouro em seu coração. Firmemente, siga o caminho da entrega ao Senhor; e Ele cuidará de você, e levará você até Ele.

Encarnações do Amor,

O poder de Deus é incomensurável e ilimitado. A grande diversidade que você percebe quando observa o universo é resultado do poder divino de iludir. O universo físico visível aos olhos humanos é apenas uma parte muito pequena do infinito poder de Deus. Todos os mundos podem ser cobertos por apenas uma fração do pé do Senhor. É impossível entender a grandeza do Senhor. Ele permeia todo o universo, grosso e sutil. Não há lugar onde Ele não esteja.



O Universo

O universo é o corpo de Deus. Ele encarnou-se na criação. Para entender o princípio divino no qual repousa o universo, você pode começar considerando o tamanho, a vastidão do universo. A Lua está a centenas de milhares de milhas da Terra. O Sol está a dezenas de milhões de milhas. Até mesmo a estrela mais próxima está a milhões e mais milhões de milhas; e, além disso, nos limites mais longínquos do universo visível, há estrelas que estão bilhões de vezes mais longe. Mas tudo isso que constitui o universo físico e que para nossa visão limitada é tão infinitamente vasto, é apenas uma minúscula parte do universo sutil. Comparado a este universo sutil, todo o grande universo físico não é maior do que o tamanho de um átomo.

O universo sutil, que é tão indescritivelmente grande quando comparado ao universo físico, é apenas uma parte microscópica de um aspecto muito, muito mais vasto que pode ser exposto como o universo causal. Este é conhecido como universo causal por ser desse finíssimo aspecto que se originam os mundos físico e sutil. Todos estes três mundos, o físico, o sutil (ou mental) e o causal são tão incrivelmente grandes que as escrituras declaram que estes não podem ser entendidos pela mente humana ou descritos em palavras. Esses mundos estão além da imaginação, além da habilidade mental de entendimento. Ainda assim, além de todos esses, transcendendo o físico, o sutil e o causal, está o princípio divino, a causa fundamental de tudo.

O Caminho da Devoção

Deus está além do físico, do sutil e do causal. Mas, como Soberano, Ele governa todos estes. Ele é o Senhor do tempo: passado, presente e futuro. Aos seres humanos foram dadas capacidades limitadas, assim, é muito difícil entender o princípio divino. Nesse caso, o caminho mais fácil a seguir é o caminho da devoção. Esse foi o quê Krishna ensinou a Arjuna. Krishna descreveu o caminho devocional em três etapas.

A primeira e mais importante é:

Trabalhe para Deus ! - Você pode não se dar conta, mas cada pequena parte de seu trabalho seu já é feita para Deus. Ele é o supremo Senhor deste mundo, e tudo aqui pertence a Ele. Sabendo disso, conscientemente, faça de cada ação que você executa uma oferta a Deus. Devote todos os seus trabalhos a Ele, lembrando-se sempre de que Deus não está fora de você.

A segunda etapa é:



Por Deus e nada mais ! - Até esta etapa, você só pensou em si mesmo. Mas, quem é você ? Quem é esse "eu" que você usa para se referir a si mesmo ? Krishna disse: "Sou Eu quem resplandece em você." Este "eu" emana do ser supremo, do ser imortal, o atma. Este "eu" não deveria ser igualado ao corpo, ou à mente, ou à faculdade intuitiva, ou a qualquer outro aspecto do indivíduo. Ele transcende o pequeno ‘eu’ particular do indivíduo. Este "eu" se relaciona apenas ao ilimitado, ao ser impessoal, ao ser divino, que é o verdadeiro ser de cada um.

O limitado ser pessoal, chamando a si mesmo de "eu", associou-se ao universal. Mas o ser pessoal não é o ser real. Trata-se apenas de um reflexo do ser divino uno e imortal. Tudo que você tem feito tem sido para a satisfação do ser divino somente. Não percebendo esta sagrada verdade, você tem sido pegado e arrastado pela ilusão. Krishna disse a Arjuna: "O que quer que você faça, faça para satisfazer a Mim; faça por Mim. Faça tudo para Mim. Execute todas as suas ações em Meu benefício. Aja como Meu agente." Esse "Mim", "Meu" ou "Eu" que Krishna fala, não se refere a Deus fora de você. Refere-se ao atma, seu ser divino. Faça tudo, seja lá o que for, por Deus e mais nada, que não é outro senão o seu ser mais elevado.

A terceira etapa é:

Devote-se apenas a Deus ! - Entenda o segredo interno desta diretiva. Devoção é a expressão do amor; e a emoção chamada amor emana de Deus, seu ser superior. O amor vem de Deus e é dirigido a Deus. O amor não tem relação alguma com sentimentos mundanos ou coisas profanas. Amor, que é apenas outra palavra para devoção, é o verdadeiro nome de seu ser mais elevado. Este princípio do amor, emanando do âmago de seu coração, deve saturar cada ação, palavra e pensamento. Isto acontecerá quando você considerar que tudo o quê faz, diz ou pensa é para a satisfação de Deus e mais nada.

Seu Ser Superior é Deus

No estado de vigília, você pode pensar que está fazendo tudo por causa do seu corpo e da sua mente. Mas, em sono profundo, você não está consciente de seu corpo ou de sua mente. Então, por quem você aproveita o descanso e a paz do sono? É por você mesmo. Dormir, alimentar-se, todas as várias atividades de sua vida diária são feitas apenas pelo amor que você tem a si mesmo. Você acredita que está fazendo tudo isso para seu ser pessoal, que você experimenta como sendo separado de Deus. Mas o "eu" que você chama a si mesmo, na verdade, emerge de seu ser mais elevado, que não é diferente de Deus. Tudo que você faz por amor a si mesmo chega a seu ser mais elevado e, assim, chega a Deus. Dessa forma, você deve fazer tudo com a consciência de que qualquer ação que você faça, boa ou má, certamente atingirá a Deus. Devoção significa tornar todas as suas ações sagradas e dedicadas apenas a Deus.

Nas antigas escrituras, nós encontramos a conversa entre um sábio e sua esposa na qual ele explica este significado interno a ela. Ele disse: "Pelo bem de quem você me ama? Caso você examine suas intenções mais profundas, você descobrirá que é por seu próprio bem. A esposa não ama o marido pelo bem do marido. É pelo bem dela mesmo que o marido é amado. E este ser dela é o verdadeiro ser, o ser superior. Você pode pensar que a mãe ama a criança pelo bem da criança, mas não é assim. É pelo bem dela mesmo que ela ama a criança. Novamente, pelo bem de seu ser mais elevado. Você pode sentir que o professor ama o aluno pelo bem do aluno, mas é por seu próprio bem que ele ama o aluno. De igual maneira, o devoto não ama a Deus pelo bem de Deus; é realmente por seu próprio bem que ele ama a Deus."

Quando o devoto sente a profunda alegria do amor por Deus, ele acredita que seu ser pessoal é quem sente esta alegria. Assim, seu amor por Deus apresenta traços de egoísmo. Mas o amor de Deus pelo devoto é completamente diferente. O amor de Deus pelo devoto não é egoísta. É somente pelo devoto. Nesse ponto, encontra-se uma verdade escondida muito importante, a qual pode ser encontrada por trás de cada prática espiritual: Deus não possui sentimento de individualidade ou separação. Ele não sente que algumas coisas pertencem a ele, outras não. Quando há o sentimento de diferença e individualidade, surgem o egoísmo e os sentimentos de "eu" e "meu". Mas Deus não se limita a alguma forma em particular. Ele não sente a separação do "meu" e "seu". Ele não possui egoísmo. Essas três regras: "Trabalhe para Deus...! Por Deus e nada mais...! Devote-se apenas a Deus...!" são dadas para o seu bem. Elas não são prescritas para beneficiar a Deus, mas para beneficiar você. Essas regras pretendem ajudá-lo a perceber seu verdadeiro ser removendo todos os traços de egoísmo e separação que encobrem a sua verdade e não permitem a você se tornar um com Deus.


  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal