Ensino fundamental II



Baixar 38.36 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho38.36 Kb.




ENSINO FUNDAMENTAL II



Valor: 2,0 pontos
Nota:

Data: / /2015

Professor: Vinícius

Disciplina: História

Nome:

no:

Ano: 7º

1º bimestre

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE HISTÓRIA


Este trabalho é parte de um roteiro de estudo para você recuperar o conteúdo proposto para o ano de 2015. Siga as instruções e bom trabalho!

ORIENTAÇÕES:

1 - Leia com muita calma e atenção e sublinhe o mais importante. Não é permitido rasuras.

2 - Faça anotações se necessário – procure no dicionário as palavras desconhecidas.

3 - Utilize caneta azul ou preta para as respostas.

4 - ATENÇÃO: Este trabalho será utilizado no estudo tanto para a prova de recuperação semestral como para a prova de recuperação final. Portanto, é necessário que você não o esqueça, caso fique de recuperação final, para revisar a matéria e tirar todas as suas dúvidas.

Os caminhos da ruralização – origens do feudalismo
Entre os séculos V e VII, os invasores germânicos organizaram Estados centralizados – reinos bárbaros – nos quais fizeram a fusão de seu padrão civilizatório com as tradições político-administrativas romanas.

Esses povos lutaram entre si durante a definição de seus territórios e fronteiras e, posteriormente, no momento das invasões de grupos asiáticos e do extremo-norte europeu.

Observe a afirmação do historiador francês George Duby:

“Os reinos nascidos dessas grandes migrações eram civilizações de guerra e agressões.”

A onda de violência que atingiu o sul da Europa, a partir do século V, não era apenas externa. No interior da sociedade romana, havia segmentos de despossuídos e famintos que praticavam saques e pilhagens.

Em resposta a essa onda de banditismo, os romanos se refugiaram nas vilas.

Em função do grande contingente que passou a procurar a segurança das grandes propriedades rurais, criou-se uma lei no Império Romano que impedia a saída de determinados funcionários administrativos das cidades.

A mão de obra nessas grandes propriedades rurais não seria mais escrava. O trabalhador ganharia uma outra configuração. Surgiu, então, durante a crise do Império Romano, a instituição do colonato.

A partir do século VIII, uma nova onda de invasões atingiu violentamente o centro-sul europeu:

• os muçulmanos dominaram a Península Ibérica e controlaram o comércio no Mar Mediterrâneo;

• os normandos ou viquingues, originários da Suécia, Noruega e Dinamarca, excelentes navegadores e guerreiros, tomaram de assalto cidades europeias;

• os magiares ou húngaros, grupos tradicionalmente nômades, fizeram incursões bélicas pela Europa.

Essa nova onda de invasões levou os europeus a se fecharem em palácios e fortalezas. Grandes castelos foram construídos e, ao seu redor, passaram a viver as populações camponesas.

As bases para o feudalismo estavam, desde então, definitivamente traçadas.

Entende-se por feudalismo o sistema constituído por uma relação de dependência entre suseranos e vassalos, que caracterizou a Europa durante o período histórico denominado Idade Média.

Estudos medievalistas demonstram que, em torno do ano 1000, o feudalismo estava com suas bases consolidadas no território europeu. Os caminhos desse sistema feudal foram traçados ao longo da ruralização das atividades econômicas europeias, após a crise final do Império Romano do Ocidente. No século X, a palavra feudo passou a designar grandes extensões de terra, na Europa Ocidental.

A sociedade feudal é denominada estamental, pois fundamenta-se em dois grandes estamentos: servos e senhores feudais.

O senhor feudal tinha a posse da terra – dono dos campos e do castelo –, detinha o poder político, militar e judiciário dentro de sua propriedade.

Os servos tinham a posse útil da terra. Dependentes do senhor feudal, entregavam-lhe parte de tudo o que produziam e davam-lhe certo período de trabalho gratuito.

Intermediando esses dois grandes grupos ou estamentos, havia outros segmentos sociais.

Observe o quadro que se segue:

Vilões

Homens livres, historicamente ligados às vilas romanas, eram pequenos proprietários de terra que se colocavam sob a proteção de um senhor.

Ministeriais

Fiscalizavam a cobrança dos impostos e o trabalho dos servos. Eram pessoas da confiança do senhor feudal.

Escravos

Em pequeno número no início do feudalismo, apresentavam-se como um legado do Império Romano. Foram, aos poucos, desaparecendo.

As relações entre senhores feudais e servos estabeleciam-se a partir de vínculos de proteção, fidelidade e defesa militar. Os senhores deveriam proteger os servos e a terra. Aos servos cabia uma série de obrigações, isto é, compromissos devidos e prestados ao seu senhor, em troca de uma gleba de terra.



Vamos entender melhor! Observe atentamente o quadro:

Corveia

Dias da semana em que o servo trabalhava na propriedade do senhor feudal. Geralmente, dois ou três dias por semana.

Talha

Parte da produção do servo entregue ao senhor feudal. Geralmente, a metade de tudo o que foi produzido.

Banalidades

Pagamentos que os servos efetuavam ao utilizar bens do senhor feudal: fornos, moinho, lagar.

Mão-morta

Quando da morte de um servo, sua família pagava um tributo ao senhor feudal para continuar a viver nas terras do feudo.

Entre si, os senhores mantinham uma relação de fidelidade mútua.


Não há senhor sem terra, não há terra sem senhor feudal

Introdução
Durante muito tempo, a economia do sistema feudal foi caracterizada como sendo amonetária, isto é, sem circulação de moedas e mercadorias.

Pesquisas sobre a História Medieval adquirem, atualmente, um caráter de maior abrangência ao analisar os mil anos do período feudal à luz de vários e diferenciados aspectos.

As relações econômicas do período medieval podem ser assim estabelecidas:

• A base da economia feudal era a agricultura, existindo simultaneamente uma pequena pecuária e eventuais trocas comerciais.

• Sem dúvida alguma, existiam elementos de economia autossuficiente, de subsistência, dentro dos feudos.

• Moedas circulavam na Europa, se bem que de forma muito reduzida.

Na Idade Média, a prosperidade sobre a terra definia as relações de poder e de submissão ao controle do senhor feudal.

Os domínios territoriais de um senhor feudal consistiam em três grandes partes:

manso senhorial: conjunto de construções fortificadas onde se situavam o castelo feudal, oficinas, estábulos, pomar e cavalariça.

manso servil: também chamado de tenência, era o pequeno pedaço ou gleba de terra que os servos recebiam para cultivar.

manso de reserva: também chamado de terras comuns: bosques, pastagens, áreas onde ficavam os fornos, moinhos e lagares.

Senhor feudal, um exercício de poder

As relações políticas no sistema feudal caracterizavam-se pela descentralização administrativa. O senhor feudal tinha plenos poderes e autonomia dentro de suas terras.

O desenvolvimento histórico do feudalismo evidenciou a gradual diminuição do poder do rei.

O rei passou a ter poder em seu domínio de terra. O território europeu transformava-se em uma imensa colcha de retalhos, entrecortado pelas propriedades feudais.



E surgem contratos feudo-vassálicos

A concessão de terras feudais era considerada uma cerimônia especial, que envolvia rituais simbólicos e obrigações recíprocas entre:

• suserano: aquele que concedia a terra e

• vassalo: aquele que recebia a terra

Ficava então estabelecida uma relação de vassalagem, ou feudo-vassálica, que definia a dependência e a fidelidade do vassalo para com o suserano.

O contrato simbólico estabelecia que o vassalo devia também prestar serviço militar e ajuda financeira se o suserano necessitasse.

Quanto ao suserano, cumpria-lhe garantir ao vassalo a posse do feudo, dar-lhe proteção e auxílio, respeitá-lo e não lhe tirar o feudo sem razão.
1) Agora, você deverá resolver os seguintes exercícios:

a) Explique o que é o manso senhorial, manso servil e manso de reserva.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


b) Explique como era a organização política, econômica e social durante o Feudalismo.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



_______________________________________________________________________________________________________________________________________

c) Sobre as obrigações servis, explique:

– corveia: ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


– talha:

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


– banalidades:

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


– mão-morta:

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


d) Explique as relações de suserania e vassalagem.

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


2) Espaço para anotações, resumo, exercícios extras etc.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________






Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal