Entrevista com Ir. Chiara Como é a preparação para um Capítulo Geral?



Baixar 8.53 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho8.53 Kb.
Entrevista com Ir. Chiara

  1. Como é a preparação para um Capítulo Geral?

Da avaliação trienal realizada na metade do sexênio nascem as sugestões e as indicações para o tema do CG , que chegam à Madre e ao Conselho Geral de todas as Conferências Interinspetoriais do mundo.

O tema é proposto a todo o Instituto na carta de convocação que a Madre escreve a cada FMA.

São importantes o estudo pessoal e comunitário. No Capítulo Inspetorial as respostas são sintetizadas em um único documento, que é enviado a Roma.

A Madre convoca uma comissão de FMA, representantes dos vários contextos e continentes nos quais vive o Instituto que, juntamente com ela e o Conselho Geral, recolhe o material, expressão da realidade FMA no mundo e, através de um trabalho de síntese, de confronto e de busca, se chega ao Instrumento de Trabalho.

Este é logo enviado a cada capitular para que seja conhecido ainda antes do Capítulo.

Outro texto importante é o Relatório sobre a vida do Instituto, feito pela Madre com a contribuição das Conselheiras.

A metodologia do CG privilegia uma forma participativa: confronto, discussão, diálogo, na busca do que favorece a fidelidade ao carisma hoje e do que aumenta a vitalidade do Instituto, para ser resposta às expectativas dos jovens. Mas a grande questão que está debaixo de todo este processo é: o que Deus quer de nós, do Instituto, neste momento da história? Por isso é necessário viver todas as fases em clima de oração e de discernimento, com a consciência de que o verdadeiro protagonista do Capítulo é o Espírito Santo. Sem Ele nada podemos fazer.



  1. Quais os atos mais importantes que se realizarão durante o CG XXIII?

O CG exercerá uma autoridade suprema sobre todo o Instituto.

Eleger a Superiora Geral e as Conselheiras Gerais. Tratar do tema do Capítulo em todas as suas dimensões, levando em conta a pluralidade dos contextos e das situações, mas para uma presença sempre mais eficaz na igreja e no mundo.

Responder à questão de que eu falava antes, traçando linhas de ação e confiando ao empenho e responsabilidade de cada FMA a atuação concreta de quanto se estabelece na assembleia capitular.





  1. Que importância tem na história do Instituto a celebração dos Capítulos Gerais?

A celebração dos CG segue um caminho que, desde 1872, ano da fundação do nosso Instituto, continua no tempo. A cada 6 anos o Instituto se avalia e se relança, sempre com a ânsia do Da mihi animas, isto é, de atualizar a entrega recebida de Dom Bosco e de Madre Mazzarello.

É um pouco como se se olhasse no espelho, para ver se o seu rosto está sempre belo e esplendoroso, ou se tem alguma ruga, algum sinal de cansaço, de mal estar, e então é necessário fazer alguma cirurgia para embelezá-lo e reavivá-lo em nível espiritual e apostólico.



  1. Se tivesse que descrever o CG em números?

Penso logo às 13.274 FMA (incluídas as noviças) que vivem nos 5 Continentes, distribuídas em 77 Inspetorias e 5 Visitadorias, representadas por 195 Capitulares: Inspetoras, delegadas e convidadas pela Madre. ( 8 inspetorias têm 2 delegadas: India Madras e as 7 italianas).

São 113 as irmãs que participam pela primeira vez de um CG.

A mais jovem de idade tem 34 anos; a mais jovem de profissão tem seis anos, a mais idosa tem 77 e participou de 7 Capítulos.




  1. De que maneira cada FMA deve se sentir participante dos trabalhos capitulares, nas diversas inspetorias?

Antes de tudo pelo trabalho prévio desenvolvido na fase pré-capitular e depois na oração, na invocação constante ao Espírito Santo, sobretudo na alegria de viver a própria vocação e de renovar o sim ao chamado do Senhor.



A tecnologia nos ajuda a diminuir as distâncias para que todas as irmãs possam seguir o andamento diário do CG através do site do Instituto.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal