Entrevista Grão em Grãos



Baixar 12.57 Kb.
Encontro18.07.2016
Tamanho12.57 Kb.

Entrevista Grão em Grãos

Caro Guilherme,


Antes de responder diretamente às perguntas, vale ressaltar a importância das pesquisas focadas em alternativas de agroquímicos para a agricultura, por algumas razões básicas: (i) não obstantes, as tecnologias agrícolas em uso corrente sejam altamente eficientes em termos de ganho de produtividade física das culturas em geral, são altamente dependentes de combustíveis fósseis para sua fabricação, transporte e distribuição; (ii) o uso intensivo de combustíveis fósseis está diretamente associado ao aquecimento global (iii) em relação a nutrição mineral, as plantas de maneira geral apresentam baixa eficiência no uso dos nutrientes aplicados ao solo; (iv) a parcela dos fertilizantes, principalmente dos nitrogenados, não aproveitados pelas plantas está sujeita à perdas, que afetam também negativamente o ambiente (v) os custos de produção das culturas variam muito em função do preço de petróleo, que podem comprometer a segurança alimentar global em futuro próximo, (vi) os cereais de modo geral, incluindo milho, sorgo e milheto, são altamente dependentes de nitrogênio. Além disso, é importante lembrar que o crescimento do agronegócio brasileiro depende atualmente de mais de 70% de fertilizantes nitrogenados importados, que o torna vulnerável às oscilações de mercado.
Perguntas

1. Em que estágio se encontram as pesquisas na Embrapa Milho e Sorgo para o desenvolvimento de um inoculante que substitua total ou parcialmente o nitrogênio em gramíneas? Há resultados promissores?
Resposta

Após vários anos de pesquisa em que se procurou quantificar a fixação biológica de nitrogênio atmosférico associada às culturas de milho, sorgo e milheto, com base no conhecimento gerado, foram definidas duas estratégias de trabalho conduzidas simultaneamente, visando-se otimizar a contribuição deste processo biológico como fonte complementar de nitrogênio a estas culturas: (i) desenvolver genótipos produtivos em ambientes com baixa disponibilidade de nitrogênio mineral, mas também capazes de responder à adubação nitrogenada, se aplicada. Estes genótipos favorecem a associação com bactérias fixadores de nitrogênio, portanto espera-se aumentar a contribuição da fixação biológica, (ii) implantar na Embrapa Milho e Sorgo, um banco de bactérias fixadoras de nitrogênio, através de isolamento, caracterização e identificação de bactérias obtidas de amostras de solo, raízes, seiva de plantas e grãos imaturos. Atualmente, o banco conta com mais de 1000 estirpes de bactérias testadas in vitro. Estudos de taxonomia de parte desse grupo, através de métodos convencionais e de biologia avançada, mostram a presença de diferentes tipos de bactérias fixadoras associadas às culturas de milho, sorgo e milheto, com predominância dos gêneros Azospirillum, Paenibacillus, Hesbaspirillum, Bukholderia, etc.

Consideramos que os resultados de pesquisas atuais são altamente promissores, a grande diversidade bactérias encontradas nos tecidos internos das plantas (endofíticas) e em torno e dentro das raízes de milho, de sorgo e de milheto.

No momento temos ensaios sob condições controladas e de campo, onde 60 estirpes pré-selecionadas estão sendo avaliadas como candidatas a inoculantes, além da participação da Embrapa Milho e Sorgo em rede de ensaios de testes de inoculantes formulados pela Embrapa Agrobiologia.


2) A Embrapa Agrobiologia acaba de lançar um inoculante à base de bactérias fixadoras de nitrogênio que substitui o adubo à base do petróleo. No caso da cultura do milho, há inoculantes capazes de substituir totalmente o uso de adubos nitrogenados? Em caso afirmativo, a produtividade permaneceria a mesma alcançada pelos melhores híbridos existentes no mercado?
Resposta No caso das culturas de milho, sorgo e milheto não se espera a substituição total de adubos nitrogenados pela fixação biológica de nitrogênio, como ocorre na soja. Pois, sabe-se que o processo biológico nestas culturas sofre maior influência de fatores ambientais, que reduzem sua eficiência, isto é, a quantidade de nitrogênio fixada e disponibilizada para as plantas. Entretanto, em razão da extensa área cultivada com estas culturas, em especial com milho, e por agricultores que utilizam diferentes níveis tecnológicos, a substituição de pelo menos 20 a 30% do nitrogênio aplicado, que nos parece possível, implicaria em elevados impactos econômicos, sociais e ambientais.
3) Qual a ação - química e biológica - das bactérias fixadoras de nitrogênio no solo? Além da economia proporcionada pela substituição dos adubos nitrogenados, quais seriam as principais vantagens do uso de inoculantes
Resposta. A ação das bactérias fixadoras de nitrogênio sobre as plantas inclui diferentes mecanismos que agem de modo independente ou não: (i) contribuição com nitrogênio para crescimento e produção da planta, (ii) algumas destas bactérias produzem hormônios que estimulam o crescimento e a produção das plantas, (iii) algumas favorecem o crescimento do sistema radicular, o que resulta em maior capacidade de absorção de água e de nutrientes do solo, (iv) a inoculação pode estimular a atividades de enzimas importantes no metabolismo da planta e, consequentemente, aumenta a produção.

Como comentado no início, além da redução de custos de produção para o agricultor em função da substituição de fertilizantes, o uso de inoculantes torna-se adequado para sistemas de produção em que a legislação não permite o uso de agroquímicos (sistema orgânicos), para os sistemas agrícolas de baixo uso de insumos (pequeno agrocultor), reduz o números de operações na propriedade para aplicação de fertilizantes, além de contribuir para a sustentabilidade do agronegócio em termos ambientais. A produção de fertilizantes químicos demanda altas temperatura e pressão e gás natural para transformar nitrogênio atmosférico em amônio, enquanto a fixação biológica realiza exatamente o mesmo processo, à temperatura ambiente, usando a energia solar.



4) Já haveria alguma saída para o produtor para driblar a alta nos preços dos adubos à base de nitrogênio?
Resposta. As saídas validadas para o produtor driblar a alta de preços dos adubos nitrogenados para o cultivo de cereais, infelizmente, ainda são limitadas. A prática de rotação de culturas com leguminosas constitui uma das alternativas possíveis para o agricultor reduzir sua dependência de nitrogenados, sem perda de produtividade. Além dos inoculantes, a médio prazo, poderá ser disponibilizados aos agricultores sementes de cultivares desenvolvidos em ambientes pobres em nitrogênio. A Embrapa Milho e Sorgo possui trabalhos em andamento que incluem linhagens, híbridos e variedades sintéticas em estágios avançados de desenvolvimento que são eficientes no uso de nitrogênio.
5) Você tem contato de produtores que façam uso de inoculantes em algumas das duas culturas para completarmos a entrevista?
Resposta. Não tenho contato com agricultores que façam uso sistemático dos inoculantes. Considero que a qualidade e resultados prometidos dos produtos oferecidos no mercado ainda merecem validação.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal