Era uma vez no pompéU



Baixar 32.22 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho32.22 Kb.
FICHA DE INSCRIÇÃO – TESTE DE ELENCO

PEÇA : “ ERA UMA VEZ NO POMPÉU”

Ficha de Inscrição 


Nome Artístico: 
Nome Completo: 
Data Nasc.: Idade: 
Naturalidade: Sexo ( ) Feminino ( ) Masculino
Cor do Cabelo: Pele: Olhos: 
Peso: Altura: Manequim: 
Tipo Cabelo:

Anexar uma foto atual de rosto e uma de corpo inteiro.


CONTATOS
Tel. Residencial: Tel. Comercial: 


Celular : Tel. Recado: 
Endereço: 
CEP/ Município: Bairro: UF: 
E-mail: 

Especifique os seus últimos 3 principais trabalhos realizados caso tenha realizado algum.


(personagem/ autor /diretor / produção)
_
_
_

Assinale com X o seu nível na especialidade abaixo:


INTERPRETAÇÃO 
( ) Profissional ( ) Intermediário ( ) Básico

Qual personagem você gostaria de interpretar?

Nome do Personagem:


Orientações gerais

• Neste espetáculo cada ator terá a oportunidade de interpretar apenas um personagem, portanto nesta etapa, será necessário especificar o (a) personagem no qual está interessado (a) em interpretar.


• Segue em anexo o resumo da peça “Era uma vez no Pompéu” e a lista de personagens.

  • Não será permitido interpretar personagem de sexo oposto ao real do ator ( Mulher não pode interpretar papel masculino e vice versa).

  • No dia do 1° teste será permitido texto em mãos.

  • Serão avaliados: Entonação de voz, interpretação e presença de palco

  • A impressão da ficha de inscrição e esquetes para teste são de responsabilidade do candidato, não cabendo a companhia nenhuma cobrança do devido material

Obs; Quem deseja trabalhar nos bastidores (maquiagem, figurino, apoio, sonoplastia, preparação vocal, preparação corporal, intercessão, divulgação, design, e etc) apenas preencha a ficha acima e especifique sua área de atuação.

  • Todos serão creditados por seu trabalho.

  • A Compania Inicial é composta apenas pelos atores e direção. Qualquer auxílio sera compensado com créditos e divulgação do nome do voluntário ou ator participante.

  • A Compania fornecerá as cópias do roteiro completo somente para os atores selecionados para composição final, cabendo aos mesmos total responsabilidade pelo material que será disponibilizado em uma via única impressa e via email.



  • A ficha de inscrição (somente a primeira pagina) deverá ser preenchida e encaminhada para o e-mail ciateatroquimera@outlook.com . O inscrito deverá aguardar e-mail resposta confirmando o dia, horario e local para teste.

Lista de personagens

Jorge- Pai de Joaquina-1° fase. ( recorrente, aparece apenas no início)


Um homem conservador que perdeu a esposa a pouco tempo e sente a necessidade de casar sua filha Joaquina para seguir sua vida religiosa! ( pequena participação)

Manuel- Noivo de Joaquina-1° fase. ( recorrente, aparece apenas no início)


Um comerciante rico que esta comprometido com Joaquina, sem sentimentos , apenas por negócios de família. Amigo de Inácio.

Joaquina- 1° fase e 2° Fase.( 2 atrizes) (principal, aparece criança na primeira fase e adulta na segunda)


Menina rebelde, totalmente contra seu casamento com Manuel . Mantem um caso com Inácio as escondidas e não faz questão de esconder sua repulsa pelo noivo. Tem gênio forte e quando quer acaba conseguindo. Bate o pé e ninguém a ousa contrariar. O tempo passa e quando se casa com Inácio acredita que esta vivendo seu momento ímpar da vida com luxo, dinheiro e muito prestigio, porém, seu métodos nada convencionais acabam por despertar coisas boas em algumas pessoas e ruins em outras. Tem uma amizade muito forte com o rei D. João VI e não suporta sua esposa Carlota Joaquina. Tem Matias como seu braço direito e Ipanema como a única pessoa que , mesmo sem demonstrar muito, acaba sendo a mais leal a ela. Tem uma rivalidade incompreendida com Maria Tangara que se considera a sua rival mesmo sem Joaquina entender ao certo o que causa o ódio da concorrente.Tem caso com o negro Rufino

Inácio- 1° fase, amante de Joaquina. 2° fase , Marido de Joaquina. ( recorrente aparece pouco no início e no meio ,mas tem uma cena grande e importante no final)


Na primeira fase ele é amigo de Manuel mas mantém um caso as escondidas com sua noiva Joaquina. É um homem cheio de mistérios e com personalidade duvidosa. Acaba conseguindo a mão de Joaquina e após se casar com ela percebe que as coisas não saíram como o planejado. Frustrado por apenas sua esposa conseguir grandes influencias com a coroa portuguesa e ser obrigado a ficar em sua sombra, ele esconde um grande segredo que mudará completamente o rumo da história.

Matias- 2° fase. ( recorrente, aparece bastante na segunda fase) ( Vaga Preenchida)


Braço direito de Joaquina. Nutre por ela uma admiração e afeto maior do que um simples empregado deveria manter. Inocente, não percebe os desmandos da vida de sua patroa e acaba caindo nas mãos erradas quando sua única intenção é ajudar.

Ipanema-2° Fase. ( recorrente, aparece somente na segunda fase e tem bastante cenas importantes no final)( Vaga Preenchida)


Tido como escravo na casa de Joaquina,é um Indio que foi encontrado pela família do capitão Inácio ainda criança abandonado próximo a uma cachoeira para morrer. Acaba por incomodar a quase todos com seu jeito diferenciado. Sempre recriminado por todos devido os seus trejeitos duvidosos, acaba se revelando um verdadeiro homossexual sonhador. Sonha em ter vida de sinhá e se mantem fiel e admira sua sinhá Joaquina. Mesmo com seu jeito particular de se comunicar ou de demonstrar seu afeto, ele é suspeito e acusado de coisas que não fez, mas a descoberta de um grande amor e a realização de um sonho o farão mostrar a todos quem ele é de verdade ao salvar a vida de Joaquina.

Agripina-2° fase. ( recorrente, aparece poucas vezes, poucas falas, duas cenas importantes)


Considerada a mãe de todos os escravos na senzala de Joaquina pertencia a Maria Tangará e conhece de perto as maldades de sua ex dona. Peça fundamental no desfecho da história que ,por uma grande tragédia do passado,é obrigada fazer coisas em nome da felicidade e descanso de um filho que já morreu. Tem conhecimento sobre ervas e se comunica com seu filho em forma de espirito que busca a paz. É tida como bruxa, mas na verdade apenas é uma ansiã com grande conhecimento e dons mediúnicos.

Rufino- 2° fase. ( recorrente. Aparece pouco, quase não tem falas. Estará sempre sem camisa durante a peça, necessário ter presença de corpo)


Escravo que mantem caso com Joaquina cumprindo suas ordens. Ama Joaquina profundamente e acredita que um dia ela o amará de volta e poderão ser felizes juntos.

Rei- 2° fase. ( Principal. Aparece somente no meio da peça e tem bastante falas. Optamos pelo estereótipo do rei gordo que vive comendo uma coxa de frango )


Gordo e comilão é amigo próximo de Joaquina e deve a ela favores imensos pois, com a ajuda da amiga ele conseguiu estabelecer a coroa portuguesa no Brasil quando cá chegaram fugindo de napoleão Bonaparte. Recebeu ajuda com alimentos, e carne para alimentar a toda coroa portuguesa. Vive um casamento frustrado com Carlota Joaquina e descobre que ela se mantém infiel enquanto ele se mantem solitário não tendo conhecido nenhuma outra mulher ou amor desde então. Sonha em encontrar um grande amor como le nos livros de poesias que ganhou ao chegar ao Brasil.

Maria Tangará- 2° fase. ( antagonista principal, aparece no meio da peça, possui falas importantes e grandes. Participação importante no final)


Grande rival de Joaquina, nunca deixou claro o motivo de seu ódio. Tenta de tudo para destruir sua rival e sente um amor profundo por Inácio, com quem acredita que ficará junto se seus planos derem certo. Tem fama de maltratar os escravos e usar seus órgãos e seu sangue para rituais de magia negra. Tem um passado mal resolvido com mãe Agripina e usará toda sua maledicência para conseguir o que quer. É uma melhor de personalidade reservada e culta, cheia de dotes e postura sempre age sobressaindo as boas maneiras, inclusive para dizer maldades. Audaciosa e recatada.

Carlota Joaquina- 2 fase. ( recorrente, aparece no final, porém tem falas grandes)


Rainha esposa do rei D. João VI. Nurte um vício descontrolado por sapatos, principalmente os de Joaquina, o que acaba fazendo-a cometer pequenos furtos para conseguir os sapatos que quer. É uma mulher infiel e sente nojo do marido. Não gosta de Joaquina e tenta se aliar com Maria tangara para destruí-la . Personagem voltado para o lado cômico. Com sotaque espanhol.

Padre Eurico- 2°fase. ( recorrente, quase não tem falas)

Padre com quem Joaquina se confessa e que se recusa a testemunhar contra ela.



Padre Inquisdor João Emanuel Miranda 2° fase. ( recorrente, aparece no final e tem poucas falas, basicamente somente as do teste)

Padre Inquisidor suspeito. É o Juiz no julgamento de Joaquina .



ANEXO

Era uma vez no Pompéu.

A História é contado no período entre o século XVIII e o século XIX . O enredo é em torno de Joaquina do Pompéu ,uma grande dama do século XIX, pia, conservadora, religiosa e bem comportada, ou uma sinhá da “pá-virada” que escandalizava a sociedade fornicando com os próprios escravos? É entre esses dois extremos que oscila a fama de Joaquina do Pompéu, uma das mulheres mais poderosas das Minas Gerais do seu tempo. Quando morreu, aos 72 anos, em 7 de dezembro de 1824, vítima de derrame cerebral, deixou uma herança avaliada, em dinheiro atual, em aproximadamente 2 bilhões de reais. E também uma memória controversa. Até os dias de hoje, circulam inúmeras histórias sobre a grande senhora, relembradas e transmitidas boca-a-boca e também registradas pela literatura e pela historiografia. Dona de um nome extenso que lhe dava foros de nobreza – Joaquina Bernarda da Silva de Abreu e Silva Castelo Branco Souto Maior de Oliveira Campos – ela nasceu em Mariana (MG) em 20 de agosto de 1752. Era a quinta dos nove filhos de um advogado português, Jorge de Abreu Castelo Branco, e da a coreana Jacinta Teresa da Silva. Ficou órfã de mãe aos 10 anos de idade, mas d. Jacinta teve tempo de educá-la como uma pequena dama à moda europeia, ensinando-lhe a “ler, bordar, coser e cozinhar, assim como a rigorosa política do século XVIII, que era a polidez de receber as pessoas e tratá-las com fineza”. Viúvo, o pai de Joaquina retomou os estudos eclesiásticos começados em Coimbra e se ordenou padre. Em 1762, transferiu-se com a família de Mariana para Pitangui, vila localizada no oeste da capitania de Minas. Foi lá que Joaquina conheceu o capitão de milícias Inácio de Oliveira Campos, com quem se casaria em 1764. É nesse período que se revelam as primeiras expressões de um temperamento forte, arrebatado e independente. Embora, aos onze anos, estivesse apaixonada por Inácio, se vê obrigada, como era costume na época, a ficar noiva, por imposição do pai, de um homem de que não gostava, o comerciante Manuel de Sousa e Oliveira. No dia do noivado, no entanto, recusou-se a um brinde com o “prometido”. Para espanto dos presentes, aproximou seu copo do copo do capitão de milícias, que comparecera à festa, e disse em alto e bom som: “Não é para beber a saúde do noivo escolhido? Pois eu bebo a saúde de meu noivo, capitão-mor Inácio de Oliveira Campos”. A atitude de Joaquina quase resultou num duelo entre Inácio e o noivo ultrajado, que acabou demovido da idéia. Apesar dos protestos paternos, Joaquina e Inácio acabaram se casando, em 20 de agosto de 1764. Ela com 12 anos, e ele 30. Anos depois, no Solar de Joaquina, na presença de Inácio e Matias ( homem de confiança de Joaquina) recebem, através de Ipanema ( Indio mantido como mucamo do casarão. Possui trejeitos nada peculiares para a época), uma carta do rei D.João VI com quem mantem uma amizade e uma ligação muito especial, dizendo que irá visita-la. É aí que toda confusão começa pois, Joaquina sente receio de estar novamente sob o mesmo teto de Carlota Joaquina ( rainha) , pois as duas já tiveram atritos anteriores devido Joaquina ter acusado carlota de ter surrupiado seus sapatos, uma vez que a mesma tenha vicio pelos mesmos. Carlota .Nesse momento da história Ipanema começa a mostrar seu lado fiel a sua sinhá Joaquina e tenta, através de um método nada convencional, impedir a vinda de Carlota que tem sua viagem a Pompéu interrompida, tendo o rei que continuar sua viajem sozinho. Ao chegar ao casarão o rei conhece Maria tangará, principal inimiga de Joaquina que tenta de todas as formas interromper ou atrapalhar os planos da protagonista devido a um problema secreto que ficou no passado das duas e que Joaquina na verdade desconhece até o final da história. Ipanema tenta de todas as formas chamar a atenção do rei para, quem sabe, leva-lo para trabalhar no Palácio Imperial da coroa portuguesa, uma vez que Ipanema sonha em ser um fidalgo e sempre se achou superior aos demais empregados da casa pois possui o apreço de sua sinhá. Em meio a intrigas e dramas, com Inácio em viajem a trabalho, Joaquina organiza uma festa para seu amigo D. João e entre os preparativos os dois acabam se servindo de um chá trocado, passando a ter sensações e atitudes cômicas principalmente logo após descobrirem que o tal chá é feita de ervas que os índios utilizam para relaxar , uma vez que o mesmo chá é tomado das mãos de Ipanema que não consegue impedir a ingestão. Nesse momento apresentamos a personalidade de um rei mal amado, carente e inocente que só quer encontrar o amor verdadeiro mesmo estando casado com Carlota Joaquina e sabendo que ela lhe é infiel.Chegando ao momento da festa, Joaquina se ve obrigada a convidar Maria tangará , uma vez que o rei tenha se simpatizado com a senhora antes do aval de Joaquina. São convidados da festa também Matias, Padre Emanuel. Os empregados da sala são os negros Rufino e Mãe Agripina, uma senhora que é considerada a mãe de todos os escravos daquela senzala e que ama Rufino e Ipanema como filhos de sangue, mesmo sabendo que Rufino perdeu sua mãe quando criança e que Ipanema desconhece seu passado, apenas foi encontrado ainda criança deixado pra morrer próximo a uma cachoeira. A Festa na verdade passou a ser um plano de Joaquina para humilhar sua rival, sendo que ao ter seu primeiro contato com o rei, Maria Tangará lhe presenteou com uma banana de ouro maciço. Inconformada com a audácia da rival, Joaquina decide dar ao rei durante a festa um cacho de bananas de ouro maciço, apenas para afrontar e mostrar quem é que manda. Nesse momento as coisas fogem do controle pois o rei se apaixona por alguém misterioso que tocou uma linda canção no piano durante a festa, mas quando o relógio bate meia noite o rei assiste a cena de seu grande novo amor correr para fora da festa sumindo de sua vista, e na sua inocência, temia perder para sempre a chance de encontrar o amor citado nos livros de poesia que lera após sua vinda ao Brasil. Enquanto o rei pede explicações do que houve para Joaquina segurando a pulseira que seu grande amor deixara cair durante a fuga, todos na festa se embebedam de um chá com algum tipo de mistura mágica que acaba deixando todos alterados e tendo visões de coisas que não estavam na sala ( efeito psicodélico) e enquanto todos estão alucinado chega Inácio que cobra uma explicação de tudo aquilo que acabara de ver. Rufino, escravo empregado da casa e amante de Joaquina sente um cíume incontrolável ao ver os dois juntos e ainda sofrendo alucinações ele grita em alto e bom som a todos na festa o quanto ama sua sinhá e tira do bolso uma maça que ganhara momentos antes de um desconhecido que alegava que a fruta faria com que sua sinhá retribuísse todo o amor que ele investiu nela durante tantos anos amando-o de volta, então ele da apenas uma mordida e cai morto no chão da sala em meio a todos. Depois do choque todos entram em transe e desmaiam, exceto Joaquina que mais uma vez era questionada por Inácio , que cobrava uma explicação pra tudo aquilo. Sem explicações convincentes Inácio parte deixando Joaquina e saindo de casa por considerar a mulher uma promiscua insana.Matias acorda e tenta defender sua senhora, mas acaba sendo convencido a deixar pra la por Joaquina. A festa acaba e no outro dia Joaquina se aconselha com o Rei e ele alega que alguém de sua confiança possa ter armado para ela, dai então , acreditando ser Ipanema o culpado por tudo, da alforria ao escravo o expulsa de sua casa.O Rei e Joaquina brigam ao Joaquina revelar o nome da pessoa que tocou piano na festa na noite anterior e o rei foge e desaparece. Em seguida ela recebe a visita de Padre Eurico que lhe informa sobre a acusação que Maria Tangará fez a respeito de Joaquina: FORA ACUSADA DE BRUXARIA E HERESIA.Carlota Joaquina chega ao Pompéu por ter recebido a solicitação de sua presença no julgamento de Joaquina, pois, com o sumiço do rei era a rainha quem estava no comando. Muitas coisas acontecem durante o julgamento. Maria Tangará revela o verdadeiro motivo do ódio que ela sente por Joaquina e isso muda todo o rumo da história. O Julgamento tem um final surpreendente com morte, revelações, traições, maternidade, a descoberta de uma herança, dois novos casais se formam, mistérios sobre o passado de Inácio são revelados e no final de tudo a rainha perde a cabeça.

( literalmente).



FIM

Autoria: Jeferson Young



Supervisão de Texto: William Miranda Paixão.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal