Escola municipal liomar gomes ensino fundamental



Baixar 20.37 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho20.37 Kb.
ESCOLA MUNICIPAL LIOMAR GOMES – ENSINO FUNDAMENTAL
PROFESSORA: GISLAINE CRISTINA PAVÃO

4º ANO “B”



PROJETO

AS DIVERSAS FACES DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

CIANORTE


2014
1 JUSTIFICATIVA
As histórias são muito importantes para a formação de leitores. Como afirma Abramovich (1997, p. 16) “Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...”.

Em face disso, a leitura deve apresentar um caráter lúdico, bem como todo conhecimento e experiências que são adquiridas anexas a essa atividade. Assim, esse projeto procurou formar bons leitores, como aponta Abramovich (1995, p. 148):


Me parece que a preocupação básica seria formar leitores porosos, inquietos, críticos, perspicazes, capazes de receber tudo o que uma boa história traz, ou que saibam por que não usufruíram aquele conto... Literatura é arte, literatura é prazer... Que a escola encampe esse lado. É apreciar – e isso inclui criticar...
Norteados por esses princípios, procuramos desenvolver o Projeto “As diversas faces da Contação de histórias” com a turma de 4° ano B do Ensino Fundamental da Escola Municipal Liomar Gomes em Cianorte, no estado do Paraná. Essa turma é composta por cerca de 20 crianças com a faixa etária de 8 a 10 anos. E esse projeto se justifica por incentivar esses alunos a serem leitores entusiastas por histórias e literatura de boa qualidade.

2 OBJETIVOS
2.1 OBJETIVO GERAL

Desenvolver o gosto pela leitura de forma lúdica nos alunos do 4° ano B.


2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Proporcionar momentos diários para ouvir histórias de literatura infantil nacional e estrangeira;

Possibilitar momentos em que os alunos ludicamente criem histórias utilizando-se do Baú de histórias;

Desenvolver a linguagem oral e raciocínio lógico de idéias contando histórias com Avental de histórias e teatro de fantoches;

Ampliar habilidades de linguagem corporal e de entonação na contação de histórias;

Realizar análise critica de histórias de literaturas infantil, produzindo coletivamente resenhas simples.



3 METODOLOGIA
Em todos os momentos de atividades buscou-se atingir o objetivo de desenvolver o gosto pela leitura de forma lúdica. Segundo Dinorah (1995, p. 55-56):
A história aquieta, asserena, prende a atenção, informa, socializa, educa.

Quanto menor for a intenção de alcançar tais objetivos, maior sua influência.

A história é alimento da imaginação, favorecendo a aceitação de situações desagradáveis, ajudando a resolver conflitos, acenando com esperança.
Dessa forma, em atividades desenvolvidas diariamente ou em momentos durante o ano letivo priorizou-se o prazer e o fascínio pela leitura.

Em todos os dias foi realizada a “Contação de histórias” sob a forma de leitura, realizada pela professora, de livros de literatura infantil nacional ou estrangeira. Nessas ocasiões, aconteceram momentos de suspense, diversão, aprendizagem de novas informações, emoção e comoção.

Em um dos momentos de “Contação de histórias” foi apresentado aos alunos o “Avental de histórias”, quando se contou as histórias clássicas dos “Três porquinhos” e “Chapeuzinho Vermelho”. Os alunos ficaram muitos animados com essa nova forma de contar histórias e foram provocados a contar essas histórias com o recurso do “Avental de histórias”.

O mesmo aconteceu com o recurso do “Baú de histórias” em que no primeiro momento foi apresentado aos alunos a dinâmica desse recurso e em seguida, cada aluno compôs sua história com esse material, no qual retira-se objetos do baú para se compor uma história.

Além da leitura diária de um livro, aconteceu, no momento diário de “Contação de histórias” um teatro de fantoches da obra “Marcelo, marmelo, martelo”, de Ruth Rocha, primeiramente apresentado pela professora e posteriormente pelos alunos. Nessa atividade os alunos desenvolveram habilidades de desenvoltura com fantoches, entonação de voz, dramatização e a leitura. O prazer pelo desenvolvimento da atividade ficou estampado no rosto das crianças.

Nesse último momento do ano letivo, além da “Contação de histórias” que acontece diariamente, algumas obras foram selecionadas para produção coletiva de resenhas, seguindo a estrutura de análise do autor, resumo da obra e análise e indicação da obra, e ainda, uma ilustração em materiais diferente, como papel camurça, chão áspero, papel laminado, lixa, papel de jornal e outros. É importante ressaltar que nessa atividade, os alunos foram desafiados a pensar sobre a obra como um todo, especialmente, autoria e características da mesma.



4 AVALIAÇÃO
Esse projeto, tal qual o ano letivo, está em fase de finalização e podemos deslumbrar inúmeros resultados.

O primeiro que podemos citar é a satisfação ou insatisfação apresentada pelos alunos ao final da leitura das obras, demonstrando que já possuíam certo nível de senso crítico desde o início do ano letivo. Além disso, a atenção demonstrada pelos alunos durante a leitura diária vem confirmar o prazer que sentem no contato com a literatura infantil.

Outro resultado que podemos mencionar é o entusiasmo demonstrado pelos alunos quando é proposto que eles mesmos contem suas histórias, que leram, ouviram ou com recursos apresentados pela professora. Por meio dessas oportunidades, os alunos perceberam quantas habilidades que são necessárias para se contar uma história, desde a habilidade com a leitura até a entonação e a linguagem corporal.

O ponto culminante do trabalho desenvolvido em sala aconteceu durante a V Mostra Cultural da Escola Municipal Liomar Gomes, quando pais e comunidade puderam visualizar o trabalho desenvolvido em sala assistindo aos alunos contando histórias com avental, baú e o teatro de fantoches “Marcelo, marmelo, martelo”. O público se mostrou muito satisfeitos e os alunos sentiram a gratificação do trabalho realizado.




REFERÊNCIAS:
ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.
DINORAH, Maria. O livro infantil e a formação do leitor. Petrópolis: Vozes, 1995.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal