Escola no campus: incentivo à leitura, À cultura e ao desenvolvimento social



Baixar 0.79 Mb.
Página1/22
Encontro02.08.2016
Tamanho0.79 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22
UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / BIBLIOTECA CENTRAL

ESCOLA NO CAMPUS: INCENTIVO À LEITURA, À CULTURA E AO DESENVOLVIMENTO SOCIAL

ELENCIRIA OLIVEIRA DA CRUZ (Bolsista PIBEX/UFV), LEIVA NUNES (Coordenador/UFV), MARIA CLAURINDA PEREIRA DOS SANTOS REIS (Voluntário/UFV), LILIAN MÉRCIA DOS REIS (Voluntário/UFV), FABÍULA APARECIDA RAMOS (Voluntário/UFV), JEANE SOARES GODINHO (Voluntário/UFV), JULIANA APARECIDA RODRIGUES (Voluntário/UFV), NAIZA FLÁVIA DE SOUZA GOMES (Voluntário/UFV)

 

O Projeto Escola no Campus: Incentivo à Leitura, à Cultura e ao Desenvolvimento Social tem como tema principal desenvolver o hábito e o gosto pela leitura através de histórias, de atividades culturais e sociais. Buscando atingir as crianças de escolas da zona rural de Viçosa como também suas famílias. O Projeto vem desenvolvendo e valorizando o interesse das crianças pela leitura, pela literatura, possibilitando que estas se expressem livremente. Através da interação buscamos extrair das crianças o que ficou do trabalho realizado pelo Projeto e, através de leituras e contação de histórias motivar as crianças a inventarem e escreverem suas próprias historias. O que implicará, no desafio de publicarmos estas histórias num livro que fará parte do acervo das Bibliotecas das escolas. A cada escola visitada podemos perceber a receptividade e a ansiedade das crianças no momento de ouvirem histórias e manusearem os livros. Elas se mostram voluntárias e espontâneas no momento de se expressarem e demonstram-se eufóricas diante da idéia de escreverem um livro.   Pelo fato de buscarmos um caráter includente em nossas atividades, sempre incentivamos as crianças que ainda não escrevem, a fazerem desenhos para que possam ilustrar as histórias dos colegas na confecção do livro. Buscamos incentivá-las mostrando-lhes que todos sabemos ler, que a leitura não se limita à decodificação de códigos e que existem livros só de gravuras. Podemos perceber o sorriso de satisfação no rosto das crianças e adolescentes que apresentam dificuldades de aprendizado. Chamamos a atenção das crianças para o ambiente ao redor, sensibilizando-as para que percebam como o mundo pode nos inspirar em nossas invenções.



UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / CEDAF - CENTRAL DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS – A CIDADANIA PELO LIXO

BRUNO ROGÉRIO NASCIMENTO DE FARIA (Voluntário/UFV), FERNANDA FONSECA PESSOA ROSSONI (Voluntário/), MARCO TÚLIO DA SILVA FARIA (Bolsista PIBEX/UFV), HYGOR ARISTIDES VICTOR ROSSONI (Coordenador/UFV)

O presente projeto está sendo desenvolvido para melhorar o sistema de coleta, transporte e tratamento dos resíduos sólidos e auxiliar tecnicamente o trabalho da Associação dos Catadores e Triadores de Material Reciclável de Florestal-MG (ASTRIFLORES). A principal justificativa deste trabalho é minimizar os problemas causados pelos resíduos sólidos na cidade de Florestal-MG, diminuindo a quantidade de resíduos que são destinados à vala de aterro. Além disso, pretende-se aumentar a renda dos trabalhadores da Usina de Triagem e Compostagem de Florestal-MG. O principal objetivo é conscientizar a população, através de um Programa de Educação Ambiental, a mudar a maneira de coleta dos resíduos sólidos nos lares e comércios, e consequentemente, facilitar o trabalho da ASTRIFLORES, além de elaborar um Plano de Gerenciamento Integrado dos Resíduos Sólidos para nossa cidade. Para alcançarmos os resultados esperados, é preciso que consigamos a adesão de grande parte da comunidade florestalense. Isto se dará no momento em que a população aderir ao modelo de coleta e separação de resíduos gerados em suas casas em "seco" e "úmido". O primeiro passo para desenvolver a Educação Ambiental foi a aplicação de um questionário para conhecer a percepção da população em relação aos resíduos sólidos e ao meio ambiente. Das quatrocentas pessoas entrevistadas, 20,5% responderam o conceito considerado ideal para o meio ambiente e, somente 17%, sabem qual é a frequência correta dos resíduos sólidos em Florestal. Baseado nos resultados da pesquisa, desenvolveremos cartilhas e palestras para conscientizar a população sobre como separar os resíduos em seco e úmido e o que é feito com os resíduos depois que eles são coletados. Concluído o programa de educação ambiental, montaremos um plano de gerenciamento integrado dos resíduos sólidos para a cidade de Florestal. 

UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / CEDAF - CENTRAL DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO



Implantação de Sistema Silvipastoril para Recuperação de Áreas Degradadas

FLÁVIA CARDOSO NEVES (Bolsista CNPq/UFV), MARCIA PINHEIRO LUDWIG (Orientador/UFV), Raíza de Oliveira Dutra Rodrigues (Voluntário/UFV)

A existência de áreas com pastagens degradadas, principalmente entre os pequenos e médios produtores de leite, é um problema que resulta no empobrecimento das comunidades rurais de Florestal. A proposta do presente projeto para a solução deste problema é a disseminação de uma tecnologia sustentável, denominada Sistema Silvipastoril, sugerindo a exploração, em uma mesma área e mesmo período, ou em períodos subseqüentes, de árvores e pastagens, alternativa que viabilizaria aumento de renda e redução dos impactos ambientais. A meta é a implantação de dois projetos pilotos para produção de pastagens no Sistema Silvipastoril para demonstrações técnicas, econômicas e realização de eventos. As ações extensionistas realizadas foram: ‘’Dia Especial’’; formação de grupo de trabalho, constituído por estudantes; contato com professores e com a EMATER-Florestal para discussão de assuntos relacionados ao projeto; levantamento de dados e bibliografia sobre Sistema Silvipastoril e Diagnóstico Participativo; reuniões semanais para avaliação e acompanhamento do projeto; visitas periódicas as unidades implantadas para avaliação e acompanhamento; e a realização de um Curso sobre Controle de Pragas na Cultura do Eucalipto. No ‘’Dia Especial’’, realizado em parceria com a Secretaria da Agricultura de Minas Gerais, EMATER e Prefeitura Municipal de Florestal, aconteceram palestras de profissionais da área florestal e visita a uma das unidades de implantação do projeto. O evento contou com a participação de autoridades, produtores rurais e estudantes. O Curso de Controle de Pragas na Cultura do Eucalipto contou com a participação de estudantes e teve a duração de oito horas. Em parceria com a EMATER foram implantados em março de 2009, dois projetos em propriedades particulares, onde foram plantados dois hectares de eucalipto em design apropriado para cultivo de pastagem nas entrelinhas de dez metros. O que esse trabalho almeja demonstrar é a expectativa de cumprimento da tarefa de disseminar conceitos e práticas de Sistema Silvipastoril.

UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / CEDAF - CENTRAL DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PRÁTICA NO MUNICÍPIO DE FLORESTAL

LAYSE ADELIA MOREIRA (Bolsista BIEX/UFV), SUZANA SANTOS CAMPOS (Coordenador/UFV), KAMYLLA MOREIRA DA SILVA (Voluntário/UFV)

O trabalho tem como objetivo sensibililizar a comunidade, por meio da Educação Ambiental (EA), a desenvolver práticas ambientais sustentáveis no município de Florestal.  A EA se caracteriza fundamentalmente por uma educação interdisciplinar, portanto, a metodologia utilizada é a participativa. A primeira etapa foi marcada pela capacitação de professores da Escola Municipal Dercy Alves Ribeiro, por meio de palestras, oficinas e dinâmicas de grupo. A segunda etapa do projeto envolve tanto os professores quanto os alunos de 1º ao 5º anos da rede pública municipal.   Tal envolvimento acontece por meio de palestras, teatros, oficinas e dinâmicas interdisciplinares. Além disto, os alunos estarão envolvidos em três concursos específicos para cada faixa etária: um de desenho, cujos alunos do 1º ao 3º anos expressarão atitudes corretas e incorretas em relação ao meio ambiente; um de redação sobre o meio ambiente para os alunos de 4º e 5º anos e a montagem de um brinquedo (por turma do colégio) a partir de materiais recicláveis e reaproveitáveis. Por fim, a conscientização da comunidade acontecerá por meio de palestras e apresentações dos alunos envolvidos. Uma pesquisa de percepção Ambiental será aplicada, por meio de questionários estruturados e semi-estruturados, na comunidade presente nas palestras de conscientização. Os resultados alcançados, até o momento, refletem-se diretamente na mudança de comportamento dos professores envolvidos no projeto. Um questionário inicial aplicado a estes professores, facilitou e orientou o trabalho que seria realizado na capacitação a partir dos dados obtidos sobre suas percepções em relação aos problemas ambientais vigentes. Durante esta capacitação percebeu-se que os professores já estavam adquirindo e pretendiam adotar novas posturas e práticas sustentáveis em suas atividades profissionais e pessoais.

UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / CEDAF - CENTRAL DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO



Multiplicadores em Informática Educativa na Rede Pública Estadual

MARCUS HENRIQUE SOARES MENDES (Coordenador/UFV), GABRIEL DUARTE RESENDE (Bolsista PIBEX/UFV), MARIA AMELIA LOPES SILVA (Voluntário/UFV), WALISON RODRIGO DA CRUZ (Voluntário/UFV), RAFAEL HENRIQUES NOGUEIRA DINIZ (Voluntário/UFV)

A utilização de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TICs) pode melhorar o processo e a qualidade do ensino, no entanto, não basta simplesmente realizar a aquisição de computadores e colocá-los nas escolas. É necessário realizar a correta instalação dos equipamentos, a manutenção periódica desses e, principalmente capacitar os profissionais do ensino para que possam utilizar as TICs nas atividades de informática educativa. Nesse projeto, fez-se o levantamento das necessidades referentes ao uso de informática na educação junto a um grupo de professores e funcionários da Escola Estadual Serafim Ribeiro de Rezende localizada no município de Florestal em Minas Gerais. Os principais pontos levantados pelo grupo foram relacionados ao uso da rede mundial de computadores (internet), do sistema operacional linux, de softwares de apresentação, editores de texto e planilhas eletrônicas. Após a obtenção das demandas, auxiliou-se na estruturação física do laboratório de informática por meio da instalação e configuração adequada dos computadores da escola e elaborou-se um modelo de capacitação em informática na educação. A partir disso, estão sendo desenvolvidos materiais didáticos específicos de acordo com as demandas existentes no grupo de multiplicadores. Espera-se que após o término de toda a capacitação os profissionais de ensino da escola estejam mais estimulados e capazes de utilizar as TICs no processo de ensino-aprendizagem e, sobretudo é esperado que os integrantes do grupo se tornem multiplicadores do uso de TICs na educação, ou seja, que estejam aptos e motivados a repassar o conhecimento obtido para outros agentes envolvidos no ensino

(PIBEX)


UFV / VII SEU / OUTUBRO DE 2009 / CEDAF - CENTRAL DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO

Ações Integradas para Percepção Ambiental na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Camarão - Florestal (MG)

STEPHÂNIA MAYARA MACHADO MARQUES (Bolsista PIBEX/UFV), ADILSON DE CASTRO ANTONIO (Coordenador/UFV), LETICIA GUIMARÃES DINIZ (Voluntário/UFV)



Catálogo: simposio integracao academica -> simposiosAnteriores -> out2009 -> docs -> seu
docs -> RepresentaçÃo social da leitura: espaços sociais e formaçao do leitor
docs -> Uma análise da participaçÃo das regiões sudeste e nordeste no produto interno bruto brasileiro (pib) entre os anos de 1997-2001
docs -> Ufv / IX simpos / outubro de 2009 / administraçÃo análise da eficiência na alocaçÃo de recursos públicos destinados à habitaçÃo em minas gerais
docs -> Ufv / III sen / outubro de 2009 / administraçÃo da teoria à prática: o ensino ativo como alternativa ao aprendizado administrativo
docs -> Ufv / IX simpos / outubro de 2009 / letras história do cerco de lisboa, de josé saramago história, literatura e memória de palavras
docs -> Ufv / III sen / outubro de 2009 / arquitetura e urbanismo a redefiniçÃo do espaço físico da cidade de londres no século XVII: a proposta de christopher wren
seu -> Marcha nico lopes: ressignificaçÕes da memória coletiva da comunidade acadêmica e viçosense
docs -> Fugas de escravos e reorganizaçÃo do mercado de trabalho: um estudo comparativo entre minas gerais e são paulo
seu -> A formação de leitores/cidadãos através da prática de leitura literária na escola


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal