Espacialização da população idosa no Brasil e as políticas públicas



Baixar 6.77 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho6.77 Kb.
Espacialização da população idosa no Brasil e as políticas públicas.
Gildette Soares Fonseca

Duval Magalhães Fernandes


Resumo:
Este estudo tem por objetivo mostrar a distribuição da população idosa no Brasil, assim como analisar os desafios e perspectivas dos governantes com o aumento da expectativa de vida. Para tanto, fez levantamento bibliográfico, considerou-se os dados do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2010, após a compilação dos dados elaborou-se mapas no software Arc Gis, versão 10.0. O aumento da expectativa de vida da população significa desenvolvimento social, mas, em muitas culturas o idoso é um “fardo” para os familiares, além de ser esquecido pelos governantes. Na América Latina, no período de 1970 a 2010, alguns países realizaram progressos no aumento da expectativa de vida, a saber, Brasil, Costa Rica, Equador, El Salvador, Honduras, México, Nicarágua, Peru e República Dominicana. No Brasil, conforme o Censo Demográfico do IBGE de 2010 são 198.360.943 milhões de habitantes, sendo 20.590.597 idosos, no que se refere à distribuição pelo território o Norte e o Sudeste apresentam respectivamente o menor e o maior número de idosos. Quanto aos direitos dos idosos, a Constituição Federal de 1988 propôs ações de proteção social, a partir da introdução do conceito de seguridade social. Em 1994, foi criada a Política Nacional do Idoso (PNI) que objetivou assegurar os direitos dos idosos, contudo, na prática foram poucos os avanços. Em 2003, foi criado o Estatuto do Idoso, Lei n° 10.741, de 1° de outubro de 2003 que entrou em vigor em 1°de janeiro de 2004, são 118 artigos que abordam os direitos fundamentais e as necessidades primárias dos idosos, assim como os deveres da família e do Estado. No entanto, devido à vulnerabilidade que vive a maioria dos idosos, é urgente rever as políticas públicas no intuito de preservar o papel social do idoso, sua re-inserção na sociedade, além de defender sua autonomia e mobilidade.
Palavras Chave: Brasil. População. Idoso. Políticas.


 Doutoranda em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (FAPEMIG). gildettes@yahoo.com.br Agradecimento à FAPEMIG-MG pelo apoio financeiro

 Professor Adjunto III da PUC –MG - Programa de Pós-Graduação em Geografia Tratamento da Informação. Professor visitante da Universidade Peruana Cayetano Heredia. duvalfernandes@hotmail.com


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal