Espiritismo e Espiritualismo



Baixar 9.69 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho9.69 Kb.

Espiritismo e Espiritualismo

O Livro dos Espíritos, obra essencial da Doutrina Espírita apresenta-se inicialmente sob o título “Filosofia Espiritualista”. Importa, assim, inicialmente, questionar qual a relação entre Espiritismo e o Espiritualismo, e por que apresenta-se como filosofia.


Allan Kardec, ao codificar a Doutrina Espírita, houve por bem criar os vocábulos Espiritismo e Espírita, distintos de Espiritualismo e Espiritual, para maior clareza e precisão de conceitos. Por Espiritualismo entende-se a doutrina filosófica, segundo a qual o Espírito constitui a substância de toda a realidade, e que tem por base a existência de Deus e da alma. Efetivamente, o Espiritualismo opõe-se ao Materialismo, para o qual a única substância existente é a matéria. Sob este aspecto, a Doutrina Espírita está plenamente identificada ao Espiritualismo, enquanto gênero a que pertence, mas quanto à especificidade vai mais além, na medida em que acrescenta-lhe os seguintes princípios básicos:



  1. Possibilidade de comunicação entre o mundo espiritual e o mundo material.

  2. Pluralidade das existências;

  3. Pré-existência e imortalidade da alma;

  4. Justiça Natural: as penas e recompensas nada mais são que conseqüência natural de ações praticadas;

  5. Progresso infinito do Espírito.

Como generalidade, portanto, O Livro dos Espíritos representa uma das fases do Espiritualismo, mas como especificidade contém a Doutrina Espírita. Essa a razão por que traz sobre o título as palavras: Filosofia Espiritualista.



Espiritismo
Filosofia - Ciência - Religião

Embora represente uma face do Espiritualismo, cumpre esclarecer que o Espiritismo difere de toda e qualquer ramificação espiritualista religiosa, na medida em que não possui “dogmas” propriamente ditos, mas antes fundamenta-se na razão e nos fatos. Sob esse aspecto o Espiritismo é considerado uma Doutrina Tríplice, pois sua estrutura consiste em Ciência, Filosofia e Religião.




  • Ciência, pois possui como fundamento a parte experimental ou seja, idéias organizadas sistematicamente a partir dos fatos, dos fenômenos mediúnicos, das manifestações em geral. Para tanto, emprega, efetivamente, o método experimental.




  • Filosofia, pois sua temática abrange essencialmente objetos de conhecimento que estão além da experiência sensível, qual: a existência de Deus, os Princípios constitutivos do Universo (Causas Primárias), as Leis Morais e outros. Para Tanto, possui como instrumento seguro o método racional.



  • Religião na medida em que seu fim último consiste na restauração do Evangelho e na prática dos Princípios Cristãos. Importa porém, considerar que, embora de essência religiosa, o Espiritismo não se vale de formalismos exteriores, de práticas sagradas, rituais ou técnicas coletivas, mas a busca de religiosidade dá-se na intimidade afetiva de cada um, a partir de uma atitude interior consciente.

Esses três aspectos encontram-se bem definidos na Codificação de Allan Kardec, respectivamente: O Livro dos Médiuns, O Livro dos Espíritos e O Evangelho Segundo o Espiritismo.


Em seus aspectos científicos e filosóficos, a Doutrina Espírita será sempre um campo de investigações humanas. No aspecto religioso, todavia, repousa a sua grandeza divina, por construir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo, estabelecendo a renovação definitiva do homem para a grandeza de seu imenso futuro espiritual.

Bibliografia:



* O Livro dos Espíritos - Introdução
A bandeira da Doutrina Espírita é a Caridade, e sua inscrição é “Fora da Caridade não Há Salvação”; base fundamental para a evolução do Espírito.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal