Estrutura curricular (novo projeto pedagógico) licenciatura núcleo Específico de Geografia (20)



Baixar 2.45 Mb.
Página11/22
Encontro29.07.2016
Tamanho2.45 Mb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   22




EMENTA

NÃO CONSTA O PROGRAMA








OBJETIVOS







METODOLOGIA





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO







BIBLIOGRAFIA















Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____





FALTA PROGRAMA

A.C.C. – Atividade Curricular em Comunidade







UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

EDC 142




Técnicas e Recursos Audiovisuais




CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E













68

105






















EMENTA

Utilização de Técnicas e Recursos Audiovisuais no processo ensino-aprendizagem. Fundamentação teórica acerca da dinâmica da comunicação e aspectos técnicos dos recursos a serem utilizados. Elaboração e demonstração de utilização do material audiovisual.



OBJETIVOS

Oferecer ao aluno subsídio para a realização de materiais didáticos e a reflexão crítica sobre os mesmos.



METODOLOGIA

Aulas expositivas e práticas

Trabalhos individuais e em grupo

Análise de vídeos e produções audiovisuais

Discussão em grupo



Avaliação: Seminário

Realização individual de recursos de baixo custo

Produção em grupo de recursos eletro-eletrônicos




CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  1. Fundamentação teórica

    1. A imagem, o som e o texto; os níveis de atenção; codificação e decodificação;

    2. As cores no processo de comunicação; os meios de comunicação de massa na sociedade atual; a linguagem fílmica; micro-didática de montagem; vídeo.

  2. Técnicas e Recursos

    1. A ilustração nos livros didáticos

    2. Transparências e retroprojetores

    3. Cartazes e álbuns seriados

    4. Fotografias; diapostivos e diafilmes

    5. Seqüência sonorizada de diapositivos

    6. Cinema, vídeo e televisão educativos

    7. Vídeo-tape na escola

    8. Computador na escola

  3. Análise de experiências

    1. As políticas públicas de tele-educação

    2. Experiências de ensino com técnicas e recursos audiovisuais

    3. A televisão educativa e os projetos nacionais de tele-educação






BIBLIOGRAFIA

ALVES, Alfredo e outros. Como fazer um audiovisual. Petrópolis, Vozes, 1987. (Coleção Fazer)

ALMEIDA, Cândido Mendes de. O que é vídeo. São Paulo, Brasiliense, 1984. (Coleção Primeiros Passos)

AVELLAR, José Carlos. Imagem e som, imagem e ação, imaginação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982. (Coleção Cinema)

BERNADET, Jean-Claude. O que é cinema. 6ª ed., São Paulo, 1984. (Coleção Primeiros Passos)

_________. e RAMOS, Alcides Freire. Cinema e História do Brasil. São Paulo: Contexto, 1988.

BORDENAVE, Juan Diaz e PEREIRA, Adair. Estratégias de ensino-aprendizagem. Petrópolis, Vozes, 1986.

BULIK, Linda e PIVA, Márcia C. Comunicação, memória e resistência. São Paulo: Edições Paulinas, 1989.

CALDAS, Waldenyr. O que todo cidadão precisa saber sobre cultura de massa e política de comunicações. São Paulo, 1986. (Cadernos de educação política. Série Sociedade e Estado; 19).

COELHO NETTO, José Teixeira. O que é indústria cultural. São Paulo, Brasiliense, 1980. (Coleção Primeiros Passo)

COMPARATTO, Doc. Roteiro – arte e técnica de escrever para cinema e televisão. 5ª ed., Rio de Janeiro: Nórdica, 1983.

DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: M. Fontes, 1981.

FARRNA, Modesto. Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo: Edgard Blücher, 1982.

FERREIRA, Oscar e SILVA JUNIOR, Plínio. Recursos audiovisuais no processo ensino-aprendizagem. São Paulo: EPU, 1986.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. 2ª ed., Porto Alegre, 1989.

GIACOMANTONIO, Marcello. O ensino através dos audiovisuais. São Paulo: Summus/EDUSP, 1981.

GOMES, Pedro e PIVA, Márcia Cruz (Orgs.). Políticas de comunicação: participação popular. São Paulo: Edições Paulinas, 1988.

GUARESCHI, Pedro A. Comunicação e poder: a presença dos meios de comunicação de massa estrangeiros na América Latina. 8ª ed., Petrópolis, Vozes, 1988.

GUTIERREZ, Francisco. A linguagem total – uma pedagogia dos meios de comunicação. São Paulo: Summus, 1978.

KNOPLOCH, Zilda. Ideologia do Publicitário. Rio de Janeiro: Achiamé, 1976.

LUYTEN, Sônia M. Bibe (Org.). História em quadrinhos – leitura crítica. 3ª ed., São Paulo: Ed. Paulinas, 1989.

MACHADO, Arlindo. A ilusão espetacular. São Paulo: Brasilense, 1984.

MACKENZIE, Norman e outros. Arte de ensinar e arte de aprender: introdução aos novos métodos e materiais utilizados no ensino superior. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1974.

MORAN, José Manuel. Como ver televisão: leitura crítica dos meios de comunicação. São Paulo: Ed. paulinas, 1991. (Coleção Comunicar)

PARRA, Nélio. Metodologia dos recursos audiovisuais. São Paulo: Saraiva, 1973.

_______. e PARRA. Ivone. Técnicas audiovisuais de educação. 5ª ed., São Paulo: Pioneira, 1985.

PEDROSA Israel. Da cor à cor existente. Rio de Janeiro: Léo Christiano Editorial Ltda., 1977.

PENTEADO Heloísa Dupas. Televisão e escola: conflito ou cooperação. São Paulo: Cortez, 1991 (Coleção Educação Contemporânea)

PFROM NETO, Samuel. Tecnologia da educação e comunicação de massa. São Paulo: Pioneira, 1976.

PLANQUE, Bernard. Técnicas audiovisuais de ensino. São Paulo: Loyola, 1974.

Revista de Educação AEC. Comunicação e Educação. Ano 11, nº 44, Brasília, 1982.

RIBEIRO, Milton. Planejamento visual gráfico. Brasília: Linha, 1987.

SANTORO, Luiz Fernando. A imagem nas mãos: o vídeo popular no Brasil. São Paulo: Summus, 1989.

SOARES, Ismar de Oliveira (Org.). Para uma leitura crítica dos jornais. São Paulo: Ed. Paulinas, 1989.

_______. Para uma leitura crítica da publicidade. 2ª ed., São Paulo: Ed. Paulinas, 1988.

TAHARA, Mizuko. Contato imediato com mídia. São Paulo: Global, 1986.

TILBURG, João Luís Van. Para uma leitura critica da televisão. 4ª ed., São Paulo: Ed. Paulinas, 1989.

TISKI-FRANSKOWIAK, Irene T. Homem, comunicação e cor. 2ª ed., São Paulo, Ícone, 1991.

VANONE, Francis e GOLIOT-LÉTÉ, Anne. Ensaio sobre a análise fílmica. Campinas, S.P., Papirus, 1994. (Coleção Ofício de Arte e Forma)













Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

EDC 267




Educação Ambiental



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E













68





















EMENTA

Desenvolvimento de atividades teórico-prática para identificação de problemas ambientais através do contato direto com os mesmos. Análise de questões ambientais no âmbito da escola e outras instituições. O papel do professor na sensibilização da comunidade na discussão do ambiente em seus aspectos sócio-político-culturais.



OBJETIVOS

Compreender a importância da Educação Ambiental na formação do cidadão da atualidade;

Analisar os fundamentos necessários à prática da educação ambiental, no que diz respeito aos aspectos: filosóficos, epistemológicos e sócio-político-culturais;

Desenvolver ações teórico-prática que facilitem a compreensão da educação ambiental na Educação Básica.




METODOLOGIA

O método a ser usado durante o curso desta disciplina deverá possibilitar aos estudantes identificar problemas que afetam o ambiente e ações em educação ambiental já desenvolvidas em âmbitos diversos. Deverá também possibilitar ao estudante conhecer melhor o ambiente em que vive e buscar ampliar o debate e ações visando a solução ou diminuição dos problemas que afetam o ambiente. Para isto, serão utilizados recursos onde se destacam: o levantamento de elementos de pesquisa junto a diversos segmentos, a exposição dialogada, a elaboração/ produção de textos e outras modalidades de produção científica, tais como: resenhas, projetos, dentre outros.

A avaliação deverá ser processual e sobre a produção científica do aluno durante todo o curso, podendo ocorrer, quando a situação assim o exigir, provas e testes, pois a produção teórico-prática no campo da Educação Ambiental já é bastante significativa. Os aspectos qualitativos ligados ao posicionamento crítico/analítico do aluno serão fundamentais em sua avaliação.





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Educação Ambiental – Histórico, concepção, objetivos e finalidades.

Ambiente: concepção e representação social.

As diversas tendências da E. A.

A Educação Ambiental, a crise da ciência e do conhecimento moderno.

Conteúdos e áreas de conhecimentos relacionados com a Educação Ambiental.

Os conceitos básicos e os mitos no fazer da Educação Ambiental.

Retratos da degradação ambiental: o lixo, o desmatamento, a extinção de espécies, a superpopulação, a poluição, dentre outros.

Desenvolvimento e desenvolvimento sustentável.

Educação Ambiental como Tema Transversal – PCN.

Interdisciplinaridade, transdisciplinaridade e a Educação Ambiental.

Elementos da Legislação Ambiental.

A pratica da E. A. – Elaboração e execução de projetos.





BIBLIOGRAFIA

ALVES, Rubens. Filosofia da ciência. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BAUDRILLARD, Jean. A transparência do mal. São Paulo: Papirus, 1992.

BETTO, Frei. Ética. Rio de Janeiro. Garamond, 1997.

BRANCO, S. M. Ecossistêmica. São Paulo: Edgard Blücher, 1989.

CALLENBACH, Ernest. Gerenciamento ambiental. São Paulo: Cultrix, 1993.

CARVALHO, M.C.M. Construindo o saber. São Paulo: Papirus, 1991.

CASCINO, Fabio. Educação ambiental. São Paulo: Editora SENAC, 1999.

CHALMERS F. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense, 1995.

CHANGEUX, Jean-Pierre (Org.). Uma ética para quantos? Bauru. S.P. EDUSC, 1999.

CORTELLA, M.S. A escola e o conhecimento. São Paulo: Cortez, 1998.

DEMO, Pedro. Conhecimento moderno. Petrópolis: Vozes, 1997.

DUARTE, R.A. Paiva. Marx e a natureza em O Capital. São Paulo: Loyola, 1995.

FAZENDA, Ivani (org.). Didática e Interdisciplinaridade. São Paulo: Papirus, 1998.

FREIRE, Genebaldo. Educação Ambiental. São Paulo: Gaia, 1994.

GLEICK, James. Caos – A construção de uma nova ciência. Lisboa: Gradiva, 1989.

GRUN, Mauro. Ética e Educação Ambiental. São Paulo: Papirus, 1996.

GUIMARÃES, Mauro. A dimensão ambiental na educação. São Paulo: Papirus, 1995.

HUBNER, Kurt. Crítica da Razão Científica. Lisboa: Edições 70, 1993.

JANTSCH, A. P. (Org.) Interdisciplinaridade. Petrópolis: Vozes, 1995.

KREMER-MARIETTI, Angèle. A Ética. São Paulo: Papirus, 1989.

MAIA, N. F. A Ciência por Dentro. Petrópolis: Vozes, 1991.

MINC, Carlos. Como fazer movimento ecológico. Petrópolis, 1987.

MORAES, A. C. R. Meio Ambiente e Ciências Humanas. São Paulo: Hucitec, 1997.

MORAIS, R. Filosofia da Ciência e da Tecnologia. São Paulo: Papirus, 1988.

NEVES, Walter. Antropologia Ecológica. São Paulo: Cortez, 1996.

NIETZSCHE. A Genealogia da Moral. Ediouro, 11258.

PADUA, Antonio. O que é ecologia? São Paulo: Brasiliense, 1992.

PAVIANI, J e BOTOMÉ, S.P. Interdisciplinaridade. Caxias do Sul: EDUSC, 1993.

PINTO, A. V. Ciência e Existência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

REIGOTA, Marcos. A Floresta e a Escola. São Paulo: Cortez, 1999.

REIGOTA, Marcos. Educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 1994.

RIOS, T.A. Ética e Competência. São Paulo: Cortez, 1995.

SADER, Emir. (Org.) Pós-Neoliberalismo. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do Espaço Habitado. São Paulo: Hucitec, 1997.

_________. Técnica, Espaço e Tempo. São Paulo: Hucitec, 1996.

SIMMEL, George. Filosofia do Amor. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

SPINOZA. Ética. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997.

VASQUEZ, A. S. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

VIEIRA, Liszt. Cidadania e Política Ambiental. Rio de Janeiro: Record, 1998.

VIERTLER, R. B. Ecología Cultural. São Paulo: Ática, 1988.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES

Catálogo: twiki -> pub
pub -> Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Goiânia 15ª Promotoria de Justiça
pub -> Ministério público do estado de goiá
pub -> Ormísio Maia de Assis
pub -> Exmo. Sr. Dr. Juiz de direito da vara cível da comarca de itajaí sc sos fundação Mata Virgem
pub -> Docente: Dr. José Manuel E. Valença a informática na saúde
pub -> Neros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital
pub -> A consciência como fator preponderante na construção das grandes teorias para a humanidade
pub -> Trabalho De Informática Jurídica «A criptografia» Universidade do Minho. Maio de 20005
pub -> Universidade do Minho Licenciatura em Direito Informática Jurídica Técnicas Criptográficas—Cifras Docente
pub -> Realizado por: Henrique Fernandes da Cunha Nº. 34531 Cristina Laura Silva Ferreira Nº. 31625 Mafalda Joana Saraiva Magalhães N


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   22


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal