Estrutura curricular (novo projeto pedagógico) licenciatura núcleo Específico de Geografia (20)



Baixar 2.45 Mb.
Página20/22
Encontro29.07.2016
Tamanho2.45 Mb.
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   22

FALTA PROGRAMA DA DISCIPLINA

AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL







UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Sistema de Informação Geográfica




CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E













85




30

15













EMENTA

Os componentes de um SIG. Operações. A função do SIG nos estudos geoambientais e suas diversas aplicações. A utilização do SIG no planejamento e cadastro urbano e rural.




OBJETIVOS

Treinar o aluno em programa de SIG utilizando dados ambientais dentro de um contexto local, regional e nacional.

Gerar novos dados com operações e relacionamentos, visando a representação de fenômenos geográficos para utilização no planejamento urbano e rural.






METODOLOGIA

Aulas expositivas; aulas práticas utilizando programa de SIG.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

TEÓRICA/PRÁTICA

  1. Histórico, princípios e funções

  2. Introdução: Conceituação de sistemas e modelos

    1. Definição e tipos de sistemas

2.2 Definição e tipos de modelos

3. Métodos e processos de SIG: aquisição, processamento, armazenamento, reprodução gráfica e visualização cartográfica

4. Estruturação de dados Geoambientais no levantamento de uso do solo - urbano

4.1 Legislação Municipal do uso do solo urbano

4..2 O contexto ambiental na divisão territorial urbana

4.2.1 Identificação e delimitação de bairros e células censitárias

4.3 Procedimentos e instrumentos

4.3.1 Uso de fotografias aéreas e imagens de alta resolução

4.3.2 Uso de GPS

5 Estruturação de dados Geoambientais no levantamento de uso da terra - rural

5.1 Importância da avaliação da ocupação da terra

5.2 Legislação de cadastro rural

5.3 Procedimentos e instrumentos

5.3.1 Uso de fotografias aéreas e imagens de satélites

5.3.2 Representação gráfica

5.4 Quantificação de áreas

6. Avaliação.

Uso de Laboratório de Geoprocessamento e Cartografia Digital.






BIBLIOGRAFIA

ASSAD, E. D.; SANO, E. E. Sistema de Informações Geográficas: na agricultura. Planaltina: Brasília, DF: EMBRAPA-CPAC, 1993.

Base cartográfica em escala grande: 1:2.000; 1:10.000 e 1:25.000.

CÂMARA, G.; CASANAVA, M. A.; HEMERLY, A. S.; MAGALHÃES, G. C.; & MEDEIROS, C. M. B. Anatomia de Sistemas de Informações Geográficas. Campinas: Instituto de Computação, UNICAMP, 1996.

CHRISTOFOLETTI, A. Modelagem de Sistemas Ambientais. São Paulo, SP: Ed.Edgard Blücher Ltda. 2002.

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR – CONDER (BA). Sistema Cartográfico da Região Metropolitana de Salvador. – SICAR/RMS-1995. 2ª ed. Salvador, 1995.

IBGE, dados censitários.

Lei do Parcelamento de Uso do Solo Urbano.

Lei 6.664/79, de Regulamentação do Bacharel em Geografia.

ROCHA, H. B. GPS de Navegação: para mapeadores, trilheiros e navegadores. Juiz de Fora – MG. 2003.

RAMOS, C. da S. Visualização Cartográfica e Multimídia: conceitos e tecnologias. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

ROBBI, C. Sistema para Visualização de Informações Cartográficas para planejamento. São José dos Campos. Tese (Doutorado). Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

SILVA, A. de B. Sistema de Informações Georreferenciadas: conceitos e fundamentos. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1999.

TEIXEIRA, A. A. L. de. & CHRISTOFOLETT, A. Sistema de Informações Geográfica: dicionário ilustrado. São Paulo, SP: Editora Hucitec, 1997.

OBS. A bibliografia específica é definida conforme a área de estudo selecionada.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



GEO 000




Riscos Climáticos em Ambientes Tropicais




CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E










-

85




30

15

-










EMENTA

A concepção sistêmica do clima e o seu papel na dinâmica da natureza. A variabilidade do clima como um fenômeno natural: tendências, flutuações, oscilações e as mudanças climáticas. Os diversos tipos de riscos climáticos em ambientes tropicais. As alterações meteoroclimáticas relacionadas ao processo de interação oceano-atmosfera nas escalas global e regional. Os impactos meteoroclimáticas no meio ambiente urbano e as áreas de riscos. O clima urbano como instrumento de planejamento da cidade.




OBJETIVOS

A disciplina se propõe analisar os principais eventos climatológicos que podem promover diferentes impactos ambientais com inúmeras repercussões sobre o espaço geográfico.




METODOLOGIA

Aulas teóricas (exposição de material áudio-visual, discussão de textos etc.)

Atividades Práticas: construção de climogramas, carta climográfica, diagramas ombrotérmicos, interpretação de climogramas bioclimático.




CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

I A originalidade dos ambientes tropicais e suas características espaciais.
2.1 O interesse crescente pelos estudos dos riscos climáticos na atualidade;

2.2 Aspectos teóricos-conceituais sobre risco, vulnerabilidade, eventos naturais, susceptibilidade e impactos meteoroclimáticos;

2.3 Os diversos tipos de riscos naturais em ambientes tropicais;

2.4 Os riscos climáticos produzidos pelos fenômenos macro e mesoescala. O fenômeno ENOS, os complexos complexos convectivos de mesoescalas e suas interações processuais. Os principais cenários sinóticos associados às anomalias climatológicas regionais.

2.5 O problema da Desertificação em Ambientes Tropicais
II Os Riscos Climáticos no Brasil e as ações Antrópicas
2.1 A questão das secas severas;

2.2 Os episódios pluviais concentrados e suas conseqüências espaciais;

2.3 As geadas e as ondas de frio no Sul do Brasil;

2.4 Os veranicos e seus efeitos sobre a agricultura

2.5 os desastres ambientais causados pelos ventos
III Estudo de Caso
(estudo de uma área urbana e/ ou rural)





BIBLIOGRAFIA

BRANDÃO, A. M. P. M. As chuvas e ação humana: uma feliz coincidência. Seminário: Proteção e Controle dos Efeitos dos Temporais no Rio de Janeiro. UFRJ, p. 21-37, Rio de Janeiro, 1997.


CONT, J. B. O Meio Ambiente Tropical. Associação de Geografia Teorética. Geografia. Vol. 14, nº 28, p. 69-79 Rio Claro, São Paulo 1988.
Desertificação nos trópicos. Proposta de Metodologia de estudo aplicada ao Nordeste brasileiro. Tese de Livre-Docência, FFLCH/UJP, São Paulo, 1995.
CANTOS, J. O. e OLCINA, A. G. Climatologia General. Editora Ariel S/A, Barcelona, 1997.
GONÇALVES, N. M. S. Impactos Plúvicos e a desorganização do espaço em Salvador/Ba. Tese de doutorado.FFLCH/USP. São Paulo, 1992.
REBELO, F. Riscos Naturais e Ação Antrópica.Coimbra. Imprensa da Universidade, 2001.
ZAVATTINI, J. A . e SANT’ANA, J. L. Variabilidades e Mudanças Climáticas: implicações ambientais e socioeconômicas.Editora UEM, Maringá, 2000.












Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____











UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES




COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Geomorfologia das Regiões Intertropicais


CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E










-

85




30

15

-










EMENTA

A importância do clima no relevo continental. Natureza e características dos processos morfoclimáticos: o conceito zonal no estudo do relevo e o equilíbrio morfoclimático. O modelado das latitudes intertropicais: o meio ecológico e os processos de transporte sobre as vertentes. Os processos erosivos e suas características espaciais. Estudo de caso.






OBJETIVOS

Propiciar a compreensão da evolução geomorfológica, através dos conceitos disponíveis da Geomorfologia Climática, estimular a observação e análise dos processos e mecanismos geradores dos processos e forma nas regiões intertropicais.

Estudar e explicar a importância do clima sobre os processos que modelam a paisagem, identificando e explicando os sistemas morfoclimáticos e seus resultados.






METODOLOGIA

Abordagem teórico-explicativa, aulas exopsitivo-participativas/ trabalho de campo / trabalhos teóricos e práticos e análise sobre fotografias e imagens de sensoreamento remoto.

Avaliação: 1a Unidade: 1 avaliação escrita e 1 comentário bibliográfico

2a Unidade: relatório de campo e 1 avaliação escrita.





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  1. Introdução ao estudo do modelado das regiões Intertropicais.

- As singularidades dos ambientes marcados pelas condições de tropicalidade.

- O conceito zonal em Geomorfologia e a dinâmica dos processos areolares e lineares.

- A noção de equilíbrio morfoclimático.

- O papel do clima sobre as formas de relevo nos ambientes Intertropicais.



  1. Os grandes domínios morfoclimáticos das Regiões Intertropicais.

- As características das áreas tropicais úmidas, subúmidas e semi-áridas.

- Os processos morfoclimáticos atuantes: erosão regressiva, lateral, escoamento em lençol, escoamento difuso dentre outros.

- O modelado das áreas tropicais sem estação seca definida.


  1. Os domínios morfoclimáticos do estado da Bahia

- Estudo de caso.




BIBLIOGRAFIA

CHRISTOFOLETTI, A. – 1936 - Geomorfologia. São Paulo, E. Blücher.

GUERRA, A. T. & BATISTA S. - 1994 - Geomorfologia: Uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.

GUERRA, A. T. & BATISTA S. - 1996 – Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.

GUERRA, A. T. - 1993 - Dicionário Geológico-Geomorfológico. IBGE, Rio de Janeiro.

GUERRA, J. A. T. & CUNHA, S. B. (orgs.) - Geomorfologia: uma atualização de conceitos - Rio de Janeiro, Bertrand Brasil. 1994.

ROSS, J. L. S. - A participação da Geomorfologia nos diagnósticos ambientais - In: SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 3.,1989. Nova Friburgo/RJ, Anais... Nova Friburgo, 1995, v.1, p. 175-188. 1989.



*PENTEADO, M. M. - 1974 - Fundamentos de Geomorfologia. IBGE/RJ.

*STRAHLER, A. - 1989 - Geografia Física. Ômega, Bercelona.

TRICART, J. - 1968 - As relações entre morfogênese e pedogênese. Not. Geomorfológica. 8(15):5-18.















Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



GEO 000




Gestão de Bacias Hidrográficas

Catálogo: twiki -> pub
pub -> Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Goiânia 15ª Promotoria de Justiça
pub -> Ministério público do estado de goiá
pub -> Ormísio Maia de Assis
pub -> Exmo. Sr. Dr. Juiz de direito da vara cível da comarca de itajaí sc sos fundação Mata Virgem
pub -> Docente: Dr. José Manuel E. Valença a informática na saúde
pub -> Neros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital
pub -> A consciência como fator preponderante na construção das grandes teorias para a humanidade
pub -> Trabalho De Informática Jurídica «A criptografia» Universidade do Minho. Maio de 20005
pub -> Universidade do Minho Licenciatura em Direito Informática Jurídica Técnicas Criptográficas—Cifras Docente
pub -> Realizado por: Henrique Fernandes da Cunha Nº. 34531 Cristina Laura Silva Ferreira Nº. 31625 Mafalda Joana Saraiva Magalhães N


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   22


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal